Busca:








‘Plano B’  O vereador e presidente do Legislativo de Camaçari,  Oziel Araújo (PSDB) não descuida e segue  com um olho no pastor e outro nos fiéis. A adaptação do velho ditado católico, retrata os planos do tucano de deixar em aberto a possibilidade de  continuar no comando da Câmara de Vereadores, caso seu plano ‘A’ , de se eleger deputado estadual, não se concretize.


‘Plano B’ 2 Mesmo sabendo que o acordo com o elinaldista Jorge Curvelo (DEM) fala em alternância no comando do Legislativo, biênio 2018/2020, Oziel usa seu poder de persuasão junto a boa parte de seus colegas para mudar as regras e assegurar direito de se manter na disputa.


‘Plano B’ 3 Projeto só vai para votação em plenário depois do recesso que termina dia 15 de fevereiro de 2018. Proposta apresentada pelo próprio Oziel, que poderia sugerir um aliado para não assumir o DNA, não deve ter tramitação tranquila. Com a exigência de quorum de 2/3 (14 votos), mudança que encontra reação entre os 16 da base governista, deve empurrar Oziel para um acordo com a oposição, dona de 5 votos. Apeada do poder e sob sol e chuva, todo acordo que agrada o presidente do Legislativo é boa oração para a oposição.


Cifrão  A Câmara de Vereadores de Camaçari deve votar ainda nesta legislatura, portanto antes do recesso natalino, a autorização de empréstimo de até 80 milhões de dólares, cerca de R$ 264 milhões, junto ao Banco de Desenvolvimento Econômico da América Latina (CAF), para obras de infraestrutura e requalificação urbana.


Cifrão 2  Antecipada pelo Camaçarico (Confira), a proposta apresentada ao Legislativo na segunda-feira (11), segue tramitação aceleradíssima e deve ganhar pareceres favoráveis das comissões de Constituição e Justiça, presidida pelo demista Jorge Curvello; e de Finanças e Orçamento, comandada por outro aliado, o republicano Gilvan Souza.


Cifrão 3  Com 16 dos 21 votos da Casa, o governo Elinaldo aprova a autorização com folga. Regimento exige maioria simples (12 votos) para aprovação. Meta é aproveitar o atraso do recesso, oficialmente marcado para esta sexta-feira (15), mas adiado até que o orçamento 2018 seja votado, para emplacar que já está sendo chamado o maior empréstimo da história do município.


Cifrão 4  Grita da oposição passa longe da preocupação oficial de endividamento do município, etc, etc. Antigovernistas sabem que essa carreta de recursos representa obras e consequente apoios do eleitorado ao projeto de poder vencedor nas urnas de outubro do ano passado. Resta saber como e onde serão aplicados esses recursos.


Talheres  O alcaide Antonio Elinaldo conversa com profissionais da comunicação de Camaçari e Grande Salvador, na noite de sexta-feira (15). Comes e bebes no restaurante Nativos faz parte das comemorações do 1º ano do governo, mas busca estreitar a relação do prefeito com veículos e comunicadores. Jantar deve contar com o reforço de secretários, vereadores da base aliada, e dos sem convites, mas sempre presentes, cortesãos do poder de plantão.


Placar  O estádio Armando Oliveira, que já foi Waldeck Ornelas, pode mudar novamente de nome. Rebatizar o espaço esportivo inaugurado nos anos 1980 com o nome do ex-presidente do Camaçari Futebol Clube (CFC), Fernando Lopes, falecido na última terça-feira (12), é a mais nova proposta. João Alberto Cavalcanti, editor do jornal Folha do Subúrbio, e Luiz Batista, ex-presidente do Santa Cruz, também são nomes que já foram lembrados.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


14/12/2017

 





Cofre

Cofre  Pode chegar a cerca de R$ 330 milhões (US$ 100 milhões) o volume de recursos que o governo do alcaide Antonio Elinaldo (DEM), conseguirá para obras de infraestrutura e requalificação de Camaçari. Esse é o teto do crédito de financiamento que a prefeitura do município negocia com o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).


Cofre 2 Acordo com o organismo formado por 19 países da região e que tem por finalidade o desenvolvimento sustentável e a integração regional na América Latina, tem costura do ex-senador e ex-ministro Waldeck Ornelas.


Cofre 3 Com negociações adiantadas, graças a arrumação das contas municipais, previsão é de que a duplicação do viaduto do Trabalhador com total redesenho da avenida Jorge Amado, entrada da cidade, seja uma das primeiras obras desse pacote.


Pule  A escolha da advogada Janete Ferreira, para o comando da secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes) é mais uma incógnita do governo Elinaldo. A ex-vereadora e ainda dirigente da massa falida da Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec), assume depois de 12 meses de paradeira da Sedes com a gestão da ex-primeira dama Simara Ellery.


Pule 2 Com a indicação da ex-vereadora (2005/2008), conhecida apenas pela polêmica proposta de criação de uma área exclusiva para prostitutas, batizada de ‘putódromo’, o alcaide faz mais uma aposta eleitoral, quando deveria trazer para si a gestão da Sedes, recolocando nos trilhos a descarrilada política pública, regida pela Lei da assistência social.


Pule 3 Relegada a 3º plano no seu 1º ano de gestão, descuido com a Sedes só ampliou o fosso da desigualdade que já vinha sendo cavado pelos governos anteriores de Ademar Delgado, ex-petista e agora sem partido, e pelo seu antecessor e criador, o atual deputado federal Luiz Caetano (PT).


Pule 4 Filha do ex-deputado estadual e empresário Ferreira Ottomar,  Janete é mais um sinal da orientação partidária numa pasta que deveria ser referência de política pública.  Mesmo sem um currículo desabonador, a doutora Janete não apresenta credenciais para tão sensível missão de comandar sem a interferência política, como acontece hoje e se registrou no passado, uma secretaria de apoio e inclusão de crianças, jovens e adultos carentes, como preconiza o Sistema Único de Assistência Social (SUAS).


Pule 5  A desmontada Casa da Criança, o Cras da Via Cetrel, pronto e sem funcionar desde 2016, a evasão de profissionais de psicologia e assistência social para a secretaria de saúde, em busca de melhores salários. Completa esse conjunto de problemas que não exigem uma mera aposta na 'dezena', o desaparelhamento de toda a rede de serviços e programas coordenados pela Sedes.


Pule 6 Definir um nome para a subsecretaria, com a saída de Claudia Gomes, reconhecidamente pouco compromissada e dividida entre os contracheques de Camaçari e Salvador, vira aposta ainda mais complicada. Mas, nem tudo está perdido. A Coluna apurou que o ex-vereador Pedrinho de Pedrão, atual comandante do Cras de Nova Vitória, o maior do município, está fora das apostas para o cargo.


Pule 7 O alcaide precisa fazer o jogo certo. Afinal, quem perde com uma Sedes movida a interesses políticos é a população de Camaçari. Elinaldo anda esquecido e aposta na pule dos acordos da política. Mas, a Coluna relembra ao alcaide que o seu hoje ex-grupo social dos excluídos foi o seu maior apostador nas urnas. Agora, o prêmio no milhar precisa ser pago, senão a banca perde credibilidade e não vai ver nem mais uma fezinha no próximo sorteio eleitoral.


Pule 8 A mexida no 1º escalão da gestão Elinaldo, como antecipou o Camaçarico (Confira), segiu a velha regra da acomodação dos aliados. Deslocamento de Simara Ellery, da Sedes para a secretária de relações institucionais (Serin), pasta extinta, graças ao acordo de Elinaldo com o ex-alcaide Ademar, é agora ressuscitada para abrigar a esposa do ex-prefeito Humberto Ellery. Todos negam, mas a missão de dona Simara será limitada, já que a articulação política é feita pelo núcleo duro da gestão, comandado pelo ex-prefeito Helder Almeida, titular da pasta de governo (Segov).    


Tomada  Quem promete botar a cabeça de fora e disputar uma vaga na Assembleia Legislativa é o empresário Sandro Rocha. Ex-braço direito do vereador e futuro secretário de habitação, Júnior Borges (DEM), Rocha garante que está conectado e sem risco de curto-circuito na voltagem encabeçada por Rogério da Luz, candidato a governador pelo PRTB. Sandro Rocha aposta numa boa votação em Camaçari, território com 3 nomes fortes: o ex-prefeito e atual vice, José Tude (PMDB); o candidato a reeleição Bira Coroa (PT), e o presidente do Legislativo Municipal, vereador Oziel Araújo (PSDB). Lista seria maior, caso a deputada Luiza Maia (PT) continuasse no páreo.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


12/12/2017

 





Chabu

Chabu  Afinal de contas, Camaçari terá ou não réveillon popular?. Em junho a prefeitura anunciou festas de virada de ano na sede e na orla. Agora, a conversa mudou de tom. A Coluna apurou que empresários da música receberam comunicado  sobre a suspensão do projeto na sede e cortes no calendário da orla, onde serão realizadas apenas 3 comemorações.


Chabu 2 Confirmado o cancelamento, a gestão do alcaide Elinaldo dá um duplo presente para a cidade. Deixa milhares de pessoas residentes na sede sem a tradicional festividade, além de mexer na economia do entretenimento com dezenas de profissionais da música sem perspectiva de cachê.


Chabu 3 Em 2016, último ano da gestão do alcaide Ademar Delgado, Camaçari ficou sem festa de virada de ano. Em 2015 as comemorações aconteceram na sede e em mais 6 localidades da orla.


Tudo novo Depois do longo inferno astral, o vereador Júnior Borges (DEM) parece que reencontrou o caminho da paz com a gestão Elinaldo. Suspendeu o fogo amigo, desistiu da candidatura a deputado estadual e deve apoiar um nome da base governista. Fechado com o federal e candidato a reeleição, o companheiro de legenda Paulo Azi, dobradinha na estadual pode ser completada com outro demista puro sangue, o ex-deputado e ex-presidente estadual da legenda, Heraldo Rocha, com quem Borges tem boas ligações.


Tudo novo 2 Borges, segundo apurou a Coluna, pode ocupar a nova secretaria de habitação, uma das duas novas estruturas que o alcaide Antonio Elinaldo pretende criar para acomodar aliados. Confirmado Borges na Sehab, o suplente de vereador Rui Magno (DEM), atual titular da pasta do esporte, assume o mandato.


Tudo novo 3 Com a ida de Rui para a Câmara, pasta passa para o vereador Sessé Abreu que abre  vaga para o suplente  Dedel, de Catu de Abrantes, assumir uma das 21 cadeiras do Legislativo.  O troca-troca reforça a candidatura a deputado estadual do presidente do Legislativo, vereador Oziel Araújo.


Tudo novo 4 No pacote de  aumento das pastas do 1º escalão, que deve desembarcar nos próximos dias no Legislativo, o governo também deve recriar a secretaria de relações institucionais (Serin).


Tudo novo 5 Confirmada as novas pastas e  alguns penduricalhos  complementares, como cargos de direção, conta sobe para 15 secretarias. Expectativa é que esse número engorde ainda mais a partir de 2019, quando a gestão municiapl entra nos 2 anos finais e a máquina precisa  estar azeitada para a reeleição.


Honrarias Os secretários Reginaldo Paiva (Administração), e Renato Almeida (Fazenda), são os novos cidadãos camaçarienses. Paiva, considerado o ‘anticristo’ dos servidores, foi agraciado com a honraria por indicação do vereador Zé do Pão (PTB). Já Almeida virou ‘cidadão de Camaçari’ por vontade do vereador Vaninho da Rádio (DEM). Os títulos serão entregues em data ainda a ser definida, durante sessão solene na Câmara de Vereadores.


Coladinhos  Depois da Justiça, a Câmara de Vereadores de Camaçari vai ganhar outro vizinho ilustre e bom de mira. A sede própria do Ministério Público Estadual será construída numa área localizada entre a sede do Legislativo e o novo Fórum. Já a antiga sede do MP, de propriedade do município, ganha tinta nova para abrigar a Procuradoria e a Controladoria.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


5/12/2017

 





Números

Números Se as eleições para governador fossem neste novembro, o atual alcaide de Salvador, ACM Neto (DEM) , venceria em Camaçari o petista Rui Costa, com uma frente de cerca de 7 mil votos.  Esse é um dos números da pesquisa encomendada pela oposição do município, capitaneada pelo PT, sobre sucessão, o governo do alcaide Antonio Elinaldo (DEM), e o tamanho dos antigovernistas nessa nova conjuntura depois de 12 anos no poder.


Números 2 Levantamento  realizado no começo do mês de novembro, mas guardado a 7 chaves,  também mostra situações diferentes de outubro de 2016, quando Elinaldo  venceu o deputado federal e 3 vezes prefeito  Luiz Caetano (PT). Números que a Coluna teve acesso mostram uma grande insatisfação com a gestão do demista, o que lhe tiraria a vitória, caso o pleito fosse hoje.


Números 3 A pesquisa também mostra que o ex-prefeito Caetano, mesmo com o apoio restabelecido numa disputa para prefeito, segue com altíssima rejeição. Levantamento sinaliza que mais de 60% dos entrevistados não confiam no petista. A rejeição de Elinaldo, a mais baixa nas medições feitas no ano passado, também  cresce e lhe tira do confortável patamar de menor recusa  (15%) pelo eleitorado, percentual que gozava até as eleições de outubro passado.


Números 4 Candidato a reeleição, o deputado federal Luiz Caetano segue com boas perspectivas de votação no seu principal reduto eleitoral, mas não apresenta crescimento tão alardeado pelos seus aliados. Nas eleições de 2014  o petista  conquistou  36 mil apoios dos quase 126 mil que  amealhou em todo estado. Pelos números  atuais, Caetano tende a manter essa média que equivale a cerca de 30% dos votos válidos.


Números 5 Já os demais candidatos precisam correr mais. O atual vice-prefeito e candidato a uma das 63 cadeiras da Assembleia Legislativa , José Tude (PMDB), continua do mesmo tamanho. Números da  pesquisa mostram uma intenção de votos de 13% do eleitorado, mesmo patamar de 2014, quando  conquistou  em Camaçari 14.456 votos dos pouco mais de 22 mil que somou em todo estado.


Números 6 Outro que aparece abaixo da votação de 2014 é o deputado federal Paulo Azi. O demista, que recolheu 7.656 apoios camaçarienses nas eleições passadas, o equivalente a 7% dos votos válidos do município, agora aparece na faixa dos 2%, qualquer coisa próxima dos 2 mil votos.


Números 7 Pesquisa mostra que a limpeza pública é um dos serviços aprovados pelo camaçariense. Ainda segundo o levantamento, a iluminação pública, a rede de saúde municipal e a educação estão na lista dos serviços desaprovados pela população.


Incenso  Arembepe terá final de semana de paz e amor. Essa é a expectativa dos organizadores das festividades pelos 50 anos de nascimento da comunidade como espaço alternativo do movimento hippie, lá pelo final dos anos 1960. Território foi abençoado, festejado e incensado por figuras como Janis Joplin, Mick Jagger, Keith Richards, Roman Polanski e os nacionais Rita Lee, Caetano Veloso, Gil, além dos milhares de anônimos que levaram seu alto astral para o antigo vilarejo da orla de Camaçari.


Incenso 2 Comemorações acontecem sábado e domingo (2 e 3/12), com shows, exposições de artes e o lançamento do livro ‘Anos 70 Bahia’, dos jornalistas Sergio Siqueira e Luiz Afonso Costa. Publicação conta com as valiosas participações do empresário da gastronomia e ator João Sá, do poeta Walter Cézar, e do bancário Álvaro Carvalho.


Incenso 3 Desfigurada, violenta e tomada pela especulação imobiliária fomentada pelos equívocos dos governos municipais e seus formatos de gestão padrão de desenvolvimento, Arembepe vive do passado. O cheiro do incenso da paz e todo o seu equilíbrio, praticamente não existem mais.


Referência A camaçariense Iaraci Dias, porta-voz estadual da Rede Sustentabilidade, pode ser um dos nomes a compor a chapa para governador e vice da legenda nas eleições de 2018. O nome da empresária com intensa atuação política na cidade, desde os anos 1980, é listado  ao lado da vereadora Meirinha (Irecê) e do vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal. 


Referência 2 Com a ex-senadora Marina Silva na cabeça da chapa presidencial, o Reda na Bahia deve apresentar como pré-candidatos ao Senado o  empresário José Itamário (Vitória da Conquista), o pastor Enoque (Feira de Santana), e a psicóloga Daniela Moreira (Itabuna).


Alternativa  O partido Novo realiza encontro nesta quinta-feira (30), às 18h30, no plenário da Câmara de Vereadores de Camaçari. Aberto ao público,  bate-papo busca mostrar os princípios que norteiam esse novo partido político e seus projetos para Camaçari e região. Legenda é coordenada no município pelo  colegiado formado por Adson Santana, Angelo Ferreira e Rodrigo Nepomuceno. A responsabilidade pela mobilização  do Novo-30 no estado é do empresário Gabriel Venturoli.  


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite  joaoleite01@gmail.com (Editor)


30/11/2017

 





É lenda

É lenda  Ultrapassam os R$ 263 milhões, a dívida ativa de Camaçari. Essa é a herança da conta acumulada de débitos tributários e não tributários deixada pelo ex-alcaide Ademar Delgado (sem partido). Apesar da fama de hábil nas finanças e na gestão da coisa pública, Delgado herdou do antecessor e padrinho político, Luiz Caetano (PT), uma dívida de R$ 83 milhões.


É lenda 2  Segundo o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que reprovou as contas do penúltimo ano (2015) de Delgado, conta da dívida deu um salto de mais de 200% nos 3 anos primeiros anos da gestão (2013/2015).


Escalação O Podemos, ex-PTN, comandado em Camaçari por Maurício Bacelar, resolveu levar para o futebol o jogo da política e terminou ficando no impedimento. Em recente postagem nas redes sociais, também transformada em impresso e  fartamente distribuído entre a população de Camaçari, o Podemos escala as 3 equipes de jogadores  da política local ligadas ao governo do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Classificados como  ‘Time de fora’, ‘Time Azul’ e ‘ Time de Ademar’, tabela do grupo governista ganha riqueza de detalhes com nomes, cargos e salários.


Escalação 2 O que chama a atenção da Coluna e de alguns leitores mais atentos e acostumados com a regra, é a não inclusão de 2 nomes de peso na escalação dos atletas da chave chapa-branca. Não aparecem as secretárias da cultura (Secult) e do desenvolvimento social (Sedes). Márcia Tude é filha do 3 vezes prefeito do município e atual vice, José Tude (PMDB). Já Simara Ellery, conhecida como ex-primeira dama e esposa  do também ex-alcaide Humbeto Ellery, foi deputada federal e hoje comanda a Sedes na cota do PPS.


Escalação 3 A não inclusão das atletas Márcia e Simara foi vacilo do sempre atento Maurício Bacelar. Ou o escalador inclui as representantes dos antigos aliados num outro time que não integra o grupo dos governistas ligados ao DEM e partidos periféricos.  Caso fosse consultado, o comentarista de futebol, Arnaldo César Coelho, seguramente lembraria que a regra é clara e precisa ser cumprida, até na política. 


Adoção  O governador Rui Costa quer mesmo entregar a Via Cascalheira para a prefeitura de Camaçari. Em recente entrevista, o petista reforçou a tese de extinção da pista como BA-512 e a sua redefinição como avenida do município.


Adoção 2 Compactada de problemas, a Cascalheira vive uma novela da duplicação sem final previsto. Serviços iniciados pelo governo do estado só beneficiam cerca de 2 dos seus 13 quilômetros. Com o recuo da prefeitura, ainda na gestão Ademar, em aceitar a mudança da praça de pedágio na Estrada do Coco (BA-099), hoje na região de Jauá, para o limite do município, na região de Abrantes, como contrapartida para a duplicação da via, a Cascalheira segue indefinida.


Adoção 3 Outro caso de obra sob a responsabilidade do estado que não está recebendo a manutenção necessária é a BA-529. Mesmo não sendo o pai da criança, prefeitura preferiu investir na recuperação do trecho Monte Gordo/Jacuípe para fugir do desgaste com o eleitorado.  


Opaco  O prefeito Elinaldo perdeu uma boa oportunidade de fazer coro e engrossar pessoalmente o movimento de reafirmação do negro nesta semana dedicada à luta contra a discriminação.


Opaco 2 Sempre mal assessorado, o alcaide passou longe do tema, tanto como negão, como gestor de uma cidade com maioria afrodescendente. Sem discursos ou referências nas redes sociais, o alcaide mostra descuido e alimenta as dúvidas sobre consciência, herança e preocupação com lutas futuras.   


Maresia  O Vila Galé Marés, em Guarajuba, Orla de Camaçari, vai ampliar seu receptivo.  Investimentos de R$ 15 milhões vão garantir novos apartamentos e chalés para conforto e alegria de seus clientes Vips. Operação da cadeia de resorts deve ampliar em mais de 50 novos postos de trabalho. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


23/11/2017

 





Agravante

Agravante  A nomeação de 3 irmãos e do cunhado do alcaide de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), pela Câmara de Vereadores de Salvador, como mostrou a Coluna (Confira), não fica apenas no desgaste na imagem do gestor e na desconstrução do seu discurso acusando adversários de descuido com o dinheiro do contribuinte.


Agravante 2 Ao permitir que o companheiro de partido, vereador pela capital Maurício Trindade, alojasse generosamente sob sua guarda 4 parentes seus, Elinaldo também cria um problema político com seu vice-prefeito, José Tude (PMDB). Candidato a deputado estadual desde o acordo que o fez abrir mão da disputa majoritária de 2016, Tude parece que não conta com os votos do núcleo familiar do alcaide.


Agravante 3 O hoje vereador Maurício Trindade, candidatíssimo a deputado estadual nas eleições de 2018, não iria gastar mais de R$ 25 mil de sua verba de gabinete  sem um retorno eleitoral. Podem até negar, mas o quarteto possui influência na máquina municipal e  capacidade de multiplicação de votos. Médico e com uma grande estrutura de atendimento a população carente, Maurício Trindade não é nenhum neófito na política. Soma ao seu vasto currículo parlamentar 3 mandatos de vereador, 1 de deputado estadual e 2 como deputado federal.


Viga  As investigações da Polícia Civil apontam, até agora,  para uma organização criminosa (Orcrim) formada por 5 pessoas que atuavam na intermediação de vantagens financeiras para aquisição de imóveis do programa  Minha Casa, em Camaçari. Comandada por uma funcionária da prefeitura e assessorada por mais 4 comparsas, grupo não teria ligações com políticos no esquema fura-fila.


Viga 2 Como o Minha Casa é programa federal, a Polícia Federal (PF) também está no caso. A Coluna apurou que o quinteto, interrogado pela Polícia Civil e depois transferido para a sede da PF, em Água de Meninos, onde prestou novos depoimentos, ampliou o leque e citou novos nomes de supostos envolvidos. Os 5 acusados, presos segunda-feira (13), continuam encarcerados na 18ª Delegacia de Camaçari aguardando audiência de custódia, quando o juiz determina se devem permanecer detidos ou voltam para casa. 


Viga 3 Agora é aguardar o tamanho da rachadura medida pelas autoridades policiais. Afinal, o programa coordenado pela Seinfra (secretaria de infraestrutura e habitação) era porta sem chave onde todos atuavam, ou o quinteto era apenas 1 cômodo de uma casa mais ampla.    


Bay-Bay Dificilmente os 9 conselheiros despejados das cadeiras do Conselho de Cultura de Camaçari voltem aos seus assentos sem passarem por novo crivo eleitoral. Desmontado oficialmente no começo da semana pela secretária de cultura do município, Márcia Tude, colegiado deve realizar nova eleição até o final de janeiro de 2018. Caso o cronograma ande como o esperado, novo edital com as regras para candidatos e colégio eleitoral deve ser publicado no Diário Oficial da próxima semana.


Bay-Bay 2 Eleitos em maio do ano passado num processo cheio de estranhezas, caso foi parar no Ministério Público. Quase 1 ano e meio depois veio o desfecho. Em ofício de 8 de novembro o promotor Everardo Yunes recomendou à titular da secretaria da cultura (Secult)  “soluções visando a regularização dos vícios existentes no processo eleitoral de 2016”. No documento o MP diz ainda que “se for necessário e assim entender, anular as eleições ocorridas, bem como, dar início imediato a novo concurso”.


Bay-Bay 3 Desmonte, informado pela Coluna (Confira), é fruto da antiarte do próprio Conselho de Cultura. Como mostrou o Camaçarico em várias postagens, colegiado criado para ser uma estrutura viva e ativa em defesa da cultura de Camaçari, assessorando, formulando e fiscalizando as ações da Secult, não passou do papel de mero espectador movido ao sabor dos ventos, geralmente enviesados, da política.


Currículo  A escolha do ex-vereador Pedrinho de Pedrão como representante de Camaçari na 11ª Conferência Nacional de Assistência Social, dá bem a dimensão que a secretaria de desenvolvimento social e cidadania de Camaçari (Sedes) atribuiu ao evento, marcado para 5 a 8 de dezembro, em Brasília.


Currículo 2 Mesmo formada por um quadro técnico qualificado e conhecedor da realidade municipal, Sedes aposta numa escolha sem nenhuma qualificação na área. Apresentado ao Sistema Único de Assistência Social (Suas), no começo do ano, quando foi nomeado coordenador do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Nova Vitória, Pedrinho não só vai votar, como debaterá a relação das estruturas de assistência social com os usuários, sua realidade de vida, direitos e demandas de acesso ao Suas. O ex-vereador comanda o maior Cras do município, com um raio de atendimento de cerca de 90 mil pessoas em mais de 15 bairros.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


17/11/2017

 





Flagrante

Flagrante  A contratação de 3 irmãos e do cunhado do alcaide de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), pela Câmara de Vereadores de Salvador, é mais um indício da dificuldade  do atual governo de gerir a coisa pública seguindo o princípio constitucional da moralidade e do respeito ao dinheiro do contribuinte.


Flagrante 2 Não tem como negar que o prefeito não sabia que seus irmãos e o cunhado estavam nomeados e recebendo gordos salários em outro município. Com fortes indícios de nepotismo cruzado, quando um gestor nomeia parentes de coligado politicamente, em troca de igual benefício familiar em outro município, caso derruba de vez o discurso moralista do alcaide.


Flagrante 3 Pego na mais primária das práticas nefastas de apropriação indevida do dinheiro público em benefício de familiares, Elinaldo não permitiu apenas uma situação que vai lhe render muita dor de cabeça na Justiça. Numa cidade onde o emprego é escasso e sobra mão de obra sem qualificação,  empregar parentes com salários que oscilam entre R$ 6.500 e quase R$ 9 mil é tripudiar do eleitor.


Flagrante 4  Mesmo com poder para conseguir colocação, ainda que como fantasma, em estruturas federais comandadas por aliados, Elinaldo foi ainda mais amador no vacilo e apontou para o próprio pé. Mais uma vez não seguiu a cartilha dos gestores acostumados com o desrespeito camuflado. Assessorado por amadores, preferiu fugir da regra adotada por aliados e até adversários competentes que nomeiam parentes em cargos menos bandeirosos e com possível, ainda que frágil, justificativa. Mais uma vez ignorou a força e penetração das redes sociais.


Flagrante 5 Ao permitir que os consanguíneos Cristiano Araújo da Silva, Estiene Ostenis de Araújo da Silva e Linaldo Araújo da Silva, além do irmão da sua esposa, Ivan Pedro Moreira de Souza, fossem fichados no Legislativo da capital, Elinaldo foi além da máxima ‘primeiro os meus’. A nomeação de 3 irmãos e 1 cunhado, todos domiciliados e com título eleitoral em Camaçari, num posto que recomenda voto em Salvador, é rasgar a tabuada da política.


Flagrante 6 Exigir a exoneração do quarteto, e até a  devolução dos salários recebidos, é o mínimo que o alcaide Antonio Elinaldo pode fazer. Apresentar desculpas ou discursos de que não sabia, foi enganado por 3 irmãos, 1 cunhado, e pelo vereador responsável pela nomeação, é querer fugir da ‘despesa’ comprovada pela ‘pule’.


Mau conselheiro O desmonte da atual composição do Conselho de Cultura de Camaçari, recomendado pelo Ministério Público Estadual (MPE), e seguido sem cerimônia e até com alegria pela atual gestão municipal, é roteiro antigo.


Mau conselheiro 2 Denunciado em várias edições pelo Camaçarico, o conselho, como as demais estruturas similares da administração municipal, nunca exerceu de forma satisfatória e necessária as suas funções de colegiado.  Mero espectador, como  mostrou a Coluna de 11 de setembro do ano passado  (Confira), o conselho capenga na formulação, no assessoramento, muito menos na fiscalização das atividades da secretaria da cultura (Secult).


Mau conselheiro 3 Na edição de 19 de abril de 2016, notas ‘Saberes e Fazeres’,  o Camaçarico mostrou com números a omissão do conselho na fiscalização dos gastos, muitos realizados através da famosa modalidade da ‘inexigibilidade’. Citou o Festival de Cultura e Arte de Camaçari, as chamadas datas calendarizadas, e o programa Editais de Apoio Cultural de financiamento de projetos, que nunca saiu do papel (Confira). A Coluna também lembrou que passa pelo conselho o acompanhamento da nunca concluída praça da cultura, no Phoc, onde já foram enterrados cerca de R$ 2 milhões (Confira).


Mau conselheiro 4 O movimento que  conduz para novas eleições diretas para a escolha dos 9 conselheiros representantes das artes e movimentos sociais é fruto da imperícia da antiga gestão da Secult. Além da garantia dos 14 dos 23 acentos do conselho, ocupado constitucionalmente por secretarias e entidades ligadas ao governo municipal, a Secult, na época controlada pelo PCdoB, queria mais. É justamente essa necessidade de controle  total dos votos que levou a gestão passada a permitir um festival de irregularidades na escolha de parte desses conselheiros.


Mau conselheiro 5 Como mostrou a Coluna de 27 de maio de 2016, a eleição realizada 6 dias antes,  aconteceu sob graves denúncias de irregularidades. A escolha dos representantes dos segmentos ‘patrimônio material e imaterial’ e ‘livro e literatura’  não obedeceu o regulamento e terminou virando denúncia no Ministério Público (Confira).


Mau conselheiro 6 Ainda sem data definida, novas eleições devem seguir a velha regra de confirmação do poder da Secult sobre as ações do conselho. Se engana quem imagina que o jogo será diferente com a nova composição. Agora sob o comando de Marcia Tude, filha do 3 vezes prefeito do município e atual vice-prefeito, José Tude (PMDB), a Secult deve seguir o roteiro da manipulação do colegiado.


Mau conselheiro 7 Com verba curta e a falta de  vontade política do alcaide Antonio Elinaldo, a Secult passa a depender ainda mais do conselho.  Manter o controle dos votos e até das ações do colegiado responsável pela definição das verbas do Fundo de Cultura de Camaçari (FCC) é operação necessária. O movimento de destituição da atual gestão nada mais é que a repetição da fórmula do antecessor. Sem um debate profundo sobre o que faz  o conselho, tudo vai continuar 'como dantes no quartel de D'Abrantes'.


 Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


14/11/2017

 





Aperto

Aperto  O corte de vantagens incorporadas e asseguradas por lei está deixando mais de 100 servidores efetivos de Camaçari com os orçamentos no vermelho. A nova metedologia implantada na atual gestão revisou para baixo os cálculos e podou benefícios, gerando perdas que variam de 20% a até 100% do salário. Os casos mais gritantes são de servidores que recebiam cerca de R$ 1.900 mensais e passaram a embolsar pouco mais de 1 salário mínimo (R$ 937,00).


Aperto 2 Para fazer valer seus direitos, reconhecidos até  pelo Supremo Tribunal Federal (STF), categoria entra na Justiça com ação coletiva solicitando a devolução das vantagens. Medida adotada a partir de setebro consegue desagradar até aliados do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Tesourada no contracheque gera uma poupança de cerca de R$ 150 mil mensais para os cofres de Camaçari.


Aperto 3 Como parte da campanha de mobilização, servidores rifam 1 celular no próximo dia 16. A renda obtida com a venda dos bilhetes (R$ 10,00) vai ajudar a pagar as custas da ação coletiva.


Rescaldo  Depois de apanhar e sair chamuscada durante todo o final de semana, pela culpa no 3º incêndio registrado este ano na secretaria de infraestrutura e habitação (Seinfra), a oposição resolveu reagir. Parlamentares e articuladores  políticos do PT e PCdoB dormiram 3 dias com o cheiro de fumaça, para só na segunda-feira (5), baterem na porta da secretaria de segurança pública (SSP).


Continha  A nomeação da esposa do vereador (DEM) licenciado da Câmara de Salvador e atual secretário de turismo e cultura da capital, Claudio Tinoco, seguramente não poderá ficar no salário básico. Na folha municipal desde agosto, mas com nomeação só publicizada no Diário Oficial de 2 outubro (edição nº 780), a Sra. Alana Dantas Gonzales tem direito a R$ 3.872,74. Esse é o valor referente ao cargo de ‘Assessor Técnico I, símbolo GES II’, da secretaria de desenvolvimento econômico de Camaçari (Sedec).


Continha 2 Caso não tenha sido agraciada com gratificação, que pode chegar a até 150%, empurrando seus vencimentos para R$ 9.685,00, a servidora comissionada praticamente vai pagar para trabalhar num posto com distância total de cerca de 100 quilômetros de sua residência.


Continha 3 Sem acesso ao salário real da nova assessora da Sedec, já que a última atualização  exbida pelo site do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) é anterior a agosto, Coluna fez a contas com base no vencimento básico que é de R$ 3.872,74. Somando descontos legais e os custos com combustível entre Camaçari e a capital, que não ficam abaixo de R$ 1.500/mês, para uma jornada semanal de 5 dias semanais, sobram algo próximo de R$ 2.300, ou pouco mais de 2,5 salários mínimos.


Analógica  Camaçari segue em marcha lenta no processo de  cadastramento eleitoral pelo  sistema de biometria. Até setembro, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cerca de 49 mil haviam se habilitado para votar no pleito de 2018. Com pouco mais de 162 mil eleitores cadastrados até o começo deste novembro, conta mostra que mais de 113 mil ainda não foram registrar o dedinho para garantir direito ao voto nas eleições para presidente, governador, deputados (federais e estaduais) e para as duas vagas para o senado.


Baygon  Alguém precisa avisar ao setor responsável pelo site da prefeitura de Camaçari que o prazo para o programa de refinanciamento de dívidas com o município (Refis) acabou no último dia de outubro. Mais de uma semana depois de encerrado a data limite, o banner anunciando o programa continua moscando no site da prefeitura.


 Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


8/11/2017

 





Caligrafia

Caligrafia A secretária de educação de Camaçari,  professora-doutora Neurilene Martins, segue ampliando a presença do seu ex-patrão, a ONG Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP), nos destinos da política de educação de Camaçari. A finalização de mais uma etapa do pacote foi festejada semana passada com o convênio de pouco mais de R$ 747 mil, entre a prefeitura e o ICEP.  


Caligrafia 2 Pelo contrato, assinado através da modalidade da ‘inexigibilidade’, quando não existe  processo de  seleção de propostas e o contratante, no caso Camaçari, escolhe quem quer que realize o serviço, a ONG de inegável reconhecida qualificação não se encarregará apenas da elaboração de projetos para a formação continuada dos professores da rede municipal. O ICEP também vai de “auxiliar o município na construção do referencial curricular municipal”.


Caligrafia 3 O Contrato nº 0133/2017, assinado dia 20, entre o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) e a diretora-presidente da ONG, a educadora Cybele Amado de Oliveira, sobrinha-neta do escritor Jorge Amado, foi publicado na edição de sábado (21/10) do Diário Oficial do Estado.


Caligrafia 4 A presença e o protagonismo do ICEP no comando do projeto de educação do novo governo foi sinalizado pela Coluna em abril. Sob o título ‘Padrinhos’, o Camaçarico denunciou o contrato sem licitação, por R$ 50 mil, para que o ICEP realizasse em março a Jornada Pedagógica de Camaçari. Ainda na mesma postagem a Coluna lembra que tanto a secretária Neurilene, como seu subsecretário, Márcio Vila Flor, possuem estreitas ligações com o instituto (Confira).


Estante  Mesmo com a criação de um memorial sobre o maior escritor baiano e a garantia de manutenção de seu acervo de aproximadamente 8 mil exemplares, a mudança da Biblioteca Jorge Amado para dentro da Cidade do Saber não deixa de ser um recuo. Antes instalada em prédio na avenida 28 de Setembro, com fachada e referência, a maior biblioteca pública do município perde sua identidade como espaço de abrigo e disseminação de cultura ao virar mera peça do vistoso complexo de cultura, arte e esportes instalado na rua do Telégrafo.


Estante 2 A Biblioteca que nasceu de uma homenagem de Camaçari precisa voltar a ter o tamanho físico merecido. A economia de algo em torno de R$ 250 mil anuais com aluguel do imóvel onde funcionava a biblioteca, não é referência. Despesa seguramente pode ser comparada com o gasto de 2 assessores do executivo nos mesmos 12 meses.


Estante 3 Numa estranha coincidência histórica, espaço inaugurado em 1999, pelo ex-prefeito e atual vice, José Tude (PMDB),  vira apêndice da Cidade do Saber, justamente sob o comando de sua filha e  secretária de cultura, Márcia Tude. O Camaçarico  espera que a mudança, na contramão da necessária ampliação  geográfica dos espaços culturais, seja uma medida provisória da gestão do alcaide Elinaldo. Acredita ser leitura obrigatória o resgate do merecido espaço proporcional ao tamanho do autor de clássicos como ‘Capitães de areia’ e ‘Dona Flor e seus dois maridos’.


Papel carbono  O prefeito Elinaldo, o secretário Renato Almeida (Sefaz) e o procurador geral do município, Bruno Nova, seguem mudos sobre a denúncia envolvendo a servidora comissionada Adriana do Nascimento Guedes, feita pelo Camaçarico (Confira).


Papel carbono 2 Distante do princípio da moralidade (artigo 37 da Constituição), gestão Elinaldo não difere em nada das antecessoras acostumadas com a 'operação abafa'. Por força do cargo, o alcaide precisa dizer se o documento enviado pela procuradoria municipal, e recebido por ele em fevereiro, é real e será apurado, mesmo com o escandaloso atraso de 9 meses. Ou não passa de mentiras plantadas para prejudicar servidora de ilibada conduta. Qualquer que seja a resposta, o alcaide precisa falar.   


Cochilo  A Superintendência  de Trânsito e Transportes de Camaçari precisa fazer cumprir o Código Brasileiro de Trânsito na sua integralidade. Ágil na justa e necessária punição de motoristas infratores, a STT do doutor Armando Yokoshiro guarda o apito para a barbeiragem da equipe do alcaide municipal.


Cochilo 2  Exatos 11 dias  após  denúncia da Coluna (Confira),  placas de  sinalização continuam instaladas na faixa de circulação de bicicletas da requalificada avenida deputado Luís Eduardo Magalhães. O alcaide Elinaldo e a sua secretária de infraestrutura, Joselene Cardim, podem até não saber, mas ciclovia com postes no seu trajeto vira caminho perigoso e ameaça à integridade física do ciclista.


Mais unzinho  O festival de pontos facultativos nos meses de setembro e outubro fecha com o  ‘Finados’ de quinta-feira (2). Em menos de 60 dias serão 4 feriadões com os facultativos de 8 e 29 de setembro, 13 de outubro e com a próxima sexta-feira (3).


 Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


1/11/2017

 





Blindagem

Blindagem   O preceito constitucional da moralidade com a coisa pública anda sem proteção na atual gestão municipal de Camaçari. Quase 9 meses depois de receber consistente denúncia da sua própria Procuradoria, sobre o comportamento funcional da servidora comissionada Adriana do Nascimento Guedes, o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) segue como se nada estivesse acontecendo.


Blindagem 2 Nomeada em 2005 para o cargo de confiança de procuradora jurídica do município, pelo então prefeito Luiz Caetano (PT), a advogada Adriana Guedes só colecionou ações consideradas nocivas ao interesse público e aos cofres do município.


Blindagem 3 Documento que a Coluna teve acesso mostra um currículo funcional nada abonador. Por conta dessa conduta a servidora responde a Ação Penal por exercício  de função pública sem autorização (artigo  324 do Código Penal), e por outra Ação Civil Pública por improbidade, também proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE).


Blindagem 4  Datado e enviado no dia 3 de fevereiro deste ano ao prefeito Elinaldo, ao procurador geral, Bruno Nova; e ao secretário da fazenda, Renato Almeida, ofício relata um festival de irregularidades que somam prejuízos aos cofres públicos superiores a R$ 10 milhões, segundo fontes da Coluna.


Blindagem 5 Assinado pela procuradora e atual chefe da procuradoria fiscal, Carolina Strauch de Souza, ofício nº 00159.1301.2017 relata o que classifica de “gravíssima situação encontrada pela atual titular da Procuradoria Fiscal do Município”, antes ocupada pela doutora Adriana Guedes.


Blindagem 6  Nas 3 páginas do documento são relatadas situações consideradas estranhas e incomuns, como a retirada de cerca de 10 mil processos do Fórum, e guarda por mais de 5 anos. Em muitos desses processos a prefeitura não vai receber as dívidas de contribuintes do município, já que terminaram caducando e se configurando como renúncia fiscal.


Blindagem 7  Ainda de acordo com o documento, as irregularidades eram do conhecimento da cúpula do governo passado. “Tais situações foram exaustivamente relatadas às autoridades à época, em especial o prefeito (Sr. Ademar Delgado), o secretário municipal da Fazenda (Sr. Camilo Pinto) e o Procurador geral do município (Sr. Gerson Dantas)”, detalha trecho do ofício.


Blindagem 8  No documento, que também pede o afastamento da servidora e a realização de auditoria para apuração de todos os prejuízos causados aos cofres públicos, a procuradora lembra que as denúncias foram feitas “em reuniões, algumas delas com a presença de todos os Procuradores Municipais, quanto em documentos/relatórios a estes encaminhados”.


Blindagem 9  A blindagem da doutora é antiga. Vem desde o governo do antecessor e ex-padrinho de Delgado, o hoje deputado federal Luiz Caetano (PT). Na gestão Ademar delgado a doutora seguiu fortalecida e até ampliou poderes. Para ocupar a função de presidente da junta de julgamento dos processos administrativos da secretaria da fazenda (Sefaz) seria necessária a mudança na lei municipal. Pela antiga legislação, a função de presidente de junta era de exercício exclusivo de servidor de carreira. Com a ajudinha dos vereadores a lei foi modificada pelo Legislativo e passou a permitir que ocupante de cargo comissionado pudesse exercer função de julgamento de processos administrativos gerados a partir de situações envolvendo o pagamento de impostos e outras cobranças municipais.


Blindagem 10 Mesmo com todo esse currículo nada abonador, a servidora segue firme, forte e prestigiada no governo Elinaldo. Sem o cargo de coordenador jurídico fiscal, a doutora Adriana logo foi aproveitada pelo atual secretário da fazenda, Renato Almeida. Homem de confiança do deputado federal Paulo Azi (DEM) e dono da chave do cofre da gestão Elinaldo, Almeida foi além da nomeação da doutora Adriana para o cargo de assistente do secretário, com salário de R$ 8.774,27. Generoso,  manteve a advogada na missão de presidir a junta de julgamento dos processos fiscais da Sefaz.


Blindagem 11 Resta saber se o alcaide Elinaldo, ciente da grave situação desde fevereiro deste ano, tem bala para romper essa couraça e fazer valer o interesse público. 


 Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


27/10/2017

 





Coldre

Coldre  O uso de arma de fogo no trabalho dos agentes da Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT) está mais para um duplo tiro no pé. Aprovada pelo Congresso Nacional, lei aguardando apenas a sanção do presidente Temer para poder começar a ser regulamentada e autorizada em estados e municípios.


Coldre 2 Município que lida com sofisticada produção industrial de veículo, produtos petroquímicos e equipamentos de ponta como geradores para usinas eólicas, ganhou mais ainda mais visibilidade com o 4º lugar no ranking brasileiros de cidades que mais matam jovens com idades de 12 a 18 anos no Brasil.


Coldre 3 É neste ambiente de insegurança que a proposta de armar agentes de trânsito não se mostra apenas perigosa. Botar pistola na cintura de agente de trânsito também é tiro caro para os cofres municipais. A Coluna ouviu especialistas que estimam esses custos em torno de R$ 1 milhão e 200 mil para treinar e armar os cerca de 100 agentes da STT.


Coldre 4 Só com a aquisição de no mínimo 100 pistolas modelo 380 milímetros para cada um dos agentes, prefeitura não gasta menos que R$ 500 mil. As indispensáveis avaliações psicológicas e de capacidade técnica dos agentes, treinamento e outras taxas como porte de arma e registro na Polícia Federal (PF) ampliam essa conta. A manutenção de espaço para guarda e reposição do armamento completam essa cartucheira de despesas crescentes.


Coldre 5 No meio do caminho dos defensores da segurança física dos agentes contra as agressões sofridas por motoristas, há quem apoie o uso da pistola de choque como alternativa entre a bala e as mãos vazias. Com custo médio de R$ 700,00 por unidade e despesa de implantação mais baixa que as armas de fogo, a pistola teaser dispara um forte pulso elétrico capaz de imobilizar o alvo. Cada vez mais comum nas grandes cidades, a teaser já preocupa especialistas. Cardiologistas dizem que pistola de choque pode ser fatal para pessoas que sofrem de cardiopatias.


Coldre 6 Cidade sem conselho de segurança e desacostumada a debater em fóruns específicos a questão da violência, mesmo sendo top nesse quesito, Camaçari se prepara para mais um problema. Longe da discussão profunda e necessária sobre a violência, Camaçari, que quando muito promove uma manifestação de rua movida por algum recente ato violento ocorrido na cidade, caminha para mais uma decisão formal com  a presença sempre superficial da Câmara de Vereadores.


Coldre 7 Dividida de forma miúda e nada construtiva entre os que são contra o governo, onde está tudo errado, e os favoráveis que acreditam que as coisas estão avançando e já foram piores, o Legislativo mais uma vez deve ficar com a responsabilidade  por um debate que deveria ser de todos.


Coldre 8 Ausentes, governo municipal, entidades como Associação Comercial e Empresarial de Camaçari (Acec), entidades de classe, associações de moradores, centros de educação e saber, como a Faculdade Metropolitana de Camaçari (Famec), e a própria UFBA em vias de implantação de um campus no município, precisam construir esse debate. O coldre na cintura dos agentes da STT pode ser o caminho para abrir o debate sobre causas e consequências dessas balas que tanto matam jovens e comprometem o futuro do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul.

 

Clique na imagem para ampliar






Esquadro Mesmo sem atropelar a legislação, o projeto de construção do novo Fórum de Camaçari poderia ter dado uma contribuição mais ampla e humanizada para a mobilidade de pedestres, cadeirantes e portadores de necessidades especiais do município. Com 4,5 mil metros quadrados de área construída dos cerca de 6,5 mil metros quadrados de espaço total do terreno, projeto terminou economizando uma pequena área com  construção de passeios com apenas 1,5 metro de largura.


Esquadro 2 Orçada em R$ 16 milhões e previsão de conclusão para o final deste ano, obra tocada pela construtora Andrade Mendonça terminou ficando fora do padrão dos trabalhos de requalificação dos passeios que a prefeitura vem realizando na região do centro administrativo municipal, onde está instalado o novo Fórum. Como mostram imagens feitas pela Coluna, o passeio do Fórum, limitado por um legal, mas estranho muro com cerca de 3 metros de altura, destoa do projeto municipal que precisou promover um afunilamento para compor com a passagem 1 metro mais estreita.


Esquadro 3 O passeio diferenciado do novo Fórum seguramente poderia ter ganho dimensões compatíveis com o projeto de pavimentação e requalificação de vias públicas do programa municipal de mobilidade urbana financiado pelo governo federal.


Esquadro 4 Conta pelo desencontro entre o 1,5 metro do Fórum e os 2,5 metros dos demais passeios do centro administrativo não é só responsabilidade do projeto. As secretarias de infraestrutura e habitação (Seinfra), e do desenvolvimento urbano (Sedur), também têm culpa nesse cartório.


Esquadro 5 Pelo visto, faltou sintonia entre a Sedur, chefiada por Juliana Paes, com missão constitucional de autorizar o licenciamento das construções no município, e a Seinfra, comandada por Joselene Cardim, responsável pelas obras dos passeios do centro administrativo.


 Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


25/10/2017

 

Passeios construídos pela prefeitura e pela construtora responsável pelo novo Fórum. Clique na imagem para ampliar




Palanque

Palanque  Mesmo sem assumir a condição de pré-candidato  ao governo do estado, o prefeito ACM Neto (DEM) fez discurso de postulante ao Palácio de Ondina e não poupou o seu o atual ocupante e provável adversário na disputa estadual de 2018. Sem meias palavras, mandou o governador Rui Costa (PT) ‘parar de reclamar e trabalhar’.


Palanque 2  Com um discurso embalado, Neto disse que o povo da Bahia está precisando de ‘Deus e pneus’ ao acusar Rui de gastar muito dinheiro com propaganda, esquecer as estradas e deixar a violência aumentar com a ineficiente estrutura de segurança pública do estado. Lembrou que o partido do governador, no poder estadual desde 2007, mesmo com o apoio do governo federal, não conseguiu melhorar as condições viárias  e de segurança no estado.


Palanque 3  Durante seus 15 minutos de fala, o alcaide da capital também fez um balanço da sua gestão, falou das heranças malditas em Salvador e Camaçari, elogiou a simplicidade e os acertos de colega Elinaldo, e o compromisso do seu grupo com o futuro de Camaçari e da Bahia.


Palanque 4  Festa que reuniu importantes lideranças do grupo no estado, movimentou a antiga avenida Comercial, rebatizada desde 2002 com o nome do tio do alcaide. Prefeitos de cidades vizinhas, como Dinha (Simões Filho), deputados estaduais e federais, vereadores, secretários, lideranças e populares reforçaram a festa que reuniu cerca de 300 pessoas na noite chuvosa de sexta-feira.


Certo ou Errado  A Coluna quis saber de alguns políticos presentes quais das 3 alternativas marcariam para a pergunta sobre os reais motivos para a presença de ACM Neto em Camaçari. Pergunta (1) - Neto foi a Camaçari como principal liderança do partido reforçar o aliado; Pergunta (2) – Neto foi a Camaçari representar a família do homenageado com as obras de requalificação da avenida Luís Eduardo; Pergunta (3) – Neto já está em pré-campanha ao governo do estado.


Certo ou Errado 2  Para o alcaide Antonio Elinaldo, apenas as alternativas ‘1’ e ‘2’ podem ser consideradas corretas. A mesma resposta comedida foi dada pelo prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM).


Certo ou Errado 3 O sinal claro da pergunta que ainda não pode ser respondida com precisão, foi dado pelo discretíssimo sombra e chefe do Gabinete de Neto. Candidatíssimo a deputado federal pelo PRB, João Roma, preferiu deixar a questão em branco.


Certo ou Errado 4  Já outro nome com envolvimento direto e beneficiário em caso de confirmação da alternativa 3 como correta, o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, não vacilou. Marcou todas as respostas como certas.


Relógio O prefeito ACM Neto chegou exibindo pressa. Parou o carro na porta do palanque e subiu para o praticável sem esperar o colega Elinaldo que se esbaldava com selfies e afagos de eleitores e correligionários.


Relógio 2  Após os discursos seguiu numa quase marcha atlética em direção a fita, cerca de 300 metros adiante, para a inauguração oficial das obras de requalificação da avenida Luís Eduardo. No mesmo ritmo 'the Flash' pulou para o carro que o aguardava a menos de 5 metros, e pegou a Via Parafuso. Segundo apurou a Coluna, Neto estava com a agenda da noite apertada. Maratona foi encerrada com o show do ex-beatles Paul McCartney, na Fonte Nova, em Salvador.

 







Desatenta  A secretária de infraestrutura e habitação (Seinfra), Joselene Cardim, precisa  fiscalizar as obras que sua pasta apresenta ao alcaide Antonio Elinaldo como concluídas. Caso não retire imediatamente os postes de sinalização instalados na ciclovia da avenida deputado Luís Eduardo Magalhães, os acidentes  com ciclistas gerarão mais repercussão que a importante requalificação de uma das mais importantes vias urbanas de Camaçari.


Desatenta 2 Com pouco mais de 1.500 metros de extensão, pista entregue à população na noite de sexta-feira (20), tem justamente a pista para ciclistas entre os novos equipamentos. Postes fotografados pela Coluna a poucas horas da inauguração, sinalizam a baixa capacidade de mobilidade da doutora Joselene, nas ruas cidade.


Correção  No afã de carimbar o adversário político Luiz Caetano, e o PT como responsáveis pelo atraso e demagogia no processo de instalação do campus da UFBA em Camaçari, o também deputado federal Paulo Azi (DEM) terminou cometendo um erro histórico. No seu discurso, o 2º maior da noite, atrás apenas do anfitrião Elinaldo, Azi colocou na conta do PT como se  a unidade estivesse com atraso de 12 anos. Na verdade são cerca de 7 anos. O que Azi não disse é que o campus poderia ter sido gestado desde 2005, 1º ano de  seu  2º mandato como  alcaide de Camaçari e já sobre sobra e proteção do governo Lula.


Papagaio de pirata Foi intensa a disputa entre os vereadores Flávio Matos e Vaninho da Rádio, ambos do DEM, na disputa para quem aparecia mais ao lado de ACM Neto e Antonio Elinaldo. Plantados, ficaram o tempo todo atrás dos alcaides. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


21/10/2017

 

Registro feito na tarde de sexta-feira. Clique na imagem para ampliar




E aí ?

E aí ? Com Outubro já pelo meio, soma do ano bate em 290 dias. Faltam, portanto, 75 para o fim de 2017. É com esse calendário que a gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) se despede do 1º ano de governo sem nenhum sinal concreto e oficial de recuperação e requalificação do centro antigo do município.


E aí ? 2 Qual a destinação da antiga estação de trens? Vai abrigar um museu da cidade? Será um espaço para exposições? Vai virar um bar temático?


E aí ? 3 E o antigo cinema? Vai voltar a exibir vídeos? Vai abrir seu palco para shows e performances artísticas? Vai dar eco ao debate sobre cultura, arte, juventude e futuro? Vai abrigar  uma repartição pública?


E aí ? 4 O casarão que abrigou as sedes da Prefeitura e Câmara de Vereadores fecha o misterioso triângulo da memória de Camaçari. Qual o destino para tão importante e simbólico espaço da cidade? Vai abrigar o arquivo público? Vai alojar memorial do Polo, hoje instalado na Cidade do Saber, em troca do apoio institucional do Cofic? 


E aí? 5 Diferente do cinema e da estação, o casarão está completamente desfigurado. É projeto da prefeitura resgatar a fachada original com sua imponente base de pedra ornada, porta larga e seus 4 janelões de madeira? Ou vai continuar com seu passado coberto pelas pastilhas verde piscina? E a construção de uma moderna cobertura unindo o cinema ao casarão continua no projeto elaborado durante a gestão Ademar Delgado? 

 







E aí? 5 Diferente do cinema e da estação, o casarão está completamente desfigurado. É projeto da prefeitura resgatar a fachada original com sua imponente base de pedra ornada, porta larga e seus 4 janelões de madeira? Ou vai continuar com seu passado coberto pelas pastilhas verde piscina? E a construção de uma moderna cobertura unindo o cinema ao casarão continua no projeto elaborado durante a gestão Ademar Delgado?  


E aí ? 6 As dúvidas não são apenas do Camaçarico.  O desconhecimento é quase geral. A Coluna apurou que nem o Conselho de Cultura foi oficialmente informado sobre todos os detalhes do projeto de recuperação e destinação desses espaços, sob a responsabilidade da secretária de cultura Márcia Tude. Imprensa e comunidade completam a trinca dos que pouco ou nada conhecem sobre os projetos, valores e prazos elaborados no governo passado e ajustados na atual gestão.


Contramão A denúncia de acúmulo salarial do comandante da Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT) é mais um jabuti na ‘árvore que chora’. O caso do Sr. Armando Yokoshiro se torna ainda mais grave quando a prefeitura considera o caso sem irregularidades e resolvido. A Coluna apurou que o município recebe ofício da prefeitura de Salvador comprovando a realização de atividades para a capital que justificam a dupla remuneração.


Contramão 2 Mesmo com função que exige dedidação integral, inclusive finais de semana, o Sr. Yokoshiro ainda arranja tempo para ajudar a gestão do alcaide ACM Neto. O município de Camaçari tem a obrigação de tornar públicos esses ofícios e os relatórios comprobatórios dessas atividades em Salvador.


Acolhimento Mesmo considerado estranho no ninho, por técnicos que vivenciam as dificuldades da política de assistência social em Camaçari, o ex-vereador e candidato derrotado nas eleições de 2016, Pedrinho de Pedrão, segue firme e em trajetória ascendente na gestão do demista Antonio Elinaldo.


Acolhimento 2 Com o apoio do deputado estadual Sargento Isidoro (PDT), o atual coordenador do Cras de Nova Vitória, o maior e mais importante dos 6 Centros de Referência de Assistência Social do município, com um raio de atendimento a uma população potencial estimada em 70 mil pessoas distribuídas por mais de 15 bairros, é uma das apostas para o lugar de Simara Ellery na secretaria de desenvolvimento social (Sedes).


Peneira furada O esquema de filtragem do governo Antonio Elinaldo (DEM) segue provocando prejuízos e desgastes políticos na própria base aliada. A mais recente trapalhada que irritou o alcaide e azedou a festa, aconteceu semana passada durante a inauguração da reforma da Unidade de Saúde da Família (USF) do Novo Horizonte.


Peneira furada 2 Capitaneado pela secretaria de saúde (Sesau), com o apoio do distraído cerimonial da prefeitura, ato terminou prestigiando uma histórica adversária do atual governo. Por indicação do secretário da Sesau, o vereador licenciado Doutor Elias Natan (PR), inauguração foi brindada com a fala da presidente da associação de moradores do bairro. Para quem não sabe, a Sra Dalva Rosa é esposa do ex-vereador e sobrinho do ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano, o também petista de carteirinha Paulinho do Som.


Peneira furada 3 Quem conhece o jogo da  política em Camaçari, independente da matiz ideológica alojada no poder, sabe que microfone para adversário, só se for para declarar arrependimento e anunciar adesão. Fora essa regrinha...  


Peneira Furada 4 Seguramente, a festa política de sexta-feira (20) à noite, durante a inauguração da requalificação da avenida Luiz Eduardo, a antiga Comercial, terá outro roteiro. Lista dos oradores, encabeçada pelo alcaide de Salvador, ACM Neto, deve receber atenção especial de quem entende do riscado.   


Peneira Furada 5 O descuido do cerimonial vai além do entendimento do jogo político. O pouco profissionalismo na condução do roteiro de solenidades e textos exibidos durante atos oficiais, como os desfiles de setembro, viraram motivos de comentários nada abonadores entre profissionais de imprensa e gente acostumada com regras gramaticais, de poder e comportamento, e história da cidade.


Sem direitos A Defensoria Pública do Estado da Bahia, na Comarca de Camaçari, segue capenga e sem a estrutura prometida para o atendimento gratuito da população carente que precisa de apoio jurídico. Fonte ouvida pela Coluna garante que a unidade instalada na Rua Monte Gordo, bairro Inocoop, precisa de 10 advogados para atender a demanda de uma cidade com cerca de 300 mil habitantes.


Sem direitos 2 Nem a promessa de colocar 6 defensores para atender as necessidades da população foi cumprida. Atualmente a Defensoria conta com 4 advogados para  suprir uma demanda gerada pelas carências da população  sem  recursos  e com pendências nas Varas de Família, Crime, Fazenda Pública, Infância e Juventude, Civil e Consumidor. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


17/10/2017 

 

Fachadas antiga e atual do casarão que abrigou Prefeitura e Legislativo. Clique na imagem para ampliar




Co-autoria

Co-autoria   Os números que mostram Camaçari  em 4º lugar no ranking das cidades onde se matam mais jovens com idades de 12 a 18 anos no Brasil é aviso ao prefeito Antonio Elinaldo. Estatísticas exibidas pelo Camaçari Agora na véspera do ‘Dia das crianças’ (Confira)  é muito mais que envergonhar uma cidade com um dos maiores orçamentos e invejável potencial de crescimento entre  a maioria dos municípios brasileiros. Números de assassinatos de jovens em Camaçari, infelizmente com mais 1 registro na quinta-feira (12), no bairro Novo Horizonte,  é atestado de um poder público incompetente e omisso.


Co-autoria  2   Com quase 1 ano de atraso no processo de adoção efetiva de políticas públicas capazes de buscar caminhos para enfrentar esse grave problema, gestão Elinaldo precisa entender que criança necessita de muito mais. Escola em tempo integral, acompanhamento psicossocial, um intenso programa de reforço alimentar, lazer, esportes e atividades culturais foram o único caminho de quem quer fazer.


Co-autoria 3    Sem essas ações que ajudem esse batalhão de camaçariences a entrar no caminho que tem futuro, o governo do ex-menino pobre que escapou da estatística seguirá como os anteriores, asfaltando rua, tapando buraco, inaugurando obras físicas e fazendo festas.


Infantil  Mesmo negando, o experimentado e qualificado vereador Junior Borges (DEM) segue firme em rota de colisão com o prefeito Antonio Elinaldo e todo o grupo político que apoia a gestão. A última birra veio do seu mais fechado núcleo de apoio e articulação. A sua esposa Lenilda Borges não poupou palavras duras para classificar a gestão. Usou sua página pessoal no Facebook para acusar o governo Elinaldo de promover festa e esquecer o principal para as crianças, listados por ela como melhorias na educação, na saúde e no lazer.


Infantil 2 Dona Lenilda, segundo apurou a Coluna, aceitou contrariada a decisão do marido vereador de abrir mão da festa ‘O bom é ser criança’. Com a proposta de fazer uma festa maior e com impacto positivo para a imagem da gestão e do alcaide Elinaldo, Borges perdeu importante evento que seu grupo político realizava todos os anos no bairro Camaçari de Dentro, uma das suas principais bases eleitorais na sede do município.


Infantil 3 Postagem de D. Lenilda, feita no começo da manhã de quinta-feira, portanto antes do início da festa, deve explicar a participação quase tiete do vereador Junior Borges ao lado do alcaide durante todo o dia do evento. Com a unidade rachada, só restou a Borges amenizar o 'pirulito solta tinta' distribuído  nas redes sociais pela esposa.


Infantil 4  Borges, que vem de atritos internos na legenda com o companheiro Jorge Curvelo, pela disputa  da presidência do Legislativo, seguiu ampliando seu descontentamento. Pré-candidato a deputado estadual assumido, Borges enfrenta resistência dentro da legenda que sinaliza apoio ao ex-prefeito e atual vice, José Tude, ainda no PMDB do agora 'Geddel 51’.


Infantil 5  A última e estranha manobra foi a entrega dos cargos que possuía na administração, sem que essa atitude representasse rompimento. Usou como justificativa a necessidade de deixar o governo à vontade para mexer no que fosse necessário para melhorar o desempenho da gestão.


Infantil 6  Mas, o desgaste  sofrido pelo vereador, agora coroado com a nada política  atitude da esposa, teve precedente familiar. O filho Leonardo Borges, como  mostrou o Camaçarico de 15 de setembro (Confira), foi flagrado cometendo infração de trânsito por agentes da STT (Superintendência de Trânsito e transporte). Veículo que deveria ficar sob a responsabilidade do parlamentar ou servidor indicado para tal função, foi pego e rebocado por ter estacionado em local proibido.


Infantil 7   Adoçar a boca do vereador, provavelmente a partir de 2018, quando acontece uma mirreforma na prefeitura, é a missão do alcaide. Se será uma secretaria, o carimbo para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa, ou a presidência do Legislativo a partir de  2019, rifando assim o vereador Jorge Curvelo, já acostumado com o sacrifício, só os próximos dias dirão.


Novo playground O atual vice-prefeito e 3 vezes alcaide de Camaçari, José Tude, dificilmente fica no PMDB para disputar uma das 63 cadeiras da Assembleia Legislativa. Depois do naufrágio do grupo político dos irmãos Vieira Lima, que lhe dava sustentação, o DEM parece ser o caminho natural. Até o número  que foi de Elinaldo na disputa de 2014, está à disposição do ex-prefeito, como mostrou com exclusividade o Camaçarico de 24 de julho (Confira).


Pirulito  O sucesso da festa das crianças, na quinta-feira (12), em Camaçari, foi doce na boca do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Organizada, com variedades de brinquedos num grande parque a céu aberto, presentes, atrações e muitas guloseimas para a garotada, festejo foi receita eficaz no tratamento de melhoria da imagem da gestão.


Palito  Doce de um lado, amargo do outro. Essa foi a sensação experimentada durante todo o dia pela oposição. Sucesso da festa deixou os antigovernistas sem papel e fita para empacotar e distribuir o pacote de críticas ao evento do adversário.


Alcoolemia  A mistura de criança e latinha de cerveja, graças a localização de bares na avenida Luiz Eduardo, foi ponto negativo da festa. Sem isolamento por gradil, espaço de lazer da garotada se confundiu com as áreas dos bares legalmente instalados na via. Cochilo da coordenação de eventos, do Conselho Tutelar e até da PM precisa ser corrigido nos próximos eventos que envolvam menores.


Mãos dadas As pulseirinhas casadas com identificação da criança e do pai ou responsável foi outro descuido. Crianças perdidas, mesmo com pulseiras, não eram identificadas imediatamente e de forma mais eficaz por falta da marcação correspondente em poder do responsável.


Protetor solar 60 Depois de Busca Vida, espaço fechado e cheio de restrições para a população sem camisa da grife Polo Ralph Lauren no guarda-roupa, ter acesso à praia de Guarajuba, também em Camaçari,  entra no circuito da segregação. O mal estar ocorrido no feriado santo de quinta-feira (12), com impedimento de banhistas terem acesso à praia, foi denunciado no programa Bahia no Ar da FM 93.1. Irregularidade pode ser a oportunidade da secretária Juliana Paes, titular da secretaria de desenvolvimento urbano (Sedur), mostrar que a gestão do DEM não compactua com a omissão dos governos petistas anteriores, legitimadores por omissão das restrições aos banhistas com camisas sem griffe.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


13/10/2017 Atualização às 13h52

 





Mamadeira

Mamadeira  Para alegria e conforto dos inimigos do interesse público, a prefeitura de Camaçari não adota sistema de controle de frequência para subsecretários. Caso tal medida, que já se aplica a boa parte dos servidores, fosse usada para essa casta de apaniguados de pouca ou nenhuma serventia, o Sr. José Carlos de Matos Soares fecharia o mês com o contracheque zerado. 


Mamadeira 2 Carlinhos Matos (DEM), como é conhecido na política e na cédula eleitoral, foi vereador e candidato derrotado na disputa de 2016 para prefeito de Riachão do Jacuípe. Sua nomeação para a subsecretaria da administração (Secad), mesmo imoral, tal seu distanciamento e descompromisso com uma cidade distante 174 quilômetros de sua base eleitoral, faz parte da geografia das acomodações políticas. Virou regra na Camaçari de todas as tendências, ideologias e governos que comandaram a rica e desigual cidade nas últimas 4 décadas.


Mamadeira 3 Sem comparecer ao expediente há vários dias, conforme denúncia de funcionários da Secad feitas ao Camaçarico, Carlinhos Matos é apenas mais um a ajudar a construir uma imagem negativa da gestão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Prática vai além da imoralidade. Atropela o artigo 37 da Constituição Federal que define como princípios para  todo agente ou gestor público, a legalidade, a impessoalidade, a moralidade, publicidade e a eficiência. 


Mudanças  O promotor Everardo Yunes é o novo titular da 7ª Promotoria de Combate à Improbidade Administrativa e aos Crimes contra a Administração Pública do Ministério Público Estadual em Camaçari. Yunes substitui Geraldo Agrelli Lobo, que passa para a Promotoria Criminal, até setembro coordenada por Yunes. 


Mudanças 2  Yunes, que também assume  uma das coordenações da Promotoria Eleitoral a partir de março de 2018, comandou as investigações da ‘Operação Caronte’. Deflagrada em dezembro de 2015, a operação de combate ao jogo do bicho no município resultou na prisão e processo que corre na Justiça, contra o então vereador e hoje prefeito de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM). 


Goleada  Depois do 8 e do 29 de setembro, o próximo dia 13 também cai numa sexta-feira. Como se trata de dia posterior a feriado, deve virar ponto facultativo e feriadão prolongado na prefeitura de Camaçari. Já no outro campeonato da produção, formado pelos times das indústrias, lojas, mercados, bancos, bares e outros estabelecimentos o jogo segue disputado e quase sem intervalo. Com 3 feriadões num intervalo de apenas 6 semanas, a prefeitura de Camaçari pode pedir música no Fantástico.


Competência e solidariedade  Paralelo ao teclado e ao microfone, a jornalista Jane Silva segue firme com seu trabalho de apoio às crianças carentes de Camaçari. Campanha de doação de brinquedos, distribuídos na próxima quarta-feira (11), pelo grupo Amigos em Ação, completa 17 anos. Doações de empresários e pessoas que não esquecem a importância desse momento devem ser entregues na sede da União das Organizações Sociais e Culturas de Camaçari (Uosc), na Gleba E. 


Produção  Camaçari não é apenas o grande líder e maior polo industrial integrado do Hemisfério Sul, com geração de  riqueza e empregos. Município também produz outro tipo de riqueza, só que negativa. Cidade  aparece bem posicionada e em trajetória que não cai no ranking de assassinatos no estado. Só em 30 horas do último final de semana foram 7 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), como rotula esse tipo de morte as autoridades policiais.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


10/10/2017

 





Mudanças

Mudanças O governo nega, desconversa, mas o prefeito Antonio Elinaldo (DEM) prepara mudança no secretariado. A data pode ser dezembro, começo de 2018, ou até  agora em novembro. A Coluna apurou que 5 nomes estão na berlinda. 


Mudanças 2  Os titulares das secretarias de finanças (Sefaz), Renato Almeida; e da administração (Secad), Reginaldo Paiva, puxam a lista. Dupla abriu muitas frentes de atrito e por conta do próprio estilo do governo viraram manchete e objeto de desgaste da administração por conta da suas condições  salariais privilegiadas, que mesmo legis, assustou a população ávida e agora focada na missão moralizadora  com as contas públicas. 


Mudanças 3  A titular da educação (Seduc), Neurilene Martins, é outro nome cotado. Distante da realidade local, a doutora e representante até o ano passado de ONG produtora de conteúdos educacionais para  prefeituras Brasil afora, inclusive Camaçari, só colecionou desgastes. Não encontrou a lição para sequer evitar os quase 40 dias de greve dos professores em 4 paralisações. Desgaste prosseguiu e foi reforçado com a denúncia de acúmulo ilegal de salários pagos por Camaçari e Salvador.    


Mudanças 4  Outro nome que exibe um intenso desgaste é a titular da pasta do desenvolvimento social (Sedes), Simara Ellery. A ex-primeira dama do município e deputada federal (1994/1997) enfrenta além das dificuldades dos novos tempos diferentes da velha política assistencialista dos anos de gestão do ex-prefeito Humberto Ellery (1975/1985 – 1993/1996), briga com a falta de verbas e a herança de desmonte da estrutura de assistência social no município. 


Mudanças 5  D. Simara ganha de reforço o baixo entendimento do alcaide Elinaldo sobre a prioridade de execução e ampliação de uma política de atedimento à população carente. A presença inócua da subsecretária Claudia Gomes, fruto da política miúda de distribuição dos cargos para aliados, é uma dessas marcas do novo governo. Conhecida pelos colegas como pouco presente e descompromissada com a cidade, a assistente social também foi denunciada pela imprensa e nunca explicou o acúmulo de salários pagos por Camaçari e Salvador.  


Mudanças 6  Outro nome que vem enfrentando dificuldades é o jornalista Biaggio Talento. Apesar da competência profissional e postura ética, o estilo introspectivo do atual coordenador de comunicação da prefeitura tem dificultado sua vida em Camaçari. Fontes asseguram que é constante o descontentamento do alcaide com o jornalista que, de quebra, trafega numa estrutura dividida e cheia de ‘experts’ em comunicação. 


‘Eu voltei’ Como na música de Roberto Carlos, o alcaide Elinaldo também decidiu retornar ao antigo lar.  Vizinhos e amigos de longos anos do bairro da Gleba A estranharam a saída após a abertura das urnas, em outubro do ano passado. Provavelmente em busca de mais tranquilidade,  passou por Guarajuba, Arembepe e Cascalheira até voltar ao velho espaço que registrou o começo e o coroamento da sua carreira política com a eleição. Resta saber se o retorno é sinal de resgate do Elinaldo acostumado com o povo e dono de um  discurso forte de mudança e transparência. Ou é apenas sinal de acomodação. 


Traquina  A ex-toda poderosa e não mais queridinha de 11 entre 10 políticos baianos, Dalva Sele Paiva, volta às manchetes. Dessa vez foi condenada a ressarcimento e multa por decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) por irregularidades em convênio da ONG Instituto Brasil com o governo do estado (Confira). Dalva Sele, que já colabora  com a Polícia Federal desde o ano passado, é velha conhecida de Camaçari, como mostrou a Coluna de setembro de 2014 (Confira).  


Receita O editor do Camaçarico agradece ao site Camaçari Notícias pela reprodução da Coluna de terça-feira (Confira). Apenas coloca um ‘sonrisal’ no título: ‘Jornalista faz criticas ácidas a Elinaldo e aos vereadores’, e lembra que o ‘críticas ácidas’ usado pelo CN1 são constatações. 


Receita 2  Erram o alcaide Antonio Elinaldo e a Câmara de Vereadores capitaneada pelo tucano Oziel Araújo. Ao indicar para um cargo técnico que exige perfil e identificação com a área de assistência social, um ex-vereador que vem transformando o Cras do Nova Vitória numa estrutura eleitoral, o alcaide não apenas erra, como contratria uma diretriz de governo federal definida por um conjunto de políticas públicas financiadas com dinheiro do contribuinte. 


Receita 3 O Legislativo, por sua vez, não fica atrás ao gastar seu tempo aprovando ‘Moção de Repúdio’ contra exposição artística ‘Queermuseu cartografia da diferença na arte brasileira’.  Num claro atestado de intolerância e preconceito, vereadores exibem uma atitude incompatível com um poder que representa a diversidade e não apenas um segmento religioso e seus dogmas.  


Acidez Não é por acaso que o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) está de olho na gestão da assistência social de Camaçari. A Coluna apurou que o MDS  prepara visitinha de inspeção aos 6 Cras instalados no município. O destaque é a desaparelhada e descaracterizada unidade do Nova Vitória, responsável por mais de 15 bairros e uma população potencial de  cerca de 70 mil pessoas. 


Acidez 2 Descuido da atual gestão avança sobre outra unidade do Centro de Referência de Assistência Social. O 7º Cras, localizado na Via Cetrel (BA-530), inaugurado no apagar das luzes da gestão passada, segue fechado por falta de profissionais  e pessoal para funcionar.


Reforço  A Associação Comercial e Empresarial de Camaçari (ACEC) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) quer aumentar o poder de vendas dos comerciantes e empresários do município. Empreendedorismo, marketing digital e tecnologia são os temas do debate que acontece nesta quinta-feira (5), a partir das 18h, no auditório da Acec (Casa do Trabalho). Aberto ao público, encontro  será capitaneado pelos especialistas Celso Castro Junior, Geraldo Honorato e Ricardo Neves. 


Valeu, AJM O jornalista Antonio Jorge Moura deixa os teclados aos 65 anos. O profissional experiente que este editor chamava carinhosamente de ‘AJM’, começou em 1973 nos tempos da velha máquina de escrever. Trabalhou no Jornal do Brasil, imprensa local, foi assessor do então político em formação ACM Neto. Autor do livro sobre o economista Rômulo Almeida, Antonio Jorge vai fazer falta, mas a vida segue. O sepultamento será nesta quinta-feira (5), às 16h, no Jardim da Saudade, em Salvador.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


5/10/201 Atualização às 23h

 





Regressão

Regressão A gestão da assistência social no governo do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) começa a provocar saudades dos tempos dos governos Ademar Delgado e do seu antecessor. Mesmo seguindo o roteiro de descumprimento das bases do Sistema Único de Assistência Social (Suas), nova gestão está conseguindo atropelar o que já se arrastava desde o 3º governo Caetano (2009/2012).


Regressão 2 A marca desse descomando e falta de vontade política de fazer a coisa certa e constitucional pode ser simbolizada pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Nova Vitória. Unidade responsável por mais de 15 bairros e uma população potencial estimada em cerca de 70 mil pessoas, Cras virou comitê político. Coordenado pelo ex-vereador e aliado do alcaide, Pedrinho de Pedrão, unidade que deveria ser modelo de gestão e atendimento agora executa sem rodeios o mais puro e condenável assistencialismo eleitoral.


Regressão 3 Sem espaço adequado e estrutura de atendimento, inclusive para cadeirante e portadores de necessidades especiais, Cras de Nova Vitória é apenas a parte mais visível de uma estrutura deficiente e filha da falta de uma política de assistência social. Município que hoje conta com 6 unidades (Nova Vitória, Burissatuba, Verde Horizonte, Phoc, Arembepe e Monte Gordo), já somou 9. Cras de  Parafuso,  Abrantes e Barra do Pojuca foram fechados na gestão Delgado.


Regressão 4 Descaso conta com o aval do conselho municipal de assistência social. Entidade que deveria ter a missão constitucional de acompanhar, fiscalizar e contribuir para a aplicação da política de assistência social não passa de um espaço inócuo. Controlado pelo governo de plantão, conselho municipal de assistência social segue a regra de omissão e conivência dos demais conselhos municipais. Descompromisso conta com o carimbo do conselho regional de serviço social (Cress). Mesmo responsável pela defesa e fiscalização de todos os profissionais e da política publica de assistência social da Bahia e Sergipe, entidade sequer deve saber onde fica o Cras do Nova Vitória.


Novo modelo O PCdoB deve disputar as eleições de 2020 com candidato próprio. Essa é a expectativa de setores do partido em Camaçari que apostam no nome do atual presidente do sindicato dos metalúrgicos, Julio Bonfim. Representante de tendência distante do grupo derrotado nas últimas eleições, depois do pouco eficiente comando da gestão da cultura até 2016, Julio Bonfim aparece como o nome de resultados e o caminho natural na legenda.


Novo modelo 2 Retomada da produção na Ford, maior e importante base do sindicato, é um dos seus cabos eleitorais. Com intensa campanha publicitária, Bonfim é presença diária com anúncios que incluem até sua fala festejando  conquistas para a categoria. Privilégio não lhe assegura vitrine e vantagem apenas no jogo sucessório do alcaide Elinaldo. Passa a ser peça e piloto importante na nova linha de montagem do PCdoB de Camaçari.


Nem pensar  O alcaide Antonio Elinaldo (DEM) precisa buscar outro caminho se quiser instalar com urgência, como exige a situação, passarelas nas proximidades do shopping Boulevard Camaçari (Via Parafuso), e na região da prefeitura avançada da orla (Estrada do Coco). As concessionárias Litoral Norte (CLN) e Bahia Norte já avisaram que novos investimentos estão fora dos seus planos.


Foco  A Câmara de Vereadores de Camaçari acaba de adotar uma importante e inadiável medida. Aprovou por unanimidade uma ‘Moção de Repúdio’  ao banco Santander por patrocinar a exposição ‘Queermuseu Cartografia da Diferença na Arte Brasileira’.


Foco 2 Mesmo com temas mais próximos e urgentes como a Feira, o caótico sistema de transporte, a desastrada política de assistência social, vereadores preferiram debater a mostra que reúne visões diferentes sobre sexualidade. Manifestação do Legislativo contou até com  o apoio do PT e o PCdoB. Chancela dos chamados partidos de esquerda e com rótulo de defensores da liberdade de expressão e da diversidade mostra uma unanimidade que seguramente não representa o pensamento do eleitorado de Camaçari.


Ócio  Vem aí mais um feriadão para servidores de Camaçari. Depois do 7 e do 28 de setembro, o próximo dia 12, dedicado a Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, também cai numa quinta-feira. Véspera de sexta-feira é sempre dia de ponto facultativo no centro administrativo municipal. Já o resto do setor produtivo da cidade, formado por indústrias, lojas, mercados, bancos, bares e outros estabelecimentos mantêm a produção preocupados com a recessão e as contas do final do mês.  


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


3/10/2017

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 | Próxima

Encontrado(s): 627 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2017 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL