Busca:








Silêncio Equipamentos sucateados, sujeira e falta de condições mínimas de trabalho e atendimento humanizado e eficiente aos pacientes. Essa é a realidade da Policlínica de Camaçari. Localizada na região central e mantida pelo município, unidade sequer possui álcool gel para a higiene mínima. Mesmo realizando cerca de 200 atendimentos diários, Políclínica não é dedetizada há meses, e muito menos possui alvará de funcionamento. 

 







Silêncio 2 Essas e outras graves queixas fazem parte do ofício acompanhado de dossiê enviado pelo Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindmed) ao prefeito Ademar Delgado. No documento datado de 7 de janeiro deste ano, e nunca respondido, o Sindimed cita ainda a precarização dos serviços de obstetrícia, pediatria, além da falta de segurança para médicos e demais profissionais da unidade. Procurados pela Coluna, nesta quinta-feira (21), profissionais  lotados  na Policlínica garantem que a situação é a mesma desde a reclamação do Sindimed em janeiro. Confira as fotos. Clique para ampliar a imagem

 







Silêncio 3 Assinado pelo presidente da entidade, doutor Francisco Jorge Silva Magalhães, documento como mostra o destaque feito pelo Camaçari Agora, também é do conhecimento do Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Estadual, Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (Sesab), Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (Cesau) e Secretaria Municipal de Saúde, na época gerida pelo doutor Vital Sampaio. Clique na imagem para ampliar


Garagem Continua sem data o desembarque de Gilberto D’Errico na gestão do prefeito Ademar. A composição com o grupo do vice-governador e secretário de planejamento, João Leão, comandante do PP, tem deixado no desconforto o ex vice-prefeito do governo Humberto Ellery (1993/1996). 


Garagem 2  Atraso no cumprimento do acordo, que inclui o comando do ‘trator’ da secretaria de  infraestrutura, desagrada e atrapalha a estratégia de D’Errico, negociando a adesão de lideranças oposicionistas cansadas da aridez gerada pela distância do poder. 


Ajuste A certeza da disputa como o candidato petista a reeleição ainda é verbo futuro para o prefeito Ademar. Fontes da executiva estadual e dos PTs 1 e 2 garantem à Coluna que não tem nada definido. ‘Certo e acertado’ apenas o sinal amarelo aceso até setembro, quando o trânsito deve ganhar nova dinâmica.


Ajuste 2 Muito mais que assegurar a vaga para reeleger Ademar, partido se movimenta para se manter no comando de uma das mais ricas prefeituras do país. De olho na 4ª vitória consecutiva, opção do PT vai depender de quem ajustar melhor o carrinho.


Freezer Foi para o congelador o projeto de transformação da Feira de Camaçari em shopping popular. Fontes da Coluna garantem que empresários ligados ao projeto avaliam total impossibilidade de viabilização das mudanças na atual gestão. Identificam erros políticos na condução da proposta com feirantes e comunidade. Vão esperar as urnas de 2016.  


21/5/2015


 

 





Empoderado

Empoderado O governo Ademar escapou da sua 1ª derrota no Legislativo graças ao presidente da Casa, José Marcelino (PT). Foi decisivo o atraso no reinício da 2ª metade da sessão, na manhã desta quinta-feira (14). A manobra garantiu a chegada do também petista Gilvan Souza, responsável pelo 9º voto capaz de assegurar a apertada aprovação do pedido de crédito de R$ 110 mil para a problemática Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec).


Empoderado 2  O placar de 9 votos a 8 foi uma  circunstância. O 9º voto, do vereador Teo Ribeiro (PT), só não foi para o placar por afastamento médico do petista.


Empoderado 3 Placar empatado em 9 a 9 é o sinal das dificuldades que estão por vir para o alcaide. Sem avançar na cooptação de oposicionistas e com os rachas dos companheiros Professora Patrícia e Teo Ribeiro, Ademar perde a folgada maioria de 12 dos 19 edis.


Cochilo A publicação de ato de promulgação de Lei pelo presidente do Legislativo virou fato inédito na história política recente de Camaçari.  Mesmo sendo função primordial do prefeito, projetos que instituem a ‘Meia Passagem’ nos ônibus para estudantes, e cria o ‘Bolsa Atleta’, terminaram sendo promulgados pelo vereador José Marcelino (PT).


Cochilo 2 O imbróglio finalizado com a publicação no Diário Oficial do Município (DO) nº 617 (25 de abril a 1º de maio), começa em novembro do ano passado, com a aprovação das leis pela Câmara Municipal. Regimentalmente o prefeito tem 15 dias, a partir do recebimento de uma Lei aprovada pelos vereadores, para sancionar ou vetar (total ou parcialmente).


Cochilo 3 Por puro vacilo, as leis ficaram no ‘buraco negro’ da burocracia do governo. Vencido o prazo, a Lei é automaticamente reconhecida, que no jargão político chama de ‘sanção tácita’. Com a reclamação do vereador Junior Borges (DEM), autor da Lei da ‘Meia Passagem’, o presidente da Casa, chamou para si e mandou publicar no DO.


Cochilo 4  Com data de 15 de maio, leis enfrentam agora a burocracia da definição de valores, já que tanto a ‘Meia Passagem’ como o ‘Bolsa Atleta’ implicam em custos. Como a aplicação exige mexida no orçamento, atletas e estudantes provavelmente só sentirão os benefícios a partir do 2º semestre.


Cochilo 5 Mesmo com a Lei em vigor, prefeito Ademar Delgado (PT) tenta reduzir o estrago com  ‘sanção’ simbólica da Bolsa Atleta. Aproveita a premiação “Melhores do Ano”, nesta sexta-feira (15), a partir das 18h, no Teatro Cidade do Saber (TCS), para festejar com os 200 premiados o novo programa de estímulo ao esporte.


No mocó E o projeto de transformação da Feira de Camaçari em shopping popular virou mercadoria cara e cada vez mais inacessível. O Legislativo, hoje com maioria dos 19 vereadores contrários ao projeto como foi apresentado, empurra para 12 de junho a realização de Audiência Pública sobre o tema.  


Caixa preta O prefeito Ademar tem uma chance de ouro para emplacar um controlador das finanças da Cidade do Saber (CDS). Desde o final do ano passado que a instituição está sem diretor financeiro. Alex Pereira Silva, afastado após aprovação em concurso para auditor do município, mas dando plantão na instituição, foi substituído interinamente por Julio Pinheiro, diretor de relações institucionais.


Caixa preta 2 E o por falar em Cidade do Saber, o Ministério Público Estadual de Camaçari começa a ouvir dirigentes da ONG e seu pagador, a prefeitura de Camaçari. Quem comparece nesta segunda-feira (18), ao prédio vermelho do bairro Ponto Certo, é a diretora geral da CDS. Ana Lucia Silveira presta esclarecimentos à promotora Juliana Varela Rodrigues de Barros no Processo Investigatório Preliminar (PPI) sobre os gastos da instituição.


Xing ling O carro da montadora chinesa Jac Motors, guardado numa ‘capsula do tempo’, desde novembro de 2012, pode ser desenterrado antes dos 20 anos previstos.


Xing ling 2 A sempre futura unidade de Camaçari ganhou do poder público uma área de quase 7 milhões de metros quadrados, mexeu com mata secundária e todo ecossistema da região em troca de geração de impostos e cerca de 3 mil empregos.


Xing ling 3 Sem conseguir engatar a 1ª, a JAC está virando negócio sem troco e dívida que não tem tamanho para a natureza. Quase 3 anos depois não existem obras e os serviços de terraplanagem na  área  da fábrica, localizada na estrada da Cetrel, só ajudaram a ampliar os prejuízos ambientais. 


Campanha O ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano (PT) define nesta sexta-feira (15), em reunião a partir das 17h, no Sinditiccc, os próximos roteiros e estratégias do seu projeto de retomada do poder municipal batizado de ‘Agenda Camaçari’.


Constrangimento O nome do médico responsável pelo seu atendimento no Hospital Menandro de Farias. O pedido é da Ouvidoria da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), que cobra detalhes de paciente atendido, submetido a exames de sangue e depois abandonado por cerca de 4 horas sem diagnóstico e medicamento. Essa é a situação que vive senhor de 76 anos, depois de prestar queixa  pelo mal atendimento na madrugada do último sábado (9), no nosocômio  localizado  na  Estrada do Coco (Lauro  de Freitas). 


14/5/2015

 





Pechincha

Pechincha Como já havia mostrado o Camaçari Agora, em reportagens com os vários agentes e segmentos envolvidos, o governo errou no processo de comercialização da mercadoria ‘shopping popular’, como alternativa para ampliar e requalificar a Feira de Camaçari. O desastre anunciado, na noite de quarta-feira (6), no Teatro Cidade do Saber (TCS), obrigou o governo a recolher o balaio que sequer chegou a ser exibido para feirantes e população, os principais clientes. 


Pechincha 2 Mesmo com a decisão corajosa do prefeito Ademar de enfrentar o teatro lotado e seguramente com a maior platéia em espaço fechado para um debate popular da história de Camaçari, prefeitura corre atrás do prejuízo. Reconhece que errou na comunicação e refaz a agenda para viabilizar projeto apresentado pelo então aliado Luiz Caetano, em reunião ano passado na sede da UPB. 


Pechincha 3 A Como ficou decidido  em reunião num dos camarins do TCS, na noite de  quarta-feira, após o desastrado espetáculo, governo monta ofensiva nos veículos locais, já a partir desta quinta, como forma de convencer a população da viabilidade e vantagem da mudança. Limpeza, praticidade e conforto são os ingredientes do tempero que vai vender através do rádio, TV, impresso e internet, no convencimento de feirantes e compradores. A outra frente incluiu conversas entre prefeitura, empresário representantes do projeto e Ministério Público. 


Pechincha 4 Decidido a avançar e mostrar força, prefeitura aposta no fatiamento dos grupos de feirantes com a consequente neutralização das reações. Tarefa é separar os permissionários dos segmentos ligados a oposição, seja ela a tradicional, formada pelo DEM, PTB e PRTB, ou pelo novo e não menos duro e eficiente adversário, o PT-2 do ex-prefeito Caetano. Politizar o debate com os permissionários, transferindo para a oposição a tabuleta de ‘complicador’, pela pura e simples vontade de obter benefícios eleitorais faz parte da estratégia. 


Pechincha 5 Com o relógio contando contra, o prefeito Ademar precisa sair do balaio da discussão sobre a nova feira para poder enfrentar outra batalha, a da Câmara de Vereadores, onde o projeto precisa receber o aprovado. 


Pechincha 6 Vereadores ouvidos pela Coluna garantem que antes do São João o prefeito Ademar não consegue botar para assar e oferecer seu principal prato ao eleitor na sucessão de 2016. Das 19 bocas do fogão legislativo, alcaide conta oficialmente com 10 votos. Os vereadores petistas Professora Patrícia e Téo Ribeiro agora reforçam a bancada de oposição tradicionalmente formada pelos 4 edis do DEM, 1 do PTB e 2 do PRTB. Com gás limitado e desconforto na base aliada, garantir a maioria vai exigir muito milho para fazer essa canjica. 


Memória Mesmo rompidos politicamente, o ex-alcaide e seu sucessor continuam siameses em parte do discurso e no esquecimento. Durante as comemorações do Dia do Trabalhador, sexta-feira passada, os petistas Caetano e Ademar reforçaram o discurso contra o DEM, o PSDB e até parte da bancada de partidos de sustentação do governo da presidente Dilma, dos inimigos do trabalhador e co-responsáveis por rasgar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).  


Memória 2 Esquecem do mau exemplo que pactuaram desde 2007, quando o programa Cidade do Saber (CDS) foi criado. Mesmo contrariando o ‘Contrato de Gestão’ que exigia cumprimento da legislação em vigor, a velha CLT, dezenas de educadores da CDS permaneceram na informalidade das cooperativas até março de 2012. 


Memória 3 O desrespeito aos trabalhadores, com Caetano  comandando a caneta, Ademar na pasta de administração e sempre um braço forte na gestão, representou centenas de reais a menos no bolso dos trabalhadores, com a perda de direitos elementares como férias, FGTS e 13º salário, como vem denunciado pela Coluna desde março de 2013 (Confira).


Munição O 3 vezes alcaide, Luiz Caetano, avança no seu cronograma para viabilizar sua candidatura  ao 4º mandato  de prefeito de Camaçari. Comanda nesta sexta-feira (8) a partir das 14h, no plenário da Câmara Municipal, a 1ª sessão do projeto ‘Agenda Camaçari’. Deputado federal e agora adversário político do atual alcaide, Ademar Delgado, Caetano dá partida a um programa de debates que vai percorrer bairros e comunidades da sede, orla e zona rural. 


Munição 2 Do outro lado da trincheira o governo avalia que o paiol do ex-aliado está ficando debilitado. A mobilização desta sexta-feira será um teste. É aguardar. 


Quebra mola A operação que resultou na apreensão de 17 veículos e encerramento das atividades do terminal de transporte clandestino de passageiros, em operação no coração de Camaçari desde outubro do ano passado,  é fruto da manobra que vem sendo praticada pelos últimos governos municipais na gestão do transporte público no município. Denunciado em novembro do ano passado pela Coluna (Confira), o sistema batizado de 'ligeirinho' não passa de uma  necessidade apoiada pela própria comunidade para suprir seu problema de mobilidade.  


Quebra mola 2 A ‘lei da oferta e da procura às avessas’  ganha  reforço com a sempre postergada  licitação do sistema de transporte por ônibus. Promessa trombeteada desde a gestão do ex-alcaide Caetano,  ganhou vale prorrogação  pelo atual gestor, o também petista Ademar Delgado, amparado num Termo de Acordo e Compromisso (TAC) com o Ministério Público, estacionado desde  o ano passado, quando deveria  ter sido cumprido com  a licitação do sistema de ônibus. 


Quebra mola 3 Outra lombada sempre contornada pela gestão do atual alcaide é o sistema de mototaxi, reconhecido pelas autoridades como problemático e um dos focos de reforço da violência. Com mais de 4 mil veículos em circulação,  município oficialmente só reconhece  cerca de 1 mil. 


Quebra mola 4 Confusão provocada  pelas motos em parte guiadas  por gente sem preparo para a função, não avança apenas nas vias.  A montagem dos chamados ‘pontos’ espalham toldos de forma desordenada por toda a cidade. Só na zona central da cidade a conta passa de uma dezena. 


7/5/2015

 





Balaio

Balaio  Mais uma vez o alcaide de Camaçari é empurrado a comprar mercadoria de qualidade duvidosa.  Movidos por uma agenda de ações e factóides capazes de ampliar sua presença com ganhos na imagem do gestor que está ‘fazendo muito mais’, equipe de Ademar se atrapalha no varejo com os comerciantes da Feira de Camaçari.


Balaio 2 Lança projeto de requalificação do espaço, conhecido oficialmente como Centro Comercial, sem o mínimo de  diálogo com os  cerca de 2 mil permissionários e comunidade. Obra com data para começar e até empresa escolhida para explorar o novo e necessário equipamento, faz lembrar o mestre Garrincha e a famosa história do jogo com os russos, na Copa de 1958.


Balaio 3 Movido pelo desejo natural e legítimo de ser o nome certo para continuar o projeto petista por mais 4 anos no poder do município, atropela o ritual que esse tipo de ação exige, ao esquecer que a decisão passa pelo coletivo.


Balaio 4 Nem o Ministério Público Estadual (MPE) foi convidado para ajudar no debate. Autor do Inquérito Civil sobre as péssimas condições de funcionamento da feira, aberto em 2013, o promotor Luciano Pitta vê pressa e outras imperfeições no processo, como mostrou reportagem do Camaçari Agora (Confira).


Balaio 5 Sangrando os cofres públicos em cerca de R$ 600 mil mensais com despesas de energia, água, segurança e manutenção, Centro Comercial de Camacari é um equívoco iniciado em 2001 no governo José Tude (PTN). Ao transferir a velha e ainda mais anti-higiênica feira para um espaço fechado, governo municipal optou pela distribuição de benesses, como isenção de despesas comuns em qualquer negócio que dá lucro.


Balaio 6 Com a tabela mantida pelos sucessores Helder Almeida (DEM) e Luiz Caetano (PT), mais preocupados em ampliar seus feudos políticos com favores bancados pela municipalidade, feira avançou de forma acelerada para o ralo da degradação. Nesses quase 14 anos a desigualdade avançou com microempresários convivendo com grandes comerciantes alojados em mais de 1 box e com as contas de água e luz bancadas pelo contribuinte.


Balaio 7 Modelo de PPP (Parceria Público Privada) proposto pelo município para solucionar o problema  abre vários questionamentos que não cabem num mocó. Desconhecido, projeto vira mercadoria que o consumidor só é apresentado quando abre a embalagem. 


Balaio 8 Como será a relação dos atuais permissionários, todos vão ficar, quais os critérios para os  novos, já que o projeto prevê a ampliação em 100% na oferta de pontos. Qual o valor do aluguel, das taxas municipais. E a exploração dos espaços internos como mídia visualizada por um público diário superior a 10 mil pessoas. E os sistemas de tv e de som hoje existentes. Como fica o comunicador Tony Charles, marca registrada da feira.


Balaio 9 Requalificar a feira é bom para todos. Mexer nesse balaio exige calma para não derramar a mercadoria. Aí o preço para o contribuinte fica ainda mais caro.


Contaminação  O doutor Washington tem mais um problema para administrar no espólio de erros e descasos da secretaria de saúde de Camaçari (Sesau). Apenas 15% (1.357) das cerca de 9 mil meninas residentes no município, com idade entre 9 e 13 anos, tomaram a 1ª dose contra o vírus HPV. 


Contaminação 2 A tragédia da falta de sintonia do governo se amplia com a 2ª dose. Mesmo com praticamente todas essas garotas em sala de aula, a aplicação de uma simples injeção de reforço ficou perto de zero, com apenas 183 vacinadas, o equivalente a 2%.


Arrumação O PTdoB (Partido Trabalhista do Brasil) realiza domingo (10/5), sua convenção municipal em Camaçari. Reunião de filiados para escolha do no novo presidente, delegados e demais membros do diretório municipal acontece das 9h ás 17h, na rua Rouxinol, bairro Camaçari de Dentro. Convocação é assinada pelo atual presidente Pedro Oliveira Mateus.


Desligada  A Coelba precisa melhorar seu serviço de inspeção no bairro Gleba B. Equipamento de  suporte para iluminação pública instalado na esquina da rua 7ª do Parque é exemplo desse descaso. Mesmo ciente das reclamações desde fevereiro, companhia considera que poste identificação X406419, com estrutura ameaçada por rachaduras, não apresenta risco para moradores e transeuntes. 


Vaquinha  Está perigando a 7ª edição do Forró Universitário, previsto para julho, no Clube Social de Camaçari. Estudantes da Famec esperam o ‘quer dançar comigo’ da coordenação de eventos. Com entrada trocada por 1 quilo de alimento para entidades carentes do município, festa só acontece com o apoio da prefeitura. Despesas com o som, iluminação e atração do forró não saem por menos de R$ 15 mil. 


1/5/2015

 





Gerentão

Gerentão  Vice-prefeito na gestão Humberto Ellery (1993/1996), ex-secretário de esportes dos governos Tude/Helder (1997/2004) e candidato a prefeito na disputa de 2008, pelo PMDB, Gilberto D’Erricio, desembarca de vez em Camaçari. Amigo e assessor especial do vice-governador e secretário estadual de planejamento, D’Errico é peça fundamental na engenharia política de João Leão (PP), em Camaçari. 


Gerentão 2  Oficialmente nas mãos do ex-vereador Cleber Alves, até a noite desta quarta-feira (22), segundo  o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na prática a presidência do diretório municipal do PP já está sob o controle de D’Errico. Movimento iniciado com o comando da secretaria de infraestrutura e promessa de viabilização do sistema de transporte intermunicipal por trem, como informou a Coluna postada dia 7 (Confira), é mais uma etapa do projeto que tende a ser finalizado com D’Errico na vaga de vice da chapa de reeleição do petista Ademar Delgado. 


Quentão A decisão do Ministério Público Estadual (MPE) de instaurar “procedimentos preparatórios” para verificar gastos com festas juninas, micaretas e outros eventos bancados pelos cofres municipais, pode reduzir a canjica e o rala bucho do Camaforró 2015. 


Quentão 2 Conhecido pela fartura, São João de Camaçari consumiu ano passado, com atrações e estrutura direta e indireta através do apoio dos serviços municipais, algo em torno de R$ 2 milhões. Operação com a ajuda do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) quer botar lupa já na montagem dos contratos com produtoras e empresas especializadas na armação desse tipo de evento. 


Quentão 3 O forró de gastos com festas em Camaçari é ritmo antigo. Vem dos tempos do prefeito José Tude (PTN), continuou com o sucessor Helder Almeida (DEM), e avançou na coreografia com Luiz Caetano (PT). Sem estrutura para puxar o fole, como manda a dança da moralidade  com o dinheiro público, MPE segue desde o começo do ano passado a apuração dos gastos mais recentes da Coordenação de Eventos (Confira)


Bugado Vai ficar para a próxima gestão o programa de inclusão digital com internet rápida para os cerca de 50 mil alunos, professores e servidores das escolas de Camaçari. Depois de planejado, aprovado e até com a empresa escolhida para instalar cerca de 150 quilômetros de rede de fibra ótica interligando a rede municipal de educação, o prefeito Ademar Delgado (PT) resetou o projeto. 


Bugado 2 Ao invés de aproximar as 97 escolas,  sistema de cerca de R$ 20 milhões, nos moldes como estava desenhado, terminaria conectando o alcaide ao Ministério Público Federal por ação de improbidade. Governo busca agora uma saída técnica que melhore a conexão e atenda também as redes de saúde e de assistência social. 


Holofote  Fábio Matos deve assumir nos próximos dias a Coordenação de Eventos de Camaçari. Formado em Comunicação Social com especialização em relações públicas, o atual nº 2  da Superintendência de Trânsito e Transportes (STT), tem sinal verde na área. Trabalhos para a Brasken e Cofic reforçam a escolha. Mudança será o teste de desapego do secretário de Relações Institucionais, Demétrius Moura, acumulando comando da festança com a articulação política da gestão, ao lado do titular da Secretaria de Governo, Sérgio Paiva.   


Medroso A violência em Camaçari parece não ser problema do empresariado, de boa parte das secretarias municipais, muito menos dos representantes do povo na Câmara de Vereadores. A constatação está na lista de presenças no seminário sobre o tema, realizado semana passada no município. 


Medroso 2 Mesmo organizado pela prefeitura, encontro com especialistas da UFBA e UCSAL, sociedade organizada e representantes das polícias Militar e Civil, não sensibilizou a Câmara de Vereadores, a Associação Comercial e Empresarial de Camaçari (Acec), o Clube de Diretores Lojistas(CDL), muito menos o empresariado do  parque industrial representados pelo Cofic. 


Medroso 3 A participação rarefeita do 1º escalão, com exceção dos titulares Márcio Neves (Educação), Mirian Birtencourt (Mulher), e Vital Vasconcelos (Cultura), presentes nas palestras e debates, foi notada e anotada pela plateia. A dimensão do desinteresse de quem é pago para trabalhar pela cidade foi reforçada pela ausência de 18 dos 19 vereadores. Do Legislativo, apenas o presidente da Casa, José Marcelino (PT), convidado para mediar o debate do último dia (17), bateu ponto. 


Medroso 4 Criar coragem e entrar no debate é missão constitucional dessas entidades. Próximos encontros devem acontecer nos bairros do PHOC (1, 2 e 3), Nova Vitória e Piaçaveira, regiões identificadas como as mais problemáticas no mapa da violência na sede do município. 


Eucalipto Os vereadores Elias Natan (PV) e Professora Patricia (PT) querem incluir a UFBA num programa de proteção e preservação do anel florestal de Camaçari. Cinturão vegetal nas cercanias do complexo industrial virou terra de ninguém e já perdeu parte de sua área para invasões. Proposta dos edis é formar uma boa parceria para a cidade, unindo o saber da universidade ao dinheiro do empresariado através do Cofic. 


Ligado O comunicador Marco Antonio dá um tempo na política e volta ao ofício de radialista. Apresenta o Fala Cidade, de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, no canal 33 (Camaçari TV). Mesmo afastado da política o ex-candidato a prefeito, a vereador e até recentemente secretário de esportes de Camaçari, não perdeu o gosto. 


22/4/2015

 





Virtual

Virtual A ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora do programa Cidade do Saber (CDS), continua assoprando o dinheiro do contribuinte de Camaçari. O mais recente estrago já soma R$ 90 mil e tem como justificativa a contratação, sem licitação, da empresa Integro Tecnologias Sociais Ltda ME, para “serviços técnicos e especializados de consultoria e assessoria para implantação de um sistema de gestão financeira e gestão de projetos”.


Virtual 2 Apesar do contrato exigir implantação imediata do “sistema de gestão”, serviço não foi concretizado, conforme apurou a Coluna. Mesmo sem a contrapartida exigida no documento a Cidade do Saber já repassou o equivalente a 60% (R$ 90 mil) do total do contrato de R$ 150 mil.


Virtual 3 De acordo com Nota Fiscal emitida pela Prefeitura de Salvador, onde a empresa está sediada, a 4ª parcela no valor de R$ 22.500,00 foi paga dia 3 de março passado.


Virtual 4 Pelo contrato, que a Coluna teve acesso, a transferência de tecnologia tem prazo de duração de 9 meses e será quitado em 8 parcelas, sendo que as 4 primeiras de R$ 22.500,00, perfazem um total de R$ 90 mil. Já as outras 4 parcelas, também vencidas mês a mês, terão valor de R$ 15 mil e somam os R$ 60 mil restantes, o equivalente a 40% do total. O Camaçari Agora não conseguiu confirmar o pagamento da 5ª parcela no valor R$ 15 mil e provável vencimento no início de abril.  


Virtual 5 Sob a condição de anonimato, servidores ouvidos pela Coluna garantem que tal sistema não existe nem está em processo de implantação. Também asseguram que nunca foi formado nenhum ‘Grupo de Trabalho Misto (GTM)’, como determina o contrato assinado em junho de 2014. “Ninguém conhece” esses 2 servidores da CDS, responsáveis pelo acompanhamento, avaliação e homologação das etapas de execução do sistema, disse um dos funcionários.


Virtual 6 Até a própria diretora da CDS reforça a virtualidade do sistema. Provavelmente esquecida que colocou sua assinatura no contrato, Ana Lúcia Silveira defendeu durante a reunião com servidores, coordenadores, gerentes e demais diretores, na tarde de segunda-feira (13), a implantação de programa similar ao que vem sendo pago pela instituição que comanda.


Virtual 7 Ainda segundo ela, essa ferramenta que consta do ‘Plano de Atividade’ datado de março de 2014 e reforçado pelas assinaturas dos demais diretores: Alex  Pereira Silva, então comandante oficial das finanças da CDS; Utilan Coroa (administrativo), e a controller Maria Luci Novais, será fundamental para modernizar e agilizar as ações da Cidade do Saber.

 







Virtual 8 Mesmo com o lapso de memória da diretora e o desconhecimento pelos funcionários da operação do sistema na CDS, serviço recebeu comprovação de realização pelo atual titular das finanças da instituição. Com a rubrica do diretor Júlio César Pinheiro, Nota Fiscal nº 00000028   confirma o pagamento da 4ª parcela do contrato com a Integro Tecnologias Sociais Ltda ME. Carimbo com o chamegão de Pinheiro também assegura “que o serviço material foi fornecido dentro dos padrões estabelecidos”.  Confira no detalhe ampliado da NF.


Virtual 9  Mesmo com práticas nocivas aos cofres públicos, como  tem denunciado o Camaçari Agora (Confira), ação da ONG gestora da CDS ganha carimbo de aprovação graças a omissão do governo municipal e Câmara de Vereadores. Principal fiador do ‘Contrato de Gestão’, o mal aconselhado alcaide Ademar Delgado acaba de renovar por mais 2 anos um contrato que nunca fiscalizou nem auditou. Mais que gastar errado o dinheiro da rica Camaçari, descuido reduz em muitos milhares de reais o poder do abraço da inclusão em centenas de jovens e adultos.  


Reprovada O campus da UFBA em Camaçari só deve começar a funcionar a partir do 2º semestre de 2016. Os planos de botar a Universidade Federal da Bahia na cidade sede do maior complexo industrial integrado da América Latina atrasaram por falta de dever de casa do governo municipal.


Reprovada 2 Acostumado com o poder da caneta, gestores e apoiadores, inclusive os que agora se esquivam da culpa, transferindo para o atual alcaide toda a responsabilidade. Esquecem que as regras na Universidade são diferentes da política, onde o telhado geralmente é construído antes dos pilares.


Reprovada 3 Com o acompanhamento descuidado a partir do ano eleitoral de 2012, Camaçari ficou para trás e viu a vizinha São Francisco do Conde, o  circuito Itabuna/Ilhéus/Teixeira de Freitas (região Sul), e Barreiras (Oeste) implantarem seus campi.


Reprovada 4 Felizmente a verba de R$ 20 milhões está assegurada. Mesmo com as rusgas, os petistas e ex-aliados Luiz Caetano e Ademar Delgado avançam de ano e garantem a retomada do projeto.


Reprovada 5 Agora, com o prejú para centenas de alunos, que adiam a qualificação e a consequente entrada no cada vez mais apertado mercado de trabalho, burocratas e técnicos remontam cronograma de ocupação de parte da área do finado Ceped. É lá, às margens da BA-512, que será instalado o ‘Bahia Tech’, inicialmente com a oferta de 5 cursos.


Reprovada 6 Campus oferecerá 240 vagas para as 4 especializações em engenharia: Automotiva, Energia, Petroquímica, e Robótica e Automação Industrial. Curso terá 5 anos de duração e  disponibilizará 60 vagas anuais para cada especialização. Nessa 1ª etapa de implantação o ‘Bahia Tech’ fecha sua grade curricular com 60 vagas anuais no bacharelado em Ciências e Tecnologia, com 3 anos de duração.


Novo CEP Depois de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa, o petista Zé Raimundo Hamburguer agora quer ser prefeito. Mas não vai disputar a indicação do partido com o atual alcaide, Ademar Delgado. Promete avançar sobre o não menos rico e complicado terreiro vizinho, São Francisco do Conde. 


Mistério Homem é assassinado a tiros no estacionamento da prefeitura, mas corpo é levado pelo Samu-192 para o Hospital Geral de Camaçari (HGC), onde é oficializado o falecimento. Crime na manhã da última quinta-feira (9) foi presenciado por dezenas de pessoas. Imagens das câmeras de segurança instaladas no local podem ajudar a esclarecer o crime e a estranha ação do serviço de emergência. Identificado como Edson Santana de Oliveira Filho, vítima portava uma carteira falsa de policial militar.


16/2/2015 

 





Propaganda

Propaganda A prefeitura de Camaçari abre licitação para contratação de 2 agências de publicidade. Vencedoras dos contratos de 1 ano e valor total de R$ 14 milhões, pela modalidade “melhor técnica”, serão conhecidas até o final de maio. Abertura das propostas, conforme edital (Confira), que inclui além de criação de peças publicitárias, pesquisas e de outros instrumentos de avaliação da gestão, acontece  dia 20 do mesmo mês.


Propaganda 2 Atualmente a conta é atendida pelas empresas Leiaute e Tempo, que segundo fontes da Coluna, devem participar do novo processo de escolha. Agências atendem a conta de Camaçari desde o início do 2º governo Luiz Caetano, em 2005.    


Peneira Os 2 anos do presidente Téo Ribeiro no comando do Legislativo de Camaçari podem passar por pente fino. Bancada do Democratas na Câmara Municipal promete botar lupa nos gastos do petista durante o biênio 2013/2014. Cifras com reformas e decoração natalina chamam a atenção nos levantamentos iniciais. A Coluna apurou que os números foram apresentados durante reunião de vereadores na última segunda-feira (6). 


Silêncio Colegas de plenário continuam estranhando a mudez do vereador Gilvan Souza. Líder do prefeito Ademar Delgado, o petista usa seu tempo para discutir temas ligados a seu mandato, com destaque para o importante trabalho de inclusão de portadores de necessidades especiais. A missão de defender o alcaide da saraivada disparada pela oposição e agora reforçada pelo PT-2 termina sendo exercida pelo colega de partido Otaviano Maia.


Barulho Oposição promete movimentar o domingo (12), no coração de Camaçari. Manifestação batizada de ‘Revoltados na rua, Camaçari diz não à corrupção. Fora PT’, acontece a partir das 9h30, na praça Desembargador Montenegro. 


Inversão Presença do alcaide de Camaçari nas dependências da Cidade do Saber (CDS), na manhã desta sexta-feira (10), para assinatura de contrato de renovação com a ONG gestora do programa, desprezou o ritual do poder e terminou se transformando num equívoco.


Inversão 2 A razão é simples. O documento que assegura mais 2 anos ao Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestor do programa bancado com recursos municipais, era de conhecimento público desde o dia anterior (quinta-feira,9). Publicado no Diário Oficial nº 613, com data de capa de 28 de março a 3 de abril, mas só postado ontem no site da prefeitura, documento inverte a ordem e mais uma vez expõe quem deveria ser preservado.


Doce Lar  O desenho habitacional de Camaçari continua o mesmo dos anos 1980, quando a prioridade era abrigar trabalhador. É o que mostra levantamento feito pela Coluna sobre oferta de imóveis na terra das oportunidades.


Doce Lar 2  Mesmo com a evolução do Pólo Petroquímico para um complexo industrial integrado, o maior da América  do Sul, Camaçari continua sem oferta de imóveis para a chamada classe média com renda acima  dos R$ 4 mil. Falta de opção, segundo as construtoras respaldada em estudos de mercado, empurra para Lauro de Freitas e até Salvador essa faixa de consumidor gerada pela nova realidade econômica da região.


Doce Lar 3 Com medidas, qualidade e condições de habitabilidade inferiores aos apartamentos e casass construídos nos primeiros bairros populares, nova realidade tem predominância de apartamentos com preços salgados e área média total de 40 metros quadrados. Imóvel de 2 quartos, cozinha espichada para uso como área de serviço e modesta estrutura de lazer não sai por menos de R$ 140 mil.


10/4/2015

 





Mobilidade

Mobilidade O engenheiro Everaldo Siqueira continua no comando da Secretaria de Infraestrutura. O acordo de apoio a reeleição do prefeito Ademar Delgado (PT), com o PP do vice-governador João Leão, repete o velho projeto gerentão da Seinfra. Siqueira é mantido, mas o rugido e as pegadas não deixam dúvidas sobre o comando da obra.


Mobilidade 2 No pacote de parceria com o ‘bonitão’, como gosta de chamar aliados, profissionais da imprensa e até adversários em processo de atração, Leão discute com Ademar o projeto de colocar Camaçari nos trilhos. Recentemente visitaram o sistema de transporte de passageiros por trens, entre as cidades de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, no Ceará.


Mobilidade 3 Ideia é usar inicialmente a malha ferroviária entre Dias D’Avila e Camaçari, até Parafuso. Nos mesmos moldes da região do Cariri cearense, projeto recupera vagões e instala novas estações de passageiros. Proposta é mais ambiciosa e busca o apoio do prefeito de Simões Filho para avançar com o trem até a capital.


Maquiagem Depois de 2 anos sem fiscalizar as contas do programa Cidade do Saber (CDS), o prefeito Ademar Delgado (PT) prepara a caneta para dar mais 2 anos de contrato à entidade. Com data prevista para a próxima sexta-feira (10), renovação do ‘Contrato de Gestão’ com ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro pode ajudar o alcaide a abreviar seus projetos de mais 4 anos no comando da gestão de Camaçari.  


Maquiagem 2 Apartado dos números e sempre mal aconselhado, o auditor aposentado agora prepara uma ‘meia sola’ como forma de amenizar o problema criado pelo ‘ex-tudo’ Luiz Caetano. Segundo apurou a Coluna, proposta é reduzir em cerca de 25%, algo em torno de R$ 4 milhões e 500 mil, os repasses previstos para a CDS em 2015. Entidade é bancada em mais de 90% das suas despesas pelos cofres do município.


Maquiagem 3 Pela nova fórmula, esse montante de recursos oriundos das secretarias de Educação, de Cultura e de Esportes passaria a ser gerido em atividades coordenadas pelas próprias pastas, hoje meras coadjuvantes e praticamente sem direito a publicização como co-responsáveis pelos projetos.


Maquiagem 4 Aparentemente eficaz, mudança apenas reduz repasses de recursos públicos geridos pela ONG. Sem uma auditoria independente nas contas, inclusive com a abertura da caixa preta das cooperativas contratadas pelo Instituto Raimundo Pinheiro, corte pode ampliar desgaste da gestão. Com menos recursos, mas segredos financeiros preservados, demissão de pessoal da CDS aparece como solução incontestável pelo governo.  


Maquiagem 5 Mesmo sem férias, passagem marcada para os próximos dias, e precisando garantir uma agenda política e de gestão que lhe permita remarcar para dezembro de 2020, sua passagem de volta para casa, Delgado mostra pressa. Se prepara para embarcar numa viagem perigosa, como vem mostrando o Camaçari Agora (Confira), e até o próprio Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).


Maquiagem 6 Cabe a Delgado, titular da passagem, decidir as possibilidades de conexão. Caso queira reforçar seu roteiro de desembarque em dezembro de 2016, é só fazer o 'chek-in' na próxima sexta-feira.


Pontinha Depois de muito tensionamento o ex-prefeito de Camaçari finalmente começa a emplacar aliados no governo do estado. Seu correligionário Rogerio Costa (PT) vai comandar a Agersa (Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia). Ex-prefeito de Santo Estevão, Costa deu mais de 7 mil votos para a eleição do companheiro de partido, Luiz Caetano, para a Câmara dos Deputados.


Pontinha 2 O pacote acertado com o governador Rui Costa inclui ainda a indicação dos ex-prefeitos petistas Sílvio Ataliba (Maragojipe), Zé das Virgens (Irecê), e Marcel Carneiro (Paratinga).


Forceps A Limpec finalmente exonerou a funcionária Isabela Rebouças. O ato, assinado no final do mês passado, seguiu o ritual das coisas do além e não foi publicado no mural da empresa de limpeza pública de Camaçari, como faz em casos parecidos a direção da autarquia.


Forceps 2 Caso simbólico na gestão municipal, processo de exoneração da assessora que recebia sem trabalhar foi considerado um verdadeiro parto. Denúncia da Coluna (Confira) foi respaldada por solicitação da Comissão Especial de Resgate e Preservação da Probidade Administrativa, feita em fevereiro de 2011 (Confira). Reforço veio com o Ministério Público. Agora é seguir o ritual e determinar o ressarcimento dos cerca de R$ 400 mil recebidos indevidamente dos cofres públicos.  


Oferta Sapato apertado e vestido fora das medidas. Esse é o figurino da deputada Luiza Maia no PT. Com mais 4 anos de mandato, parlamentar desfila no shopping de olho num guarda-roupa mais atraente e adequado, caso não consiga reformar a atual coleção, grife da boutique 13.


Escolinha O Democratas municipal continua fazendo o dever de casa pela cartilha dos adversários. O vereador e candidato a sucessão municipal em Camaçari, Antonio Elinaldo, retomou as ruas e praças, mas esqueceu que andorinha sozinha não faz verão. Sem convidar os vereadores João da Galinha e Sesse Abreu (PRTB), e Zé do Pão (PTB) companheiros das demais legendas antigovernistas, os 4 vereadores do DEM montaram mais uma atividade aquém do tamanho da oposição.


Heresia E a reforma da praça Montenegro já  passou da missa de mês. A troca do assento de madeira de alguns bancos e a reposição de parte do piso se arrasta desde fevereiro. Perdem São Thomaz de Cantuária, principal inquilino da praça, e o transeunte que esquece o padroeiro e mira o chão para não dar topada. 


7/4/2015

 





Cenário

Cenário Distante 17 meses das eleições de outubro de 2016, quadro sucessório em Camaçari mostra posição confortável para a oposição, com destaque para o vereador Antonio Elinaldo (DEM), na liderança da vontade do eleitor.


Cenário 2 Levantamento realizado pela Farani Consultoria e Pesquisa, com 400 eleitores, entre os dias 20 e 22, na sede, orla e zona rural, exibe situação desconfortável, com alta rejeição e pouca vontade de manter por mais 4 anos o atual prefeito, Ademar Delgado (PT).


Cenário 3 Pesquisa que a Coluna teve acesso mostra que o democrata lidera tanto na pergunta estimulada, como na espontânea, sobre o melhor nome para suceder Delgado. Quando o eleitor cita o nome sem sugestão do entrevistador, Elinaldo aparece com 10%, seguido de perto pelo deputado Luiz Caetano (PT), com 7,8%. Com margem de erro de 5 pontos percentuais para mais ou para menos, situação é considerada empate técnico. Já o também 3 vezes alcaide, José Tude (PTN), é lembrado por 4,8% dos eleitores, enquanto o atual prefeito, Ademar Delgado soma 1%. Com menos de 1% aparecem Maurício Bacelar (PTN), atual diretor do Detran; Zé de Elísio, secretário de  Serviços Públicos; e o deputado pastor Isidoro (PSB).


Cenário 4 Quando é apresentada uma lista com nomes de candidatos o democrata amplia vantagem e fica com diferença de quase o dobro dos concorrentes mais próximos. Mas, 2ª posição se inverte e apresenta empate. O vereador Elinaldo é o preferido por 33,8% dos entrevistados, enquanto Tude ultrapassa Caetano, com 17%, contra 16,3 do petista.


Cenário 5 A pesquisa que não simula disputa entre Tude e Elinaldo, mostra que o democrata vence seus  demais adversários. Com Caetano o placar é de 45,5% a 24,5%. Com Ademar, a vantagem aumenta para 53% a 10,3%. Escore quase igual  apresenta a simulação feita com a deputada estadual Luiza Maia. A petista soma 10,3% das intenções de voto, enquanto  Elinaldo  aparece com 54%.


Cenário  6 No capítulo rejeição o ex-prefeito Tude aparece com o menor índice de recusa pelo eleitor (4%). O campeão é o atual prefeito (31,5%). O também ex-alcaide Luiz Caetano soma 16,8%, seguido pela sua esposa Luiza Maia (12,8%). Maurício Bacelar aparece com 8,3%, enquanto o vereador Elinaldo é desaprovado por 5%.    


Cenário 7  Quando a pergunta é Aprovação/Desaprovação do governo do atual prefeito, os números apresentam grande distância. Ademar é desaprovado por 66,3% dos entrevistados, enquanto 16% acreditam que seu governo está bem. Reforçam os números desfavoráveis  a avaliação da gestão com os critérios: Otimo, Bom, Regular, Ruim e Péssimo. O atual alcaide soma 62,5% entre ‘Ruim’ (51%) e ‘Péssimo’ (11,5%). Os que consideram a gestão  ‘Regular’ são 30,8%,  ‘Boa’ (5%), e ‘Otima’ 1,8%.


Cenário 8 A saúde (38,5%) e a segurança (33,3) são apontadas como os maiores problemas para a população. Com menor preocupação aparecem a educação e o saneamento básico, cada um com 6,8% das citações. Calçamento, asfalto e corrupção foram lembrados por 2,3%, enquanto transporte é problema para 1,8%.


Cenário 9 A pesquisa também quis saber o peso que o eleitor de Camaçari atribui a presidente Dilma, ao ex-presidente Lula e aos líderes Rui Costa, Jaques  Wagner e ACM Neto, na sucessão municipal.


Cenário 10 Para 74% dos entrevistados a recomendação da presidente e do ex não seria seguida, enquanto 19,3% poderiam votar no candidato a prefeito apoiado por eles. Apenas 5% dizem que votariam  ’com certeza’, enquanto 1,8% não sabem avaliar.


Cenário 11 Quando a pergunta é  sobre  a indicação do atual e do ex-governador, a discordância  é de 61,8%. Já  o percentual de  eleitores que poderiam votar no nome indicado por eles é de 25,3%. Os que votariam ‘com certeza’ somam 10%, e os que não sabem 2,5%.


Cenário 12 Ainda segundo a pesquisa feita semana passada, pela Farani Consultoria e Pesquisa, o atual alcaide de Salvador aparece com melhor posicionamento, com 56,5% declarando seguir o nome que ele indicar. A rejeição ao indicado por ACM Neto  é de 24,8%. O percentual dos que poderiam votar é de 17%, e o  dos que não sabem  foi de 1,8%.


Desgaste O ex-secretário e fundador do PT em Camaçari, Carlos Silveira, está cada dia mais distante da gestão do companheiro Ademar. Sem espaço no governo que ajudou a construir e preocupado com os rumos da gestão, Silveira, que é funcionário municipal de carreira, entra em licença e pode não voltar mais.


Desgaste 2 Longe de se jogar nos braços do ex-prefeito Caetano, afastamento pode virar divórcio com saída do PT e o consequente abrigo em outra legenda de esquerda. Silveira não está sozinho. Parte do grupo que depositou confiança e apoio ao alcaide, no processo de rompimento com o ex, como mostrou  reportagem do Camaçari Agora (Confira), vê como principal problema a centralização. Queixa tem nome e endereço: os secretários  Camilo Pinto (Fazenda), Sérgio Paiva (Governo) e Demétrius Moura (Relações Institucionais).


Terreiros Está cada dia mais intensa a movimentação do deputado federal Luiz Caetano com o PSD do ministro das Cidades, Gilberto Kassab. O petista  ‘bate folha’ por cima e negocia sair do PT sem risco de perda do mandato. Na base da presidente Dilma,  partido comandado na Bahia pelo senador Oto Alencar pode ser o novo espaço do ex-alcaide de Camaçari, caso não consiga despachar a candidatura a reeleição do ex-aliado e companheiro de legenda, Ademar Delgado.


Terreiros 2 Sem descuidar, busca fechar o corpo no próprio território petista com a entrada na corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), comandada pelo ex-presidente Lula. Adesão já rendeu uma das 5 coordenações da bancada da corrente no Congresso, formada por cerca de 50 deputados. 

 







Preto no Branco O orçamento da Cidade do Saber (CDS) para 2015 pode ficar 21% menor e resultar em demissão de pessoal. É o que mostra a Ata da reunião entre a direção da CDS e dirigentes do sindicato dos empregados (Senalba).  Com contrato vencido desde o último dia 27, a ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestor do programa Cidade do Saber, aguarda a renovação do ‘Contrato de Gestão’ com o município.


Preto no Branco 2 O movimentado encontro, realizado terça-feira (24/3), nas dependências do complexo, também revelou números interessantes. Segundo o novo diretor financeiro da instituição, a CDS deve receber este ano cerca de R$ 15 milhões de repasse do município de Camaçari. Deste valor, ainda de acordo com Julio Pinheiro, R$ 13 milhões serão destinados “para pagamento de pessoal”.


Preto no Branco 3 A continuidade da prática de assédio moral contra funcionários, exercida pela ‘controller’ da CDS (Confira), segue sem punição, garantem os dirigentes sindicais. Como mostra a Ata que a Coluna teve acesso e pode ser conferida na imagemao lado, a reunião também testemunhada por Utilan Coroa, diretor administrativo da instituição; Adalgisa Silveira, assessora jurídica; e Angela Miosso, coordenadora de gestão de pessoas, cobrou o cumprimento do Acordo Coletivo. Clique na imagem para ampliar.


1/4/2015

 





Currículo

Currículo A Cidade do Saber (CDS) será tema da Comissão do Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados. A proposta de contar como funciona o trabalho de inclusão de jovens carentes de Camaçari é do ‘pai’ da CDS, deputado Luiz Caetano (PT). Eficiente, promove mais um movimento na sua campanha de autopromoção e reforço na retomada do poder paroquial nas eleições de outubro de 2016.


Currículo 2 Ao colocar debaixo do tapete os desmandos na CDS, denunciados pelo Camaçari Agora (Confira), o prefeito Ademar Delgado (PT) não apenas escorrega na cartilha da boa administração. Mais que fechar uma página da história de sua gestão, ajuda a reforçar seu agora adversário político a trombetear o programa como o mais eficiente, tanto do ponto de vista da inclusão da população carente, como dos gastos para sua manutenção.


Currículo 3 Renovar o ‘Contrato de Gestão’ com a Organização Social Instituto Professor Raimundo Pinheiro, sem ter promovido sequer ajustes e fiscalização obrigatória nos últimos 2 anos, como manda o contrato que assinou e vence nesta sexta-feira (27), o alcaide atesta fragilidade.


Currículo 4 Cede ao jogo de pressões dentro do seu próprio núcleo de poder e aos conselhos de setores amarrados de forma nada republicana à gestão da entidade. Apesar dos avanços promovidos pelo programa, a Cidade do Saber exibe uma situação  anômala no serviço público, onde atua de forma autônoma e descompromissada com o dinheiro do contribuinte.


Castigo Apesar de anunciado oficialmente como presidente da Comissão de Educação e Assistência Social, o vereador Jackson Josué (SD), segundo apurou a Coluna, defende o nome da vereadora Professora Patrícia (PT) para comandar o colegiado.


Castigo 2 Presidente da comissão no biênio passado, a agora desafeta do governo municipal enfrenta dificuldades para prosseguir seu trabalho. Punição pode ajudar a reduzir ritmo do colegiado que realizou nos últimos  2 anos mais de 20 debates entre audiências e reuniões públicas.


Golpe  O ‘tsuki waza’ aplicado pela imprensa ao denunciar o descuido com o atleta Hamyson Santos, botou a prefeitura para dentro do tatame. Mesmo com o título de tricampeão baiano de karatê, atleta da Cidade do Saber, como denunciou o Camaçari Agora (Confira), precisou recorrer a empresários locais para garantir passagem e os 2 kimonos necessários para participar de seletiva em Santa Catarina, neste final de semana. Atrasado e atordoado com o golpe, coube ao município bancar os custos com hospedagem e ajuda na estadia do atleta.


Racha A Marcha da Mulher de Camaçari, diferente dos anos anteriores, não terá a unidade exibida nas últimas 8 manifestações. Sob nova direção, desfile nesta sexta-feira (27), a partir das 16h, entre a Avenida 28 de Setembro e a praça Abrantes, terá o comando da cantora Margareth Menezes. Até o fechamento da Coluna, grupo da deputada Luiza Maia (PT) não confirmava nem desmentia presença na manifestação.


Racha 2 Confirmada mesmo só as ausências das 2 viaturas doadas ao município para a ‘Patrulha da Lei Maria da Penha’. O paradeiro dos veículos virou mistério.


Ultrapassagem A presença cada vez mais intensa do Detran em Camaçari tem obrigado a Superintendência de Trânsito e Transportes (STT), comandada por Claudécio Taroba (PV), a pisar no acelerador.


Ultrapassagem 2  Dirigida pelo novo aliado do PT, Maurício Bacelar (PTN), estrutura avança sobre o reduto governista com ações de fiscalização e projetos de  apelo popular. Depois de prometer instalar no município a escola de trânsito para  permitir a motoristas carentes retirarem sem custos a CNH, Maurício foi pra cima e coordenou as vistoria dos  trios e carros de apoio que desfilaram na festa de Arembepe. Reforçou até blitz na estrada do Coco, durante a festa de encerramento do Verão da Bahia, no  outrora  povoado hippie.


Pimenta e Refresco A enquete do Jornal da Cidade, sobre a distante sucessão municipal em Camaçari, movimentouas redes sociais. A disparada inicial do ex-prefeito Luiz Caetano (PT) ganhou foguetório dos aliados. Com a inversão dos números, favoráveis ao vereador Antonio Elinaldo (DEM), o que era festa passou a virar desqualificação do levantamento.


Pimenta e Refresco 2 Dados de quinta-feira (26) à noite mostravam  o vereador Antonio Elinaldo (DEM), na dianteira, com 62,2%, seguido pelo deputado federal petista Luiz Caetano (29,5%).  O prefeito Ademar Delgado (PT) aparece com 4,8%. O 4º lugar fica com do ex-alcaide José Tude (PTN),  com 2,6%. O lanterninha é Maurício de Tude, presidente estadual do PTN e atual diretor geral do Detran, com 0,9% das lembranças.


27/3/2015

 





Lavagem

Lavagem A abertura da festa de Arembepe, sexta-feira (20), foi mais um teste de popularidade para os grupos governistas e da oposição que buscam o comando do município a partir de 2017. O prefeito e candidato a reeleição, Ademar Delgado (PT), levou vantagem com a máquina que arrastou uma multidão de assessores e coligados.


Lavagem 2 O ex-prefeito e agora deputado federal o também petista Luiz Caetano ampliou seu espaço. Realizou uma caminhada mais organizada e com mais militantes que em Jauá. Já o também 3 vezes alcaide, José Tude (PTN), caminhou sem faixas, charanga e outros apetrechos, como os concorrentes. Outro que engordou militância e seguiu a regra do quanto maior volume, melhor, foi o vereador oposicionista e postulante em 2016,  Antonio Elinaldo (DEM).


Lavagem 3 Após a lavagem da igreja do padroeiro São Francisco os candidatos seguiram o roteiro das feijoadas aliadas. A única exceção foi o ex-prefeito Tude que preferiu o regime de engorda dos votos, catando eleitor como caroço de feijão. Posicionado próximo ao tabuleiro da baiana Catita, coração do povoado, viu, foi visto, festejou e foi festejado.


Lavagem 4  Como não poderia ser diferente, o samba do 'militante duplamente apaixonado’, novo sucesso na base governista, após o racha entre Caetano e Ademar, ganhou toque ecológico durante o cortejo. Apesar de posicionados em lados opostos da praça dos Coroas, com cerca de 500 metros quadrados, proximidade do PV, instalado na mesma praça do grupo do ex-alcaide petista terminou germinando um congraçamento nada recomendável.


Lavagem 5  Para quem jura apoio incondicional ao atual alcaide e seu projeto de reeleição, compartilhar da mesma sombra é muita transversalidade política.


Lavagem 6  O ‘samba’ não foi exclusividade dos verdes. No restante da base, com destaque para o PT, a crise existencial salta aos olhos. Muitos querendo voltar porque perderam, outros insatisfeitos com o tratamento, criam coragem para retornar. Nessa coreografia, que se mistura com passos de sofrência, a única regra é manter o olhar apaixonado e não perder o outro amor de vista.


Lavagem 7 A agressão sofrida por um assessor do prefeito Ademar mostra que o clima pode esquentar entre o PT e o PT-2, liderado pelo ex-prefeito Caetano. O covarde murro desferido pelas costas, por pouco não ganha troco pela mão pesada da máquina governista.


Lavagem 8 Manifestações como bolinhas de papel atiradas no prefeito, durante sua passagem pela praça onde os caetanistas estavam concentrados, também merecem ação do parlamentar. Conter esse tipo de ‘polo negativo’ é fundamental para quem não quer passar atestado de desespero.


Lavagem 9 Depois das baianas carregando canecos na cabeça, durante a lavagem de Coqueiros de Arembepe, a coordenação de eventos da prefeitura acordou e lembrou que estava na Bahia. Armou um cortejo organizado como manda a tradição.


Lavagem 10 Diferente dos anos anteriores, o prefeito e seu séquito entenderam que a festa é das baianas, donas do cortejo e da homenagem. Posicionados atrás das verdadeiras autoridades, com suas saias rendadas, colares, turbantes e quartinhas com água de cheiro, políticos seguiram comportados sem atropelar o ritual.


Lavagem 11 Outro ponto positivo na festa de  sexta-feira (20), encerramento do Verão da Bahia, foi a presença de capoeiristas e charangas. Destaque para o Alaketu, grupo de dança com alegorias, coordenado pelo professor e coreógrafo Anderson Hassys.


Lavagem 12 Mais uma vez a presença de parte do Afoxé Filhos de Gandhy gera questionamentos sobre custo desnecessário da apresentação. Fontes da Coluna acostumadas com os números da festa asseguram que atração não sai por menos de R$ 15 mil.


Lavagem 13 O cachê daria para pagar pequenos grupos de samba e atores de Camaçari para quebrarem a tradicional paradeira da festa, registrada entre o fim do cortejo e o início dos shows na praça da Amendoeira.


Band-aid  O Hospital Geral de Camaçari (HGC) não apresenta tantos ou quase nenhum problema. É o que atestam as imagens postadas no site da Câmara de Camaçari, sobre a visita dos representantes do povo, terça-feira (17). Dos 45 registros fotográficos, apenas 4 mostram áreas internas de um nosocômio bem cuidado e longe do constatado pela população.(Confira)


Band-aid 2 O estranho atestado dado pelo Legislativo só não fica ainda mais irreal graças ao texto postado no mesmo site, que destaca, ainda que de forma  asséptica,  algumas irregularidades como infiltrações na estrutura física do prédio, leitos desativados e falta de profissionais. Registro sequer fala nos pacientes acomodados em macas no corredor, parte da UTI desativada e tomógrafo antigo e sempre com problemas. (Confira)


21/3/2015

 





Menor

Menor  O Centro Integrado da Criança e do Adolescente (Cica), conhecida como Casa da Criança de Camaçari, começa mais um ano de penúria. Prima pobre do programa de inclusão pela arte, cultura e esporte bancado pela prefeitura do município, unidade instalada na mesma rua da Cidade do Saber (CDS), sequer tem merenda para os cerca de 600 alunos atendidos nos 2 turnos.


Menor 2 Diferente da vizinha, comandada pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro e alimentada por verbas generosas e crescentes das secretarias de cultura, esportes, educação e de governo, a Casa da Criança começa mais um ano sem manutenção mínima da sua estrutura. Desaparelhada termina ajudando a empurrar dezenas de jovens para outro programa, o da ‘inclusão’ pela cartilha das ruas.


Menor 3 Mantida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), unidade está com sua estrutura física comprometida e apresenta riscos reais de acidentes para alunos, professores e familiares de jovens, também beneficiados pelo programa.

 







Menor 4 O descaso, que fere até o Estatuto da Criança e do Adolescente, é tão grande que sequer a sala de dança possui piso adequado. Cheio de buracos e fora dos padrões mínimos para esse tipo prática, espaço também está longe do conforto necessário do sistema de refrigeração, ausente na maioria das demais encaloradas salas da unidade. Completam o quadro de abandono, constatado sexta-feira (13), pela Coluna, a falta de material para os cursos de artesanato e serigrafia, a pintura vencida e o mato alto. Clique na foto para ampliar.


Menor 5 Criado nos anos 1990, pelo então prefeito José Tude (PTN), projeto de apoio a jovens carentes e seus familiares é exemplo pronto e acabado da falta de uma política integrada de inclusão. Desde o começo do governo Ademar Delgado (PT) que a secretaria é gerida por um nome indicado pelo PRB (Partido Republicano Brasileiro). Fruto de aliança eleitoral de 2012, acordo praticamente garante ao partido o controle de toda a estrutura da Sedes.


Menor 6 O descuido com a Casa da Criança é antigo. Começou nas gestões petistas, tempos da Seas (Secretaria de Ação Social). Numa triste coincidência, processo de desmonte se intensifica com a inauguração do complexo Cidade do Saber, pelo ex-alcaide Luiz Caetano (PT), em 2007. Em 2011 o Camaçari Agora já cobrava serviços  mínimos de manutenção (Confira)


Menor 7 Apesar do foguetório midiático vendendo a cidade como modelo de inclusão, Camaçari vive na contramão do controle de gastos com programas sociais. Só com o pouco mais de R$ 1 milhão queimado nas indenizações desnecessárias de dirigentes e funcionários da CDS, como comprovou o Tribunal de Contas (Confira), prefeitura recuperaria e ampliaria o espaço que ajudou a formar milhares de jovens carentes, como o cantor Denny da Timbalada.


Receita  Vereadores de Camaçari visitam na manhã desta terça-feira (17), o Hospital Geral de Camaçari (HGC). Como na inspeção anterior, avisam que vão e adentram sabendo o diagnóstico e quem são os culpados. Também deixam o nosocômio com a mesma indignação exibida após a última visita.


Dodói A ambulância entregue através de parceria entre a associação de moradores do Gravatá e o vereador Jackson Josué (SD), para reforçar a UPA instalada no bairro, é receita ‘tarja preta’ para o doutor Washington Couto. O novo secretário da saúde de Camaçari precisa acelerar e reduzir os prejuízos deixados pelas últimas gestões, com falta de estrutura e inversão de prioridades.


Dodói 2 Município rico, Camaçari atesta com inclusão de veículo fabricado lá pelo ano de 2007, que seu serviço de saúde se movimenta nos mesmos moldes de cidades pequenas, pobres, sem gestão eficiente e com um sistema sempre na UTI.


Check-in Enquanto não define o vencedor na disputa interna do PT para a sucessão de Camaçari, o deputado federal Luiz Caetano não perde tempo e arruma a mala reserva para uma possível 6ª viagem partidária. O ex-alcaide separa indumentária para usar no provável partido do ministro das Cidades, Gilberto Kassab.


Check-in 2 Essa é a alternativa de se manter na base do governo, caso não consiga vencer as resistências no atual ninho partidário. Pragmático, o ex-integrante do PCdoB, PMDB, PSB e PSDB monta grupo de caetanistas com a tarefa de preparar cadastro de filiados para nova legenda. A Coluna apurou que equipe conta até com ‘camareiro’ testado nas urnas.


Gazeteiros  A manifestação contra a política econômica da presidente Dilma e pela punição dos corruptos poderia ter um número maior de apoiadores. Mais uma vez a maioria dos assessores dos 6 representantes da oposição presentes domingo (15), na praça Montenegro, preferiram outro programa. Quem conhece a lista garante que movimento ganharia, no mínimo, mais 150 manifestantes com o acréscimo de familiares.   


Fricote Música conhecida popularmente como ‘Nega do cabelo duro’ tem lugar certo na lista de hits que o cantor e compositor Luiz Caldas apresenta em Arembepe. Considerado o pai da axé music, Luiz Caldas abre a festa na noite de sexta-feira (20). Composição chegou a ser censurada, gerou polêmica, protestos e até ameaças após apresentação do artista no Festival de Blues e Jazz de Arembepe, em dezembro de 2011 (Confira).


16/3/2015 Atualização 17/3/2015 às 13h11


 

 





Tremor

Calibre Camaçari começa o ano de 2015 praticamente com os mesmos números de mortes violentas registradas no começo de 2014. Em janeiro e fevereiro foram 35 Crimes Violentos Intencionais Letais (CVLIs). Número representa 1 em cada 3 registros no mesmo período na Região Metropolitana de Salvador (RMS).


Calibre 2 Com 2 mortos  a menos que nos mesmos meses de 2014, estatística da Secretaria de Segurança Pública (SSP) mostra município na contramão da RMS. Ainda segundo a SSP, índice de homicídios registrado na região diminuiu 22,7%, passando de 132, entre janeiro e fevereiro de 2014, para 102 no 1º bimestre de 2015. As ocorrências tiveram redução de 100% em Dias D’Ávila, 47,4% em Simões Filho e 42,9% em Pojuca.


Calibre 3 Como mostrou a Coluna postada dia 6 (Confira), site da SSP ainda não atualizou os números referentes a outubro, novembro e dezembro de 2014. Extraoficialmente o Camaçari Agora apurou que o mês de março já soma 10 mortes em 9 dias.


Desconstrução A Lavagem de Coqueiros de Arembepe, povoado da Orla de Camaçari, inaugurou um novo tempo nas manifestações camaçarienses. Realizada sábado (7), homenagem a Nossa Senhora das Candeias teve batucada e baianas. O que chamou atenção foi a ausência das tradicionais quartinhas com de água de cheiro. Clique na imagem para ampliar


Desconstrução 2 Mesmo longe da crise hídrica que afeta o Sudeste brasileiro, os famosos recipientes de barro, marca da nossa herança africana, deram lugar a minúsculos canecos metálicos e de louça. Nesse ritmo de descaracterização, cortejo da festa de Arembepe, próximo dia 20, pode ter baianas com garrafas de água mineral na cabeça, ou comandando a mangueira do carro-pipa.

 







Tremor Mexer com a  funcionária Isabela Rebouças é medo antigo. Sem necessidade de se materializar, como fazem seus colegas na Limpec, assombra desde o começo do 2º governo Luiz Caetano (2005/2008), quando foi contratada.


Tremor 2 É o que mostra ofício da Comissão Especial de Resgate e Preservação da Probidade Administrativa (CERPPA). Nunca respondido, documento com data de fevereiro de 2011, cobra confirmação da assessora na folha, sua função e carga horária. Clique na imagem para ampliar


Tremor 3 Denunciada pela Coluna (Confira), situação continua provocando calafrios no governo. Paralisado, não consegue sequer concluir o processo de demissão da ‘servidora’. Imagine  botar processo de  ressarcimento aos cofres públicos de tudo que a servidora ganhou sem trabalhar. Conta não sai por menos de R$ 400 mil.


Dono da voz A patrulha contra artistas que discordam ou não tocam pela mesma partitura política do alcaide de plantão é regra antiga em Camaçari. Foi assim com o ex-prefeito José Tude (PTN), continuou com o sucessor Helder Almeida (DEM) e seguiu aprimorada com Luiz Caetano (PT).


Dono da voz 2 O também petista prefeito Ademar Delgado, poderia fazer diferente, mas preferiu manter a tradição. Chegou a ensaiar mudança em 2014, com a participação do Conselho de Cultura na definição da grade de programação das festas.


Panelas Oposição promete botar gente na praça Montenegro, domingo (15), a partir das 9h. Manifestação em Camaçari faz parte do pacote nacional de ações de rua contra a política econômica e pelo impeachment da presidente Dilma.


Presença Camaçari continua fugindo do desfile da Independência da Bahia, no Centro Historico da capital. Mesmo com comemorações no bairro 2 de Julho, município precisa mostrar sua beleza e força cultural com a campeoníssima Bamuca, o Espermacete, O Boi Janeiro e a Marujada, na grande festa cívica dos baianos. 


11/3/2015

 





Ordem unida

Ordem unida A posse do novo comandante do 12º Batalhão da PM de Camaçari, tenente-coronel Carlos Henrique Ferreira Melo, pode ser o início de uma nova fase na segurança pública em Camaçari. Dono da 2ª maior arrecadação do estado, uma das maiores do país, e sede do maior completo industrial integrado localizado abaixo da Linha do Equador, município também é destaque no mapa da violência.


Ordem unida 2 Com 30 anos de corporação e especialista em administração em segurança pública e direitos humanos, oficial pode dar uma importante contribuição na construção de um plano real de segurança com inclusão social e capaz de reduzir índices de assassinatos e outros crimes.


Ordem unida 3 Amarrado a um passado que mostrou muito pouca contribuição na pacificação e melhoria da segurança da população, o prefeito Ademar Delgado (PT) precisa correr contra o tempo e iniciar um grande debate com pequenos, micro e  o empresariado do pólo industrial, com as igrejas, os estudantes, as polícias Civil e Militar e demais  representantes da sociedade organizada. 


Ordem unida 4 As experiências até agora implantadas no município, com o apoio da prefeitura, quando não são abandonadas, como o Pronasci, se resumem a ações de reforço policial, viaturas e combustível. Essas medidas são insuficientes para sinalizar vontade de mudar esse quadro que mata a juventude, implanta o medo na população e pode até desabilitar Camaçari como porto seguro para futuros empreendimentos.


Ordem unida 5 Mesmo sem números atualizados, como mostra o site da SSP-Secretaria de Segurança Pública (Confira), é fácil constatar o aumento dos assassinatos em Camaçari. Levantamento do Camaçari Agora apurou que até 11 de novembro de 2014 foram registrados 194 homicídios. Soma de mortes a 50 dias de encerrar o ano já apresentava uma distância de apenas 1 homicídio na comparação com 2013 (195 mortes), e muito perto do recordista ano de 2012, com 202 assassinatos. (Confira) 


Ordem unida 6 A Camaçari Agora tentou buscar os números oficiais referentes ao último trimestre (outubro/dezembro) de 2014, na própria Delegacia de Homicídios de Camaçari. Também encontrou dificuldades com os registros referentes a janeiro e fevereiro deste ano. Levantamento até a última quarta-feira (4) do mês de março já registra 8 assassinatos, uma média de 2 mortos por dia.


Ordem unida 7 Sem estrutura, delegados plantonistas e agentes suficientes, sistema de segurança no município não consegue dar conta da grande demanda. Na 18ª, localizada na sede e responsável por mais de 180 mil habitantes, 60% da população do município, o risco ronda quem lá trabalha, quem precisa usar seus serviços e até os próprios presos custodiados.


Ordem unida 8 A dança dos delegados no posto de titular da 18ª completa o quadro. Como mostrou aColuna de junho do ano passado, a DP localizada na sede está com seu 5º titular desde o assassinato do delegado Clayton Leão, em maio de 2010 (Confira). Mudanças terminam virando a senha para o avanço do crime e da impunidade, que vê em cada desarticulação do comando o enfraquecimento do aparato de repressão.


Ordem unida 9 Esse desaparelhamento traz como saldo a ida de boa parte dos crimes para a lista dos casos sem confirmação técnica dos motivos e circunstâncias em que ocorreram. Realidade só faz reforçar a impunidade com aumento da sensação de medo da população, inclusive da própria polícia.


Testamento Fontes da Coluna garantem que o prefeito Ademar Delgado prepara para abrir o ‘saco do perdão’ às ovelhas desgarradas durante o racha com o ex-prefeito e deputado federal, Luiz Caetano. O problema é que ao trazer de volta os ex-desafetos, futuca com cajado curto outro rebanho. Fiéis desde os tempos bíblicos pedem como prêmio a abertura do ‘saco das compensações’.


Película A gestão do novo presidente da Câmara de Camaçari começa com sinais interiores de transparência. O vereador José Marcelino (PT) mandou trocar as velhas divisória de madeira por vidro. Novo leiaute permite uma maior fiscalização dos trabalhos de parte dos servidores da Casa. 


Película 2 Precisa agora completar a reforma com sinais  exteriores reais. Divulgar no Diário Oficial do Município, como manda a Lei, todos os atos do Legislativo, inclusive nomeações, exonerações e gastos detalhados da Casa do Povo. 


Herança O furto de um computador pessoal na diretoria legislativa da Câmara de Camaçari é mais um presente para o novo presidente da Casa, vereador José Marcelino (PT). Com câmeras de segurança quebradas, identificação do(s) autor(es) fica ainda mais díficil. Avanço sobre o alheio ocorreu semana passada e continua um mistério. 


Lição A decisão do secretário Márcio Neves, da educação, de matricular suas filhas em escolas da rede pública do município é um exemplo a ser seguido pelos demais colegas de 1º escalão e vereadores da base governista. Mesmo questionado pela medida, considerada tardia, já que ocupava  antes o cargo de subsecretário, postura sinaliza vontade de mudar. 


6/3/2015

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 | Próxima

Encontrado(s): 357 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2015 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL