Busca:








Presentão Os cortes de despesas com pessoal e serviços, na administração de Camaçari, é pacote de maldades contra os servidores efetivos. Essa é a avaliação de dirigentes do sindicato da categoria (Sindsec). Com a decisão de cortar as 10 horas de extensão de carga horária de parte dos servidores que o município não considera ‘essencial’, perdas chegam a 60% no contracheque dos que ganham menos. 


Presentão 2 Citam como exemplo um servidor com salário base de R$ 900,00, mas que até agosto recebia cerca R$ 1.500,00 graças as vantagens de R$ 300,00 pela extensão da carga horária de 30 para 40 horas, e outros R$ 300,00 do tíquete alimentação, assegurado com o aumento da jornada. 


Presentão 3 Sindicalistas ouvidos pela Coluna consideram uma “irresponsabilidade” do prefeito Delgado, a extensão das medidas até a categoria com os menores salários. Lembram que além de não ter sido discutida com o Sindsec, medida pega servidor de surpresa no planejamento das suas contas futuras, em especial os pendurados no consignado, já com a renda parcialmente comprometida com as parcelas mensais do empréstimo.


Presentão 4 Encontro com o prefeito, após anúncio oficial das medidas, na manhã de quarta-feira (2), reforçou o pessimismo. Assessorado pelas secretárias de governo, Jailce Andrade e da administração, Lezineida Chagas, alcaide reiterou necessidade dos ajustes e deixou em aberto e sem data, uma nova conversa com a categoria. 


Esquecidos Mesmo convocando a imprensa para falar do pacote de corte de salários na gestão,  prefeito e secretário de finanças de Camaçari alegaram esquecimento de um detalhe importante que deveria ter de cor e salteado. Nem o Alcaide Ademar Delgado, muito menos o experiente e  traquejado com os números municipais, desde a gestão Luiz Caetano, Camilo Pinto, souberam informar quantos são e quanto custam mensalmente os funcionários efetivos, os nomeados para cargos de confiança, os terceirizados e os contratados através do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), distribuídos pelas diversas estruturas da gestão municipal. 


Esquecidos 2 Prometida pela coordenação de comunicação da prefeitura, para até o final da quarta-feira (2), informação não foi enviada até às 11h30 desta quinta-feira. A Coluna conseguiu apurar apenas que o município possui 5.785 efetivos, 1.225 terceirizados, 944 comissionados e 586 Redas. 


Simbolismo Talvez esteja na linguagem dos signos, a explicação para a decisão da prefeitura realizar na sede do programa Cidade do Saber o anuncio do corte de despesas. Não poderia ganhar espaço mais adequado o anúncio da “economia de R$ 47 milhões até dezembro”. 


Simbolismo 2 Programa de inclusão de jovens carentes do município, quase que na sua totalmente bancado com verbas públicas, é alvo de uma série de investigações justamente pela gastança descontrolada e irregularidades nas relações de trabalho. De vitrine a vidraça trincada, a Cidade do Saber, gerida pela ONG Professor Raimundo Pinheiro, passa por pente fino pelo Tribunal de Contas dos Municípios, Ministérios Públicos Estadual e Federal, e pelo MP do Trabalho, como vem  mostrando a Coluna (Confira). 


Alegria E o sistema alternativo, conhecido como ‘ligeirinho’ está de volta para alegria e insegurança dos usuários do transporte de Camaçari. Sem a organização do passado, com plotagem nos veículos e até estação de transbordo, serviço volta empurrado pela lentidão da prefeitura na definição da nova modelagem no sistema de transporte. 


Alegria 2 Descuido alimentado pela marcha lenta de outros órgãos públicos de defesa do cidadão reforça de forma perversa um princípio básico na economia de  mercado. Segue uma espécie de ‘lei da oferta e procura’, onde o usuário sem ônibus bom e rápido, recorre ao alternativo oferecido pelo motorista desempregado que identifica no serviço o seu ganha pão. É a mobilidade na cidade sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul. 


Tá no 24 A Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT) precisa dar uma passadinha no estacionamento externo da Feira de Camaçari. Além da desordem provocada pela falta de sinalização horizontal para definição de vagas, parte do estacionamento que deveria ser público, está delimitado por cordas. Em total desacordo com o artigo do Código de Trânsito Brasileiro, espaço privê atende comerciantes e alguns privilegiados. 


Sem controle Professores e alunos do Colégio Estadual Cidade de Camaçari realizam ato contra a violência, sexta-feira (4), a partir das 8h30. Manifestação segue do colégio localizado na Gleba A, onde o vigilante Roque Felix, 57 anos, foi assassinado na noite de segunda-feira (31/8), até a 18ª Delegacia de Camaçari. 


João Leite - Editor


3/9/2015

 





Pressão

Pressão  O alcaide de Camaçari anuncia pacote de cortes de despesas já a partir deste setembro. Apesar da queda de 21% na arrecadação, qualquer coisa próxima de R$ 150 milhões até dezembro, medidas passam longe do ajuste necessário desde o  começo da atual gestão, com a redução do número de secretarias e cargos.


Pressão 2  Sem mexer no tamanho da máquina, hoje com 27 secretarias, medidas do  prefeito Ademar Delgado (PT) incluem apenas o corte de 20% nos salários do prefeito  (R$ 16.811,29), vice-prefeita e secretários (R$ 14.482,00), subsecretários (R$ 12.300,00) e titulares de cargos de assessoria. Também reduz pela metade a cota de combustível, hoje em R$ 900. Os carros com motorista é outra mordomia que sofre tesourada. Pacote inclui ainda a redução do horário de trabalho com a volta do Turnão. Expediente das 8h às 14h visa economizar energia, papel e outras despesas, inclusive cafezinho.


Pressão 3  O vereador Oziel Araújo deve se filiar ao PSDB nos próximos dias. Decisão de tucanar aproxima ainda mais o ex-petista da candidatura do colega de plenário, Antonio Elinaldo (DEM). Saída de Oziel não deve causar trauma no PT, que no troca-troca ganha Jackson Josué e Wilton de Ferrinho, vindos do SDD, partido da órbita do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). 


Órbita A presença do vereador José Marcelino, sexta-feira, na Agenda Camaçari, projeto de retomada do poder municipal pelo ex-prefeito Luiz Caetano, foi além da função institucional do presidente do PT municipal e chefe do Legislativo. 


Órbita 2 Marcelino, que até o começo da tarde do dia 28, segundo fonte da Coluna, não havia confirmado presença, falou e empolgou a plateia do encontro realizado em Arembepe, orla do município. Coordenador de eventos, subsecretário de governo e depois titular da pasta na gestão Caetano, Marcelino lembrou o “bom trabalho” realizado pelo ex-alcaide. De quebra ainda assegurou que a Agenda “é um passo importante para construir uma formulação melhor e mais apurada sobre o futuro da cidade". 


Órbita 3 Quem também marcou presença foi a deputada Luiza Maia. Sumida da Agenda, parlamentar fez na última sexta-feira a sua 2ª aparição nos 7 encontros já realizados desde a criação do projeto, em maio. 


Trincado  O radialista Vaninho Lima é o mais novo filiado ao Democratas de Camaçari. Comunicador e comandante da Rádio Monte (87,9 FM) troca o PR (filiado desde 2010), pelo projeto de prefeito do vereador Antonio Elinaldo (DEM). Saída de Vaninho é mais um exemplo da dificuldade do prefeito se movimentar entre os ‘cristais’ da política e da comunicação. Delgado, que deveria usar a caneta para construir algodão, prefere materializar o martelinho. 


Trincado 2 O desentendimento ganhou corpo a partir de uma foto em que Vaninho aparece ao lado do vereador Elinaldo. O que seria um simples registro de confraternização na noite de São João, em Monte Gordo, terra natal do comunicador, e seu principal reduto eleitoral, virou motivo para uma dura repreenda. 


Trincado 3 Segundo Vaninho, a troca de farpas entre ele e Delgado ocorreu durante conversa telefônica, quando o alcaide teria censurado o comportamento do radialista. Ainda durante essa mesma conversa o alcaide solicitou que o profissional pedisse demissão do cargo de assessor da prefeitura. Garante que recusou a proposta e deixou que Delgado tomasse suas providências.


Trincado 4 Comunicador nega que estivesse se movimentando para deixar a base do governo e culpa Delgado. Com 658 votos conquistados no último pleito para vereador, Vaninho acredita que amplia de forma significativa sua cesta de apoios nas eleições para a Câmara em 2016.


Joao Leite - editor


1/9/2015

 





Limite

Limite  Diferente da prefeitura de Camaçari, que nada vê, lista de órgãos de defesa do patrimônio público e do cidadão interessados na apuração dos desmandos na Cidade do Saber (CDS), só faz crescer. Depois do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Ministério Público Estadual (MPE), do temível Ministério Público Federal (MPF), agora é a vez do Ministério Público do Trabalho (MPT).


Limite 2 Assinado pela procuradora Virginia Maria Veiga de Senna, da Procuradoria Regional (5ª Região), Inquérito Civil, datado de 19 de agosto, começa a investigar os constantes desrespeitos à Legislação Trabalhista, praticados pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro.


Limite 3 Fiscais do MPT botam lupa nos casos comprovados de assédio moral, conforme documento do sindicato dos empregados (Senalba), exibido pela Coluna em julho do ano passado (Confira). Lista de irregularidades na gestão do programa de inclusão de jovens carentes do município inclui ainda coação a trabalhador e até demissões arbitrárias.


Limite 4 Mesmo alertado pelo Camaçari Agora, através das várias denúncias documentadas, o petista Ademar Delgado segue direção oposta e ajuda a sepultar qualquer ação moralizadora. Além de atropelar suas atribuições constitucionais de apurar com rigor as irregularidades no programa bancado quase que na sua totalidade com recursos públicos, Delgado se distancia da principal bandeira do seu partido, a defesa do trabalhador.


Limite 5 Aconselhado por quem deveria fiscalizar, o alcaide passou a atropelar até aliados. Depois de ouvir as denúncias do deputado Bira Coroa, como mostrou a Coluna de 23 de julho (Confira), prefeito permite que irmão do parlamentar e diretor da Cidade do Saber, Utilan Coroa, seja demitido.


Limite 6 Pressões com desligamento oficializado no último dia 19, após atos de isolamento e até intimidação, com a colocação de seguranças dentro da própria instituição, se ampliam justamente após séries de denúncias feitas pelo então diretor administrativo da Cidade do Saber, um dos participantes do encontro realizado na manhã de 20 de julho, na residência do alcaide, em Arembepe, orla do município.


Limite 7  A Coluna apurou que Utilan teria disponibilizado ao alcaide documentos que comprovam pagamentos por projetos inexistentes, uso de cooperativas para  esconder movimentações financeiras da instituição e até pagamentos a funcionários fantasmas.


João Leite – Editor


27/8/2015

 





Deadline

Deadline Depois de esperar 2 anos por reformas que garantissem segurança e higiene para clientes e feirantes, o Ministério Público Estadual (MPE) entrou na Justiça com pedido de interdição imediata da Feira de Camaçari. A ”Ação Civil Pública com pedido de tutela antecipada” também responsabiliza o prefeito Ademar Delgado (PT) pelo descumprimento dos acordos com o MPE, desde 2013, para a realização de serviços de melhorias no Centro Comercial de Camaçari (CCC), como é conhecido oficialmente o espaço. 

 







Deadline 2 Com data de 30 de junho de 2015, a Ação apresentada pelo promotor Luciano Pitta, da Promotoria de Justiça de Urbanismo e Meio Ambiente do MPE em Camaçari, ao juiz César Augusto Borges de Andrade, da Vara da Fazenda Pública, é reforçada por lista de irregularidades constatadas e enviadas ao MPE pelo próprio município, através da então Secretaria de Serviços Públicos (Sesp).


Deadline 3  No documento que a Coluna teve acesso, o promotor lista 18 tópicos, onde detalha o perigo de doenças para trabalhadores e usuários da feira, pelo total descontrole na manipulação e preservação de alimentos. Além da ausência de uma fiscalização sanitária, Feira de Camaçari corre altos riscos de incêndios e até explosões, tal a precariedade da rede elétrica e da grande quantidade de produtos inflamáveis manipulados sem controle em praticamente todos os espaços do CCC.


Deadline 4  Ação Civil Pública lista ainda o alto índice de furtos e roubos nas dependências da feira, além de atividades proibidas por Lei, como prostituição, tráfico de drogas, exploração de menores e jogos de azar. 


Deadline 5  A audiência, quando o juiz decide se acata o pedido de interdição, ou determina um cronograma para a realização dos serviços necessários, está marcada para o dia 3 de setembro, às 15h, no Fórum de Camaçari. Além de Pitta, participam representantes dos feirantes e da prefeitura.


Deadline 6  Considerada uma das maiores do estado, a Feira de Camaçari registra um movimento diário de aproximadamente 10 mil pessoas. Segundo levantamentos do MPE, o equipamento possui 1.609 permissionários, sendo 791 no ramo de produtos alimentícios e 818 atuando nas diversas outras áreas, como confecção, serviços, eletroeletrônicos e utilidades para o lar.


Deadline 7  Nas 24 páginas da Ação Civil Pública o MPE historia todas as tentativas de buscar uma solução para o grave problema. De forma direta, o promotor Luciano Pitta critica o descaso da administração, que segundo ele “há muito perdeu o controle sobre o Centro Comercial de Camaçari”, hoje transformado em “terra de ninguém”.


Deadline 8  Pita também critica o que chama de “politicagem” na distribuição de permissões para ocupação de espaços na Feira, “sem uma ampla divulgação da mesma para que todos os interessados que entendessem estar aptos para fazer jus à vantagem ofertada e pudessem se candidatar.”


Deadline 9  O promotor, que vê grandes riscos de manutenção da atual estrutura em funcionamento, lembra que o descaso com a Feira de Camaçari fere o Artigo 37 da Constituição Federal (CF) que exige do administrador da coisa pública o cumprimento dos princípios da ‘Legalidade’, da ‘Impessoalidade’,  da ‘Moralidade’, da ‘Publicidade’ e da ‘Eficiência’. Na ação, o Promotor cita inclusive o artigo 11 da Lei Federal de Improbidade Administrativa (nº 8.429/92), que pode enquadrar Delgado por ato de omissão na sua obrigação de gestor.


Deadline 10  Queixas do Ministério Público com a lentidão das ações do município é antiga e vem de gestões anteriores. O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para modernização do transporte coletivo, com licitação do sistema e colocação de ônibus novos, é outro exemplo desse descuido com o Artigo 37 da Constituição.


Versão O deputado federal e ex-prefeito de Camaçari garante que está fora dos seus planos a reaproximação como seu ex-aliado e atual alcaide do município, o também petista Ademar Delgado, como mostrou a última edição do Camaçarico (Confira). Luiz Caetano classifica a informação sobre o encontro com o secretário de Relações Institucionais e principal assessor de Delgado, Demetrius Moura, como “oficiosa e não detentora de crédito”. Diz que está focado no seu trabalho no Congresso e na Agenda Camaçari, onde constrói um “novo modelo de governança” para o município. Confira a íntegra da Nota.


Versão 2  Já o secretário Demetrius Moura preferiu o silêncio. Não se pronunciou sobre a reunião realizada na noite de segunda-feira (17), entre ele e Caetano, na residência do parlamentar, na praia de Busca Vida, orla de Camaçari. 


TrocaTroca A Coluna errou o sobrenome do  secretário de saúde de Camaçari (Sesau). Postou na sua edição do dia 18, como sendo Washington Trindade, quando o certo é Washington Couto. Trindade é sobrenome de outro ex-titular da Sesau, Carlos Trindade. Gestor no governo passado, Trindade é o atual diretor geral da Fundação Estatal Saúde da Família (FESF-SUS), estrutura intermunicipal que presta serviços a Camaçari fornecendo mão de obra na área de saúde. 


João Leite - Editor


25/9/2015

 





Colagem

Colagem  Depois do tsunami provocado pelo rompimento do próprio deputado federal e ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), o ‘criador’, inicia movimento de reconstrução dos estragos. De olho na união do partido e de toda a base governista em torno de seu nome para a sucessão municipal de 2016, Caetano calibra o discurso e inicia movimento de reaproximação com a ‘criatura’, o alcaide Ademar Delgado.


Colagem 2 Reforçado pela crescente, mas ainda não irreversível falta de condições de Delgado enfrentar a parada de 2016, seja com o vereador Antonio Elinaldo (DEM), ou com o também 3 vezes prefeito, José Tude (PMDB), Caetano planeja a retomada do comando total.


Colagem 3 A engenharia agora é montar esse novo momento para que não vire semente fértil e de rápida germinação para adversários engrossarem o discurso de que o rompimento foi teatrinho. Bases dessa transição, indispensável para fortalecer a candidatura petista a prefeito ainda estão sendo gestadas. Pode ser com Caetano, com Ademar, ou até por uma 3ª via.


Colagem 4 Reaproximação, de forma que não caracterize recomposição política, tem tudo para ser celebrada antes do final da estação de floração do Camaçari, espécie que dá nome à cidade e é conhecida como ‘arvore que chora’. Reencontro entre criador e criatura, provavelmente longe dos limites de Camaçari, é a próxima etapa.


Colagem 5 A Coluna teve acesso a informações que sinalizam de forma irreversível esse caminho de entendimento. Um dos fortes indicativos desse roteiro começou a ser finalizado na noite de segunda-feira (17), durante encontro entre Caetano e o seu também ex-pupilo, hoje ademarista ferrenho, o professor Demetrius Moura.


Colagem 6 Secretário de relações institucionais do município e todo-poderoso do governo Delgado, Demetrius foi recebido na residência do deputado, localizada na praia de Busca Vida, orla nobre de Camaçari. Mesmo com agenda de mão dupla, onde o apoio de Caetano a reeleição de Ademar não está descartado, caso o ex tenha sua postulação atropelada pela Justiça, fluxo da pista continua favorecendo o criador.


Colagem 7 Os sinais de boa vontade de membros do staff ademarista são antigos. Com o sepultamento da tese de morte política de Caetano, reaproximação avançou e tem ficado cada vez mais intensa. Vão dos casuais encontros em eventos públicos a reuniões fechadas dentro e fora dos limites do município. Brasília, novo território do ex, tem se mostrado um dos mais confortáveis e férteis espaços para esse realinhamento.


Colagem 8 Um dos fortes sinais desse novo tempo é o abandono do tom raivoso e agressivo do começo deste ano, quando Caetano oficializou rompimento. Nessa nova fase o que se vê são desejos e até juras a um Delgado cada dia mais frágil e solitário no poder. “Que Deus o projeta, que faça um bom governo. Torço para que ele faça um bom governo por que quem ganha é o município, quem ganha é a população”, disse Caetano à jornalista Cíntia Kelly.


Colagem 9 Mesmo com a bandeira branca numa das mãos, Caetano não esqueceu que possui  uma outra mão. Comparou as dificuldades do Ademar de ontem com o Ademar de hoje. Reafirmando sua condição de líder maior do processo dentro do PT e até do governo que hoje diz não fazer mais parte, sinalizou o que quer e como quer.


Colagem  10 Ainda durante a entrevista realizada no começo desta semana à repórter do site Bocão News, lembrou que Delgado antes “tinha um comandante”. Também disse que a falta de “humildade” da sua criação, achando que poderia comandar, quando durante todos esses anos foi “dirigido”, o empurrou para o erro maior. “Passou a dirigir o grupo, e obviamente, na minha opinião, o cargo de prefeito subiu pra cabeça”, completou.   


Colagem 11 A história entre criador e criatura é antiga. Vem desde o 1º governo de Caetano (1985/1988). Parceria e amizade avançaram nos outros 2 governos (2005/2012), quando o atual alcaide ocupou os cargos de secretário de administração, de planejamento, além de exercer a importante função de coordenador financeiro de campanha a reeleição de Caetano, em 2008.


Tabuada  Jackson Josué e Wilton de Ferrinho trocam o Solidariedade (SDD) pelo PT. Ferrinho foi o 5º mais votado, com 2.359 apoios, enquanto Jackson somou 1.767 votos e ficou na 12ª colocação entre os 19 eleitos. Depois da subtração com a saída de Oziel Araújo, no começo do mês, bancada caiu para 6 representantes. Caso filiações aconteçam nos próximos dias, tabuada petista fecha agosto com 7 representantes.


João Leite - Editor


20/8/2015

 





Iceberg

Iceberg  A vontade declarada em campanha de apurar erros, corrigir e punir mal feitos na gestão continua longe da prática do alcaide Ademar Delgado. Depois de mais de 2 anos de denúncias sobre os desmandos na Cidade do Saber (CDS), Delgado coloca no freezer outra importante apuração.


Iceberg 2 A Coluna apurou que desde fevereiro deste ano, quando assumiu a Secretaria  de Saúde de Camaçari (Sesau), que o secretário Washington Trindade defende a averiguação de todos os números. Acostumado com gestão e auditagem de contas na área médica, o doutor Trindade espera a ordem para aplicar a receita.


Iceberg 3 Congelamentos só aumentam as desconfianças. Diferente da CDS, gerida pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, com irregularidades comprovadas, a Sesau é paciente sem prontuário. A não ser que o doutor Trindade já detectou sintomas.


Em campo O ex-prefeito de Camaçari, José Tude  oficializa filiação ao PMDB até o final de agosto. Ato político acontece em Camaçari e terá as presenças do ex-ministro Gedel Vieira Lima, do irmão e deputado federal Lucio Vieira Lima, e de quadros da oposição local. O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), um dos padrinhos da ida de Tude para o ninho oposicionista, ainda não confirmou presença. Avalia conveniência de colocar  ‘azeitona na empada de Tude’, há mais de 1 ano do pleito, e azedar  o salgadinho do companheiro de partido e também candidato, vereador Antonio Elinaldo.


Retomada Depois do Ministério Público Federal (MPF), agora é a vez do Ministério Público Estadual (MPE) avançar nas investigações das irregularidades na Cidade do Saber (CDS). Com data de 5 de agosto, o promotor do MPE, Geraldo Agrelli Lôbo, abriu Inquérito Civil para apurar os desmandos na gestão do programa gerido pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro e mantido quase que na sua integralidade com recursos do município e da União.


Retomada 2  O MPE também notifica a diretora geral da CDS e presidente da ONG gestora do programa de inclusão de jovens carentes do município. Com data de 7 de agosto, documento lembra à Ana Lucia Silveira o direito a se “manifestar no prazo de 15 dias úteis”, caso julgue necessário, “acerca dos fatos em investigação”.


Retomada 3 Apesar de ter sido aberto em 19 de janeiro deste ano, pela então promotora Juliana Varela Rodrigues de Barros, apuração das denúncias através da instauração de Processo Investigatório Preliminar (PIP) pouco avançou.


Retomada 4 No documento de abertura do PIP a promotora solicitou “manifestação por escrito” da diretora da CDS. Já a ex-presidente do Conselho de Administração do Instituto e ex primeira-dama do estado nem chegou a ser citada. Fátima Mendonça  não foi localizada para também apresentar “manifestação por escrito”.


Retomada 5  O MPE solicitou ainda documentos ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Cidade do Saber e prefeitura. Depois, em meados de maio, convocou para prestarem esclarecimentos na sede do MPE, a diretora Ana Lúcia Silveira, o então secretário de governo, Sérgio Paiva, e a chefe da Controladoria Geral do Município, Ednalva Santana de Souza.


Substituição Moyses Leal é no novo secretário geral do PT de Camaçari. O ex-candidato a deputado estadual nas eleições de 2014, quando somou 1.567 apoios, substitui Zé Raimundo Hamburguer, fora do partido desde o final de julho.


Substituição 2 Vaga, agora ocupada por Leal, da ‘Militante merece respeito’, integra o grupo de petistas de várias outras correntes que asseguraram na proporcionalidade das eleições para o Diretório, em 2013,  3 das 33 vagas dos cargos de comando da burocracia da legenda no município.


João Leite – Editor


18/8/2015

 





Siamesas

Siamesas  Mesmo separadas por cerca de 30 quilômetros de distância, as UPAs do Gravata/Gleba A e de Arembepe são irmãs unidas e filhas pelo descuido e pela falta de planejamento da prefeitura. Anunciadas, lá em 2011, como parto único, Unidade de Pronto Atendimento localizada na sede terminou nascendo sozinha e a fórceps. Inaugurada em dezembro do ano passado, 3 anos depois do prazo inicial, UPA do Gravatá/Gleba A perigas completar 1 ano de nascida e não ver a cara da irmãzinha de Arembepe.


Siamesas 2 Trapalhadas na gestão da saúde municipal só fazem ampliar o recorde negativo da UPA de Arembepe. Se estivesse em funcionamento, unidade com previsão de atender cerca de 150 pessoas/dia, já estaria próxima da marca dos cerca de 200 mil pacientes.


Siamesas 3 Em julho de 2014 a Coluna registrou a marca negativa com cerca de 270 mil atendimentos que deixaram de ser realizados com o atraso nas obras da unidade Gravatá/Gleba (Confira). Como unidade só entrou em funcionamento 5 meses depois, número subiu para mais de 300 mil.


Fotografia O vereador Antonio Elinaldo (DEM) aparece na liderança em mais uma pesquisa para prefeito de Camaçari. É o que mostra levantamento ‘para consumo interno’ realizado final do mês passado, por encomenda do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo (sem partido).


Fotografia 2  Dados que a Coluna teve acesso colocam o 3 vezes prefeito Luiz Caetano (PT) na faixa do empate técnico, com 2 pontinhos atrás do democrata. O também tri-alcaide, José Tude, ex-PTN e agora no PMDB, aparece com 1/3 das intenções de voto de Elinaldo. Como nas demais pesquisas, o atual alcaide, Ademar Delgado (PT), mantém o posto de lanterna com 8%, quase 1/4 das intenções de votos do líder.


Retaliação  E o tribunal de inquisição instalado na Cidade do Saber continua firme, forte e avançando. Depois de demitir 3, entra na etapa das punições. A mais nova vítima é o servidor Téo Ribeiro Junior. Com a suspensão por 10 dias, Teozinho, como é chamado pelos colegas, fecha agosto com corte de 1/3 no salário.


Retaliação 2 Punição ao servidor, reconhecido pela sua capacidade de contribuição efetiva ao projeto de inclusão, vai além da sua atuação como dirigente sindical. Atitude está sendo interpretada como recado ao vereador petista e desafeto do prefeito Ademar Delgado. Rompido com a gestão do atual alcaide desde o começo do ano, Téo Ribeiro preferiu seguir o ex-prefeito Caetano.


Retaliação 3  Outro que entrou na lista  dos perigosos foi Utilan Coroa. Desde a manhã desta quarta-feira (12) que o irmão do deputado estadual Bira Coroa (PT) só entra nas dependências da instituição acompanhado de 3 seguranças. Diretor administrativo afastado por determinação da diretora-geral, Ana Lúcia Silveira, Utilan foi colocado contra a vontade na comissão que vai realizar uma nova auditoria nas contas do programa. Auditagem  realizada no começo de 2014, pela Controladoria Geral do Município (CGM), e divulgada com exclusividade na nota 'Silêncio 11', na edição do último dia 4, teve suas recomendações  ignoradas (Confira).


Retaliação 4  Segundo funcionários, também integram o esquema inquisidor o fiel escudeiro da diretora-geral, Arnoldo Valente, diretor do desenvolvimento do saber; a controller da instituição, Maria Luci Dantas Novaes Torreão de Sá. O quarteto se completa com  Júlio César Pinheiro, atual diretor de relações institucionais. Gestor do núcleo de esportes, Pinheiro também acumula as funções de diretor financeiro e diretor administrativo.


Semente  O presidente da Assembleia, deputado Marcelo Nilo, esteve na manhã de quarta-feira (12) em Camaçari. Convidado por alunos do Colégio Polivalente, Nilo falou sobre a atuação dos deputados e a importância do Legislativo na vida da população.


Herança  Edilson Campos Magalhães Alves, filho do vereador Dilson Magalhães (PSC), falecido em dezembro do ano passado, é o novo presidente da comissão provisória do PEN (Partido Ecológico Nacional) em Camaçari. Delegado de carreira da Polícia Civil e ex-diretor do Ciretran de Camaçari, o herdeiro político de Dilson Magalhães deve disputar de uma cadeira na Câmara de Camaçari.


Radex  O vereador Wilton de Ferrinho não é mais  do PRTB, como postou a Coluna de 10 de agosto. Alojado no SDD e de namoro com o PT, Ferrinho é a principal liderança de Monte Gordo, orla de Camaçari. Foi o 5º mais votado nas eleições de 2012, com 2.359 votos.


João Leite - Editor


13/8/2015

 





Conta

Conta  A perda numérica do PT com a saída de Oziel Oliveira pode ser uma questão de dias. Wilton de Ferrinho perigas trocar o PRTB pela estrela vermelha. Coluna apurou que articulação de José Marcelino, presidente do Legislativo, está bem avançada. Confirmada a aquisição, PT volta a ter 6 vereadores, 2 a mais que o DEm com 2ª maior bancada do Legislativo.


Sustança O que não avançou foi a tentativa do alcaide Ademar desembarcar no PSB da senadora Lídice da Mata, levando petistas com mandato a tiracolo. Durante conversa com vereadores do PT, ouviu recado curto e grosso: ‘se for, vai sozinho’.


Farinha pouca... O ex-prefeito e agora deputado federal Luiz Caetano continua com agenda cheia durante os dias dedicados a Camaçari. O que tem chamado a atenção não são as lideranças comunitárias e gente do povo que aparece para hipotecar apoio ou levar um abraço. Vereadores da base governista, secretários do governo municipal, e até gente que até outro dia integrava o 1º escalão tem aparecido para desburocratizar as articulações regada a cafezinho.


Descontrole A imagem do alcaide Ademar Delgado (PT), de gestor comprometido com a lisura da coisa pública está cada dia mais arranhada e começa a apresentar feridas graves que comprometem o seu mandato e sua biografia. O estrago tem nome, endereço e personagens, como vem mostrando a Coluna na série de denúncias sobre irregularidades na gestão do programa Cidade do Saber, gerido pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro (Confira).


Descontrole 2 Sem apurar os graves e comprovados desmandos, Delgado agora lava as mãos e permite que direção da ONG avance do assédio moral, das pressões e até ameaças, para a instalação de um verdadeiro tribunal de inquisição.


Descontrole 3 O mais recente ato deflagrado pelo grupo inquisidor, formado por petistas e  integrantes do PCdoB, aconteceu na última sexta-feira (8), quando o computador do servidor Diego Kopke foi retirado de seu local de trabalho, após o expediente e sem qualquer justificativa. No documento enviado à direção da Cidade do Saber, com cópias para colegas, servidor assegura que não recebeu qualquer “aviso prévio ou solicitação” para o confisco do equipamento.


Descontrole 4 Servidor também informa que chamou testemunhas para comprovar irregularidade, fez registros fotográficos do ocorrido e comunicação no “livro de ocorrências” da Team, empresa prestadora de serviço de segurança na Cidade do Saber. Ainda na carta, que a Coluna teve acesso, o servidor relata a estranheza pelo sumiço apenas do seu computador de trabalho, já que as  máquinas dos colegas de sala permaneceram no local.


Descontrole 5 A Coluna apurou que as retaliações  evoluíram nesta segunda-feira (10), com a demissão de 1 motorista, 1 técnico de informática e do próprio Kopke, que além de ser dirigente sindical, conta como os demais, da proteção do Acordo Coletivo. Lei impede qualquer ato que se caracterize retaliação durante o processo de discussão do acordo. Alheios aos princípios da liberdade sindical e dos direitos dos trabalhadores, a direção da ONG mostra que lá, a banda toca de outro jeito e o ‘apito’ do alcaide continua mudo.


Descontrole 6 O prefeito precisa explicar o porquê de tanta omissão e receio na apuração das irregularidades na gestão da Cidade do Saber. Esquece que desde janeiro de 2013 é corresponsável pelo programa iniciado pelo seu antecessor e companheiro de partido, o deputado federal Luiz Caetano.


Descontrole 7 Mesmo alertado pelas denúncias da Coluna, Delgado nada fez e renovou o Contrato de Gestão com pouco menos de 3 meses de empossado. Sem desculpas para persistir no erro (Confira), promoveu nova renovação sem a adoção de medidas que resguardassem o interesse público, em março deste ano. Parceria com repasses superiores da R$ 26 milhões até começo de 2017, ganhou reforço de R$ 2 milhões no último mês de julho.


João Leite - Editor


10/8/2015

 





Desidratação

Desidratação O vereador Oziel Araújo só define  em setembro, portanto entre o final do Inverno e o começo da Primavera, seu destino partidário. Garante que é prematuro dizer que está indo para o PSC. Reconhece a influência do partido, com significativa base evangélica. Não nega que conversou com dirigentes, mas assegura que ainda é cedo. Vai esperar as mudanças na Lei, com a abertura de  possíveis janelas para filiação sem atritos com o hoje seu ex-partido. 


Desidratação 2 Paciente, espera a definição do quadro  de candidatos a prefeito de Camaçari, segundo ele, ‘ainda  nebuloso’. Filiado ao PT desde 2011, Oziel foi o mais votado do partido no pleito de 2012. Com 2.090 votos o novato na 1ª disputa superou gente grande, com a máquina e acostumado  com as regras.


Desidratação 3 Oziel não foi o 1º a deixar o PT, nem será o último. Na lista dos históricos que já deixaram a legenda estão Carlos Silveira, Zé Raimundo Hamburguer e Elias do Som. Também  estão com as malas prontas para o desembarque os importantes quadros: Augusto de Paula, Bispo da Cultura e Raimundo Diacomo.


Tomografia As contas, contratos e as movimentações financeiras da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora do programa Cidade do Saber, começam a ser investigadas pelo Ministério Público Federal (MPF). Com data de 4 de agosto deste ano e assinada pelo Procurador da República, Ovidio Augusto Amoedo Machado, o MPF abriu Inquérito Civil nº 1.14.000.002027/2015-81 para apurar denúncias de “irregularidades em contratações” da ONG pela Prefeitura de Camaçari.


Tomografia 2 Ofícios com prazo de resposta de 15 dias foram despachados para o prefeito Ademar Delgado, Prefeitura de Camaçari, Governo do Estado, Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Ministério da Justiça, Cartório de Registro Civil de Camaçari e Controladoria Geral da União (CGU-Bahia).


Tomografia 3 Do alcaide e da prefeitura o MPF cobra “cópias dos procedimentos que embasaram e justificaram a contratação do Instituto Professor Raimundo Pinheiro”. Também pede o envio de “todos os processos de pagamentos relacionados com as despesas” desse contrato realizadas com base nesses ajustes, desde a criação do programa Cidade do Saber, em 2007.


Tomografia 4 Lista de Despachos de Diligências inclui ainda o envio dos registros funcionais da ex-assessora da prefeitura e atual presidente da ONG, Ana Lúcia Silveira e de outras 13 pessoas entre servidores de carreira e cargos de confiança, todos sócios fundadores da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro.


Tomografia 5 Da Controladoria Geral da União, núcleo da Bahia, o Ministério Público Federal pede o envio da “listagem de convênios, ajustes e contratos firmados” entre o Poder Público e a ONG gestora da Cidade do Saber. Dentre esses convênios, a Coluna destaca repasses superiores a R$ 300 mil para a Orquestra Sinfônica de Camaçari e para o projeto Cidade em Cena.


Tomografia 6 Do TCM, o MPF solicita cópia do Relatório de Auditoria realizado no ano passado na Cidade do Saber. Principais constatações foram divulgadas pela Coluna (Confira). Já o histórico de qualificação e desqualificação do instituto como Organização Social (OS) e/ou OSCIP (Organização Social de Interesse Público) foi pedido ao Ministério da Justiça.


Tomografia 7 Relação dos pedidos inclui ainda o Cartório de Camaçari. Estrutura terá o mesmo prazo de 15 dias para fornecer “cópia integral de todos os atos registrados nessa repartição acerca do Instituto Professor Raimundo Pinheiro”, inclusive “ atos constitutivos e demais registros”.


Tomografia 8 Com a abertura de inquérito pelo MPF, a ONG gestora do programa de inclusão de jovens carentes de Camaçari passa a ser investigada em duas instâncias. Já corre no Ministério Público Estadual Processo de Investigação Preliminar (PIP) sobre os  gastos da entidade, quase que totalmente bancada pelos recursos do município.


Tomografia 9 Desmandos são antigos e vão desde gastos sem controle através de cooperativas (Confira)pagamento por serviços nunca realizados (Confira), beneficiamento de parentes (Confira), descontrole financeiro (Confira) e até desrespeito a legislação trabalhista (Confira).


Discrição  Como vem denunciando a Coluna, irregularidades e quase nenhuma transparência na gestão do programa Cidade do Saber parecem não ter fim. Mesmo sediada em Camaçari, ONG prefere registrar procuração em Tabelionato de Notas e Protestos de Lauro de Freitas. Documento de 23 de janeiro deste ano, assinado pela diretora geral do Instituto, Ana Lucia Silveira, que a Coluna teve acesso, “confere amplos poderes” aos funcionários Shelly Karine Lima de Oliveira, com função de assessora, e Julio Cesar Oliveira Pinheiro, coordenador de esportes e diretor financeiro interino da instituição, para representarem a entidade junto ao Banco do Brasil.


Discrição 2 Procuração assegura o direito a “movimentar” as 14 contas existentes na agência BB nº 1238-6, localizada a pouco mais de 300 metros do instituto. Procuração por tempo indeterminada também autoriza os funcionários, com residência em Camaçari, a “endossar e assinar cheques, alterar, criar e modificar senhas”. Até “fazer aplicações financeiras”, dentre outros poderes.


Discrição 3 Mesmo sem restrição legal, documento registrado em outro município amplia as dúvidas sobre a disposição da ONG em seguir o princípio da transparência quando trata com o dinheiro público. Reforça esse suspeita a informação obtida pela Coluna de que recentemente o Instituto tentou registrar Ata no Cartório do mesmo município vizinho. Diferente da Procuração de janeiro, Atas só podem ser registradas no município onde está sediado.


João Leite - Editor


7/8/2015

 





Novo

Novo  O ex-prefeito e agora deputado federal, Luiz Caetano (PT), promete enxugar a máquina municipal, caso seja o candidato e vença a disputa de 2016 na sucessão do atual alcaide, companheiro de partido e oficialmente inimigo político, Ademar Delgado.


Novo 2  Responsável pelo inchaço de quase 50% no 1º escalão, quando ampliou nos seus 2º e 3º governos (2005/2012) a máquina municipal de Camaçari, Caetano quer fazer diferente num 4º mandato. Quando assumiu em 2005 encontrou 15 secretarias deixadas pelo sucessor Helder Almeida (DEM). Aproveitou o modelo de reforma e modernização implantado pelo então presidente Lula e aplicou em Camaçari a engorda do secretariado para 27 cargos, número até hoje mantidos por Delgado.


Novo 3  Durante encontro com profissionais de imprensa, sexta-feira (31), no Restaurante Feijão do Lindu, o ex não falou em cortes de cargos de confiança nos 2º e 3º escalões. Disse apenas que tem como uma de suas metas a redução de algo em torno de 30%, qualquer coisa entre 8 e 9 secretarias.


Novo 4  Depois da entrada, do delicioso almoço e das muitas rodadas de sobremesa, o ex-alcaide avançou na conversa e garantiu que seu maior receio é enfrentar o também 3 vezes prefeito, José Tude, ainda no PTN, mas com malas prontas para novo abrigo partidário. Hábil, ‘jurou de pés juntos’ que o vereador Antonio Elinaldo (DEM), hoje o melhor pontuado segundo a última pesquisa do Ibope, é o candidato mais fácil de derrotar.


Silêncio Mesmo depois das denúncias de existência de um sistema de pagamentos de despesas na Cidade do Saber (CDS), através do uso de cooperativas como ‘caixa 2’, o alcaide Ademar Delgado avança no erro. Insiste em se esquivar dos esclarecimentos à população sobre as denúncias postadas pela Coluna.


Silêncio 2 Mal-aconselhado por assessores do seu 1º escalão, que deveriam ajudar o chefe a apurar tudo e apresentar os culpados, em nome da transparência com o dinheiro do contribuinte, tentam montar operação abafa. Situação descamba para o submundo, quando iniciam um processo de ‘caça às bruxas’ para tentar descobrir quem são as fontes de informações do Camaçari Agora.


Silêncio 3 Neste jogo de esconde-esconde, a Câmara de Vereadores de Camaçari vem exibindo importante contribuição negativa. Mesmo com todas as irregularidades, município não só renovou em março o contrato de pouco mais de R$ 13 milhões anuais, como engordou mês passado a conta da Cidade do Saber em cerca de R$ 2 milhões sob a rubrica de aditamento de contrato para ampliação de atividades. Fiscal do Contrato de Gestão entre município e ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, conforme a Cláusula Oitava (Da Prestação de Contas), como mostra imagem abaixo, Legislativo segue silencioso. 

 







Silêncio 4 Omissão não se resume aos 12 governistas. Neste cenário de coadjuvância, quase que sem fala, os 7 edis da chamada oposição completam o quadro. Soma coloca todos os 19 representantes da população na lista dos que não sabem e nem querem saber nada sobre os desmandos no principal projeto social bancado pelo dinheiro público.


Silêncio 5 Denúncias, apesar de documentadas, parecem não sensibilizar outros segmentos constitucionalmente e por princípio compromissados com a população, com a coisa pública e com a cidadania. Lista inclui a OAB de Camaçari, partidos políticos e as igrejas Evangélicas e do papa Francisco. Mesmo longe do silêncio obsequioso, nem o bispo da Diocese de Camaçari e membro da CNBB, Dom João Petrini, demonstra apetite pelo tema.


Silêncio 6 Graças ao desaparelhamento e a sobrecarga de ações, até o Ministério Público Estadual termina dando indiretamente sua parcela de contribuição. Lentidão no Processo de Investigação Preliminar (PIP), aberto no começo do ano, atrasa punição dos culpados pelas irregularidades praticadas pela ONG gestora do programa de inclusão de jovens carentes.


Silêncio 7 A única exceção, ainda que tardia, mas positiva, é o deputado estadual Bira Coroa (PT). Movido ou não por interesses familiares, já que seu irmão Utilan Coroa é diretor da CDS, o parlamentar da base governista vem cobrando atitude do alcaide. Orientado por assessores, em quem deveria botar lupa, Delgado insiste numa solução que passe longe de qualquer apuração mais profunda.


Silêncio 8  Como mostra relatório que o Camaçari Agora publica na integra, auditoria questiona ainda o aluguel de 3 salas por R$ 2.600,00, no Centro Médico Empresarial Vargas Leal, centro de Camaçari. Mesmo dispondo de generosos espaços na sede do programa, localizado na Rua do Telégrafo, CDS manteve salas (25 metros quadrados) fechadas entre final de 2012 e março deste ano. Contrato gerou um prejuízo para os cofres do município superior a R$ 65 mil, quando incluídas despesas com tarifa de luz e IPTU.


Silêncio 9 Relatório também estranha apólice de seguro locatício no valor de R$ 10.400,00, lastreada em título de capitalização e dada ”como caução em garantia do aluguel” das salas.


Silêncio 10 Já no item Ressarcimentos, documento da CGM opina pelo encaminhamento à Procuradoria Geral Municipal (PGM) para que se pronuncie “sobre o contrato, edital e demais documentos, apontando, caso seja necessário, quais as despesas a serem ressarcidas e o período de tempo a ser contemplado”.


Silêncio 11 Para que não restem dúvidas sobre a veracidade das informações postadas na última edição do Camaçarico (Confira), a Coluna posta a íntegra do Relatório de Auditoria realizado no começo de 2014. Estudo técnico da Coordenação Central de Auditoria da Controladoria Geral do Município (CGM) avaliou contas referentes aos meses de setembro a dezembro de 2013, último quadrimestre do 1º ano da gestão do atual prefeito (Confira).


João Leite – editor


4/8/15

 





Caminhos

Caminhos  Construída em 2007 como o ‘chapeuzinho vermelho’ da inclusão de jovens carentes de Camaçari, a Cidade do Saber (CDS) tem se mostrado um ‘lobo mau’ para cofres do município, responsável pela quase totalidade da sua manutenção. Sem fiscalização, ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora do programa, segue aplicando ‘mordidas’ que comprometem a proposta do programa e até passeios futuros do ex-alcaide e criador da CDS, Luiz Caetano, e seu sucessor Ademar Delgado.


Caminhos  2 Mesmo com todas as denúncias de irregularidades feita pelo Camaçari Agora, o prefeito Ademar Delgado sempre alegou desconhecimento. O quadro que parecia ser novidade para o gestor, na verdade é história antiga e de conhecimento de boa parte de sua equipe. Lista inclui os distraídos assessores do chamado ‘núcleo duro’ do poder, corresponsáveis pelo avanço livre e voraz da ONG, como se fosse dona do bosque.


Caminhos  3  Se desconhecia os desmandos praticados pela gestora do programa, o alcaide exibe mais uma prova de que sua administração não passa de uma floresta cheia de armadilhas e perigos. Agora não pode mais dizer que não sabia ou era exagero do Camaçari Agora. Irregularidades foram detalhadas pelo aliado e companheiro de partido, o deputado Bira Coroa (PT), durante conversa em sua residência, no último dia 20, como mostrou com exclusividade a Coluna do dia 23 (Confira).


Caminhos  4  Para reforçar o conjunto de provas exibidas pelo Camaçari Agora nos últimos 2 anos (Confira), auditoria da Controladoria Geral do Município (CGM), que a Coluna teve acesso, põe fim a esse jogo de esconde-esconde. Realizado no começo de 2014, estudo de notas de despesas e contratos nas contas da Cidade do Saber, entre setembro e dezembro de 2013, só reforça as denúncias agora apadrinhadas pelo deputado.


Caminhos  5 A auditoria mostra muito mais que falta de transparência e até desvios nas contas da Cidade do Saber. Também identifica ‘incoerência’ nas metas de atendimento a população através dos programas de Educação, Cultura e Esportes.


Caminhos  6 Realizada por 6 técnicos da Coordenação Central de Auditoria da CGM a partir de fevereiro e finalizado em 14 de março de 2014, auditoria comprova a falta de transparência nas contas das cooperativas contratadas pela ONG. Coleta de dados sobre os contratos com a Cicoop (Cooperativa de Consultores Independentes LTDA), contratada em 2 de agosto de 2012; e Unitrab (União dos Trabalhadores Autônomos LTDA), contratada em abril de 2013, mostra que as cooperativas nunca cumpriram sua função.


Caminhos  7 Mesmo pagas para ministrar cursos, consultoria e treinamento, cooperativas exibiram um perfil diferente. Funcionavam e continuam a operar, segundo levantamentos da Coluna, como meras locadoras de mão de obra, com a terceirização de técnicos nas áreas de manutenção e de enfermagem, mãe social e até professor de balé.


Caminhos  8  Apesar dos gastos, que só entre setembro e dezembro de 2013, período da auditoria, consumiram mais de R$ 630 mil, levantamento não identificou documentos que comprovassem a prestação do serviço especializado. Técnicos da CGM não encontraram relatório de atividades, programas de cursos ou presença de lista de participantes dos treinamentos que as cooperativas Cicoop e Unitrab deveriam realizar como determina o contrato.


Caminhos  9  Verdadeira caixa-preta, lista detalhada de beneficiados pelas cooperativas foi solicitada através de ofício dia 19 de março pelo editor do Camaçari Agora. Pedido, que pela Lei Federal de Acesso à Informação deveria ser cumprido no prazo máximo de 20 dias, completa 114 dias numa gaveta qualquer da gestão Delgado (Confira).


Caminhos  10  Lista da CGM também inclui a aquisição de móveis para escritório. Mesmo previsto no ‘Contrato de Gestão’ como responsabilidade do município, despesas eram cobertas com recursos que deveriam ir para outras ações do programa. Batizado de ‘fundo fixo’, pagamentos eram controlados pelos servidores Andreza Castro Mesquita, Marcos Firmino Andrade, Maíra Chaves Barbosa da Silva e Shelly Karine de Oliveira. A Coluna apurou que parte desses servidores ainda gerencia essa caixinha.


Caminhos  11  Chama a atenção na lista de gastos considerados sem comprovação detalhada, que recheiam as 96 páginas do estudo, despesas com transporte e restaurante. Pela sua singularidade aColuna destaca o gasto com taxi entre o Bahia Plaza, hotel de luxo localizado na orla de Camaçari, e o bairro do Itaigara, em Salvador. Mesmo com a CDS possuindo veículo próprio município bancou a despesa de R$ 90,00.


Caminhos  12 Os cofres públicos também marcharam com a conta de R$ 258,06 no restaurante Soho, considerado um dos mais elegantes e caros da Bahia. Diferente do taxi, sem beneficiário identificado, despesa de alimentação somada a outro restaurante identificado apenas pela Razão Social, perfaz um total de R$ 334,06. Nesse caso a favorecida foi a controller da CDS, Maria Luci Dantas Novaes Torreão de Sá. 


Caminhos  13  Levantamento da CGM inclui ainda a locação de purificador de água, considerada desnecessária pelos técnicos; gastos com pagamento de pedágio sem trajeto, benefício e veículo utilizado, inclusive no feriado de 7 de Setembro. Técnicos também não identificaram justificativa para pagamento de quilômetros excedentes por serviços de locação de veículo.


Caminhos  14  Auditoria também constata, lá em 2013 e que até hoje prossegue sem correção, a contratação de empresa para serviços de controladoria. Mesmo contemplada na estrutura interna da Cidade do Saber, serviço continua terceirizado, ferindo determinação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).


Caminhos  15 Auditor por formação, o servidor aposentado e prefeito eleito para mandato até dezembro de 2016 não pode esquecer a Constituição Federal que no seu Artigo 37 define como parâmetros do serviço público: a Legalidade, a Impessoalidade, a Moralidade, a Publicidade e a Eficiência. O prefeito Ademar Delgado precisa agora enquadrar seus auxiliares e enfrentar o ‘lobo mau’. Senão se perde no bosque.


Desconectada  A parada do ‘servidor’, como é chamado o computador central que controla as funções do sistema de informática de toda a Cidade do Saber (CDS), no sábado (25), é mais uma irrefutável prova do descontrole na gestão do programa. Recuperado de forma provisória e recolocado em funcionamento na tarde de terça-feira (28), ‘servidor’ com vida útil vencida é solicitação antiga.


Desconectada 2  Ignorando todos os comunicados, direção da Cidade do Saber preferiu realizar outro investimento ao colocar a troca do equipamento no fim da fila das prioridades. Contratou e já pagou 80% (R$ 120 mil) de um acordo total de R$ 150 mil por um programa de “gestão financeira e gestão de projetos” que nunca foi implantado.


Desconectada 3  Mera ferramenta, que mesmo se estivesse em uso, o que não ocorreu até hoje, como denunciou a Coluna em abril e reafirmou o desperdício do dinheiro público no último Camaçarico (Confira), também ficaria sem serventia. Sem o computador central nada funciona.


Joao Leite - Editor


30/07/2015 

 





Verbo

Verbo  Ficaram no passado as dúvidas e desconhecimentos que o alcaide de Camaçari dizia ter sobre as irregularidades na gestão do programa Cidade do Saber (CDS). Na manhã da última segunda-feira (20), o petista Ademar Delgado recebeu a confirmação sobre o festival de desmandos denunciados pelo Camaçari Agora, mas nunca apurados nesses 2 anos e meio de gestão.


Verbo 2   Ouviu do deputado estadual, companheiro de partido e aliado, Bira Coroa, um relato detalhado e documentado sobre o festival de improbidades praticadas pelo Instituto Professor Raimundo Pinheiro. ONG batizada com o nome do respeitado educador, que nada tem a ver com a entidade, é a gestora do principal programa municipal de inclusão de jovens pela arte, cultura e esportes mantido quase que na sua totalidade com recursos públicos da prefeitura.


Verbo 3  Segundo apurou a Coluna, o parlamentar  cobrou providências e demonstrou preocupação com possíveis desdobramentos políticos e legais junto ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), caso os erros não sejam corrigidos.


Verbo 4  Bira Coroa, ainda essas mesmas fontes governistas que tiveram acesso ao teor da conversa de quase 1 hora, na residência do prefeito, em Arembepe, também pediu o afastamento dos responsáveis pelos crimes contra o erário público.


Verbo 5  Um dos seus principais aliados e hoje o único com base eleitoral no município a defender a gestão Delgado na Assembleia Legislativa, Coroa citou a prática de assédio moral contra servidores, pela controller da instituição, Maria Luci Dantas Novaes Torreão de Sá. Documento do sindicato dos trabalhadores (Senalba-Ba) solicitando providências contra a atitude que fere a legislação foi publicado com exclusividade pela Coluna (Confira). Pouco mais de 1 ano depois nenhuma ação da prefeitura foi tomada.


Verbo 6   Bira Coroa também citou a mais recente denúncia do Camaçari Agora, sobre a contratação da empresa Integro Tecnologias Sociais Ltda ME. Mesmo com contrato que determinava a implantação imediata de “serviços técnicos e especializados de consultoria e assessoria para implantação de um sistema de gestão financeira e gestão de projetos” na Cidade do Saber, documento assinado em junho de 2014 nunca foi cumprido, como mostrou a Coluna de 16 de abril (Confira).


Verbo 7  Acostumados com a impunidade e a total ausência de fiscalização pela prefeitura e Câmara de Vereadores, como determina o Contrato de Gestão, direção da ONG gestora prosseguiu com os pagamentos. Em junho e agora em julho ‘quitou’ a 2ª das 4 parcelas de R$ 15 mil, que somadas aos R$ 90 mil pagos até março, perfazem R$ 120 mil ou 80% do total do contrato de R$ 150 mil.


Verbo 8  A blindagem nas contas da CDS é antiga. Chefe da fiscalização dos gastos municipais na gestão do ex-prefeito Luiz Caetano (PT), Sumaia Silva Campos é citada em relatório do TCM como responsável principal pelas falhas na inspeção das contas da Cidade do Saber. Ainda de acordo com o Tribunal de Contas, a omissão da ex-controladora a transforma em “agente solidariamente responsável pelas eventuais irregularidades” (Confira).


Verbo 9  Desacostumada com a transparência, prefeitura sequer respondeu ofício feito pelo editor da Coluna sobre gastos com cooperativas. Usadas pela Cidade do Saber para pagar despesas extras, só nos últimos 4 anos (2011/2014) consumiram mais de R$ 7 milhões e 500 mil. Pedido protocolado em 19 de março deste ano, com base na Lei Federal de Acesso à Informação, que dá prazo máximo de 20 dias para resposta, continua engavetado (Confira).


Verbo 10   Agora é aguardar que o alcaide e auditor por formação determine à sua Controladoria Geral, comandada por Ednalva Santana de Souza, o cumprimento, ainda que com considerável atraso, do seu papel constitucional de fiscalização na aplicação correta do dinheiro público. Oficialmente informado, resta a Delgado mandar apurar e punir os culpados. Ou incluir na sua biografia a marca da omissão.


Sem freio  Os empresários de ônibus de Camaçari continuam desrespeitando os passageiros e impondo tarifa cheia em todas as linhas entre a sede e a orla do município. Tanto faz pegar em Barra do Pojuca e descer 1 quilômetro adiante, como seguir até o centro  do município que a tarifa é R$ 4,00. O desrespeito, com a omissão da Superintendência de Transporte e Trânsito (STT), agora sob nova direção, se repete para passageiros das linhas Monte Gordo, Jacuípe e Jauá.


Check-in José Raimundo, o Cara de Hamburguer, militante com 29 anos de carteirinha e estrela vermelha no peito, conta os dias para virar ex-petista. Pede desfiliação antes de agosto.


João Leite - Editor


23/07/2015 


 

 





Oxigênio

Oxigênio  Estão cada dia mais intensos os sinais enviados ao alcaide Ademar Delgado (PT) sobre sua inviabilidade numa disputa a reeleição, em outubro de 2016. Nunca visto por parte da oposição como o nome para enfrentar o vereador Elinaldo (DEM), Delgado agora vê as resistências se ampliarem na sua própria base. Na Câmara de Vereadores, nas executivas municipal e estadual do partido, e até entre parte do seu secretariado, a solução para o PT brigar com chances de emplacar o 4º mandato consecutivo na gestão de Camaçari passa longe do seu nome.


Oxigênio 2  Recente pesquisa Ibope divulgada semana passada (Confirafoi mais uma ducha fria. Situação considerada irreversível já alimenta a construção do plano ‘C’, em parte gestado na sua própria antessala. Ideia é construir uma saída honrosa com uso da máquina, mas com o próprio Delgado isolado para não contaminar a campanha petista com sua impopularidade e desarticulação política.


Oxigênio 3  Os sinais chegam de todos os lados, mas o alcaide finge que não ouve e segue tocando o governo. Aposta nas obras que realiza e na inviabilização da candidatura do ex-aliado Caetano. Ampla coleção de processos na Justiça e risco de ter as contas do seu último ano de gestão (2012) reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), com consequente pedido de inclusão na lista dos ‘Ficha Suja’, são as últimas balas do alcaide.


Fora do ar Depois de 2 anos comandando parte das manhãs de sábado na Rádio Arembepe, o experimentado profissional de comunicação Moura Positivo deixa os microfones da FM 87.9. Os 120 minutos de debates sobre cidade e cidadania estavam destoando do padrão da emissora com boa audiência na orla do município.


No ar Do outro lado de Camaçari, quem estreou nesta segunda-feira (20) foi o quarteto formado pelos jornalistas Mila Loureiro, Soraia Alencar e Otaviano Maia, atualmente cumprindo mandato de vereador do município pelo PT. Completa o grupo de comunicadores do ‘Hora da Resenha’, de segunda à sexta, das 17h às 18h, na Líder FM (96.5), o atual secretário municipal de esportes, Anderson Santos.


Troca-troca O prefeito Ademar deve promover ajustes na direção da Limpec (Empresa de Limpeza Pública de Camaçari). Mesmo sem varrer um beco e apenas funcionando como cabide de emprego, cargo de diretor presidente deve ir para Luiz Macedo, novo presidente  municipal do PSB da senadora Lídice da Mata. Valentina Saraiva, que desde o começo foi colocada no cargo como medida provisória, deve ser reacomodada na diretoria financeira.


Freio de mão Acostumada com trânsito pesado, a vereadora Professora Patrícia prepara projeto que proíbe outra catraca. Depois da vitória contra a mudança do pedágio na estrada do Coco a petista quer impedir a cobrança de estacionamento em shopping de Camaçari. Pela proposta, apenas 10% das chamadas vagas vips que dão direito a manobrista serão cobradas. Para evitar distorções, projeto determina número mínimo de 100 vagas para que estabelecimento possa cobrar pela mordomia.


Mudança Bruno Lima é o novo presidente do PSL (Partido Social Liberal). Substitui o irmão, Fábio, rompido com o prefeito e hoje um dos fiéis escudeiros do deputado federal Luiz Caetano. Assessor do prefeito, empresário da área de entretenimento e liderança na região de Arembepe, Bruno Lima corre agora para engordar a legenda. Tenta atrair o vereador Jackson Josué, atualmente no SDD (Solidariedade). Racha entre os verdes, vereador Doutor Elias Natan e Claudécio Taroba, atual subsecretário de governo, esfriou  volta ao PV e pode ajudar Jackson a trocar o 77 pelo 17.


Pra valer Na pegada da renovação, quem promete enfrentar as urnas ‘a vera’ nesta eleição para vereador é o empresário Chico Tour. Filiado ao PTN, Chico continua com Maurício Bacelar e acredita que a candidatura do companheiro de partido, o ex-prefeito José Tude é irreversível. Garante que tem grandes chances e vai ficar muito longe dos 301 votos da última disputa (2012), prejudicada pela sua dedicação à chapa majoritária encabeçada pelo então Maurício de Tude, derrotado para Ademar por pouco mais de 7 mil votos.   


Big brother A segurança das empresas do Polo de Camaçari ganhou reforço com a instalação de 31 câmeras de monitoramento. Com capacidade de captação de imagens noturnas, sistema instalado nas principais vias do complexo industrial está sendo operado por policias do 12º Batalhão da PM de Camaçari. Conta de R$ 3 milhões e 500 mil sairá do caixa das empresas que amortizarão o investimento nos próximos 4 anos.


20/7/2015

 





Funil

Funil  A Controladoria Geral do Município de Camaçari (CGM)  está mais para uma rede de pesca cheia de furos que um sistema de fiscalização e controle de gastos do dinheiro público do município. É o que mostra o Relatório de Auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), sobre a atuação da Controladoria na inspeção dos gastos da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro (IPRP), gestora do programa Cidade do Saber (CDS).


Funil 2 De acordo com documento que a Coluna teve acesso, a Controladoria, na época comandada por Sumaia Silva Campos, deixou de cumprir princípios básicos da sua missão constitucional. Recebeu “prestação de contas fora dos requisitos legais” e não exigiu sua retificação “para fins de análise”. Para o TCM, a Controladoria passa a figurar como “agente solidariamente responsável pelas eventuais irregularidades”.


Funil 3 Realizada em meados do ano passado, auditoria com foco em 2012, gestão do ex-prefeito Luiz Caetano (PT), mas verificando números  de períodos anteriores e até em 2013, 1º ano da gestão do sucessor Ademar Delgado (PT), constata falhas primárias que vão desde a falta de Certidão Negativa de Débito com o INSS, pelo Instituto Raimundo Pinheiro, até pagamentos irregulares a funcionários e realização de contratações de serviços desnecessários e com preços acima do mercado.


Funil 4 A auditoria também mostra que a  gestão da Cidade do Saber vinha apresentando “sucessivos déficits operacionais” (2011 e 2012), com gastos acima das receitas. No entendimento dos técnicos do TCM, essa ineficiência causada por um sistema de controle inadequado “inviabiliza também a análise da economicidade e do custo/benefício do contrato e dos programas” de inclusão de jovens carentes do município.


Funil 5 Sempre agindo de forma autônoma, num claro desrespeito ao ‘Contrato de Gestão’ que obriga  a informar seus gastos ao contratante, no caso a prefeitura de Camaçari, a gestão da Cidade do Saber se resumia a mandar apenas o Relatório Anual de Execução de Metas. Lista de esquecimentos com a prestação exata do dinheiro público inclui ainda ausência de extrato bancário da conta específica mantida pelo Instituto Raimundo Pinheiro.


Funil 6 O Instituto também não informou, nem a Controladoria cobrou o demonstrativo listando o total das receitas e despesas efetivamente realizadas. Correndo solta, graças a omissão  da Controladoria e das secretarias de governo, educação e esportes, responsáveis por repasses de dinheiro público para a instituição, direção da Cidade do Saber sequer apresentou detalhamento sobre a remuneração de diretores, empregados e consultores. 


Funil 7  Técnicos do Tribunal de Contas também se depararam com “despesas irrazoáveis com consultorias”. Firmado em 2011 e renovado no ano seguinte, contrato com Cooperativa de Consultores Independentes LTDA (Cicoop) não exibe cláusula que estipule o valor anual a ser pago pelos “serviços profissionais especializados em consultoria, ministrar cursos, treinamento e outros mister”. Rainha mãe da caixa-preta, como vem mostrando a Coluna, gastos com cooperativas são antigos e nunca foram controlados pela prefeitura (Confira).  


Funil 8 Levantamento mostrou ainda que a ONG gestora da Cidade do Saber realizou pagamentos considerados “irregulares” e “passíveis de ressarcimento”, já que não apresentou documento que comprovasse a despesa, inclusive “sem a discriminação dos seus credores/beneficiados”.


Funil 9 Ainda na lista das  “despesas irrazoáveis”, que no popular quer dizer gastos que não são convenientes ou justos, TCM estranha a ”sobreposição de contratos das empresas de contabilidade Siscom Sistemas Contábeis de Camaçari LTDA e a Edmilson Patrocínio de Souza ME.


Funil 10 Contratada desde 2007, a Siscom realiza toda a contabilidade do Instituto, inclusive escrituração contábil, fiscal, trabalhista e elaboração de relatórios, balancetes e demonstrações financeiras anuais. Já a Edmilson Patrocínio de Souza ME, também contratada “sem valor estipulado”, tem por função, desde 2009, revisar os processo de pagamentos e adequar a prestação de contas às normas do Contrato de Gestão assinado pelo instituto com a prefeitura de Camaçari. Mesmo com o suporte destas empresas a Cidade do Saber não apresentou “Parecer e Relatório da Auditoria Independente sobre os demonstrativos financeiros e contábeis e as contas anuais da entidade”, como determina a Lei Federal  que regula o funcionamento das ONGs.


Funil 11 Locação de móveis e até de um relógio de ponto biométrico reforçam a lista das despesas “irrazoáveis”. Contrato de locação com preço anual de R$ 5.256,00, desde o início do acordo, em março de 2010, é quase 4 vezes maior que o valor cotado ano passado pelo TCM para o mesmo relógio.


Funil 12 Para tomarem conhecimento e se manifestarem sobre as conclusões da auditoria, TCM convocou através do Edital nº 197/2015, publicado no Diário Oficial do Estado de quarta-feira (8), a diretora geral da ONG gestora da CDS, Ana Lúcia Silveira, e os ex-secretários Valter Lima (educação), Joelson Macedo (esportes), e Joelson Meira (governo). Prazo para apresentarem questionamento é de 20 dias. Depois dessa etapa,   o processo será relatado e apresentado para julgamento pelo plenário do TCM.


Fermento O núcleo da Rede Sustentabilidade se movimenta e busca seu espaço. Aposta no capital eleitoral da ex-senadora e candidata a presidente, Marina Silva, exibido nas últimas eleições em Camaçari. Encontro realizado sábado (11) reuniu ex-candidatos e gente com poder de mobilização nas suas respectivas comunidades.


Fermento 2 Já a Frente de Esquerda, formada pelo PSTU, PSOL, PCdoB, representantes de sindicatos, associações populares, e do movimento Esperança Vermelha, composto por ex-petistas, conversa com a imprensa na próxima quarta-feira (15), a partir das 16h, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos. Fala sobre os avanços do movimento, preparativos para o lançamento da frente, sábado (18), e abre a discussão sobre a mobilidade urbana na cidade-sede do maior complexo industrial do Hemisfério Sul.


Sozinha O aperto financeiro geral intensificado com o escândalo da Lava Jato terminou reforçando a luta da vereadora Professora Patrícia (PT) contra a mudança da praça do pedágio. Decisão de adiar ou até não transferir de forma definitiva a guarita para limite de Camaçari, ou do outro lado do rio Joanes, em Lauro de Freitas, é vitória da petista e dos moradores de Abrantes e região, maiores prejudicados com a mudança.


Sozinha 2 Vereadora foi a única representante do chamado ‘Poder Legislativo’ a enfrentar as intempéries dos protestos, do desgaste com o governador e com a poderosa Concessionária Litoral Norte, um dos braços do grupo Odebrecht.


14/7/2015

 





Colonizado

Colonizado  A parceria da prefeitura de Camaçari com a franquia brasileira de ONG espanhola para a construção do Museu Histórico de Camaçari é mais um exemplo do descuido com as coisas da terra.  


Colonizado 2  Ao escolher a Barcelona Média Inovação Brasil (BMiBrasil)  para viabilizar a instalação de tão importante equipamento, gestão municipal segue a velha fórmula da importação de um projeto europeizado. Festejada pela prefeitura como “centro de pesquisa especializado na concepção de projetos museológicos e museográficos” (Confira), a recém-criada BMiBrasil só apresenta portfolio de projetos executados além mar, como mostra o site da própria instituição (Confira).


Colonizado 3   Desprezar a contribuição da Uneb, já instalada no município, e das universidades Federal da Bahia (UFBA) e Católica (UCSAL), em processo de montagem de unidades,  é seguir na contramão da tão propalada defesa da chamada prata da casa.


Colonizado 4  O desembarque ainda não tem data anunciada. Mas, caso a gestão municipal mude de ideia, essa armada pode ser substituída pela tropa de ‘tupinambás’ diplomada na província da Bahia e especializada em história, museologia, antropologia, arquitetura e biblioteconomia.


Colonizado 5  Proposta de campanha (2012) do candidato Ademar, museu que já chega com décadas de atraso, vai ajudar a resgatar a história do município desde o século 16. Pretende contar a presença dos índios tupinambás, antigos donos da terra, a formação da Aldeia do Divino Espírito Santo, nas margens do Rio Ipitanga, no século 18, até a Vila de Abrantes e Camaçari de hoje.


Alerta  O Movimento Base Socialista (MBS) é outro grupo do PT de Camaçari que prepara o desembarque da legenda. Carta dirigida a militantes, que a Coluna teve acesso, mostra a insatisfação e frustração da tendência. Assinado por Paulo Silva, um dos coordenadores da MBS,  dona de assento na executiva municipal, conselho fiscal, comissão de ética e secretaria de movimentos populares do partido, carta lamenta os rumos do PT.


Alerta 2  Sem citar nomes, Paulo Silva lembra que a MBS sempre se posicionou contra as alianças com a  “parte podre da política municipal”. Critica os desvios éticos e os equívocos durante as 3 gestões petistas no município, iniciadas em 2005, com Luiz Caetano, e prosseguida com Ademar Dlgado a partir de 2013. Com o título “O Fim”, documento garante que o processo de desfiliação dos mais de 40 petistas é uma questão de dias.


Movimento Sábado tem panfletagem do movimento de esquerda batizada de Esperança Vermelha. Militantes do PSTU, PSOL, PCdoB, petistas descontentes e lideranças populares e sindicais prometem movimentar a praça Montenegro, coração de Camaçari. Vão convidar a população para o lançamento da frente, dia 18, a partir das 9h, no Sindicato dos Metalúrgicos.


Pacotão A posse da advogada e atual subsecretária Jailce Andrade, na secretaria de governo, virou festa coletiva com a decisão do prefeito Ademar de entronizar no mesmo dia e hora, Humberto Leite no cargo de superintendente da STT (Superintendência de Trânsito e Transportes).


Pacotão 2 Inicialmente previsto para o acanhado auditório da prefeitura, ato que também oficializa o advogado Claudécio Taroba no cargo de subsecretário de governo, está mantido para  esta sexta-feira (10), a partir das 9h.  Festa política ganha mais assentos com a transferência para o Teatro Cidade do Saber (TCS).


Pacotão 3 Posto de Humberto na subsecretário de desenvolvimento econômico ainda não foi definido. Negociações sinalizam que vaga pode ser entregue ao novo PSB.   


Presença O PR (Partido da República) promove jantar nesta sexta-feira (10) à noite, no Unique Eventos, em Salvador. Caravana do diretório de Camaçari, presidido por Ramon Cruz de Jesus, tem lugar confirmado no encontro estadual da legenda.


10/7/2015

 





Apito

Apito  O travamento no trânsito na área do PV, com reflexos na pista governista obrigou Ademar a recuar e trocar o comando da Superintendência de Trânsito e Transportes (STT). Vontade do alcaide era acalmar os estressados motoristas, como mostrou a Coluna (Confira). Provavelmente nesta sexta-feira (10), durante a posse de Jailce Andrade (PT), na titularidade da secretaria de governo, o alcaide oficializa o nome de Claudécio Taroba, presidente municipal do PV, como o subsecretário da pasta. 


Apito 2  A saída de Taroba da STT, exigência do vereador Elias Natan, também do PV, terminou sem vitória para os 2 grupos que tentam controlar o partido. Briga foi para a mídia e desgastou o prefeito, Taroba e o doutor Natan, outrora conhecido pela tranquilidade e sempre longe da receita da intransigência. Disputa segue até as eleições de 2016, quando Natan busca a reeleição e Taroba pleiteia uma vaga no Legislativo de Camaçari.


Apito 3  Insatisfeito com a disputa e consequente desgaste para seu governo, o alcaide deve optar por um nome independente. O pastor Orlando Gomes, que já esteve no cargo, é o mais cotado. Edilson Magalhães, ex-chefe da Ciretran, perdeu força na disputa. Candidato a vereador na herança dos votos do pai, ex-vereador Dilson Magalhães (PSC), falecido no final do ano passado, fica fora do perfil. Delgado quer tocar a STT sem engarrafamentos e sinais no amarelo até o final do seu mandato, em dezembro de 2016.


Figuração  E a Câmara de Vereadores de Camaçari faz balanço positivo do 1º semestre. Mostra números compridos de proposições, sessões e debates. A conta só amiúda quando a tabuada é fiscalização do Executivo. Significativa parte dessa subtração é responsabilidade dos 7 edis oposicionistas. Com quórum mínimo para fazer barulho, e até conseguir avanços, segue meia distraída como os outros 10 governistas e os 2 da bancada dos nem tanto. 


Essência A desfiliação de Carlos Silveira, fundador e militante com inegáveis qualidades pela sua capacidade de formulação, é apenas o começo de um processo de perda encefálica do PT de Camaçari. Saída de dirigente com seus 35 anos de construção está longe de ser a única perda. 


Essência 2 Com omissão da executiva municipal e principais lideranças, agenda de debates  desapareceu dos fóruns partidários. Empurrada para além dos muros da legenda, discussão ganha as ruas e amplia ainda mais o estrago.


Lamparina O alcaide de Camaçari precisa fazer uma visitinha ao distrito de Parafuso. Mas, tem que ser à noite. Descer pela rua Marechal Floriano Peixoto e seguir até a praça da antiga estação de trens. A Coluna recomenda levar a tiracolo os secretários de serviços públicos, Zé de Elísio (PSD), comandante do programa municipal de iluminação pública Brilha Camaçari, e Everaldo Siqueira, responsável por obras.


Lamparina 2 No breu em que se encontra a localidade, vai poder entrar e sair sem ser enroscado por queixas sobre falta de segurança, buraqueira, transporte e limpeza. Fica livre também da cobrança do projeto de requalificação da Prainha, prometido desde seu antecessor, em 2008, como a redenção de um dos mais belos pontos de Camaçari banhados pelo rio Joanes (Confira).


Mau exemplo  Sem manutenção da sua estrutura física e a cada dia funcionando de forma mais precária, o SAC de Camaçari virou caso para o Procon na condição de reclamado. Despreocupados com quem está com senha na mão, aguardando atendimento, deputados e lideranças políticas do município disputam do outro lado do balcão quem indica os cargos na estrutura controlada pelo governo do estado.


Amadurecendo A Rede Sustentabilidade, partido capitaneado pela ex-senadora Marina Silva, realiza reunião pública no próximo sábado (11), a partir das 9h, no Espaço Arborize, ao lado da Casa do Trabalho. Encontro coordenado pela executiva estadual vai discutir  o atual momento político e formas de fortalecimento do partido em Camaçari.


Movimento E o ex-prefeito Luiz Caetano continua se mexendo. Realiza nesta quinta-feira (9), mais uma edição da sua Agenda Camaçari. Encontro na rua Augusto Sandino (Nova Vitória), começa às 19h e  reúne moradores das comunidades da Nova Vitória, Novo Hoirizonte e Papa Mel.


7/7/2015

 





Perícia

Perícia O Instituto de Seguridade do Servidor Municipal de Camaçari (ISSM) garante que não possui ‘Médico Perito’ no seu quadro funcional e que esse trabalho é realizado pela Secretaria da Administração do município, “conforme a Lei 1256, de 13 de dezembro de 2012”.


Perícia 2 Em nota enviada ao editor da Coluna e postado no site do ISSM e nas redes sociais, o instituto assegura que a definição dos servidores Patrícia Silva Almeida, Arilene Sena Paolilo e Paulo Henrique Oliveira e Silva, como ‘Médico Perito’, na lista do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), é fruto de “divergências de codificação do SIGA (Sistema Integrado de Gestão de Auditoria”. O sistema é usado pelo TCM para classificar funções e profissões no serviço público.


Perícia 3 Ainda de acordo com o documento em resposta as informações postadas na Coluna Camaçarico de 29 de junho, sob o título ‘Imperícia’ (Confira), o ISSM esclarece que dos 3 servidores citados, 2 são concursados e 1 ocupante de cargo de confiança. Ainda segundo a nota, servidores exercem funções de gerente e coordenador na estrutura do instituto.


Perícia 4 Longe de esclarecer, a Nota do ISSM amplia anda mais as dúvidas sobre a relação de pessoal do instituto. No seu 3º parágrafo, o documento publicado abaixo na íntegra, informa que a servidora Patricia Silva Almeida, matrícula 10039, foi nomeada para o cargo de “Coordenadora de Ouvidoria e Comunicação desde 16 março de 2011”. 

 







Perícia 5 Para reforçar as dúvidas da Coluna e ampliar ainda mais a confusão, o ISSM manda reprodução da portaria 075/2011 (Confira a imagem ao lado), que não bate com a relação do TCM, onde a referida servidora aparece nomeada desde dezembro do ano anterior (2011), como ‘assessor técnico II’, com salário base de R$ 3.717,74 e vantagens de R$ 857,94 (Confira). O Camaçari Agora não conseguiu apurar informações sobre meses anteriores. Segundo o site do TCM, ”os dados não foram informados pelo jurisdicionado”.


Perícia 6  Já em janeiro de 2011, portanto 2 meses antes da data de nomeação apresentada pelo ISSM, a servidora começa a aparecer como  ‘Médica Perita’. Neste mês o seu salário e vantagens, ainda segundo a lista do TCM, somaram R$ 12.699,27 (Confira). Servidora segue listada pelo TCM até maio deste ano, última postagem do tribunal, com o mesmo cargo de ‘Médica Perita’, mas com variações salariais.


Perícia 7 Além de acusar o Camaçari Agora de fazer mau jornalismo, mesmo reproduzindo documento oficial do Tribunal de Contas dos Municípios, o ISSM de Camaçari mostra que é lento e está atrasado na atualização de suas informações. Mesmo com o erro registrado desde a folha de pessoal de 2011, ISSM garante que a questão já está sendo solucionada junto ao SIGA.


Perícia 8 Mais que exibir cópias de portarias de nomeação que também não batem com a lista do TCM, instituto pode avançar na tão propalada transparência e exibir os contracheques dos referidos servidores. Acaba assim com as dúvidas ampliadas com o documento datado da última quarta-feira (1/7). Confira a íntegra da nota do ISSM


Sinal verde  Claudecio Taroba continua no comando da STT. Essa é a proposta e vontade do prefeito Ademar Delgado (PT) que não quer mudar o titular da Superintendência de Trâãnsito e Transportes de Camaçari antes do prazo de desincompatibilização, em março de 2016. 


Sinal verde 2 Taroba, que é presidente municipal da legenda e tem pretensões de disputar uma vaga na Câmara de Vereadores em 2016, entrou em rota de colisão com o vereador Doutor Elias Natan. Em conversa com a Coluna, durante o desfile do 2 de Julho, o alcaide se mostrou preocupado com o acirramento no quintal dos verdes. Longe de aumentar seus problemas de gestão, Delgado usa o regador para manter a legenda aliada em crescimento, ao mesmo tempo que evita alimentar as ervas daninhas que andam atrapalhando a plantação na base aliada e a sua candidatura a reeleição. 


Movimento  A subida de Jailce Andrade, atual subsecretária, para o comando da secretaria de governo, é mais uma tentativa do prefeito Ademar de matar 2 coelhos com um único tiro. Resolve o problema da burocracia da máquina, hoje função do também advogado Sérgio Paiva, com desembarque do governo marcado para a próxima terça-feira (7). Jailce vai cumprir as missões administrativas, enquanto Demétrius Moura, atual secretário de relações institucionais, continua dando as cartas nas articulações políticas. 


Movimento 2 Manobra do alcaide busca esfriar os ímpetos da Frente de Esquerda, formada por um 3º PT, longe do PT-1 governista e do PT-2 caetanista. As baixas - o outro nome é o também petista Adelson Carvalho, signatário do movimento lançado em abril e ampliado com novo documento em maio (Confira) - não desanima a frente que avança em outros setores da sociedade organizada e já conta com o apoio do  PSOL, PSTU, PCdoB, sindicatos e associações de moradores. 


Movimento 3 Crescendo na fragilidade de poder e governabilidade que experimenta o município, frente amplia os debates sobre o “Direito da cidade’. Sem descartar uma candidatura própria na sucessão de 2016, oficializa presença na cena política com grande encontro, dia 18, na Câmara de Vereadores. Estão convencidos da possibilidade de resgate do que chamam de projeto de governança de esquerda, abandonado logo no início da 2ª gestão do ex-prefeito Caetano (2005/2008), e sem retomada na gestão de Delgado. 


3/7/2015

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 | Próxima

Encontrado(s): 385 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2015 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL