Busca:

  Notícia
 
Camaçarico 4 de junho 2018


Fagulha  Risco de acidente de grandes proporções no Teatro Cidade do Saber (TCS), tal suas dimensões, com capacidade para abrigar quase 600 pessoas sentadas, é sinalizado praticamente todos os dias, dizem servidores do teatro, que temem por suas vidas e da plateia. O último suspiro de alívio desses dedicados trabalhadores foi dado no final da tarde de domingo (3), com o encerramento e desocupação do teatro pelas centenas de jovens bailarinas e bailarinos, suas famílias, professores e convidados que participaram do 13º Festival Nacional de Dança Ballace.

Fagulha 2  Descaso com o teatro é antigo. Nasceu com sua inauguração, em março de 2007, ainda na gestão Luiz Caetano (PT), e prosseguiu com o alcaide Ademar Delgado, ex-PT e hoje sem pouso partidário. Festejado como um dos melhores e mais modernos do Brasil, TCS já exibia sistema de combate a incêndio fora das especificações. A Coluna apurou que em caso de sinistro, o sistema de hidrantes simplesmente não funciona de forma eficaz. Instalado fora das especificações exigidas para a estrutura do prédio, rede de mangueiras não possui capacidade para bombear água para as partes mais altas do teatro. 

Fagulha 3 O caos no sistema de combate a incêndio do Teatro Cidade do Saber se completa com a falta de extintores e de uma brigada para atuar nesses casos emergenciais. Todos os extintores estão vencidos, portanto sem a menor condição de combater um incêndio por menor que seja sua proporção. Descaso com a manutenção destes equipamentos, indispensáveis em qualquer espaço público, vem da gestões  anteriores ao governo do alcaide Elinaldo, e prossegue na atual administração iniciada em janeiro de 2017. 

Fagulha 4 Conjunto de descuidos criminosos tem como pilar principal o sistema eletrico do teatro. Cheio de emendas, improvisos e gambiarras, rede sempre apresenta problemas. Na última sexta-feira (1/6), um dos canhões de luz instalados no palco do teatro, estourou. O pipoco, felizmente não foi percebido pela plateia. Numa situação de pânico, as centenas de pessoas enfrentariam problemas para  deixar o teatro de forma organizada, já que  falta pessoal treinado para casos de evacuação imediata do espaço. 

Fagulha 5  Precariedade da estrutura do Teatro Cidade do Saber foi destaque  durante fala do diretor artístico do Balé do Teatro Castro Alves (BTCA). Preocupado com a performance dos seus bailarinos e o nome da sua companhia, considerada uma das melhores do Brasil, o coreógrafo e professor da UFBA, Antrifo Sanches, lamentou a precariedade da estrutura do TCS, ao informar que o espetáculo 'LubDub'  seria prejudicado por problemas na iluminação do teatro. 


Fagulha 6  O sistema de som foi outra queixa do diretor,  presenciada pela secretária de cultura Marcia Tude, responsável pela gestão e manutenção do teatro, e única autoridade presente na noite de abertura do 13º Ballance. Diante do teatro lotado, Antrifo Sanches exigiu que o 'problema' fosse corrigido imediatamente para não prejudicar ainda mais a qualidade da montagem. 


Fagulha 7  Escaparam do 'puxão de orelhas', o prefeito Antonio Elinaldo (DEM), e o seu vice José Tude, pai da titular da Secult. Ausência do alcaide e de seu companheiro de partido, na noite de abertura do festival, quinta-feira (31/5), é a coreografia sem retoques de quem não esconde a total, ou quase completa falta de intimidade e identidade com a cultura. Ao não comparecer em nenhum dos 4 dias do festival, alcaide deixou de prestigiar um dos mais importantes encontros de dança do Brasil, que assegurou para Camaçari o título de 'Capital nacional da dança'.

Fagulha 8 Mesmo responsável pela notificação e exigências para adequação do teatro às normas de segurança, o Corpo de Bombeiros de Camaçari fraqueja na sua missão de prevenir acidentes. Depois da inspeção de 2017, a Coluna apurou que a corporação não apareceu para cobrar as modificações no sistema de combate a incêndio e acidentes. O resultado é um teatro aberto, mas sem condições de funcionamento, quando deveria ser imediatamente interditado. Ou será que queremos repetir a tragédia da boite Kiss, em janeiro de 2013, quando 242 pessoas morream.


Fagulha 9 Completam o elenco de personagens desse triste espetáculo de decaso com o bem público e risco para  a vida de pessoas, a Câmara de Vereadores. Os oposicionistas do governo passado, hoje governistas, nada falam. Já os oposicionistas de hoje e governistas de ontem, quando os desmandos no TCS e em todo o programa Cidade do Saber tiveram nascimento, evitam essa polêmica com receio de sairem chamuscados pelo incêndio do passado. 


Fagulha 10 Quem também passa longe dessa plateia desatenta é o Ministério Público Estadual de Camaçari (MPE). Os problemas no Teatro Cidade do Saber não são recentes e foram denunciados pelo Camaçari Agora. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


4/6/2018  Atualização às 19h59

Mais Notícias

Servidores ocupam Assembleia contra pacote de Rui Costa
Moro culpa políticos por omissão no combate a corrupção
Brasil projeta safra recorde de 238 milhões de toneladas de grãos
Assessor de Bolsonaro recebia depósitos em dia de pagamento
Futura ministra de Bolsonaro se diz vítima das feministas
Camaçarico 11 dezembro 2018
Receita cobra de Neymar quase R$ 70 milhões de multas
Número de filhos reduz salário da mulher trabalhadora
Coaf vê padrão no movimento bancário de assessor de Bolsonaro
Polícia Federal vasculha endereços de Genito Gama


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL