Busca:








Talhadeira Mesmo festejada como padroeira da inclusão pela arte e esporte, a Cidade do Saber (CDS) apresenta cada vez mais intensas características de ‘santa do pau oco’, marca do pode tudo dos tempos do Brasil-Colônia. Com inegável serviço de fortalecimento da cidadania e apoio a jovens carentes de Camaçari, programa mantido pelos cofres da prefeitura do município continua longe da transparência e respeito ao princípio da lisura com a coisa pública.


Talhadeira 2 As denúncias são antigas e só agora, 7 anos depois, começam a ser apuradas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Em edital publicado no Diário Oficial do Estado, edição 18/12,  tribunal notifica o ex-prefeito Caetano e dá prazo de 20 dias para “tomar conhecimento, e, querendo se pronunciar”, com a “apresentação de razões e documentos” sobre a auditoria.  


Talhadeira 3 Pela 1ª vez averiguando as contas da CDS, auditores constataram o que a Coluna mostra com mais abundância que ouro e pedra preciosa escondidos em corpo de santo de madeira. Em março o Camaçarico denunciou a manobra da direção da CDS, que rasgou a CLT e criou o chamado ‘Aviso pós-Prévio’, ao comunicar aos empregados, em meados do mês, que eles estavam de Aviso Prévio desde o começo de março.  


Talhadeira 4 A farra das demissões desmotivadas de funcionários, inclusive dos diretores, e a imediata recontratação de todo o quadro, representou um prejuízo de mais de R$ 1 milhão. Os recursos gastos com pagamentos desnecessários de direitos trabalhistas como férias, 13º proporcional, Aviso Prévio e até multa rescisória representaram cerca de 10% do orçamento da estrutura. (Confira)


Talhadeira 5 Os desmandos avançam e vão desde a contratação de parentes para prestação de serviços, uso de cooperativas, até aumento de cargos e salários de diretores sem o aval da prefeitura.


Talhadeira 6 O descaso com o bem público é tão grande que sequer o diretor financeiro da CDS se afastou do cargo para assumir a função de auditor do município. Aprovado em concurso público da prefeitura e empossado no 2º semestre deste ano, Alex Persil é exemplo de onipresença no Centro Administrativo e na Rua do Telégrafo.


Talhadeira 7 Numa estranha coincidência, trabalhos do TCM se intensificam justamente no período de renovação do contrato com a Organização Social Instituto Raimundo Pinheiro, previsto para março de 2015. Até lá, o prefeito Ademar Delgado (PT) terá de decidir se renova o Contrato de Gestão com o instituto ou adia para definir novos caminhos. Pode aproveitar e abrir qualificação para novas entidades municipais poderem se habilitar a gerir o programa Cidade do Saber. 


Movimento O prefeito Ademar começa a costurar apoios entre as correntes do seu partido na disputa pela reeleição de 2016. Negocia acordo com o deputado Valmir Assunção, líder da Esquerda Popular Socialista (EPS), uma das tendências do PT.  


Pendura O Tribunal de Contas dos Municípios merece uma multa por divulgar informações imprecisas. No seu parecer de 3 de dezembro, sobre as contas do prefeito de Camaçari, o TCM apresenta como condicionantes a cobrança de dívidas, com multas e ressarcimentos aos cofres públicos, de ex-prefeitos e ex-gestores de empresas do município (Confira).


Pendura 2 Os mais de R$ 27 milhões, divulgados na última edição da Coluna, não batem com a relação de ‘Multas e Ressarcimentos’ por município, também disponibilizada no site do TCM, onde os mesmos ex-gestores de Camaçari são listados com valores diferentes. (Confira)


Pendura 3  O Camaçari Agora espera a atualização dos números pelo TCM. Informação pode demorar. Tribunal entra em recesso e só retoma atividades em janeiro de 2015.


22/12/2014

 





Pendura

Pendura Ultrapassam os R$ 27 milhões o volume de recursos cobrados pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) a ex-prefeitos e ex-dirigentes de estruturas públicas de Camaçari. O prefeito Ademar Delgado tem até junho de 2015 para botar para andar os processos de cobrança e enquadramento dos inadimplentes na lei fiscal.  Dívidas têm origem em multas e ressarcimentos aos cofres públicos, fruto de operações consideradas irregulares pelo TCM, durante o exercício de funções públicas no município.


Pendura 2 A astronômica conta pega 4 ex-prefeitos, 5 ex-presidentes da Câmara de Vereadores, 2 ex-dirigentes do Instituto de Seguridade do Servidor (ISSM) e ex-gestores da Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec). Dívida é fruto de multas e ressarcimentos cobrados pelo TCM, mas nunca pagos ou sem comprovação de quitação conforme determina a legislação.


Pendura 3 A lista é encabeçada pelo ex-prefeito José Tude (PTN), com pendências superiores a R$ 23 milhões em pedido de ressarcimento aos cofres públicos e mais cerca de R$ 10 mil de multas. Na vice-liderança aparece o também 3 vezes gestor de Camaçari, Luiz Caetano (PT). O agora deputado federal diplomado terá de devolver mais de R$ 3 milhões ao município. Conta do TCM inclui ainda pendências de quase R$ 300 mil de multas não pagas. O ex-prefeito Humberto Ellery (sem partido) é cobrado em quase R$ 400 mil, mais multas de R$ 29 mil. Helder Almeida (DEM) é o que apresenta menor volume de pendências, com cerca de R$ 8 mil entre  ressarcimento  ao município e pagamento de multa.


Pendura 4 Também integram a lista os ex-presidentes da Câmara e atualmente com mandato de deputado estadual, os petistas Bira Coroa e Luiza Maia, e o atual secretário de serviços públicos, Zé de Elísio (PSD). Elísio, presidente da Câmara entre 2011/2012, soma R$ 129 mil entre multas e pedidos de ressarcimentos. Já Bira Coroa, dirigente do Legislativo entre 2005/2006, é cobrado pelo TCM em pouco mais de R$ 110 mil. Lista também inclui o ex-presidente Raimundo Blumetti (PSD), presidente entre 2001/2004, com pendências de R$ 17 mil entre multas e devolução aos cofres públicos.  


Pendura 5 Presidente do Legislativo entre 2007 e 2010, Luiza Maia lidera o ranking, segundo o Tribunal de Contas dos Municípios, com pendências de quase R$ 400 mil. Mesmo listada pela prefeitura como livre de débitos, com o ressarcimento de pouco mais de R$ 392 mil e pagamento de multa de R$ 5 mil, levantamento do TCM não constata os referidos pagamentos através de depósitos identificados na conta da prefeitura.


Pendura 6 No Instituto de Seguridade Social do Município (ISSM), os ex-diretores Natanael Fernandes e Genésio Feitosa são cobrados em pouco mais de R$ 1 milhão e 500 mil. Na lista de ex-dirigentes da Limpec, aparecem a atual secretária de administração do município, Lezineide das Chagas, com mais de R$ 60 mil. Também estão com pendências, Domingos Barbosa (mais de R$ 120 mil), e Ivan Durão (R$ 29 mil).


Pendura 7  A explicação para o atraso na cobrança dessas dívidas de ex-gestores pelo município está no baixo ou quase nenhum empenho dos sucessores na agilização desses processos. Foi assim com Tude, prefeito pela 1ª vez entre 1989/1992. Na 2ª gestão (1997/2000) substituiu Ellery (1993/1996). Reeleito para  mais 4 anos, Tude entregou parte de seu 3º governo (2003/2004) ao vice Helder Almeida. Com o ex-prefeito Caetano, que teve sua 1ª gestão entre 1996/1998, a regra do esquecimento se manteve por 8 anos, nas  2  administrações seguidas (2005/2012).


Pendura 8 Além da inclusão dos ex-gestores na  chamada Dívida Ativa, mecanismo legal capaz de promover  ações de execução fiscal, o TCM cobra os comprovantes de depósitos referentes a processos de multa e pedidos de ressarcimento aos cofres públicos, apresentados pelo município como pagos pelos ex-gestores. Para o TCM, que entende ser necessário o depósitos identificado na conta da Prefeitura, “tão somente notas de conhecimento de receita, relatórios contábeis, extratos bancários, etc.”, não comprovam “os alegados recolhimentos”


Pendura 9 Datada de 3 de dezembro, lista das pendências com multas e ressarcimentos integra parecer assinado pelo conselheiro Raimundo Moreira, que julgou e aprovou com ressalvas, as contas 2013 do prefeito Ademar Delgado. Confira a íntegra do documento


Atestado A ausência de 17 dos 19 vereadores de Camaçari, no ato de prestação de contas dos trabalhos de 2014 do Legislativo, vai além da descortesia com a imprensa local. Sinaliza o pouco compromisso com a função de legislador eleito pelo povo e com obrigação de prestar contas pelos meios de comunicação. Esquecem que independente de tendências, correntes e outros interesses, o debate deve e precisa ser sempre ampliado.


Atestado 2 Bom para o presidente Téo Ribeiro (PT), e para o oposicionista João da Galinha (PRTB), únicos presentes ao encontro com os mais de 20 profissionais de rádio, jornal, TV, revista e internet, na tarde/noite desta quinta-feira (18), no Teatro Cidade do Saber (TCS).


Atestado 3 Pena que os talentosos Lucas Carazec e Tiago Banha, responsáveis pelo show de stand up comedia, apresentado antes da prestação de contas, nada sabiam e seguiram outro roteiro.


18/12/2014


 

 





Expertise

Expertise O racha na bancada do DEM não inviabilizou apenas a participação da oposição na Mesa da Câmara de Camaçari, biênio 2015/2016. Ao rejeitar o nome do vereador Junior Borges (DEM), na vice do petista Marcelino, bancada mostra miudeza na discussão sobre o futuro político da oposição.


Expertise 2 Puxada pelo também democrata Jorge Curvelo, que insistia na vaga de vice, reação tirou dos 7 oposicionistas o direito de interferir no processo legislativo de forma mais eficaz.  Apoiado pela omissão estratégica do colega Antonio Elinaldo,  1º suplente de estadual e hoje o nome mais forte para a sucessão de Ademar, reação impediu a construção de resultados práticos para a cidade e consequente saldo político para os não governistas. 


Expertise 3 Ao deixar de reconhecer e apoiar o crescimento do novo quadro partidário, bancada recua e reforça isolamento. O crescimento de Junior Borges, abrindo caminhos no processo político municipal e alargando seus espaços na mídia, não é mágica. É fruto da sua capacidade de trabalho, iniciada na juventude comunista, quando militou no PCdoB, e confirmada logo no começo do mandato, em janeiro de 2013, com a montagem de seu gabinete.


Expertise 4 Tentar desqualificar Junior, com acusações, pelas redes sociais, de ser linha auxiliar do governo só divide ainda mais a oposição. Racha no processo de escolha da Mesa é o 1º passo nessa fase de desconstrução e enfraquecimento da base  antigovernista para um projeto único na disputa pela sucessão de 2016.


Expertise 5 Mesmo sem consenso, mais uma vez  Borges entra em campo e consegue construir uma chapa oposicionista para marcar posição. Com João da Galinha (PRTB) na cabeça e sem o voto de Zé do Pão (PTB), o 12º voto do governo. A chapa  Marcelino só não  bateu no simbólico 13 por conta do afastamento por ordem médica de Dilson Magalhães (PSC).


Expertise 6 Mesmo somando 6 votos, o decano do Legislativo de Camaçari faz conta de somar. João da Galinha (PRTB) ganha mídia e reforça seu título de oposicionista puro-sangue. 


Relógio  O ex-prefeito Caetano precisa comprar um relógio novo. O atual não terá serventia em Brasília, onde assume em 2015 o mandato de deputado federal. Diferente de Camaçari, onde acha que mantém o controle dos ponteiros, no Congresso Nacional será mais um e terá de seguir o fuso horário do Planalto Central.


Relógio 2 O último exemplo desse equívoco foi dado na última sexta-feira (12), quando atrasou o encontro com jornalistas, radialistas e profissionais da mídia, convocado por sua assessoria, para às 17h. A demora de mais de 2h30 causou constrangimento e atrapalhou outros compromissos de quem trabalha com a velocidade da informação.


Impaciente A falta de oficialização do vereador Elias Natan (PV) para a secretaria municipal de saúde (Sesau), ou a indicação de outro nome em substituição ao médico Vital Sampaio, cota do PSD, é mais um atraso que só compromete a saúde da população de Camaçari. 


Impaciente 2 Ao deixar para a anunciar as mudanças na confraternização desta sexta-feira (19), ou no começo de 2015, o alcaide impede a realização de uma transição oficial necessária para ajustes e montagens da nova equipe. Entregar a casa após retirar o último ‘pertence’, muito comum no passado e hoje eliminada até entre governos adversários, é atraso na definição das estratégias para quem chega e prejuízo para a população no posto.


Impaciente 3 Sem exames detalhados da estrutura, números, inclusive sobre os contratos de gestão terceirizada, o novo titular vai precisar de um período para um diagnóstico preciso e a consequente prescrição mais indicada. A indefinição sobre o novo titular da Sesau, mesmo com a saída anunciada do doutor Vital, desde meados do ano, ganha mais um complicador com as festas de final de ano, período de pouca produção e muita solidariedade.


Gourmet O prefeito de Camaçari reúne secretários, vereadores da base governistas e aderentes, sexta-feira à noite (19), em restaurante da orla de Camaçari. O cardápio da festa de confraternização deve ser definido um pouco antes, durante encontro do atual com o ex, retomando de forma gradativa o controle da cozinha.


Gourmet 2 Mudanças de secretários e o nome do novo líder do governo e da maioria na Câmara, em substituição a José Marcelino, novo presidente da Casa, deve fazer parte da carta. Téo Ribeiro, agora sem a caneta do Legislativo, aparece na lista, mas não faz o tempero desejado por Ademar para um prato homogêneo entre Executivo e Legislativo.


Gourmet 3 Relação conflituosa com o alcaide, sempre condimentada pelo ex, pode reprovar Téo para a missão. Restam, em ordem alfabética: Gilvan, Oziel e a Professora Patrícia. O vereador Otaviano Maia está fora da lista. O sobrinho da deputada Luiza Maia, segundo comensais do poder, apresenta alto teor de sódio.


Cochilo Os acidentes na Via Cascalheira (BA-331) não podem ser atribuídos apenas ao álcool e a velocidade. A buraqueira em quase todos os mais de 10 quilômetros de pista completam essa combinação sinistra. Ligação entre sede, orla e parte da zona rural de Camaçari, mesmo sob a responsabilidade do governo do estado, precisa de uma fiscalização eficiente da prefeitura. Agora sintonizados, prefeitura e estado, a desculpa pelo descaso ficou no passado, quando o Palácio de Ondina era controlado pelo adversário.


Maresia  A prefeitura precisa se mexer e botar fiscalização nas praias da orla do município. O banho de mar na sexta-feira (12), em Jauá, como mostrou o Camaçari Agora, era puro perigo. A presença de jet-skis na praia é aviso de acidente. Depois não venha dizer que a culpa é só do piloto.


Detalhes A Câmara de Vereadores de Camaçari faz balanço das atividades legislativas de 2013. O encontro para profissionais da imprensa será nesta quinta-feira, na Cidade do Saber (CDS). O horário previsto para o início da prestação de contas será às 15h45.


15/12/2014

 





De 8 a 80 anos

De 8 a 80 anos O programa pioneiro de inclusão de jovens carentes de Camaçari, pelo esporte e artes, agora ganhou nova nomenclatura. Passa a se chamar Casa da Criança, do Adolescente e do Idoso.


De 8 a 80 anos 2 A mudança atende projeto de improvisação comandada pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), responsável pelo programa Conviver, de apoio à 3ª idade e com histórico de mais de 400 beneficiados na sua sede da avenida Francisco Drumond.


De 8 a 80 anos 3 Praticamente desativado durante quase todo o ano de 2014, num claro descumprimento ao Estatuto do Idoso, trabalho passou a ser atribuição dos profissionais da Casa da Criança e do Adolescente. Solidários, educadores  dividem suas funções entre jovens e o lazer orientado para vovôs e vovós de Camaçari.


Tabuleiro Com o consenso em torno de José Marcelino (PT) na cabeça de uma chapa única, a ser confirmada na sessão da próxima segunda-feira (15), vereadores governistas e da oposição definem nesta sexta-feira (12), os nomes para a vice-presidência do Legislativo e 1ª secretaria, cargos mais importantes na estrutura da Câmara de Camaçari. Também escolhem o ocupante da 2ª secretaria, cargo simbólico, mas sem poder de decisão, e as vagas de 1º e 2º suplente.


Tabuleiro 2 Na vaga de vice, definida como cota da oposição numa chapa de consenso, Junior Borges (DEM) aparece como o mais cotado. O colega de legenda, Jorge Curvelo, também pleiteia o posto no biênio 2015/2016. Mesmo rotulado de neófito, Borges leva vantagem. Tido como bom negociador, conta ainda com a simpatia do prefeito Ademar. A condição de membro da ‘bancada’ evangélica, com 7 dos 19 edis de todos os partidos, é mais uma benção à postulação do democrata.


Tabuleiro 3 A vaga na 1ª secretaria, cota dos governistas e com poderes na estrutura administrativa da Casa, tem como postulantes assumidos o Pastor Neilton (PSB) e o doutor Elias Natan (PV).


Tabuleiro 4 Postulação de Natan depende do acordo que pode lhe assegurar a Secretaria de Saúde. Confirmada a ida para a Sesau, PV pode perder a Superintendência de Trânsito e Transportes (STT). Base governista dificilmente aceitará o PV com apenas 1 vereador, assegurar 2 estruturas no 1º escalão.


Luluzinha A vereadora Professora Patrícia pode assumir os postos de liderança do governo e da bancada petista na Câmara de Camaçari. É considerada pelos colegas de partido e até oposicionistas como equilibrada, dedicada e aberta ao diálogo. Confirmada, bancada de 11 homens será comandado por uma mulher. 


Mestre  Na avaliação do vereador João da Galinha (PRTB), o atual alcaide de Camaçari tem conceito abaixo de 5. Cumprindo o 4º mandato, o experiente edil, que já foi governo e oposição, governo e oposição, vê melhorias, mas garante que a reprovação é puxada por 3 setores vitais para a cidade.


Mestre 2 Acostumado a andar e ouvir o povão, diz que a gestão da saúde está uma ‘lástima’. Completam o tripé, o trabalho na ação social, que na sua avaliação ‘não existe’, e as reclamações do eleitor com o sistema de transporte.


Mestre 3  O reflexo atinge até os não governistas. Quando o governo municipal não corresponde aos anseios da população, até a oposição é responsabilizada pelo povão que enxerga todos os vereadores como representantes do poder, garante.


Filtro O radialista Roque Santos deixa pela 2ª vez o comando da Sucesso FM. A 1ª desligada aconteceu em  abril  do ano passado. Depois de negociações e conseqüente retomada da sintonia, o comunicador voltou ao microfone da 93,1, em abril deste ano. Com a permanência até sábado (6), a imprensa de Camaçari ganha mais um triste capítulo na sua história de interferências do poder na tentativa de controlar a mídia. 


Assim é mau E a prefeitura continua sem mirar a Invasão em Burissatuba. Lixo, luz clandestina e falta dágua são ingredientes para doenças e baixa qualidade de vida.


Relógio  Não tem jeito. O relógio do ex-alcaide não sintoniza com a UPA da Gleba A. Prometida para dezembro de 2011, mas só inaugurada 2 anos após o fim do seu mandato, o eterno desencontro foi confirmado no último sábado (6). Desta vez quem virou paciente não foi a população, que espera a Unidade de Pronto Atendimento há 3 anos. O prefeito Ademar e demais autoridades tiveram de esperar o agora deputado federal eleito, Luiz Caetano, para o corte simbólico da fita de liberação do equipamento ao público.


Relógio 2 Em outro fuso, o ex-prefeito reúne profissionais da mídia para um papo sobre futuro, presente e passado. O encontro será nesta sexta-feira (12), a partir das 17h, na Barraca do Valdir, em Arembepe, orla do município.


Homenagem O desembargador Nilson Castelo Branco recebe nesta sexta-feira (12), às 9h, na Assembleia Legislativa, a Comenda 2 de Julho. Castelo, como é conhecido, atuou na Camaçari dos anos 1980 e foi indicado para o Tribunal de Justiça da Bahia em 2007, na vaga da OAB. 


11/12/2014

 





Sombra

Sombra  A presidente Dilma já anunciou os principais eixos para o seu novo mandato. O governador eleito Rui Costa (PT) começou a informar quem serão seus auxiliares. Até o prefeito da capital, ACM Neto (DEM), divulgou as mudanças para a metade do seu 2º mandato. Só a gestão do prefeito Ademar Delgado continua uma incógnita.


Sombra 2 No começo do mandato, ano passado, o alcaide falava em junho/julho como data para possíveis ajustes. Com a indicação de apenas 4 das 28 estruturas do 1º escalão, encerrou o 1º ano, mesmo com baixa aprovação, segundo pesquisas feitas pelo próprio governo, sinalizando satisfação com o quadro de auxiliares. Em 2014, ano eleitoral, as expectativas de mexida passaram para o pós-eleições de outubro.


Sombra 3 Fontes do governo ouvidas pela Coluna não se cansam de repetir, e até virou mantra, parte da histórica frase do pensador grego Sócrates: ” Só sei que nada sei...”. Certo mesmo só a pasta da saúde, com a desistência do médico Vital Sampaio. O doutor pode ser substituído por um nome local, ou técnico indicado pelo governador Rui Costa. Fala-se em mexida na Educação, Relações Institucionais, Procuradoria, Esportes e Governo.


Sombra 4 De acordo com essas mesmas fontes, essa indefinição mostra movimento perigoso e imprevisível de Ademar, ao entrar novamente no campo de força do ex-prefeito Caetano. Hábil e consciente da fragilidade do pupilo, cada vez mais isolado pela própria dificuldade de ouvir aliados e lidar com a política, Caetano resgata Delgado para sua órbita.


Sombra 5 Meta é reassumir o poder e afastar ou reposicionar conselheiros do atual alcaide que defendem independência sem rompimento, mas definição clara de espaços políticos que garantam a continuidade do projeto do PT no município com a reeleição de Delgado.


Sombra 6 Livre dos inconvenientes, Caetano avança e reassume o comando da sucessão de 2016, com definição de até outro nome, que pode ser o seu, ou quem indicar. Mesmo natural, o 2º mandato de Ademar, a depender da conjuntura, se transformaria numa desistência sem grandes dores, consentida, consensuada e até com o carimbo de dever cumprido.


Sombra 7 O encontro de lideranças, semana passada em sua casa, na orla de Camaçari, fez parte dessa etapa. Antes do papo, oficialmente para apenas algumas pessoas, Caetano realizou, lá mesmo em Arembepe, uma conversa reservada de ajuste com o alcaide, em plena tarde de segunda-feira. Ao final do encontro, aguardado pela platéia caetanista, que ocupava o sítio da família, como gosta o ex, restou ao atual o papel de coadjuvante.


Chance O vereador Antonio Elinaldo (DEM) joga sua última cartada para assumir o mandado de deputado estadual. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julga até dia 10, data final antes da diplomação dos eleitos em outubro, o caso do deputado eleito Hildécio Meireles (PMDB). O ex-prefeito de Cairu teve registro de candidatura impugnado pelo Ministério Público Eleitoral. Decisão, confirmada pela ministra do TSE e relatora do caso, Maria Tereza de Assis Moura, agora vai para o plenário.


Chance 2 Confirmado o cancelamento da candidatura, expectativa do DEM é de subida do vereador de Camaçari. Mesmo abatendo os 48 mil votos de Hildécio, o coeficiente eleitoral não muda. Com 36.278 votos, Elinaldo é 1º suplente da coligação oposicionista.


Figa Mesmo de olho na montagem do secretariado do governador Rui Costa, onde pode subir um deputado e abrir vaga na Assembleia, o 1º suplente de estadual, Bira Coroa, mexe seus pauzinhos na sua terra natal. O petista que não conseguiu renovar o 3º mandato no Legislativo Estadual, sonha com a Secretaria de Educação de Camaçari.


Figa 2 Atualmente a vaga é ocupada pelo recordista Valter Lima, no cargo há 10 anos. Mesmo com desempenho considerado abaixo da média, pelos próprios aliados, o educador e ex-dirigente do sindicato dos professores, ocupa a Seduc desde 2005, quando o partido assumiu o poder em Camaçari, com a eleição de Luiz Caetano.


Figa 3 Bira e outras tendências do PT municipal defendem a redistribuição dos cargos com as forças políticas municipais. Entendem que a Seduc deve deixar a cota do grupo do companheiro e vereador José Marcelino, que tem como coordenador estadual o federal Nelson Pelegrino.


Figa 4 Carimbada sua eleição, próximo dia 15, para a presidência da Câmara de Vereadores, Marcelino passa a ter super-poderes. Além do comando da 2ª estrutura mais poderosa na máquina de poder no município, vereador que já preside o PT municipal, é tido como controlador da ‘cabeça’ da Seduc e uma parte da Secretaria de Saúde (Sesau).


Figa 5 Mais uma sinuca para o alcaide. Apressado e desacostumado a ouvir os auxiliares, o alcaide anunciou apoio à candidatura do seu líder na Câmara, em substituição de Téo Ribeiro, antes de fechar detalhes sobre cargos e compensações.


Homilia A receita de terceirizar a gestão da UPA da Gleba A é remédio amargo para o prefeito Ademar. Em encontro com católicos, na igreja do bairro, na noite desta quinta-feira, o alcaide falou do seu descontentamento com o modelo, segundo ele uma necessidade imposta pela falta de pessoal concursado para tocar a unidade. A quase confissão, sob o teto da Igreja de Nossa Senhora da Santana,  vira pecado colado em quem foi incapaz de fazer. Mas, pode virar penitência e guia para uma nova e moderna gestão em saúde.  


Novo RG E o presidente estadual do PTN voltou a usar o sobrenome da família. Filho do ex-vereador Amélio Batista e da educadora Joanice Bacelar, Maurício abandonou de vez o ‘de Tude’. Em todas as informações prestadas à imprensa volta a se apresentar como Maurício Bacelar. 


4/12/2014

 





Curativo

Curativo Anunciada para entrar em funcionamento no final de 2011, depois prometida para abril deste ano, e agora receitada para dia 6 de dezembro, UPA da Gleba A terá gestão terceirizada. Mesmo considerada tendência      natural na moderna administração da saúde bancada pelos recursos públicos, processo em Camaçari continua parecendo  curativo refeito com o mesmo esparadrapo.


Curativo 2 É o que mostra o processo de Seleção Pública para escolha da empresa responsável pela “gestão, operacionalização e execução dos serviços de saúde na Unidade de Pronto Atendimento Porte II Gravatá”, conhecida como UPA da Gleba A.


Curativo 3 Conforme ata da Seleção Pública 001, de 23 de agosto deste ano, compareceram para a disputa do contrato as entidades reconhecidas como Organizações Sociais (OS): Instituto de Gestão e Humanização (IGH) e Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Gestão Pública (INTS). (Confira)


Curativo 4 Abertas as propostas, os 2 institutos foram considerados sem condições de prestar o serviço por não preencherem os requisitos do edital. O IGH recorreu e em decisão de 22 de outubro teve seu o recurso julgado pela prefeitura de Camaçari que reiterou a decisão anterior, mantendo o Instituto inabilitado.


Curativo 5 Sem vencedor, uma nova seleção, sob o número N° 002/2014 – Processo Nº 1246/2014, é aberta no dia 7 de novembro, pela Coordenação de Materiais e Patrimônio (CMP) da Secretaria de Administração da prefeitura de Camaçari. Diferente do processo Nº 001, esta 2ª seleção conta com o comparecimento de “apenas uma pessoa jurídica: Instituto de Gestão e Humanização (IGH)” (Confira).


Curativo 6  Habilitado desde o dia 14 de novembro, conforme ata do julgamento final da Seleção 002, o IGH vai receber  pouco mais de R$ 1 milhão e 200 mil mensais para gerir a UPA. Nesta  etapa pre-inauguração, realiza processo de seleção de médicos e outros profissionais  da área de saúde e estrutura de apoio, conforme material divulgado no site da prefeitura. Com o título ‘UPA seleciona profissionais’, texto informa que as 160 vagas são para ensino fundamental, médio, técnico e superior, e que os candidatos devem acessar o site do IGH.  (Confira)


Curativo 7 A situação lembra o vai e vem do caso Coopersdaúde. Responsável pela gestão de parte dos postos do município até final de 2013, cooperativa foi denunciada em reportagem do  programa Fantástico, como integrante de um esquema irregular com prefeituras brasileiras. Mesmo sem impedimento por parte do município, que não constatou irregularidade no trabalho da cooperativa, a Coopersaúde teve o contrato abreviado em 1 ano. Voltou a participar de disputa em Camaçari, onde venceu, mas não levou.


Curativo 8 Com a anulação do processo de seleção da Coopersaúde, a prefeitura escolheu aFundação Estatal Saúde da Família (Fesf-SUS). Cheio de coincidências, o processo de escolha da Fesf-Sus foi denunciado pela Coluna. (Confira)


27/11/2014

 





Buraco

Buraco Não tem jeito, o programa Cidade do Saber (CDS), mantido pelos cofres de Camaçari e gerido pela Organização Social Instituto Professor Raimundo Pinheiro, continua sem controle da prefeitura e fora da órbita do compromisso com o bem público. O famoso Planetário é mais um exemplo desta falta de foco do complexo criado para garantir inclusão da população carente do município com a construção de ações de cidadania.


Buraco 2 Com custo estimado em R$ 6 milhões, o famoso Planetário foi uma das metas aprovadas pelo complexo. A reunião foi realizada dia 4 de dezembro de 2008 (Confira).


Buraco 3 Visível a olho nu, só a fachada do projeto executado e até hoje exibido no portfolio do escritório Lumo Arquitetura, sediado no Rio de Janeiro (Confira). O CD com todos os detalhes arquitetônicos do Planetário, e as comprovações pelo pagamento de cerca de R$ 100 mil pelo projeto, se não mergulharam no buraco negro, gravitam em alguma gaveta da instituição.

 







Buraco 4 O chamado Núcleo de Multimeios é outro que segue vagando pela mesma trilha do descaso. Estrutura também aprovada no plano de metas da Cidade do Saber para 2009, previa cursos e oficinas de formação em cinema, fotografia, rádio e web, para jovens da cidade. O estúdio, que chegou a ser montado, se chocou com o Conservatório de Música. Transformado em partículas, projeto adiou o sonho de conexão de centenas de jovens com as novas tecnologias.


Buraco 5 Completam esse conjunto de ações mandadas para o espaço profundo, largo e impune, o Simulador de Terremoto. Estrutura que chegou a ocupar espaço na área verde da CDS, provavelmente foi atingido por algum cataclisma. Empacotado e nunca visto, Simulador seria peça do acervo do Museu Única, em funcionamento no complexo desde 2011, e parte do pacote de equipamentos adquiridos no mesmo ano de 2008, da Organização de Auxílio Fraterno (OAF).


Vou de taxi O projeto de Lei que institui multas que variam de R$ 1 mil a R$ 4.500 para o transporte clandestino irregular, seja por moto, carro, van ou ônibus, deve ser aprovado em 2ª e última votação na próxima quinta-feira (27).


Vou de taxi 2 Na véspera, quarta-feira, vereadores e representantes dos sistemas de transportes oficiais e os chamados clandestinos, se encontram com o prefeito Ademar. Vão discutir uma nova modalidade de transporte, o ‘taxi coletivo’, conhecido pela população como ‘ligeirinho’.


Vou de taxi 3 Novidade pode ser a saída para garantir emprego para dezenas de motoristas, ao mesmo tempo em que desafoga o caótico sistema de transporte por ônibus entre a sede, zona rural e orla de Camaçari. Sistema existente em cidades brasileiras e até em outros países, estabelece lotação de 4 passageiros com roteiro fixo e tarifa um pouco superior à passagem cobrada pelo ônibus.


Vou de taxi 4 A corrida só está começando. Qualidade dos veículos, tarifas, treinamento dos motoristas, roteiros, horários e fiscalização do sistema formam o longo trajeto que o serviço terá de cumprir até apresentar bandeira livre.      


Finalmente O Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic) começou a realizar simulados de treinamento da população de Camaçari e Dias D’Avila para fuga em caso de acidente no maior complexo industrial integrado da América do Sul, onde funciona o parque petroquímico do estado.


Finalmente 2 O atraso de algumas décadas, cobrado pela Coluna e sem o eco necessário da prefeitura e Câmara de Vereadores, é comprovado no depoimento da aposentada Marilene de Souza Silva, de 63 anos. Em entrevista ao site da prefeitura de Camaçari, a moradora do bairro Mangueiral, desde  1975, lembra que  é a primeira vez que participa de ação do chamado Plano de Emergência da Comunidade (PEC).


20/11/2014

 





Calibre

Calibre  As mortes violentas do Pastor Jailson Conceição Santana, domingo (9) e da microempresária Cassilda de Almeida, segunda-feira (10), são mais que meros registros de violência em Camaçari. Os números não param de crescer e alcançam uma progressão que exige propostas e soluções. Conter a violência é acima de tudo lei da vida. Também é lei do mercado na cidade-sede do maior complexo industrial integrado da América do Sul.  


Calibre 2 É preciso fazer  mais para  mudar o quadro a partir de  2015, já que o ano que acaba  não tem mais solução. Os levantamentos oficiais não deixam dúvidas de que 2014 será ainda pior que 2013, com possibilidades de superar até 2012. Segundo a própria SSP, Camaçari registrou 190 homicídios até outubro deste ano, 34 a mais se comparado com as 156 mortes no mesmo período de 2013.  


Calibre 3 Números extraoficiais de outubro e novembro, da própria Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP), mostram que Camaçari  avança para 194 registros até dia 11 de novembro. Conta nefasta mostra que a menos de 50 dias para fechar 2014, cidade está a apenas 1 homicídio para igualar com a marca de 195 vítimas da violência em 2013. Distância do recorde de 202 assassinatos registrados em 2012 é de 7 mortes.


Transtorno Não tem nada a ver com maluquice. O diagnóstico para o descaso da Secretaria de Saúde do município com os 4 Centros de Atenção Psicossocial (Caps) de Camaçari é incompetência aliada a falta de vontade política. Desenganada e com validade vencida, atual gestão da Sesau continua sem entender a necessidade de manutenção de um serviço de atendimento e apoio a pacientes com transtornos mentais, independente de ser adulto, criança ou vítimas das drogas.


Transtorno 2 Um exemplo é o Caps de Vila de Abrantes, que sequer consegue distribuir medicamentos básicos como clonazepam e risperidona. Para piorar, unidade com cerca de 500 usuários ativos, carece de manutenção de seus espaços para lazer e de material usado em atividades terapêuticas. Quadro pode se agravar caso se confirme a saída de 1 dos 2 psiquiatras, a partir de dezembro. 


Transtorno 3 Mesmo sem remédios e profissionais suficientes, equipes e pacientes do Caps de Abrantes não desistem da luta antimanicomial. Na próxima segunda-feira (17) voltam a se reunir a partir das 9h. Encontro discute melhorias e a germinação da semente de uma associação municipal de usuários, familiares e amigos de portadores de transtornos mentais.


Transtorno 4 Taí uma boa sugestão de agenda para o prefeito. Mesmo sem pedra verde no dedo, Ademar Delgado vai poder conhecer melhor os entraves na gestão do sistema de saúde da rica Camaçari.


Cremeb Quem tem tudo para estrear receituário de secretário da saúde de Camaçari, a partir de 2015, é o vereador Doutor Elias Natan. O edil do PV conta com apoios significativos na bancada governista. A dúvida do doutor é a montagem da equipe.


Cremeb 2 Vereador e profissional acostumado com comando, auditagem e avaliação, sabe que não pode repetir os erros do atual, Vital Sampaio (PSD). Também não pode insistir na falta de assepcia com a saúde, praticada pelo antecessor e atual titular das finanças, Camilo Pinto. O tratamento para avançar só com o controle dos cargos responsáveis pelos procedimentos chaves na pasta da Sesau. 


Faroeste Continua intenso o tiroteio pela presidência do Legislativo de Camaçari. Na trincheira do alcaide Ademar Delgado, José Marcelino, vereador, presidente municipal do PT e líder do governo na Câmara, recarrega as cartucheiras e refaz a mira, enquanto do lado do ex-prefeito e agora federal eleito, Luiz Caetano, o também atirador petista, Téo Ribeiro sonha com a reeleição. Outro que não esconde a arma é o companheiro de partido Gilvan, identificado como o novo cowboy do grupo, e pronto para a missão.


Faroeste 2 Dilson Magalhães (PSC) e Oziel (PT) também integram o batalhão dos municiados com balas oficiais. O decano Magalhães, ainda convalescendo de uma cirurgia, aproveita o conforto do lar para receber visitas e articular sua candidatura com o apoio da oposição e governistas insatisfeitos.


Faroeste 3 Já o novato Gilvan (PT) reúne aliados de boa pontaria na própria bancada e até em território tido como inimigo. Acordo de revezamento do xerife Téo por Marcelino, firmado entre Caetano e Ademar, antes da posse de 2012, ainda não foi digerido. 


Faroeste 4 Já a oposição, formada pelo DEM, PRTB e PTB, mesmo com arma em punho, anda meio desanimada. Além da falta de unidade na pontaria, sabe que parte do estoque de munição que dispõe é bala de festim fornecida pela fábrica governista. Mesmo assim, sonha com a bala única para atingir o adversário.


Faxina O ex-vereador e atual presidente da Limpec, Alfredo Andrade, pode ser o 1º vassourado pelo prefeito Ademar Delgado. Exoneração do sobrinho do ex-prefeito Caetano vai além da ineficiência da empresa de Limpeza Pública de Camaçari. Conhecida como gastadora e cabide de empregos incapaz de varrer um metro de rua em toda Camaçari, Limpec pode ser aspirada pela Secretaria de Serviços Públicos. Mexida tira poder de Andrade, mas garante sombra para aliado.  


Faxina 2 Mesmo negado, racha entre os grupos do ex e atual prefeito é real e pode se consolidar com a anunciada, adiada e agora novamente prometida dança das cadeiras no secretariado municipal, para começo de 2015. Núcleo pró-Ademar diz que reestruturação no 1º escalão é o caminho para mostrar que alcaide governa, tem consistência política e não abre mão de disputar e comandar o processo de reeleição em 2016.


Release Quinta-feira (20) tem Sessão Especial da Câmara de Vereadores em homenagem ao Dia da Consciência Negra. Ato será realizado a partir das 14h, no Teatro Alberto Martins (TAM), centro de Camaçari.


13/11/2014

 





Alarme

Alarme Principal polo econômico do estado e apresentada para toda a Bahia como referência em gestão e eficiência, Camaçari passa atestado e mostra que seu monitoramento eletrônico de segurança deu chuvisco. Implantado com festa em 2008, sistema com 22 câmeras fixas controladas 24 horas, por policiais no 12º Batalhão da PM, nunca funcionou de forma eficaz.


Alarme 2 Agora, 6 anos depois, com prejuízos incalculáveis para a população que só viu a violência crescer,  município reconhece a falha e vai saber como as vizinhas Madre de Deus e Candeias fizeram lá o que não funcionou aqui.


Paciência Esperado desde os anos 1980, começou a sair da gaveta, esta semana, o programa de treinamento da população vizinha ao Polo de Camaçari, em caso de acidente no complexo industrial. A preparação começou por Dias D’Avila e integra o chamado Plano de Emergência da Comunidade (PEC). Objetivo é ensinar moradores a lidar com uma emergência ‘Nível 4’,  quando  ocorre  vazamento de gás tóxico no complexo industrial. O treinamento para moradores de Camaçari ainda não foi anunciado.


Garagem Depois de permanecer estacionando na Câmara de Vereadores de Camaçari desde agosto, o projeto do executivo que define multas para o sistema de transporte coletivo clandestino começou a andar e foi aprovado em 1ª votação na sessão desta quinta-feira (6). Deve ser aprovado em 2ª e última votação na próxima terça-feira (11). Expectativa é que lei siga para o executivo no dia seguinte e seja imediatamente  sancionada.


Garagem 2 Nova lei vai punir moto, carro pequeno, van, microônibus, ônibus e até caminhão que realizarem serviço sem licença para operar no sistema. Cálculo dos valores obedece a Unidade Fiscal do Município (UFM), estipulada para 2014 em R$ 2,5377.


Garagem 3 Além de apreensão do veículo, penalidades mexem no bolso. Multa para motos não cadastradas no serviço mototaxi será de pouco mais de R$ 1 mil (400 UFM). Para quem utilizar carros pequenos para transporte de passageiros a multa é de R$ 2 mil (800 UFM). Pela nova lei que já poderia  estar em vigor, punição pode chegar a R$ 4.500 (1.800 UFM) no caso de veículos com capacidade para transportar mais de 39 passageiros.


Garagem 4 Denunciada na Coluna do dia 3/11, sob o título ‘Apito Mudo’ (Confira), estação clandestina de transbordo continua funcionando no centro de Camaçari sem ser importunada pela prefeitura. Mesmo alegando falta de legislação municipal para punir com rigor o perigoso transporte irregular de passageiros, entre os bairros da sede, orla e zona rural, a STT poderia colocar o Código Brasileiro de Trânsito (CBT) para funcionar.


Garagem 5 Responsável legal pelo controle do sistema de trânsito e transporte no município, superintendência pode usar o Artigo 231, inciso 8 do CBT, que pune com multa de R$ 85,00 e retenção do veículo quem efetuar “transporte remunerado de pessoas, quando  não for licenciado para esse fim”.


Garagem 6 A criação e manutenção de uma estação clandestina de transbordo de passageiros retrata, ainda que às avessas, a ‘Lei da Oferta e da Procura’. Só existe transporte clandestino porque o serviço oficial não atende a demanda. 


Cardápio Mesmo com o vereador e líder do governo, José Marcelino (PT), como o candidato oficial para presidente da Câmara, na sucessão de Téo Ribeiro, vereadores da bancada governista continuam ensaiando rebelião. Depois de Gilvan, nome alternativo do grupo do ex-prefeito Caetano, caso Téo não emplaque o 2º mandato, o também petista Oziel se apresenta como mais um para  construir o consenso.


ABC O ex-alcaide, agora deputado federal eleito, Luiz Caetano (PT), embarca na próxima semana para China. Convidado pelo presidente nacional do partido, Rui Falcão, vai conhecer um pouco da estrutura partidária do grande parceiro comercial brasileiro. A viagem pode não servir para Caetano aprender mandarin, mas ajuda a entender o idioma do Palácio do Planalto.  


6/11/2014

 





É ele

É ele Se alguém tinha dúvida, pode trocar de pule.  O candidato do governo a presidente do Legislativo de Camaçari, biênio 2015/2016, é o vereador José Marcelino. O atual presidente municipal do PT e líder do governo na Casa é o nome do prefeito, que não vê motivos para não cumprir o acordo de 2012.


É ele 2 Mesmo palavrada e juramentada entre o então prefeito eleito Ademar Delgado, o alcaide Luiz Caetano, a deputada Luiza Maia e os vereadores Téo Ribeiro, atual presidente, e Marcelino, alternância no cargo ainda sofre ameaça com a proposta de reeleição para mais 2 anos.


É ele 3 Sem alardes, Ademar Delgado avança nas conversas com vereadores para assegurar a transição sem traumas na base governista. Estranha a movimentação pela reeleição do também petista Téo, mas garante que Marcelino terá o apoio da base situacionista, formada por 12 vereadores.


É ele 4 Fontes ouvidas pela Coluna asseguram que proposta de mudança da legislação para permitir a reeleição tem DNA governista na  sua estrutura. Alteração do Regimento Interno da Câmara foi apresentada pelo oposicionista e governista até a gestão passada, Zé do Pão (PTB).


É ele 5 Mesmo agregando mais poder a Marcelino, já presidente do PT de Camaçari, alternância no comando do Legislativo ajuda a equilibrar o jogo pró-Ademar com a conquista de preciosos votos na executiva do partido, fórum importante na definição da chapa para prefeito. Mais que cumprimento de acordo, movimento tira do ex-alcaide o comando do Legislativo, peça chave na disputa municipal de 2016, quando Ademar busca a reeleição.


É ele 6 Sem a caneta do executivo, com o aliado e compadre Téo fora da presidência da Câmara, e possibilidades de nuvens no Palácio de Ondina e no Planalto, com o todo-poderoso Wagner controlando a meteorologia, Caetano mira o tempo. Mesmo com o título de federal mais votado no PT baiano terá de encomendar um par de sandálias da humildade.


Comando O ano de 2015 começa com mudanças no secretariado e a consequente ampliação e consolidação da presença do prefeito Ademar na definição dos rumos políticos da gestão. O alcaide considera superada a etapa de transição, coroada com a eleição do ex para a Câmara dos Deputados.    


Comando 2 Provocando traumas na gestão e até na relação pessoal entre o ex e o atual alcaide, disputa pelo poder da rica máquina municipal de Camaçari não acaba. Entra apenas numa nova fase, daí a necessidade de Ademar refazer suas contas e buscar saber ‘quem esta com quem’.


Comando 3 E é seguindo essa estratégia que Ademar busca o guarda-chuva do grupo do atual governador, comandante da vitória do petista Rui Costa. Esse é o único caminho para o prefeito garantir fôlego no enfrentamento do aliado, padrinho político e candidato assumido a sua sucessão. Meta é assumir de vez a condição de liderado do fortalecido Jaques Wagner para colocar Camaçari no caminho do metrô, até agora com fim de linha em Lauro de Freitas.


Comando 4 Agenda de fortalecimento com o diferencial de fazer muito mais passa pela sempre prometida e nunca cumprida duplicação das vias Cetrel e Cascalheira, além de parceria para obras de mobilidade urbana na sede.

 







Apito mudo Os operadores do sistema de transporte clandestino de Camaçari continuam mandando e desmandando. Só a Superintendência de Trânsito e Transportes de Camaçari (STT) não consegue enxergar a estação de transbordo criada pelos irregulares na rua Tupinambá, coração de Camaçari. Operando desde o mês passado, ao lado da Clínica do Dr. Françu, espaço dispõe até de toldo para proteger passageiros do sol.  


Apito mudo 2 Sem fiscalização e com sérios riscos de acidentes  para passageiros, solução pode ser o guarda Pelé. Figura conhecida na Salvador dos anos 1970, policial era respeitado pela capacidade de apitar forte, ordenar o trânsito, ao mesmo tempo em que alegrava com suas coreografias motoristas e pedestres da Rua Chile.


3/11/2014

 





Ajuste

Ajuste O vereador Zé do Pão (PTB) é o novo destaque legislativo deste 2º semestre na Câmara de Camaçari. Depois da proposta de reeleição para o atual presidente, o petebista agora bota no forno projeto que amplia o número de cadeiras na Casa do Povo.


Ajuste 2 Já em tramitação na Comissão de Constituição e Justiça do Legislativo, proposta de mudança do Regimento Interno da Casa está longe da briga pelo consenso, comum entre governistas e oposicionistas. A proposição é unanimidade entre os 19 edis e tem aprovação assegurada até novembro. A discussão agora é o tamanho do aumento.


Ajuste 3 Vereadores ouvidos pela Coluna defendem a ampliação das atuais 19 cadeiras para 23.  Descartam o intermediário 21 e lembram que a mudança tem respaldo legal e melhora a qualidade dos debates na Casa. Também asseguram que a conta não aumenta os custos para o contribuinte.


Ajuste 4 O ano de 2014 fecha com quase R$ 40 milhões de repasse para o Legislativo. Esse valor pode até dobrar e chegar perto dos R$ 80 milhões em 2015, segundo projeções feitas para a receita do município. Base de cálculo para o repasse, o chamado duodécimo, ou 12, número de meses do ano, atualmente representa uma transferência mensal dos cofres do município para o Legislativo de pouco mais de R$ 3 milhões e 300 mil.


Ajuste 5 Confirmados esses valores, ou patamar não muito distante, a autonomia financeira do Legislativo não deve ser abalada. Mesmo com os custos de mais 4 vereadores e cerca de 40 assessores somados ao projeto de construção do anexo para acomodar os atuais e garantir boas condições de trabalho para  os novos edis, a Casa continua com folga orçamentária, garantem fontes da Coluna.


Ajuste 6 Com verba de gabinete de R$ 50 mil mais salário de pouco mais de R$ 10 mil por vereador, os 4 novos edis representam um custo mensal de R$ 250 mil, mais R$ 3 milhões na conta anual da Casa. Número ainda indefinido é a ampliação do Legislativo para abrigar os novos vereadores e a consequente reforma total do conjunto para unificar a pintura.  


Ajuste 7 O argumento dos vereadores de que a ampliação em até 4 cadeiras melhora a representação é um lado da moeda. A outra banda, sempre pouco vista e nunca apresentada, atende a lei da sobrevivência política. O aumento das cadeiras tem relação direta com a ampliação das chances dos atuais edis se reelegerem. A conta é simples. Quanto mais cadeiras, menores são as chances de quem está sentado perder o lugar.


Ajuste 8 Pela Lei, Camaçari deve chegar a 300 mil habitantes em 2015, o que permite a inclusão de mais 4 vereadores a partir da legislatura de 2017. Segundo o IBGE o município já ultrapassou os 280 mil e tem assegurado o direito constitucional de aprovar mais 2 vagas, passando das atuais 19 para 21 cadeiras.


Ajuste 9 Quando o número de cadeiras foi aumentado de 13 para os atuais 19, em 2012, o Legislativo já defendia e possuía condições legais para emplacar as 21 vagas. Na época o prefeito Luiz Caetano (PT) pressionou pela ampliação em apenas mais 4 cadeiras (17), mas sua proposta terminou calibrada em mais 6 vagas, transformando em consenso o aumento para 19 vereadores a partir da legislatura de 2013.

 







Óculos A Coluna errou ao atribuir ao vereador Oziel, o uso do traje tucano, domingo (19), durante carreata de apoio a presidente Dilma, comandada pelo governador eleito Rui Costa. Citado na nota ‘Avisa aí’, postada no Camaçarico do dia 21, Oziel foi vítima da desatenção do editor. Na verdade o vereador com a indumentária canarinho foi o também petista Gilvan, como mostra a foto distribuída pela assessoria do ex-prefeito.


Economia A Semana Global do Empreendedorismo em Camaçari 2014 será lançada quarta-feira (29), com um Café Empreendedor, a partir das 8h, na Casa do Trabalho. A 7ª edição da Semana Global acontece entre os dias 17 a 23 de novembro e deve reunir cerca de 70 mil pessoas. A Semana Global conta com o apoio da Acec, CDL, prefeitura, entre outros.


28/10/2014

 





Fritura

Fritura O plenário da Câmara de Vereadores de Camaçari confirmou na sessão desta terça-feira (21), a informação de mudança do Regimento Interno da Casa para assegurar a reeleição do petista Téo Ribeiro. Antecipada em setembro pela Coluna sob o título Fast-food (Confira), o Camaçarico citava inclusive  que a proposta não partiria dos governistas. Como acertado, coube ao vereador Zé do Pão (PTB), ainda instalado na bancada da oposição, apresentar a proposta.


Fritura 2 O lanchinho servido e montado com a ajuda do ex-vereador e secretário de turismo do governo passado, Waldy Freitas, é o desarranjo que faltava para os antigovernistas ficarem definitivamente fora  da disputa pela direção da 2ª estrutura de poder no município. Presidência é cozinha de grande importância na sucessão do prefeito Ademar Delgado, em 2016.


Timão O governador eleito, Rui Costa, no comando da carreata de domingo (19), é indício de que o petista não engoliu derrota para Paulo Souto, em Camaçari, e quer compensar com vitória significativa de Dilma no município. Dilma obteve 45,35% dos votos do eleitorado no 1º turno. O número é confortável, se comparado com os 41% do estado.


Timão 2 A ordem é ampliar e buscar trazer boa parte dos 35,7% de Marina. Em Camaçari, Aécio obteve 17,29%, quase metade dos 33%, soma de votos em todos os municípios baianos. No atacado, conta mostra que 52% dos votos do município foram para a cesta da oposição.


Avisa aí Na próxima manifestação de campanha, ou até no dia da votação, recomenda-se ao vereador Oziel (PT), fugir das camisas com cores azul, verde e amarela, incorporadas como marca da campanha do tucano Aécio. Distraído, o edil camaçariense usou vistosa camisa canarinho durante a carreata de domingo (19), em Camaçari. 


Avisa aí 2 Outro descuidado é o vereador José Marcelino (PT), líder do governo na Câmara Municipal. Mesmo com o clima festivo e calor dobrado deste final de outubro eleitoral, não é de bom tom desfilar de periguete na mão, em cima do caminhão. Na próxima, segue a velha regra da política e coloca a loira na latinha de refri.


Novidade O ato de apóio do PSB à candidatura Dilma Rousseff, semana passada em Salvador, é notícia velha para Camaçari. Legenda, criada no município para ser linha auxiliar do PT, sempre agiu longe do comando da direção nacional e da indefinida gestão da senadora Lídice da Mata. Controlados pelo ex-prefeito Caetano, ‘socialistas’ de Camaçari, ao contrário da titubeante gestão estadual, marcha de fato e de direito desde o nascimento sob o comando petista. 


21/10/2014

 





Números

Números A superioridade eleitoral de Paulo Souto, em Camaçari, com 46.631, exatos 2.331 a mais que o petista Rui Costa, não foi um bom passaporte para o grupo do ex-prefeito no futuro governo. Mesmo colocando na conta do esquecimento a reação de Luiz Caetano ao nome do hoje governador eleito, quando insistia na disputa pela indicação do partido, outro número sinaliza essa falta de gás na reta final. São os 50.952 votos obtidos no município pela presidente e candidata a reeleição, Dilma Rousseff, uma diferença em relação a Rui de quase 20%.


Números 2  A deputada Luiza Maia (PT) terá de acender uma vela pelos próximos 4 anos para o companheiro de partido, o federal Valmir Assunção. Sem o apoio do líder do MST no estado, dificilmente Luiza teria os exatos 42.037 votos que lhe asseguraram a penúltima vaga na coligação.


Números 3  No 1º mandato, nas eleições de 2010, a parlamentar somou quase 80 mil votos. A maré de vazante se repete na sua principal Base. Em Camaçari Luiza somou 15.269 votos contra os 24.605 apoios obtidos de 2010.  


Números 4 Outro que precisa bater a cabeça no terreiro do pai Rui Costa é o deputado Bira Coroa (PT). Com 39.083 votos, o deputado morreu na 1ª suplência e deve ser reanimado graças a caneta do governador com a condução de pelos menos 1 parlamentar da Assembleia para o 1º escalão do governo. Bira ficou a 377 votos da última vaga, conquistada pelo companheiro de partido, Marcelino Galo.


Números 5 Com votação decrescente, Bira teve 171 votos a menos na comparação com 2010. Na sua terra natal os números também conspiram contra, a cada eleição. Em 2006 teve 12 mil apoios, soma que caiu para pouco mais de 5 mil em 2010, contra os 4.418 neste 2014.


Números 6 Já o ex-prefeito Luiz Caetano foi eleito o deputado federal mais votado do PT, com 125.862 votos. Mesmo com todo foguetório, sabe que os  pouco mais de 36 mil votos em casa é número médio para quem concorreu sozinho e usou, abusou e ainda reclamou da máquina municipal. Deixa em 2º, com 703 votos a menos na conta geral do PT e com apenas 708 apoios em Camaçari, o ex-secretário de saúde e candidato preferencial do esquema de Wagner, Jorge Sola.


Números 7 Mesmo negando, o ex-alcaide mais uma vez atropela Bira. Fechado com Sola, Bahia adentro, Bira recuou do acordo oficial de ajudar o ex-secretário na sua terra natal. O receio pode ter lhe custado menos votos com apoio de Sola, em outras bases, como também os preciosos votos em Camaçari, para que o doutor Sola tirasse de Caetano o posto de primeirão para desgosto do governador Wagner.


Números 8 Na 1ª suplência e com poucas chances de  assumir o mandato, o vereador Antonio Elinaldo (DEM) sai maior do pleito de domingo (5). Dos 36.278 votos, garantiu 27.412 na sua base de Camaçari. Ficou distante pouco mais de 5 mil votos de David Rios, com 41.777. Com número de gente grande no município, Elinaldo mostra que disputa pela sucessão de Ademar, em 2016, será acirrada. Seu grupo busca agora a difícil operação de deslocamento de um dos eleitos para abrir vaga de deputado, palanque importante para a sucessão de Ademar Delgado.


Números 9 Já o 3 vezes prefeito José Tude (PTN) sai com mais uma derrota no currículo outrora recheado de vitórias. Com 22.238 votos na soma geral do estado, Tude garantiu na sua principal base apenas 14.456 votos. Ficou quase 22 mil votos atrás de Caetano e perto de 3 mil votos distante de Elinaldo.


Números 10 Se a comparação for feita com a soma geral, a tragédia fica ainda maior. Em relação ao também tri-alcaide, Tude fica mais de 123 mil atrás. A sapecada de Elinaldo não tem o mesmo tamanho, mas deixa dor igual com quase 13 mil votos de frente.


Números 11 Ainda no time dos que têm Camaçari como principal base, o vereador Doutor Elias Natan (PV), candidato a estadual, não apresentou votação significativa. Com 5.651 votos, dos pouco mais de 12 mil obtidos em todo estado, chegou a 150% do seu placar de vereador, em 2012, quando garantiu mandato com 2.079 votos. Sem estetoscópio e ajuda significativa da máquina, o petista Zé Raimundo Hamburguer entrou apenas para marcar posição. Dos 1.184 votos totais, amealhou 427 em Camaçari.


Números 12 No time dos sem apoio, destaque para o vereador João da Galinha (PRTB). Contrariou o esquemão oficial e arriscou candidatura a federal. Garantiu no seu cercado preciosos 5.429 votos, quase 4 vezes mais os 1.484 votos das eleições municipais de 2012. Mesmo em universos diferentes, votação deste 2014 amplia a cesta do edil para enfrentar a reeleição de 2016 com mais equilíbrio.


Números 13 Já o PCdoB, somou com seus candidatos a estadual em Camaçari pouco mais de 2 mil votos, contra número um pouco menor com seus federais. Destaques para Alice Portugal, com 689 votos e Daniel Almeida (621). Soma garante candidatura do atual secretário de cultura, Vital Vasconcelos, na revolucionária missão de resgatar o mandato do companheiro Isanor, nos anos 1980.  


Números 14 Já no jogo da transferência de votos, o atual deputado estadual João Carlos Bacelar (PTN), cria da cidade, filho do ex-vereador Amélio Batista e irmão de Maurício Bacelar, agora Maurício de Tude, obteve 8.228 votos. Outro beneficiado foi o também estadual e agora com cadeira na Câmara Federal, em Brasília, Paulo Azi (DEM). Candidato apoiado por Elinaldo e pelo ex-prefeito Helder Almeida e toda a bancada democrata, conquistou 7.656 votos em Camaçari.


Números 15 Com votação destaque, Caetano aposta num perdão pelo TSE para o pedido de impugnação de sua candidatura. O esquema de Wagner  sabe que retirar seu nome agora é extrair mais de 120 mil do coeficiente eleitoral do PT, com baque na formação da bancada na Câmara Federal. Caso o cutelo da Lei da Ficha Limpa se confirme, só depois da posse. Cassação no decorrer de 2015 seria sem traumas, pois exigiria apenas a subida do suplente.


Números 16 Assessores garantem que o prefeito Ademar Delgado (PT) respira mais aliviado com vitória de Rui Costa. Entre uma mobilização e outra pela reeleição de Dilma, pensa no tabuleiro a partir de 2015.


7/10/2014 atualização às 13h

 





GPS

GPS O prefeito Ademar Delgado (PT) pode até negar de pés juntos, mas segue a regra da política e analisa todos os cenários pós-outubro. Qual o seu caminho com a eleição para o Congresso Nacional e consequente fortalecimento do ex-prefeito de Camaçari e companheiro de partido, Luiz Caetano. E a influência da eleição ou derrota de Rui Costa nos seus planos de reeleição. A sucessão em Brasília e até o atropelo e sepultamento político do ex, pela Justiça, são variantes que Ademar não descarta e analisa.


GPS 2 Fontes da Coluna asseguram que eleito deputado federal, o ex-prefeito promete cumprir mandato de apenas 2 anos, o que coloca seu nome na sucessão de 2016, portanto em conflito com o pleito do atual inquilino do cargo, que aposta no 2º mandato.


GPS 3 Meta do ex-alcaide é voltar provisoriamente para a miudeza da prefeitura de Camaçari, trampolim com impulso suficiente para brigar pelo comando do Palácio de Ondina, a partir de 2019.


GPS 4 Parceria com o vereador José Marcelino e controle da Câmara de Vereadores, com o compadre e fiel escudeiro Téo Ribeiro, garantem pista confortável para o ex.


GPS 5 Sem espaço no PT de hoje e agora para garantir seu nome em convenção do partido, só resta a Ademar o exercício da paciência. Recados não faltam. Durante jantar quinta-feira (25/9), num restaurante de Salvador, disse com todas as letras que ou é ele na sucessão, ou o jogo pode embolar. Sobremesa servida pelo alcaide mexeu com os talheres caetanistas presentes.


GPS 6 A manutenção do governo estadual no esquema Wagner é o melhor cenário para Ademar. Sabe que Rui na cadeira é reforço, inclusive na base municipal. Sem Rui fica ainda mais sozinho e corre o risco de ser obrigado a entregar os dedos, porque os anéis já se foram, fazendo um acordo e desistindo da disputa por motivos pessoais.


GPS 7 Para quem levou a fidelidade a limites inexplicáveis, segundo alguns aliados, com comprometimento de metade do mandato, é nada esperar o mapa da Assembleia Legislativa e Câmara Federal, próximo domingo (5), e o fechamento do 2º turno, dia 26. Realinhar sua base ainda sem tamanho definido e até construir um novo guarda-chuva partidário. Caminhos não faltam para quem tem a caneta capaz de definir o cardápio até 2016.


2/10/2014 

 





Futuro do pretérito

Futuro do pretérito A deputada estadual e candidata a reeleição, Luiza Maia (PT), inicia luta pela implantação de escola-creche para atender os filhos das trabalhadoras da Feira de Camaçari, rebatizada de Centro Comercial.


Futuro do pretérito 2 A esposa de prefeito por 3 mandatos, ex-secretária da Mulher e ex-vereadora e presidente da Câmara Municipal promete promover gestões junto a prefeitura. Vai pedir providências ao aliado e companheiro de partido, prefeito Ademar Delgado, responsável pela gestão e manutenção do equipamento.


Tesouro Depois de Dalva Sele Paiva, presidente do Instituto Brasil, boca de presidente de ONG financiada pelos cofres públicos anda mais mortal que lança-mísseis.


Tesouro 2 Bico fechado vale ouro. Aberto, cuspindo listas de Caixa 2, nepotismo e outras traquinagens também apresenta cotação alta na mesma moeda.


Trilhos Maurício de Tude manda correspondência para a Coluna e lembra o seu pioneirismo na proposta de inclusão de Camaçari no sistema de metrô de Salvador, atualmente projetado pelo governo do estado com estação final em Lauro de Freitas.


Trilhos 2 O presidente estadual do PTN contesta o título de primeirona da candidata ao governo do estado, senadora Lídice da Mata (PSB), como divulgado pela Coluna na sua edição do último dia 22 (Confira). Cita sua proposta apresentada durante a campanha  municipal de 2012.


Trilhos 3 O ex-candidato a prefeito nas eleições de 20112 só não pode negar, que tanto seu candidato, Paulo Souto (DEM), como o petista Rui Costa, perderam o trem. Não prometeram a inclusão do município no projeto metropolitano, durante suas andanças pela cidade, mesmo com ‘projeto de projeto’ de interligação a partir de Alagoinhas em andamento.


Trilhos 4 A lista dos descarrilados inclui os ex-prefeitos Caetano e Tude, os estaduais e na disputa  pela reeleição, Luiza Maia e Bira. Completam a relação dos fora dos trilhos da mobilidade, Zé Raimundo Hambúrguer e os vereadores candidatos Antonio Elinaldo e Doutor Elias Natan.


29/9/2014

 





Presença

Presença O deputado federal Nelson Pelegrino (PT) foi o padrinho responsável pela ida para Camaçari da ONG Instituto Brasil Preservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. Fontes ligadas ao governo municipal asseguraram à Coluna que a entidade, presidida por Dalva Sele Paiva, pivô do escândalo envolvendo o PT estadual, chegou ao município em 2005 por indicação do parlamentar.


Presença 2 Contratado para projetos de reforma em escolas da rede municipal, o Instituto Brasil aparece como personagem na condenação do então prefeito Luiz Caetano (PT), pelo Tribunal de Contas dos Municípios. Em 2013 o TCM multou e mandou o ex-alcaide (2005/2012) devolver aos cofres municipais pouco mais de R$ 730 mil por pagamentos de serviços não prestados e problemas na prestação de contas do convênio com a ONG (Confira).


Presença 3 Ainda segundo essas mesmas fontes, o DNA de Pelegrino, na época o mais votado no município e um dos fiadores da eleição de Luiz Caetano, não fica apenas na indicação da ONG para serviços em Camaçari. Sua irmã, Sandra Pelegrino, trabalhou no Instituto Brasil entre 2006 e 2007.


Presença 4 O parlamentar também era visto na sede da ONG, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, onde chegou a participar de festa de congraçamento da entidade. Outros políticos, hoje sem mandato também frequentavam a sede da ONG, presidida por Dalva Sele, ex-dirigente do Comitê de Anistia e Direitos Humanos.


Presença 5 Sandra Pelegrino foi nomeada em 2005 para um cargo na Secretaria de Educação (Seduc), onde fica por 1 ano. Em 2007 volta para a prefeitura de Camaçari e assume funções na Secretaria de Saúde (Sesau) até o final de 2011.


Presença 6 Nestes últimos 5 anos em Camaçari, Sandra Pelegrino foi diretora administrativa-financeira e subsecretaria de saúde. Chegou a ser titular da pasta por alguns dias, durante a interinidade da vice de Caetano, a médica Tereza Giffoni (PSDB). Ocupou o lugar do secretário Camilo Pinto, demitido durante viagem do alcaide a Roma, em agosto de 2011.


Presença 7 Conhecida como técnica eficiente, Sandra Pelegrino atualmente ocupa cargo de gestão na Fundação Fesf-Sus, entidade com presença em 63 municípios baianos e especializada em fornecer serviços de gestão e médicos para prefeituras.


Presença 8 Fesf-Sus é dirigida pelo médico Carlos Trindade, outro velho conhecido do município. Carlão, como é carinhosamente chamado, foi secretário de saúde na gestão do ex-prefeito Luiz Caetano e ligado ao grupo do deputado Pelegrino.


Presença 9 A Fesf-Sus foi contratada pela prefeitura de Camaçari, em março deste ano, num processo acelerado e cheio de coincidências. A fundação foi escolhida para o lugar das cooperativas Cooba e Coopersaúde, que mesmo denunciadas por superfaturamento no programa Fantástico, ganharam direito de participar de nova licitação até serem descartadas em favor da Fesf-Sus. (Confira)


25/9/2014

 





Mistério

Mistério Mesmo com decisão favorável do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA), confirmada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), a Las Palmas continua fechada. A decisão do STJ que reconhece a via como pré-existente, portanto só poderia ser obstruída com a autorização da prefeitura de Camaçari, continua esquecida por quem deveria preservar o interesse público.


Mistério 2 A briga da CLN pelo fechamento da pista tem justificativa na máquina registradora do sistema de pedágio da concessionária. Os cerca de 2 quilômetros de pista entre a  Cascalheira (BA-513) e a estrada do Coco (BA-099), livram centenas de motoristas da cobrança do pedágio sentido Lauro de Freitas e Salvador.


Mistério 3 Fechada dia 14 de dezembro de 2011, por liminar concedida pelo juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública, Ricardo D’Ávila, pista voltou a ser reaberta 5 dias depois (19/12),  pelo mesmo magistrado. No dia 18 de janeiro  de 2012 a pista foi novamente fechada, dessa vez por determinação do juiz Clésio Rosa.  Uma semana depois volta a ser reaberta na marra. A ação, na noite de 25 de janeiro, contou com o apoio de políticos ligados ao governo municipal e integrantes do movimento Pedágio Livre.  Ato durou menos de 24 horas, quando a CLN voltou a  interromper a via com a instalação de  blocos de concreto e defensas de chapas metálicas.


Mistério 4  O vai e vem é prejuízo que já dura 2 anos e 8 meses para centenas de motoristas tarifados em  R$ 5 (segunda/sexta) e R$ 7.50  (sábados, domingos e feriados), mesmo com direito assegurado para seguir  por via que deveria permanecer aberta.


Mistério 5  Completa o mistério da Las Palmas, o silêncio dos governistas com e sem mandato, oposição e o outrora combativo movimento Pedágio Livre, ligado a partidos da base do governo, e o genérico Mão Vermelha, na época identificado com  a oposição municipal. 


Maquinista  A candidata ao governo pelo PSB  disparou o apito ao incluir Camaçari no  sistema de transporte  por trilhos  até  a capital como plano de seu governo, caso vença as eleições de outubro. A manobra da senadora Lídice da Mata deixou longe da estação da modernidade e da tão alardeada mobilidade urbana os candidatos Rui Costa (PT) e Paulo Souto (DEM), representados no município  por 3 ex-alcaides, pelo prefeito, e até por candidatos ao posto no futuro.  


Maquinista 2 Mesmo com Camaçari e todo o seu poderoso complexo industrial, o maior abaixo da linha do Equador, exigindo transporte seguro, rápido e barato, elite política do município demonstra  alergia a trilho. Felizmente a urticária do atraso não é  comum em toda a  região Metropolitana.  Lauro de Freitas já garantiu sua estação no  futuro metrô de Salvador. 


Maquinista 3 Mais curta que  a viagem até Parafuso,  proposta de Camaçari, em manobra desde 2005,  prevê apenas a construção de um contorno  dos trens por fora do  coração do município,  retirando assim o risco do transporte das cargas perigosas e reduzindo o aperto no sistema viário.  Sem  contemplar o transporte de passageiros, projeto descarrilado por irregularidades logo na montagem,  segue lento e perde feio para o velho  Trem Pirulito. 


Mordida  Camaçari não tem mais Delegacia da Receita Federal. O movimento de empresas e pessoas com interesses diretos e indiretos no maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul e uma dos maiores arrecadadoras de impostos do país, agora é atendido por uma agência. O status com a consequente maior capacidade de resolução foi transferido para a vizinha Lauro de Freitas.


Bico seco O ex-alcaide Luiz Caetano troca de idade e de endereço de festa. No pique da campanha para a Câmara Federal, transfere para a praça no bairro da Gleba B, os parabéns pelos 60 anos, na noite de terça-feira (23). Diferente das festas portas abertas e comes e bebes 0800, no sítio da família, em Arembepe, comício terá de seguir a lei eleitoral que proíbe até copo de água.


22/9/2014 

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 | Próxima

Encontrado(s): 322 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2014 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL