Busca:








Fritura O plenário da Câmara de Vereadores de Camaçari confirmou na sessão desta terça-feira (21), a informação de mudança do Regimento Interno da Casa para assegurar a reeleição do petista Téo Ribeiro. Antecipada em setembro pela Coluna sob o título Fast-food (Confira), o Camaçarico citava inclusive  que a proposta não partiria dos governistas. Como acertado, coube ao vereador Zé do Pão (PTB), ainda instalado na bancada da oposição, apresentar a proposta.


Fritura 2 O lanchinho servido e montado com a ajuda do ex-vereador e secretário de turismo do governo passado, Waldy Freitas, é o desarranjo que faltava para os antigovernistas ficarem definitivamente fora  da disputa pela direção da 2ª estrutura de poder no município. Presidência é cozinha de grande importância na sucessão do prefeito Ademar Delgado, em 2016.


Timão O governador eleito, Rui Costa, no comando da carreata de domingo (19), é indício de que o petista não engoliu derrota para Paulo Souto, em Camaçari, e quer compensar com vitória significativa de Dilma no município. Dilma obteve 45,35% dos votos do eleitorado no 1º turno. O número é confortável, se comparado com os 41% do estado.


Timão 2 A ordem é ampliar e buscar trazer boa parte dos 35,7% de Marina. Em Camaçari, Aécio obteve 17,29%, quase metade dos 33%, soma de votos em todos os municípios baianos. No atacado, conta mostra que 52% dos votos do município foram para a cesta da oposição.


Avisa aí Na próxima manifestação de campanha, ou até no dia da votação, recomenda-se ao vereador Oziel (PT), fugir das camisas com cores azul, verde e amarela, incorporadas como marca da campanha do tucano Aécio. Distraído, o edil camaçariense usou vistosa camisa canarinho durante a carreata de domingo (19), em Camaçari. 


Avisa aí 2 Outro descuidado é o vereador José Marcelino (PT), líder do governo na Câmara Municipal. Mesmo com o clima festivo e calor dobrado deste final de outubro eleitoral, não é de bom tom desfilar de periguete na mão, em cima do caminhão. Na próxima, segue a velha regra da política e coloca a loira na latinha de refri.


Novidade O ato de apóio do PSB à candidatura Dilma Rousseff, semana passada em Salvador, é notícia velha para Camaçari. Legenda, criada no município para ser linha auxiliar do PT, sempre agiu longe do comando da direção nacional e da indefinida gestão da senadora Lídice da Mata. Controlados pelo ex-prefeito Caetano, ‘socialistas’ de Camaçari, ao contrário da titubeante gestão estadual, marcha de fato e de direito desde o nascimento sob o comando petista. 


21/10/2014

 





Números

Números A superioridade eleitoral de Paulo Souto, em Camaçari, com 46.631, exatos 2.331 a mais que o petista Rui Costa, não foi um bom passaporte para o grupo do ex-prefeito no futuro governo. Mesmo colocando na conta do esquecimento a reação de Luiz Caetano ao nome do hoje governador eleito, quando insistia na disputa pela indicação do partido, outro número sinaliza essa falta de gás na reta final. São os 50.952 votos obtidos no município pela presidente e candidata a reeleição, Dilma Rousseff, uma diferença em relação a Rui de quase 20%.


Números 2  A deputada Luiza Maia (PT) terá de acender uma vela pelos próximos 4 anos para o companheiro de partido, o federal Valmir Assunção. Sem o apoio do líder do MST no estado, dificilmente Luiza teria os exatos 42.037 votos que lhe asseguraram a penúltima vaga na coligação.


Números 3  No 1º mandato, nas eleições de 2010, a parlamentar somou quase 80 mil votos. A maré de vazante se repete na sua principal Base. Em Camaçari Luiza somou 15.269 votos contra os 24.605 apoios obtidos de 2010.  


Números 4 Outro que precisa bater a cabeça no terreiro do pai Rui Costa é o deputado Bira Coroa (PT). Com 39.083 votos, o deputado morreu na 1ª suplência e deve ser reanimado graças a caneta do governador com a condução de pelos menos 1 parlamentar da Assembleia para o 1º escalão do governo. Bira ficou a 377 votos da última vaga, conquistada pelo companheiro de partido, Marcelino Galo.


Números 5 Com votação decrescente, Bira teve 171 votos a menos na comparação com 2010. Na sua terra natal os números também conspiram contra, a cada eleição. Em 2006 teve 12 mil apoios, soma que caiu para pouco mais de 5 mil em 2010, contra os 4.418 neste 2014.


Números 6 Já o ex-prefeito Luiz Caetano foi eleito o deputado federal mais votado do PT, com 125.862 votos. Mesmo com todo foguetório, sabe que os  pouco mais de 36 mil votos em casa é número médio para quem concorreu sozinho e usou, abusou e ainda reclamou da máquina municipal. Deixa em 2º, com 703 votos a menos na conta geral do PT e com apenas 708 apoios em Camaçari, o ex-secretário de saúde e candidato preferencial do esquema de Wagner, Jorge Sola.


Números 7 Mesmo negando, o ex-alcaide mais uma vez atropela Bira. Fechado com Sola, Bahia adentro, Bira recuou do acordo oficial de ajudar o ex-secretário na sua terra natal. O receio pode ter lhe custado menos votos com apoio de Sola, em outras bases, como também os preciosos votos em Camaçari, para que o doutor Sola tirasse de Caetano o posto de primeirão para desgosto do governador Wagner.


Números 8 Na 1ª suplência e com poucas chances de  assumir o mandato, o vereador Antonio Elinaldo (DEM) sai maior do pleito de domingo (5). Dos 36.278 votos, garantiu 27.412 na sua base de Camaçari. Ficou distante pouco mais de 5 mil votos de David Rios, com 41.777. Com número de gente grande no município, Elinaldo mostra que disputa pela sucessão de Ademar, em 2016, será acirrada. Seu grupo busca agora a difícil operação de deslocamento de um dos eleitos para abrir vaga de deputado, palanque importante para a sucessão de Ademar Delgado.


Números 9 Já o 3 vezes prefeito José Tude (PTN) sai com mais uma derrota no currículo outrora recheado de vitórias. Com 22.238 votos na soma geral do estado, Tude garantiu na sua principal base apenas 14.456 votos. Ficou quase 22 mil votos atrás de Caetano e perto de 3 mil votos distante de Elinaldo.


Números 10 Se a comparação for feita com a soma geral, a tragédia fica ainda maior. Em relação ao também tri-alcaide, Tude fica mais de 123 mil atrás. A sapecada de Elinaldo não tem o mesmo tamanho, mas deixa dor igual com quase 13 mil votos de frente.


Números 11 Ainda no time dos que têm Camaçari como principal base, o vereador Doutor Elias Natan (PV), candidato a estadual, não apresentou votação significativa. Com 5.651 votos, dos pouco mais de 12 mil obtidos em todo estado, chegou a 150% do seu placar de vereador, em 2012, quando garantiu mandato com 2.079 votos. Sem estetoscópio e ajuda significativa da máquina, o petista Zé Raimundo Hamburguer entrou apenas para marcar posição. Dos 1.184 votos totais, amealhou 427 em Camaçari.


Números 12 No time dos sem apoio, destaque para o vereador João da Galinha (PRTB). Contrariou o esquemão oficial e arriscou candidatura a federal. Garantiu no seu cercado preciosos 5.429 votos, quase 4 vezes mais os 1.484 votos das eleições municipais de 2012. Mesmo em universos diferentes, votação deste 2014 amplia a cesta do edil para enfrentar a reeleição de 2016 com mais equilíbrio.


Números 13 Já o PCdoB, somou com seus candidatos a estadual em Camaçari pouco mais de 2 mil votos, contra número um pouco menor com seus federais. Destaques para Alice Portugal, com 689 votos e Daniel Almeida (621). Soma garante candidatura do atual secretário de cultura, Vital Vasconcelos, na revolucionária missão de resgatar o mandato do companheiro Isanor, nos anos 1980.  


Números 14 Já no jogo da transferência de votos, o atual deputado estadual João Carlos Bacelar (PTN), cria da cidade, filho do ex-vereador Amélio Batista e irmão de Maurício Bacelar, agora Maurício de Tude, obteve 8.228 votos. Outro beneficiado foi o também estadual e agora com cadeira na Câmara Federal, em Brasília, Paulo Azi (DEM). Candidato apoiado por Elinaldo e pelo ex-prefeito Helder Almeida e toda a bancada democrata, conquistou 7.656 votos em Camaçari.


Números 15 Com votação destaque, Caetano aposta num perdão pelo TSE para o pedido de impugnação de sua candidatura. O esquema de Wagner  sabe que retirar seu nome agora é extrair mais de 120 mil do coeficiente eleitoral do PT, com baque na formação da bancada na Câmara Federal. Caso o cutelo da Lei da Ficha Limpa se confirme, só depois da posse. Cassação no decorrer de 2015 seria sem traumas, pois exigiria apenas a subida do suplente.


Números 16 Assessores garantem que o prefeito Ademar Delgado (PT) respira mais aliviado com vitória de Rui Costa. Entre uma mobilização e outra pela reeleição de Dilma, pensa no tabuleiro a partir de 2015.


7/10/2014 atualização às 13h

 





GPS

GPS O prefeito Ademar Delgado (PT) pode até negar de pés juntos, mas segue a regra da política e analisa todos os cenários pós-outubro. Qual o seu caminho com a eleição para o Congresso Nacional e consequente fortalecimento do ex-prefeito de Camaçari e companheiro de partido, Luiz Caetano. E a influência da eleição ou derrota de Rui Costa nos seus planos de reeleição. A sucessão em Brasília e até o atropelo e sepultamento político do ex, pela Justiça, são variantes que Ademar não descarta e analisa.


GPS 2 Fontes da Coluna asseguram que eleito deputado federal, o ex-prefeito promete cumprir mandato de apenas 2 anos, o que coloca seu nome na sucessão de 2016, portanto em conflito com o pleito do atual inquilino do cargo, que aposta no 2º mandato.


GPS 3 Meta do ex-alcaide é voltar provisoriamente para a miudeza da prefeitura de Camaçari, trampolim com impulso suficiente para brigar pelo comando do Palácio de Ondina, a partir de 2019.


GPS 4 Parceria com o vereador José Marcelino e controle da Câmara de Vereadores, com o compadre e fiel escudeiro Téo Ribeiro, garantem pista confortável para o ex.


GPS 5 Sem espaço no PT de hoje e agora para garantir seu nome em convenção do partido, só resta a Ademar o exercício da paciência. Recados não faltam. Durante jantar quinta-feira (25/9), num restaurante de Salvador, disse com todas as letras que ou é ele na sucessão, ou o jogo pode embolar. Sobremesa servida pelo alcaide mexeu com os talheres caetanistas presentes.


GPS 6 A manutenção do governo estadual no esquema Wagner é o melhor cenário para Ademar. Sabe que Rui na cadeira é reforço, inclusive na base municipal. Sem Rui fica ainda mais sozinho e corre o risco de ser obrigado a entregar os dedos, porque os anéis já se foram, fazendo um acordo e desistindo da disputa por motivos pessoais.


GPS 7 Para quem levou a fidelidade a limites inexplicáveis, segundo alguns aliados, com comprometimento de metade do mandato, é nada esperar o mapa da Assembleia Legislativa e Câmara Federal, próximo domingo (5), e o fechamento do 2º turno, dia 26. Realinhar sua base ainda sem tamanho definido e até construir um novo guarda-chuva partidário. Caminhos não faltam para quem tem a caneta capaz de definir o cardápio até 2016.


2/10/2014 

 





Futuro do pretérito

Futuro do pretérito A deputada estadual e candidata a reeleição, Luiza Maia (PT), inicia luta pela implantação de escola-creche para atender os filhos das trabalhadoras da Feira de Camaçari, rebatizada de Centro Comercial.


Futuro do pretérito 2 A esposa de prefeito por 3 mandatos, ex-secretária da Mulher e ex-vereadora e presidente da Câmara Municipal promete promover gestões junto a prefeitura. Vai pedir providências ao aliado e companheiro de partido, prefeito Ademar Delgado, responsável pela gestão e manutenção do equipamento.


Tesouro Depois de Dalva Sele Paiva, presidente do Instituto Brasil, boca de presidente de ONG financiada pelos cofres públicos anda mais mortal que lança-mísseis.


Tesouro 2 Bico fechado vale ouro. Aberto, cuspindo listas de Caixa 2, nepotismo e outras traquinagens também apresenta cotação alta na mesma moeda.


Trilhos Maurício de Tude manda correspondência para a Coluna e lembra o seu pioneirismo na proposta de inclusão de Camaçari no sistema de metrô de Salvador, atualmente projetado pelo governo do estado com estação final em Lauro de Freitas.


Trilhos 2 O presidente estadual do PTN contesta o título de primeirona da candidata ao governo do estado, senadora Lídice da Mata (PSB), como divulgado pela Coluna na sua edição do último dia 22 (Confira). Cita sua proposta apresentada durante a campanha  municipal de 2012.


Trilhos 3 O ex-candidato a prefeito nas eleições de 20112 só não pode negar, que tanto seu candidato, Paulo Souto (DEM), como o petista Rui Costa, perderam o trem. Não prometeram a inclusão do município no projeto metropolitano, durante suas andanças pela cidade, mesmo com ‘projeto de projeto’ de interligação a partir de Alagoinhas em andamento.


Trilhos 4 A lista dos descarrilados inclui os ex-prefeitos Caetano e Tude, os estaduais e na disputa  pela reeleição, Luiza Maia e Bira. Completam a relação dos fora dos trilhos da mobilidade, Zé Raimundo Hambúrguer e os vereadores candidatos Antonio Elinaldo e Doutor Elias Natan.


29/9/2014

 





Presença

Presença O deputado federal Nelson Pelegrino (PT) foi o padrinho responsável pela ida para Camaçari da ONG Instituto Brasil Preservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. Fontes ligadas ao governo municipal asseguraram à Coluna que a entidade, presidida por Dalva Sele Paiva, pivô do escândalo envolvendo o PT estadual, chegou ao município em 2005 por indicação do parlamentar.


Presença 2 Contratado para projetos de reforma em escolas da rede municipal, o Instituto Brasil aparece como personagem na condenação do então prefeito Luiz Caetano (PT), pelo Tribunal de Contas dos Municípios. Em 2013 o TCM multou e mandou o ex-alcaide (2005/2012) devolver aos cofres municipais pouco mais de R$ 730 mil por pagamentos de serviços não prestados e problemas na prestação de contas do convênio com a ONG (Confira).


Presença 3 Ainda segundo essas mesmas fontes, o DNA de Pelegrino, na época o mais votado no município e um dos fiadores da eleição de Luiz Caetano, não fica apenas na indicação da ONG para serviços em Camaçari. Sua irmã, Sandra Pelegrino, trabalhou no Instituto Brasil entre 2006 e 2007.


Presença 4 O parlamentar também era visto na sede da ONG, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, onde chegou a participar de festa de congraçamento da entidade. Outros políticos, hoje sem mandato também frequentavam a sede da ONG, presidida por Dalva Sele, ex-dirigente do Comitê de Anistia e Direitos Humanos.


Presença 5 Sandra Pelegrino foi nomeada em 2005 para um cargo na Secretaria de Educação (Seduc), onde fica por 1 ano. Em 2007 volta para a prefeitura de Camaçari e assume funções na Secretaria de Saúde (Sesau) até o final de 2011.


Presença 6 Nestes últimos 5 anos em Camaçari, Sandra Pelegrino foi diretora administrativa-financeira e subsecretaria de saúde. Chegou a ser titular da pasta por alguns dias, durante a interinidade da vice de Caetano, a médica Tereza Giffoni (PSDB). Ocupou o lugar do secretário Camilo Pinto, demitido durante viagem do alcaide a Roma, em agosto de 2011.


Presença 7 Conhecida como técnica eficiente, Sandra Pelegrino atualmente ocupa cargo de gestão na Fundação Fesf-Sus, entidade com presença em 63 municípios baianos e especializada em fornecer serviços de gestão e médicos para prefeituras.


Presença 8 Fesf-Sus é dirigida pelo médico Carlos Trindade, outro velho conhecido do município. Carlão, como é carinhosamente chamado, foi secretário de saúde na gestão do ex-prefeito Luiz Caetano e ligado ao grupo do deputado Pelegrino.


Presença 9 A Fesf-Sus foi contratada pela prefeitura de Camaçari, em março deste ano, num processo acelerado e cheio de coincidências. A fundação foi escolhida para o lugar das cooperativas Cooba e Coopersaúde, que mesmo denunciadas por superfaturamento no programa Fantástico, ganharam direito de participar de nova licitação até serem descartadas em favor da Fesf-Sus. (Confira)


25/9/2014

 





Mistério

Mistério Mesmo com decisão favorável do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA), confirmada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), a Las Palmas continua fechada. A decisão do STJ que reconhece a via como pré-existente, portanto só poderia ser obstruída com a autorização da prefeitura de Camaçari, continua esquecida por quem deveria preservar o interesse público.


Mistério 2 A briga da CLN pelo fechamento da pista tem justificativa na máquina registradora do sistema de pedágio da concessionária. Os cerca de 2 quilômetros de pista entre a  Cascalheira (BA-513) e a estrada do Coco (BA-099), livram centenas de motoristas da cobrança do pedágio sentido Lauro de Freitas e Salvador.


Mistério 3 Fechada dia 14 de dezembro de 2011, por liminar concedida pelo juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública, Ricardo D’Ávila, pista voltou a ser reaberta 5 dias depois (19/12),  pelo mesmo magistrado. No dia 18 de janeiro  de 2012 a pista foi novamente fechada, dessa vez por determinação do juiz Clésio Rosa.  Uma semana depois volta a ser reaberta na marra. A ação, na noite de 25 de janeiro, contou com o apoio de políticos ligados ao governo municipal e integrantes do movimento Pedágio Livre.  Ato durou menos de 24 horas, quando a CLN voltou a  interromper a via com a instalação de  blocos de concreto e defensas de chapas metálicas.


Mistério 4  O vai e vem é prejuízo que já dura 2 anos e 8 meses para centenas de motoristas tarifados em  R$ 5 (segunda/sexta) e R$ 7.50  (sábados, domingos e feriados), mesmo com direito assegurado para seguir  por via que deveria permanecer aberta.


Mistério 5  Completa o mistério da Las Palmas, o silêncio dos governistas com e sem mandato, oposição e o outrora combativo movimento Pedágio Livre, ligado a partidos da base do governo, e o genérico Mão Vermelha, na época identificado com  a oposição municipal. 


Maquinista  A candidata ao governo pelo PSB  disparou o apito ao incluir Camaçari no  sistema de transporte  por trilhos  até  a capital como plano de seu governo, caso vença as eleições de outubro. A manobra da senadora Lídice da Mata deixou longe da estação da modernidade e da tão alardeada mobilidade urbana os candidatos Rui Costa (PT) e Paulo Souto (DEM), representados no município  por 3 ex-alcaides, pelo prefeito, e até por candidatos ao posto no futuro.  


Maquinista 2 Mesmo com Camaçari e todo o seu poderoso complexo industrial, o maior abaixo da linha do Equador, exigindo transporte seguro, rápido e barato, elite política do município demonstra  alergia a trilho. Felizmente a urticária do atraso não é  comum em toda a  região Metropolitana.  Lauro de Freitas já garantiu sua estação no  futuro metrô de Salvador. 


Maquinista 3 Mais curta que  a viagem até Parafuso,  proposta de Camaçari, em manobra desde 2005,  prevê apenas a construção de um contorno  dos trens por fora do  coração do município,  retirando assim o risco do transporte das cargas perigosas e reduzindo o aperto no sistema viário.  Sem  contemplar o transporte de passageiros, projeto descarrilado por irregularidades logo na montagem,  segue lento e perde feio para o velho  Trem Pirulito. 


Mordida  Camaçari não tem mais Delegacia da Receita Federal. O movimento de empresas e pessoas com interesses diretos e indiretos no maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul e uma dos maiores arrecadadoras de impostos do país, agora é atendido por uma agência. O status com a consequente maior capacidade de resolução foi transferido para a vizinha Lauro de Freitas.


Bico seco O ex-alcaide Luiz Caetano troca de idade e de endereço de festa. No pique da campanha para a Câmara Federal, transfere para a praça no bairro da Gleba B, os parabéns pelos 60 anos, na noite de terça-feira (23). Diferente das festas portas abertas e comes e bebes 0800, no sítio da família, em Arembepe, comício terá de seguir a lei eleitoral que proíbe até copo de água.


22/9/2014 

 





Fast-food

Fast-food A possibilidade de reeleição do petista Téo Ribeiro para mais 2 anos a frente do Legislativo de Camaçari é receita perigosa para a oposição e até para uma banda governista de Camaçari. O ‘lanchinho’, preparado através de mudança do Regimento Interno, tem a assinatura do vereador Zé do Pão (PTB), alojado na cozinha da oposição e apoiador das candidaturas a estadual do ex-prefeito José Tude (PTN) e do candidato a governador, Paulo Souto (DEM).


Fast-food 2 Na mesa governista a receita engorda Téo, ainda que momentaneamente, e embrulha, a médio prazo, o digestivo do vereador José Marcelino (PT), tido como sucessor no acordo de revezamento no comando da Casa, período 2015/2016. Sem a máquina do Legislativo, o atual líder do governo e presidente municipal do PT dificilmente teria chances de se apresentar como alternativa ao companheiro Ademar. Téo, que aparentemente se beneficia com renovação no posto de presidente, também não teria mordida suficiente para enfrentar o ex, nome assumido e com o maior apetite no banquete situacionista de 2016.


Fast-food 3 O resultado das eleições para governador e presidente são ingredientes naturais e imexíveis nessa receita assinada por Zé do Pão. Vai além do desarranjo da oposição para a disputa pela direção da 2ª estrutura de poder no município. Mesmo sem mudança no esquema de poder estadual e federal, a correlação de forças no estado se altera, o que garante molho ao Legislativo na sucessão do alcaide Ademar, em 2016.


Alerta Preocupado com o derramamento de dinheiro nas eleições deste ano, o candidato a deputado estadual, José Tude (PTN), quer a polícia nas ruas de Camaçari. O 3 vezes prefeito, portanto conhecedor dos mecanismos eleitorais, acredita que o esquema de compra de votos pelos opositores, já registrado nas eleições para vereador e prefeito, em 2012, deve se repetir no 5 de outubro.


Números A 2ª parcial de gastos dos candidatos da base de Camaçari continua exibindo despesas acima do apresentado como arrecadação oficial de campanha. Aberta para consulta do eleitor no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), números mostram que maioria trabalha no vermelho, arrecadando menos dinheiro que o necessário para pagar as despesas exibidas.


Números 2 Como na 1ª parcial, exibida pela Coluna(Confira), o ex-prefeito e candidato a deputado federal, Luiz Caetano, aparece estourado e segue isolado na liderança. O petista exibe na sua prestação de contas uma Receita de pouco mais de R$ 392 mil para uma Despesa de pouco mais de R$ 1 milhão.


Números 3  O ex-alcaide é seguido de longe pelo também tri-prefeito e postulante a uma vaga na Assembleia Legislativa. José Tude (PTN) aparece com as contas equilibradas através de Receita de R$ 120 mil e Despesa de R$ 123 mil. A lista segue com a deputada e candidata a reeleição, Luiza Maia (PT), com Receita de R$ 127 mil e Despesa de quase R$  167 mil. O vereador Antonio Elinado (DEM) exibe Receita de R$ 178.275,00 para uma Despesa de pouco mais de R$  126 mil.


Números 4 O estadual Bira Coroa (PT), postulante a reeleição, sem nenhuma receita apresentada na 1ª parcial e gastos de apenas R$ 10 mil, agora  apresenta Receita de R$ 61 mil para uma Despesa de quase R$ 112 mil. Mais modestos aparecem o vereador Doutor Elias Natan (PV), com Receita de R$ 21 mil e Despesa  de pouco mais de R$ 37mil. Ainda de acordo com a 2ª parcial de despesas até dia 3 deste mês, o candidato a estadual, Ze Raimundo Hamburguer (PT), mostra Receita de R$ 7 mil e Despesa próxima dos R$ 15 mil.


Retrato As pesquisas podem até não baterem com precisão, mas uma constatação é real e preocupante para o governo municipal. O PT de Camaçari está perdendo gordura e poder de mobilização. As eleições de 2012 já mostravam essa tendência de fadiga, com a vitória apertada de Ademar.


Retrato 2 Agora, com as eleições para presidente, o mapa fica ainda mais claro. Outro levantamento que aColuna teve acesso confirmam quadro exibido na edição passada e mostra Dilma Rousseff, que em 2010 liderou no município, cedendo para Marina Silva (PSB) o título de queridinha do eleitor de Camaçari.


Retrato 3 O desastre que se repete na disputa ao governo do estado, com o eleitor camaçariense de costas para o petista Rui, não pode nem deve ser computado exclusivamente ao atual alcaide. A conta começa mais atrás e passa pelo total afastamento da militância das decisões do governo, divisão interna da legenda e até desconstrução das ações dos governos estadual e federal no município.


13/9/2014

 





Fissura

Fissura O 28 de Setembro, festa de aniversário de Camaçari, promete ser ainda mais caliente que o Desfile da Independência, na Gleba E. Mais que enfeiar uma festa cívica, o desentendimento na manhã deste domingo (7), entre os grupos dos ex-aliados Luiz Caetano e do também petista Zé Raimundo Hamburguer, exibiu uma ferida profunda e sem perspectiva de cura antes das eleições de 5 de outubro.


Fissura 2 A disputa, com direito a gritos de ‘ficha suja’ e muito próxima de terminar em UFC, é antiga. A primazia de abrir o desfile dos partidos políticos foi apenas o pretexto e o 1º round de um confronto que agora é público.


Fissura 3 Começou com o enfrentamento de Hamburguer na eleição do Diretório Municipal, final de 2013. Daí pra frente os ajustes ficaram cada vez mais distantes. A gota d’água foi a decisão de disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa. No entendimento do ex-alcaide, o dirigente deveria reforçar preferencialmente Luiza Maia ou Bira Coroa, candidatos a reeleição.


Fissura 4 Rebelde e estimulado por uma banda da militância e até segmentos do poder municipal insatisfeitos com o centralismo do grupo caetanista, avançou na sua estratégia de construir seu espaço a qualquer custo. O complemento veio com o remédio amargo para Caetano, que testemunha a entrada do ex-secretário de saúde do estado e um dos preferidos de Wanger para o Congresso Nacional, Jorge Sola, na base até então festejada como seu feudo.


Fissura 5  Quem recuou do apoio a Sola no município foi o deputado Bira Coroa. Pensou 2 vezes e mandou guardar a propaganda pronta para botar na rua. Bota bandaid nas dores e amarguras e segue com Caetano.


Fissura 6  ‘Boicote’ e ‘equívoco’. Essas foram as expressões mais usadas por lideranças petistas e governistas presentes a inauguração do comitê central das campanhas de Dilma, Rui e Otto, quarta-feira (3) à noite, no município.


Fissura 7  Ao decidir esfriar a festa comandada pelo prefeito, impedindo as presenças da deputada Luiza Maia e de praticamente todo o seu grupo, o ex-alcaide sinalizou com todas as letras sua insatisfação com Ademar. Segundo essas mesmas fontes ouvidas pela Coluna, o ex defende que o atual abandone a hortodoxia e faça muito mais.


Derrapagem Marina já ultrapassa Dilma em Camaçari. Pesquisa interna do governo municipal mostra a candidata do PSB em vantagem, ainda que pequena. Apesar de se caracterizar empate técnico, números ouriçam dirigentes petistas que enxergam claro desconforto do eleitor do município, na sua maioria trabalhador, com a condução do governo federal.


Derrapagem 2 Na medição da sucessão estadual, Souto mantém dianteira, enquanto Rui aparece a quase 30 quilômetros de distância, mais ou menos no começo da Cia/Aeroporto. O estudo exibe ainda a possibilidade de uma dobradinha água e óleo, com Caetano e o vereador Antonio Elinaldo (DEM), candidato a estadual, como os mais lembrados.


Derrapagem 3 O levantamento também mostra que o prefeito Ademar Delgado não aparece como um bom co-piloto de Rui no município. A distância do petista para Souto, em Camaçari, não é fruto apenas da pista de popularidade da atual administração e do natural desgaste de um governo estadual em 2º mandato.


Derrapagem 4 Mesmo ciente da imexível candidatura Rui Costa, o ex-alcaide Luiz Caetano insistiu até o final do ano passado na sua postulação. Contrariou o governador, um pedaço do PT e terminou se isolando. O resultado pode ser sentido agora com a fragilidade do outrora rotulado de    ‘Ruim Costa’, que mesmo com a máquina do município, não consegue imprimir velocidade.


Rinha Ânimos acirrados no Legislativo Municipal de Camaçari. Sucessão, pesquisas e o clima eleitoral esquentando engrossam o caldo da discórdia entre governistas e oposicionistas. Balde de gelo chega com a falta de quorum para as próximas sessões, até as eleições.


Griffe Depois do movimento atípico de moradores veranistas nos imóveis do Minha Casa, Minha Vida  da estrada da Cetrel, próximo a Arembepe, conjunto do mesmo programa destinado a população de baixa renda exibe novos sinais exteriores de riqueza. Automóvel popular de morador do Camaçari Parque, no bairro Lama Preta, divide vaga com um reluzente camaro branco.


7/9/2014

 





Tempestade

Tempestade A deputada estadual Luiza Maia perigas ficar fora da próxima legislatura. Segundo previsões do Instituto Séculus, publicadas pelo blog Por Escrito, o também petista na briga pela renovação do mandato, Bira Coroa, apresenta chances de naufrágio ainda maiores


Tempestade 2 Pelas contas, cruzamentos e levantamentos do Instituto, o PT e partidos aliados devem eleger 26 deputados e Luiza aparece na lista dos que ainda brigam brigam por uma vaga no bote governista, enquanto Bira e Zé Raimundo Hamburguer (PT) nem são citados pela  publicação. Na mesma situação aparece o Doutor Elias Natan (PV). Mesmo alojado oficialmente na embarcação oposicionista  comandada  pelo candidato Paulo Souto (DEM), o vereador é marinheiro da coligação do governista Rui Costa (PT).


Tempestade 3 Na embarcação oposicionista, onde as projeções indicam 23 parlamentares, a situação também não é nada animadora. O ex-prefeito José Tude (PTN), acostumado com o mar, sequer aparece entre os nomes com chances de ocupar uma das 63 cadeiras da Assembleia Legislativa. O democrata e vereador Antonio Elinaldo é outro que fica fora da lista de tripulantes da  legislatura 2015/2018, segundo a pesquisa.


Tempestade 4 A conta dos 63 fecha com mais 14 eleitos por partidos  menores, número que pode aumentar ou cair de acordo com o coeficiente eleitoral. O consolo de mudança nas correntezas da política é que 85% dos eleitores, segundo pesquisas, ainda não sabem em quem votar para deputado estadual e federal.


Timão Waldy Freitas, ex-vereador e velho marinheiro da política camaçariense, não integra mais os quadros do PTB. Mistura de correntes nacionais e estaduais afastaram Waldy, ainda que provisoriamente da rota  do amigo Benito Gama, um dos oficiais do PTB nacional. Depois de mais de uma década no comando municipal da legenda arregaça as mangas em favor das candidaturas pelo PTN do estadual José Tude e federal João Bacelar. Para não fugir a regra, deixa o correligionário e pupilo vereador Zé do Pão no comando.


Naufrágio No próximo 18 de setembro completam 30 anos da 1ª travessia a remo do oceano Atlântico, feita por um único navegador. Apesar de histórica para a navegação mundial, o feito do brasileiro Amyr Klink será mais um dia de ‘maré enche, maré vaza’ em Camaçari.


Naufrágio 2 Nada está previsto para lembrar uma viagem que incluiu de vez a praia da Espera no mapa mundial. Klink, herói que enfrentou 100 dias de uma travessia iniciada dia 10 de junho de 1984, na Namíbia, continente africano, merecia uma onda de carinho, respeito e reconhecimento. 


3/9/2014

 





Pisadela

Pisadela Quem anda pisando cada dia mais forte e fazendo barulho em Camaçari é o ex-secretário de saúde de Wagner, Jorge Sola. O petista, tido como um dos candidatos do time dos ‘CQC’ do governador, avança sobre o eleitorado chapa branca que o ex-alcaide Caetano imaginou ser todo dele.


Pisadela 2 Para não perder o equilíbrio e sair forte de Camaçari, Sola entra com os 2 pés. Faz dobradinha com o deputado e candidato a reeleição, Bira Coroa, e com o também petista da gema, Zé Raimundo Hamburguer.


Pisadela 3 Diferente do novato e irreverente Hamburguer, que já anda fatiando a merenda que o ex imaginou ser toda dele, Bira continua andando na ponta dos pés em Camaçari. Teme entrar de Sola no eleitorado da cidade e sofrer as consequências. Mesmo lembrado por aliados do regime ‘pão e água’ da eleição passada, continua adiando como pode o lançamento da dobradinha.


Ecumenismo Nada como uma eleição atrás da outra e o jogo do perde e ganha do poder com  sua consequente redução ou ampliação da oferta de apoios. Ferrenha adversária dos Cajado, em Dias D’Avila, onde o clã comandava até 2012, a deputada estadual Luiza Maia (PT), não demonstra tanto radicalismo como nas eleições passadas. A parlamentar petista agora faz dobradinha em Candeias, com Claudio Cajado (DEM), ex-prefeito de Dias D'Avila e deputado federal candidato a reeleição.


Fanfarronice A construtora Cowan pode até ser boa de obra, mas prazo e compromisso não são seu forte. A responsável pela milionária intervenção urbanística na Bacia do Rio Camaçari continua desafinando com a Banda Marcial de Camaçari (Bamuca). Sem fiscalização, construtora não concluiu as obras na sede da instituição.


Fanfarronice 2 Só depois de reportagem do Camaçari Agora 'Alunos e patrimônio da Bamuca ameaçados por falta de segurança', publicada em março (Confira), a Cowan começou a tocar a reconstrução do muro limite com o Rio Camaçari. Os cerca de 100 jovens músicos e dançarinos e educadores do mais antigo projeto de inclusão pela música da cidade esperam a conclusão dos serviços com a reconstrução dos sanitários externos, retirada dos restos de materiais e ajardinamento da área.


Sic! Sic! Provavelmente traída pela emoção e ao mesmo tempo empurrada pelos deuses do teatro, acostumados a inspirar atores a incluírem ‘cacos’ misteriosamente indispensáveis ao texto, a atriz Eva Vilma terminou sem querer elogiando com ressalvas o trabalho da Cidade do Saber (CDS). No vídeo postado pela entidade (Confira), a artista elogia o programa de inclusão pela arte em Camaçari, e diz que ‘tudo vem de encontro’ aos ideais dela. A expressão ‘de encontro' exprime justamente discordância, divergência. A concordância com alguma coisa é reforçada com a parecida, mas oposta, ‘ao encontro'.


29/9/2014

 





Claque

Claque O elogio público de Ademar a dirigente da Cidade do Saber (CDS), domingo (24), é mais um tiro no próprio pé. Ao festejar publicamente a Sra. Ana Lucia Silveira, o prefeito segue o caminho traçado pelo antecessor de blindar as trapalhadas da gestão da CDS.


Claque 2 Auditor por formação e com um discurso de fazer tudo certo e dentro da lei, Ademar mais uma vez avança na desconstrução de sua história quando sucumbe ao campo de força do ex-alcaide.


Claque 3 A maioria dos participantes do ato de apoio ao candidato a federal, Luiz Caetano (PT), na ensolarada Arembepe, ouviu e aplaudiu a boa notícia, anunciada pelo atual alcaide, sobre a criação da orquestra jovem no guarda-chuva da CDS. O que essa mesma massa não sabe é que o projeto sinfônico criado no governo passado, continua desafinando em todas as partituras, justamente por falta de competência da gestão, alí festejada, ao vivo e a cores, por Ademar que parece distante do real.


Claque 4 As denúncias são públicas, incontestáveis, antigas e nunca foram apuradas, muito menos respondidas. Falta de transparência com os gastos (Confira), uso de cooperativas para contratação precarizada de pessoal e pagamentos de terceiros, queima do dinheiro público com demissão e recontratação de diretores em menos de 24 horas (Confira).


Claque 5 Com um extenso ‘currículo’, a Organização Social Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora da CDS, ainda aparece como reforço extra no caixa familiar (Confira). Nem a odiosa prática de assédio moral contra empregados, denunciada pelo sindicato da categoria Senalba (Confira) foi apurada e punida pela prefeitura, conforme determina o ‘Contrato de Gestão’, renovado ano passado até março de 2015.


Claque 6 Mesmo sendo o responsável maior, o alcaide não está sozinho nessa plateia. Conta com o precioso e lamentável aplauso da silenciosa Câmara de Vereadores.


Mordida O vereador de Camaçari e candidato a deputado estadual, Elinaldo Araújo (DEM), vai coçar o bolso em R$ 10 mil. O edil, multado pela Justiça Eleitoral por propaganda irregular em publicação impressa e na internet, promete recorrer até o TSE, caso seja necessário.


Lepo-Lepo O selfie num buzú, do vereador governista Otaviano Maia (PT), mostrou o que toda Camaçari conhece ‘de cor e salteado’. O sistema de transporte coletivo no município é sinônimo de aperto, sujeira, insegurança, demora, tarifa cara e incompetência gerencial do empresariado do setor e do poder público.


Lepo-Lepo 2 A relembrança de um passado longínquo do edil em 1º mandato, nascido e criado na cidade, rendeu uma frota de críticas à gestão que continua descendo pela porta traseira em tão importante debate. Agora é aguardar o selfie do superintendente da STT, Claudércio Taroba.


Manche Personagem da cena política camaçariense garante serem grandes os riscos de ‘queda’ de aeronave nos limites de Camaçari. 


26/8/2014

 





Cotonete

Cotonete Quem anda cada dia mais distante das bases e dos assessores é o prefeito Ademar Delgado. A queixa é sempre a mesma. Não ouve ninguém, demora de decidir e não se mostra aberto a sugestões, mesmo de setores considerados de sua confiança.


Contusão O vereador e candidato a estadual pelo PV, Doutor Elias Natan, precisa tomar cuidado com as armadilhas eleitorais para não ficar fora da disputa. Descuidada, a direção municipal do partido permite que sua principal liderança no município apareça em peças publicitárias com o petista e candidato a federal, Luiz Caetano.


Contusão 2 Diferente da medicina que pode aviar medicamentos alternativos, a Legislação Eleitoral é clara e proíbe propaganda casadinha de candidatos de coligações distintas. Mesmo se declarando caetanista, apoiador de Rui Costa para o governo e jogando na reeleição de Dilma, o Doutor Natan e seu PV estão na bula antipetista encabeçada por Paulo Souto (DEM) e pelo tucano Aécio.


Fatia O ex-prefeito Humberto Ellery, agora no PPS, e sua esposa, a ex-deputada federal Simara Ellery, também no mesmo caminho partidário, oficializam apoio ao advogado Marcos Carrilho Rosa (PPS), candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa. Faz dobradinha com o ex-presidente estadual e dirigente do PV, Ivanilson Gomes.


Fatia 2  A entrada de Gomes em Camaçari é mais uma prova da capacidade de transversalidade e mutação do Partido Verde. Como postado nas notas Contusão 1 e 2, a legenda no município segue abrigada pela sombra petista, controladora da máquina municipal. 


Fissura Parte da base petista em Camaçari não anda nada satisfeita com a nomeação do vereador José Marcelino para a coordenação da campanha de reeleição da deputada estadual Luiza Maia.  Lembram que a decisão do ex-prefeito Caetano de colocar o presidente do PT municipal e líder do governo no Legislativo a serviço de uma candidatura, quando deveria trabalhar pelo conjunto, sinaliza um privilégio que não constrói.


Novela Tribunal Regional Eleitoral dá sinal verde para Caetano seguir com candidatura ao Congresso. Aliados, adversários, ex-aliados e até os 'nem tanto' aguardam os próximos capítulos. 


Desbloqueado Zé Raimundo Hamburguer (PT) continua esperando a ‘caloi’ prometida pelo esquema do prefeito Ademar para botar velocidade na sua candidatura a deputado estadual. Ainda pagão, apesar das promessas de batismo, Hamburguer não se faz de rogado. Se mexe em outros municípios da Grande Salvador e inaugura em Camaçari a candidatura desbloqueada.


Desbloqueado 2 Diferente dos companheiros petistas Luiza e Bira, e do verde Doutor Elias Natan, conectados ao ex-alcaide na dobradinha para federal, Zé Raimundo Hamburguer garante que tem chip desbloqueado e começa a entrar em Camaçari com outros candidatos à Câmara Federal.  


Desafinada Tem erro ou falta página nessa partitura. Material distribuído para a imprensa pela Cidade do Saber simplesmente exclui o nome de Camaçari da sinfônica do município. Sem grafar a cidade, como acontecia antes, grupo musical agora é apresentado, inclusive no site da instituição, como Orquestra Sinfônica Popular Brasileira. Mesmo sem direto a botar o sobrenome, Camaçari banca o imperdível concerto em homenagem a Tim Maia, dia 27, a partir das 19h, no Teatro Cidade do Saber (TCS).


20/8/2014

 





Orelha seca

Orelha seca O fechamento com blocos e cimento, das portas e janelas da antiga Estação de Trens de Camaçari, é muito mais que erguer parede torta. Na contramão da política de preservação e revitalização do nosso patrimônio, prefeitura e sua pasta da cultura, vizinha de porta do ‘marco zero’ da cidade, mostram pouca intimidade com o prumo na construção de projetos e parcerias com a iniciativa privada.


Combustível A confirmação de Marina Silva, no lugar de Eduardo Campos, morto quarta-feira (13), pode mexer com os números presidenciais em Camaçari. Pesquisa que a Coluna teve acesso em maio mostrava Marina Silva como motor extra na então candidatura a presidente do ex-governador pernambucano. Na simulação sem nome dos vices, Campos aparecia com pouco mais de 13%, empatado com Aécio (PSDB), e 26 pontos percentuais atrás de Dilma (PT). 

 







Combustível 2 Já na simulação apresentada ao eleitor onde aparecia Marina e os demais vices das chapas, Campos saltava para o empate com a petista, que somava 30,5%, contra 30,3% do ex-governador. Já o tucano subia menos de 2 pontos percentuais.


Combustível 3 O fenômeno Marina em Camaçari se explica nas eleições presidenciais de 2010, quando a ex-senadora e ex-ministra do governo Lula,  comandava o PV e somou quase 30 mil votos, contra 22 mil a menos que Dilma e 11 mil na frente de Serra.


Bronzeado Imóveis dos conjuntos Caminho do Mar e Caminho do Rio, localizados na estrada da Cetrel, e distantes menos de 7 quilômetros da valorizadíssima orla de Camaçari, viraram point de veraneio para proprietários privilegiados. A denúncia é de moradores que identificam movimento atípico nos finais de semana ensolarados. Garantem que só a Secretaria de Habitação, provavelmente lambuzada de protetor solar fator-85, não consegue sentir nenhuma anormalidade.


Geometria Pais, alunos e educadores da Casa da Criança e do Adolescente de Camaçari se reúnem na próxima semana para discutir saídas para o caos que vive a instituição. O texto do advogado Paulo D’Errico, postado no Camaçari Agora e nas redes sociais (Confira), puxa uma discussão antiga para o Camaçari Agora, mas sempre ignorada pelo poder municipal e seus agentes políticos.


Geometria 2 Iguais no tamanho e importância, Casa da Criança e a vizinha Bamuca (Banda Marcial de Camaçari), formam as 2 linhas do triângulo da inclusão que, estranhamente nunca se encontram com Cidade do Saber, o outro lado que insiste em seguir absoluta como linha reta.


Corujada A Delegacia do Ministério do Trabalho em Camaçari está de parabéns. Acabou com as filas da madrugada para pegar senha de atendimento emissão de Carteira de Trabalho, Seguro Desemprego, Homologação de Rescisão e outros  serviços. Agora precisa mostrar serviço fiscalizando bicho grande acostumado a engolir direitos do trabalhador. 


15/8/2014


 

 





Números

Números  A campanha publicitária dos principais candidatos em Camaçari, com carro de som, comitês,  bandeiras, material gráfico, combustível e outras despesas  representa oficialmente pouco mais de R$ 440 mil. É o que mostra a 1ª lista parcial, até dia 2 de agosto, exibida no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sobre a situação financeira dos postulantes Antonio Elinaldo (DEM), Bira Coroa (PT), José Tude (PTN), Luiz Caetano (PT) e Luiza Maia (PT).


Números 2 A relação revela gastos maiores que a receita. A explicação para os pouco mais de R$ 135 mil arrecadados, contra os R$ 440, portanto uma diferença de R$ 305 mil, está nos gastos dos candidatos que não são pagos com dinheiro de campanha e representam doações com valores estimados e sem necessidade de Nota Fiscal (NF).


Números 3 Ainda segundo o TSE, o vereador Antonio Elinaldo, candidato a estadual, já recebeu quase R$ 21 mil de doações, mas gastou perto de R$ 31 mil, sendo pouco mais de 10 mil classificados como despesa que envolvem recursos e exigem apresentação de Nota Fiscal.


Números 4 O ex-prefeito Caetano, mesmo não sendo o maior arrecadador nesta 1ª parcial, é o que apresenta a maior soma na coluna despesas.  Candidato a deputado federal, informou R$ 21 de doações e quase R$ 297 mil de despesas.  Deste total, R$ 207 mil são gastos com NF.


Números 5 Tude, também ex-prefeito de Camaçari e postulante a Assembleia Legislativa,  comunicou ao TSE  a maior arrecadação do grupo: R$ 70 mil, e gastos de R$ 48 mil, sendo que R$ 40 são com NF. Já a deputada e candidata a reeleição, Luiza Maia, recebeu R$ 24 mil de doações e  apresentou  conta de  R$ 55 mil de doações. A soma das notas ficais é de R$ 32 mil. 


Números 6 O deputado Bira Coroa é o único a não registrar nem 1 centavo de real na coluna ‘Receitas’. Segundo o TSE, ‘A prestação de contas foi entregue sem lançamento de receitas’. Já na coluna despesas, Bira exibe gastos de R$ 10 mil. O parlamentar petista também aparece zerado na relação de despesas que prescinde de nota fiscal.


Números 7  Com a Inclusão do vereador doutor Elias Natan (PV), postulante a uma das 63 vagas para a Assembleia, arrecadação total sobre para R$ 151 mil, gastos vão para  R$ 477 mil, enquanto as despesas com NF ficam na casa dos R$ 296 mil. 

 







Genética A estranha relação da filha da comandante da Cidade do Saber (CDS), Ana Lúcia Silveira, com projetos da instituição, é mais antiga que a denúncia postada na edição do dia 4. O uso familiar de benesses geradas pelo programa administrado pela Organização Social Instituto Professor Raimundo Pinheiro, quase que na sua totalidade bancado com recursos da prefeitura de Camaçari, tem pelo menos 4 anos.

 







Genética 2  É o que mostra o expediente da Revista Ponto Móvel, editada a partir de junho de 2010. A jovem Julia Spinola, sem o sobrenome Silveira, aparece como executiva de projetos da AG Editora, responsável pela produção do impresso. A publicação com 10 edições, ao custo na época de cerca de R$ 100 mil, conta histórias e tradições de comunidades do município. Confira a imagem ao lado.

 







Genética 3 Na edição do dia 4, sob o título ‘genética’ , a Coluna estranhou a participação de Julia Silveira Spinola na área comercial da empresa responsável pelo desenvolvimento do site da CDS. Imediatamente a publicação da denúncia, a página pessoal no fecebook da filha da também presidente da organização social gestora da CDS, foi alterada com a exclusão da informação, como mostra as imagens ao lado. Como a tia, vice-presidente do Instituto Raimundo Pinheiro, a filha também aparece na instituição. Integra a lista de associados.


Amador Sanitários mal conservados e sem água, corredores escuros e banco de reserva sem cobertura. Essa é a imagem do Estádio Armando Oliveira, sede de parte dos jogos do Campeonato de Futebol Profissional de Camaçari. O quadro destoa com o anúncio de construção de vestiários nos campos dos bairros Phoc 2, Dos 46, Verdes Horizontes e em Arembepe, anunciados essa semana pela prefeitura.


Amador 2 O desconforto dos atletas ganha coro com a queixa de boa parte das 16 equipes da competição, sem estrutura de transporte para enfrentar um adversário extra a cada partida fora de casa. O vai e vem entre sede e orla termina desfalcando os elencos, com prejuízo direto no placar.


11/8/2014


 

 





Genética

Genética A Organização Social Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora do programa Cidade do Saber (CDS), é um inegável exemplo de superação quando se fala em inclusão. Instituição mantida pelos cofres da prefeitura não busca apenas a melhoria da população de Camaçari, através de programas de educação, esporte e lazer. Avança também na inclusão genético familiar.


Genética 2 É o que mostra o perfil no Facebook da filha da presidente da CDS, Ana Lúcia Silveira. Desde abril deste ano, Julia Silveira aparece como funcionária da área comercial da Convergence Works. Confira. A empresa é a mesma que desenvolveu o site da Cidade do Saber, lançado no mesmo mês.


Genética 3 Na época, a Coluna Camaçarico contestou o gasto de R$ 25 mil com a produção do novo site da instituição, praticamente 5 vezes mais caro que o preço médio cobrado no mercado pelo mesmo trabalho. Também denunciou a gastança na produção e festa de lançamento do novo endereço eletrônico da CDS. Confira na nota 'Calça de veludo..."


Genética 4 Mais recentemente cobrou a ausência de divulgação com imagens da misteriosa assembleia de reeleição da diretoria, por mais 4 anos, que tem como vice a irmã da presidente. Confira a nota ‘Sem clic’


Genética 5 Por uma questão de justiça, a Coluna  lembra que esse trabalho de ‘inclusão’ em quase 8 anos do programa Cidade do Saber tem muitos DNAs. Avança sobre outros sobrenomes ligados ao poder municipal.


Genética 6 Mesmo fora do que se poderia chamar de nepotismo, por se tratar de uma ONG, prática não deixa dúvidas sobre a velha política do ‘primeiro os meus’. Talvez esteja aí o DNA que explica o silêncio da entidade e da prefeitura sobre as constantes denúncias feitas pela Coluna.


Termômetro A avaliação negativa do governo Ademar Delgado continua beirando os 70%. Pesquisa que a Coluna teve acesso mostra quase 50% dos entrevistados indicando como ‘péssima’, a gestão do petista, enquanto 16% avaliam como ‘ruim’. Já a soma de ‘boa’ e ‘regular’ chega a 30%, enquanto quase 3% classificaram a gestão como ‘ótima’.


Termômetro 2 Ainda segundo o levantamento feito em julho, com quase 400 eleitores da Sede e Orla de Camaçari, existe uma superposição de sombras. Para consolo do alcaide, ele não está sozinho na difícil tarefa de pedir votos para governador nas eleições de outubro.


Alvoroço O desconforto de parte da base aliada com a demora na reforma do secretariado do prefeito Ademar já ultrapassou as 4 paredes do poder. O vereador José Marcelino (PT), líder do governo na Câmara de Camaçari, botou a boca no microfone. Disse em recente entrevista radiofônica que o atual alcaide não está fazendo o ‘muito mais’, que prometeu.


4/8/2014

 





Despertador

Despertador O juiz eleitoral, prefeitura de Camaçari, Ministério Público e PM precisam definir com urgência uma ação conjunta para fazer cumprir a lei da propaganda eleitoral em vias públicas. Salvador deu o exemplo e começa a ‘jogar duro’ contra os candidatos que sujam a cidade e usam logradouros públicos para fazer propaganda ilegal.


Pepino O inquérito civil aberto pelo Ministério Público (MP) para apurar o balaio de irregularidades no Centro Comercial de Camaçari é mais um problema para a prefeitura. Usada por mais de uma década pelo poder municipal para atender aliados e protegidos, a feira, como muita gente ainda chama o espaço, inchou, ficou suja e insegura.


Pepino 2 Isenção das tarifas de água e luz, comercialização ilegal de boxes, apesar de pertencentes ao município, e acúmulo de mais de uma unidade por permissionário completam a banca que o promotor Luciano Pitta quer botar em ordem. A prefeitura sabe que limpar os banheiros, melhorar as redes elétrica e hidráulica, impedir o tráfico de drogas e a prostituição é ‘dúzia de banana’. Caro, ainda mais em período eleitoral, é cobrar os custos de manutenção do equipamento e acabar com a xepa do acumulo de mais de 1 ponto por comerciante.


Sem clic Discretíssima, perto do secreto, é como se pode classificar a assembleia geral da Organização Social Instituto Professor Raimundo Pinheiro, que renovou por mais 4 anos o mandato da atual presidente, Ana Lúcia Silveira. Realizada dia 9 de maio, segundo a ata, e registrada em cartório em julho, assembleia não teve nenhuma publicidade.


Sem clic 2 Mesmo com a presença confirmada através da assinatura de mais de 20 associados, encontro não teve sequer uma foto, muito menos qualquer registro no site da Cidade do Saber (CDS), instituição gerida pela organização e totalmente bancada pelos cofres da prefeitura de Camaçari. Na contramão da era do selfie e dos registros digitais, dos mais simples aos mais importantes, Coluna também não conseguiu identificar imagens da assembleia nas redes sociais, segundo a ata, realizada na própria CDS.


Sem clic 3 A assembleia também manteve até junho de 2018, a irmã da presidente, Elizabeth Alves da Silveira, na função de diretora administrativa, e Alex Pereira da Silva, como diretor financeiro da instituição, cargo que acumula com o de gestor das finanças do programa Cidade do Saber.


Calote Os empregados contratados pela ONG Associação Hospitalar e Protetora da Infância e Maternidade de Camaçari (AHPIC), para trabalharem na unidade da Fundac, bairro Machadinho, continuam sem ver a cor do dinheiro a que têm direito. Entidade pertencente a familiares da vice-prefeita de Camaçari, Carmem Siqueira (PSD), foi acionada na Justiça do Trabalho por pagar abaixo do salário mínimo e atrasar outras garantias fixadas pela CLT.


Pecado O comandante do 12º batalhão da PM, tenente coronel Pithon, deve evitar o confessionário da Catedral de São Thomaz de Cantuária. Com o 3ª arrombamento só neste ano, aparecer na igreja é penitência certa.


28/7/2014

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 | Próxima

Encontrado(s): 308 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2014 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL