Busca:








Substituição A deputada estadual licenciada e atual secretária de desenvolvimento econômico do estado, Luiza Maia (PT), deve estar soltando foguetes. Depois de sua reclamação, coincidentemente o governo do estado trocou em menos de 30 dias o comando do 12º Batalhão de Polícia Militar de Camaçari. Na titularidade da unidade desde 2015, o tenente-coronel Henrique Melo, que vai para o comando do batalhão turístico, foi substituído oficialmente nesta terça-feira (19), pelo colega com a mesma patente, Marcelo Bestetti Grun, ex-comandante do Pelotão Águia. 


Substituição 2 A queixa da deputada, que cobrou a troca do comando ao governador e companheiro de legenda, Rui Costa, foi 'Frase do Dia' do Camaçari Agora na edição de 18 de maio (Confira). Reconhecido pelo seu trabalho no município e na coordenação da segurança dos jogos da Copa do Mundo 2014, na capital baiana, o coronel Henrique Melo recebeu recentemente a Comenda 2 de Julho. A mais importante honraria concedida pela Assembleia Legislativa da Bahia foi sugerido por um deputado da base do governador. 


Fábrica  O alcaide de Camaçari, pode até ganhar título de Prefeito Amigo da Criança, premiação dada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O demista Antonio Elinaldo sabe que honraria alardeada na mídia com o mero intuito de reforçar a imagem positiva da gestão, está longe do merecimento. Criar e colocar em funcionamento a Casa Lar de Camaçari, estrutura de proteção e acolhimento integral às crianças e adolescentes em situação de risco, é muito pouco para tirar Camaçari da lista de cidades onde o cuidado com os atores do futuro é apenas retórica.


Fábrica 2 A Casa da Criança e do Adolescente, tema de váaaaaaaaaarias denúncias do Camaçarico, segue em processo acelerado de desmonte, num flagrante desrespeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente. Herança maldita dos governos Luiz Caetano (PT) e do ex-petista Ademar Delgado, competentemente ampliada nesses quase 18 meses da gestão Elinaldo, espaço não acolhe, não alimenta, apenas educa de forma precária, por luta única e exclusiva dos seus educadores e profissionais de apoio. 

Fábrica 3 Mesmo com verbas específicas, bancadas pelos cofres do município e da União, para promover a inclusão desse batalhão de excluídos, a Casa da Criança se distancia da sua missão constitucional. Desaparelhado, ignorado e omisso, espaço localizado na rua do Telégrafo fica cada dia mais próximo das estruturas públicas de 'faz de contas', que não passam de fábricas de potenciais usuários dos serviços da agora inaugurada Casa Lar de Camaçari.


Escalação O treinador Elinaldo pode promover duas novas substituições nos próximos jogos. O coronel Pedro Arcanjo, ex-coordenador da Feira de Camaçari, continua sem jogar na chefia da assessoria técnica da superintendência de trânsito e transportes do município (STT). Outro atleta da formação original do time azul, o atual coordenador da defesa civil, Ivonaldo Soares, também perigas ir para o banco. A Coluna apurou que a comissão técnica avalia que os 2 jogadores apresentam rendimento abaixo da média exigida.


Copinha  Segue indefinida a disputa entre os vereadores Jackson Josué e Téo Ribeiro, pelo direito a uma vaga no time petista para a final de 7 de outubro que escolherá os 63 titulares da Assembleia Legislativa a partir de 2019. Depois de perderem o 'time', graças a manobras do árbitro Luiz Caetano, dupla agora lamenta no segredo do vestiário, mas oficialmente transfere a culpa para outro jogador e correligionário. 


Copinha 2  O deputado Bira Coroa, candidato a reeleição e  nome do gosto do governador Rui Costa, aparece para a dupla como o 'árbitro mexicano' na escolha do representante principal na disputa local. Segundo apurou a Coluna, o deputado estaria buscando eliminar os concorrentes para jogar com mais folga no campo oposicionista  dos cerca de 100 mil votos de Camaçari.


Desafio  Sem palavriado bonito ou qualquer movimento que gerasse dúvidas, o poeta, compositor e repentista Bule Bule soltou um grito de respeito, resgate e preservação da cultura popular, durante lançamento do seu livro 'Orixás em Cordel', semana passada, no terreiro Terreiro Unzó Tatetô Lembá, na Via Cascalheira, zona rural de Camaçari. 


Desafio 2  Num repente certeiro, que teve como alvo a titular da secretaria de cultura de Camaçari (Secult), o mestre pediu a criação de uma 'cordelteca' no município. Agora é esperar se o desafio do mestre Bule Bule, que sugeriu Adauto Curvelo Almeida para dar nome ao espaço, terá a 'rima rimada' devolvida pela secretária Marcia Tude, sentada na 1ª fila de convidados.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


19/6/2018

 





Nota baixa

Nota baixa  O processo de transferência de mais de 700 alunos da escola Denise Tavares, para outras unidades é mais um ponto negativo para a gestão da secretaria de educação de Camaçari (Seduc). Constatar agora, no meio do ano letivo, que a unidade localizada no bairro da Gleba B, sede do município, precisa de reformas urgentes, é prova de quem a equipe da Seduc não prestou atenção às aulas de gestão da coisa pública, muito menos de pedagogia.  


Nota baixa 2 Salas de aula com rachaduras com espessuras capazes de passar a mão de um aluno, além de deficiência nos sistemas elétrico, hidráulico e hidrossanitário são problemas no Denise Tavares que deveriam ter sido constatados pela equipe da professora doutora Neurilene Martins, ainda durante as férias. Reacomodar esse batalhão de alunos nas escolas do Natal e Professora Maria José de Mattos, no mesmo bairro, é outra equação que só gera prejuízos. 


Nota baixa 3 Qualquer professor sabe que juntar novos alunos em unidades que somam atualmente cerca de 700 estudantes é interferir nas rotinas das escolas, com graves prejuízos para educandos, professores e até servidores. 


Nota baixa 4  Acusar os governos passados pelas reformas mal feitas, 18 meses depois de assumir o comando da Seduc, é nota vermelha sem direito a recuperação. Sem apresentar a herança maldita que tanto propagou no palanque de 2016, gestão Antonio Elinaldo (DEM) prova agora do veneno do acordo político espúrio. 


Nota baixa 5  O alcaide sabia, mas ignorou o bê-á-bá da gestão pública que exige apuração rigorosa e apresentação dos resultados das auditorias que não fez. Se fez não mostrou. Sem esses números, misturou contas e colocou na mesma caderneta o seu ano e meio de governo e os antecessores Luiz Caetano (PT) e Ademar Delgado (sem partido). Agora, exibe dificuldades e até falta de legitimidade para justificar muitas medidas só agora adotadas. 


Nota baixa 6   A gestão da doutora Neurilene também passa longe da aprovação quando a disciplina é metodologia de ensino. Unidades como a Ivo Bona, na praia de Busca Vida, e Escola Rural Boa União, em Catu de Abrantes, continuam usando o velho método de aula ministrada por 1 professor para duas turmas de alunos de graus e necessidades de aprendizado diferentes. As chamadas salas divididas são muito comuns  em regiões longínquas da Amazônia e nos recantos mais atrasados e miseráveis do Nordeste. 


Nota baixa 7 A caderneta de notas da prefeitura parece que anda longe da caneta azul. O início das aulas no campus da UFBA em Camaçari mudou mais uma vez. O atraso é responsabilidade da prefeitura que só agora conseguiu finalizar a licitação para a reforma das salas localizadas no complexo Cidade do Saber, onde funcionará o curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação.


Nota baixa 8 A Coluna apurou que as adequações físicas , contrapartida da prefeitura na parceria com a UFBA, devem começar até o início de julho e tem prazo contratual de conclusão em 30 dias.


Nota baixa 9 Como mostrou o Camaçarico (Confira), esse foi o 2º prazo dado e descumprido pela própria prefeitura. A previsão inicial era de início das aulas na 2ª quinzena de maio, com o início do processo de abertura do edital e seleção de alunos em abril. Com esse novo prazo, aulas começam entre agosto e setembro.


Nota baixa 10 Caso a prefeitura não atrase mais o cronograma, UFBA, que cumpriu a sua parte no acrodo, lança entre julho e agosto o edital de seleção. Os 100 alunos serão escolhidos pela nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O processo de matrícula deve ocorrer imediatamente ao anúncio dos classificados. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


13/6/2018

 





Extintor

Extintor  Depois da denúncia do Camaçarico sobre a total falta de segurança para o funcionamento do Teatro Cidade do Saber (Confira), a secretaria de cultura (Secult) finalmente começa a se mexer. Mesmo fazendo de contas que nada aconteceu, apesar da responsabilidade constitucional de informar à população, a nova gestão da prefeitura de Camaçari parece ter acordado para o perigo que colocou centenas de vidas ao manter aberto nos últimos 18 meses um equipamento sem a menor condição de funcionamento.

Extintor 2 Com mais de 1 ano de atraso, já que os serviços deveriam ter sido iniciados no começo do ano passado, a prefeitura começa a avaliar os custos para recuperação  dos sistemas elétrico e de combate a incêndio do Teatro Cidade do Saber (TCS). Mutirão conta até com o apoio da defesa civil que apareceu para avaliar riscos e contribuir com medidas de segurança.

Extintor  3  O Corpo de Bombeiros, outro personagem desse triste espetáculo de descaso com a vida e o bem público, também ouviu a sirene do Camaçarico. A Coluna apurou que representantes da corporação estiveram na quarta-feira (6) realizando inspeção e cobrando adequações no sistema de segurança contra incêndio do teatro. Ainda segundo essas mesmas fontes, as recomendações não incluíram a interdição do espaço.  


Letra A praça do Reggae, no bairro da Bomba, é melodia de escuridão, insegurança e sujeira. Sem a mínima manutenção, um dos mais antigos espaços públicos de Camaçari segue na pisada do descaso, ritmado pela batida atravessada do doutor Armando Mansur, titular da secretaria de serviços públicos (Sesp).


Letra 2 Outra composição desafinada, também de autoria do descuidado burocrata, é o estacionamento da Feira de Camaçari. Esburacado e sem sinalização, espaço é exemplo do descaso da gestão com o maior, principal equipamento comercial da cidade, e um dos mais importantes entrepostos da região.


Letra 3 Sem cumprir sua função de fiscal, a Sesp  virou um mero pagador pelos serviços terceirizados de limpeza e iluminação. Também integra o ‘playlist’ do doutor Mansur, a antiga estação de trens. Abandonada e com um projeto de requalificação mais lento que uma maria-fumaça, o 'marco zero' da cidade é puro mato e lixo. Do outro lado da rua, o padroeiro São Thomaz de Cantuária continua esperando uma iluminação decente em led para a praça Montenegro. 


Letra 4  As queixas sobre iluminação e limpeza nas praças do Reggae e da Catedral é composição repetida e repisada no distrito de Parafuso. Marca registrada da localidade, a praça da antiga estação de trens, onde deveria funcionar um equipamento cultural - não é doutora Marcia Tude? - segue abandonada e transformada em ponto de encontros nada culturais. Com sua principal referência em acelerado processo de destruição, o distrito de Parafuso reforça a trajetória negativa da gestão do alcaide demista Antonio Elinaldo.


Letra 5  Mesmo com morador ilustre, o vereador licenciado Sesse Abreu (PSDB), agora no comando da pasta do esporte e lazer (Sedel), a localidade só é lembrada nos dias que antecedem o 7 de Setembro, quando serviços emergenciais e superficiais são executados. Tudo para deixar a avenida Marechal Floriano com cara de cenário perfeito para o tradicional desfile e mais importante manifestação cívica do distrito. 


Mantra A dança é sempre a mesma, só muda o parceiro. Agora é a oposição que se posiciona contrária aos gastos milionários do governo municipal com atrações nacionais no Camaforró. Quando dançava com a caneta da prefeitura, a hoje oposição também exagerava nas contratações de atrações e era criticada pelos hoje governistas, escorados e olhando a festa de longe. 


Mantra 2 Para deixar o tema ainda mais ao gosto do freguês, a Coluna lembra um trecho da música ‘Embolada’, de Chico Buarque e Francis Hime: “Pra quem quer tirar um côco... Você começou errado ... Éé o estrangeiro engasgado... Com a pamonha do cabloco... Éé o destro atrapalhado.... Com a viola do canhoto... Olha só a cara do roto.... Falando do esfarrapado...”
Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


8/6/2018

 





Fagulha

Fagulha  Risco de acidente de grandes proporções no Teatro Cidade do Saber (TCS), tal suas dimensões, com capacidade para abrigar quase 600 pessoas sentadas, é sinalizado praticamente todos os dias, dizem servidores do teatro, que temem por suas vidas e da plateia. O último suspiro de alívio desses dedicados trabalhadores foi dado no final da tarde de domingo (3), com o encerramento e desocupação do teatro pelas centenas de jovens bailarinas e bailarinos, suas famílias, professores e convidados que participaram do 13º Festival Nacional de Dança Ballace.

Fagulha 2  Descaso com o teatro é antigo. Nasceu com sua inauguração, em março de 2007, ainda na gestão Luiz Caetano (PT), e prosseguiu com o alcaide Ademar Delgado, ex-PT e hoje sem pouso partidário. Festejado como um dos melhores e mais modernos do Brasil, TCS já exibia sistema de combate a incêndio fora das especificações. A Coluna apurou que em caso de sinistro, o sistema de hidrantes simplesmente não funciona de forma eficaz. Instalado fora das especificações exigidas para a estrutura do prédio, rede de mangueiras não possui capacidade para bombear água para as partes mais altas do teatro. 

Fagulha 3 O caos no sistema de combate a incêndio do Teatro Cidade do Saber se completa com a falta de extintores e de uma brigada para atuar nesses casos emergenciais. Todos os extintores estão vencidos, portanto sem a menor condição de combater um incêndio por menor que seja sua proporção. Descaso com a manutenção destes equipamentos, indispensáveis em qualquer espaço público, vem da gestões  anteriores ao governo do alcaide Elinaldo, e prossegue na atual administração iniciada em janeiro de 2017. 

Fagulha 4 Conjunto de descuidos criminosos tem como pilar principal o sistema eletrico do teatro. Cheio de emendas, improvisos e gambiarras, rede sempre apresenta problemas. Na última sexta-feira (1/6), um dos canhões de luz instalados no palco do teatro, estourou. O pipoco, felizmente não foi percebido pela plateia. Numa situação de pânico, as centenas de pessoas enfrentariam problemas para  deixar o teatro de forma organizada, já que  falta pessoal treinado para casos de evacuação imediata do espaço. 

Fagulha 5  Precariedade da estrutura do Teatro Cidade do Saber foi destaque  durante fala do diretor artístico do Balé do Teatro Castro Alves (BTCA). Preocupado com a performance dos seus bailarinos e o nome da sua companhia, considerada uma das melhores do Brasil, o coreógrafo e professor da UFBA, Antrifo Sanches, lamentou a precariedade da estrutura do TCS, ao informar que o espetáculo 'LubDub'  seria prejudicado por problemas na iluminação do teatro. 


Fagulha 6  O sistema de som foi outra queixa do diretor,  presenciada pela secretária de cultura Marcia Tude, responsável pela gestão e manutenção do teatro, e única autoridade presente na noite de abertura do 13º Ballance. Diante do teatro lotado, Antrifo Sanches exigiu que o 'problema' fosse corrigido imediatamente para não prejudicar ainda mais a qualidade da montagem. 


Fagulha 7  Escaparam do 'puxão de orelhas', o prefeito Antonio Elinaldo (DEM), e o seu vice José Tude, pai da titular da Secult. Ausência do alcaide e de seu companheiro de partido, na noite de abertura do festival, quinta-feira (31/5), é a coreografia sem retoques de quem não esconde a total, ou quase completa falta de intimidade e identidade com a cultura. Ao não comparecer em nenhum dos 4 dias do festival, alcaide deixou de prestigiar um dos mais importantes encontros de dança do Brasil, que assegurou para Camaçari o título de 'Capital nacional da dança'.

Fagulha 8 Mesmo responsável pela notificação e exigências para adequação do teatro às normas de segurança, o Corpo de Bombeiros de Camaçari fraqueja na sua missão de prevenir acidentes. Depois da inspeção de 2017, a Coluna apurou que a corporação não apareceu para cobrar as modificações no sistema de combate a incêndio e acidentes. O resultado é um teatro aberto, mas sem condições de funcionamento, quando deveria ser imediatamente interditado. Ou será que queremos repetir a tragédia da boite Kiss, em janeiro de 2013, quando 242 pessoas morream.


Fagulha 9 Completam o elenco de personagens desse triste espetáculo de descaso com o bem público e risco para  a vida de pessoas, a Câmara de Vereadores. Os oposicionistas do governo passado, hoje governistas, nada falam. Já os oposicionistas de hoje e governistas de ontem, quando os desmandos no TCS e em todo o programa Cidade do Saber tiveram nascimento, evitam essa polêmica com receio de sairem chamuscados pelo incêndio do passado. 


Fagulha 10 Quem também passa longe dessa plateia desatenta é o Ministério Público Estadual de Camaçari (MPE). Os problemas no Teatro Cidade do Saber não são recentes e foram denunciados pelo Camaçari Agora


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


4/6/2018 Atualização às 19h59

 





Cristão novo

Cristão novo O atual vice-prefeito de Camaçari, o ex-emedebista José Tude, continua enfrentando dificuldades no seu novo partido para obter a tão sonhada e necessária maioria ampla para consolidar na base governista sua candidatura a deputado estadual. Fontes da Coluna asseguram que hoje, o 3 vezes alcaide do município não conta com mais de 40% da militância do DEM, apesar das manifestações externas mostrarem uma aceitação alta.


Cristão novo 2 Acostumados com os movimentos internos do DEM, dizem que rejeição tem histórico no comportamento do ex-prefeito durante a pré-campanha a prefeito, em 2016. Mesmo sabendo das suas reduzidas chances de vencer a disputa, Tude manteve o nome, dividindo as oposições e, ainda que indiretamente, reforçando o candidato petista Luiz Caetano.


Cristão novo 3 Queixa é velha e começa na disputa de 2014, quando Tude concorreu à Assembleia Legislativa, dividindo os votos oposicionistas no município com o então vereador e também candidato a deputado estadual Antonio Elinaldo. Naquele pleito, o demista somou no município 27.412 votos, quase 13 mil apoios a mais que o então candidato do PTN. Elinaldo que computou em todo o estado pouco mais de 36 mil votos, também ficou com vantagem, acima dos 13 mil votos sobre Tude, na conta geral. 


Cristão novo 4 Apalavrado pelo alcaide e candidato único da máquina municipal, Tude espera que o prefeito Elinaldo consiga usar seu poder de convencimento para quebrar resistências. O que o novo demista provavelmente não esperava é que o alcaide enfrentasse tanto desconforto dentro do seu próprio partido. 


Em família  A ex-prefeita de Candeias, Amiga Ju, não chega sozinha em Camaçari, onde foi nomeada sub-secretária da pasta do desenvolvimento social (Sedes),  como antecipou o Camaçarico (Confira). Seguindo a lei da política, onde se atende ‘primeiro os meus’, garantiu seus próximos entre os 2 assessores a que teve direito no acordo político com o alcaide Elinaldo. Um é o seu esposo, o professor e ex-secretário de educação de Candeias, Edson dos Santos Ramos. O outro nome, também de total e absolutíssima confiança da ex-prefeita é a assistente social Sandra Elizabeth Nossa Mendonça.


GPS  O empresário do setor de transportes e pré-candidato a deputado estadual pelo PDT, Raimundinho da JR, precisa de um piloto experiente para comandar sua campanha. A última barbeiragem do pedetista foi um vídeo onde parece apoiando o movimento  dos caminhoneiros que desligaram os motores dos seus veículos pela redução do valor do diesel. 


GPS 2  Nos cerca de 90 segundos de imagens, postados na sua conta pessoal numa rede social, Raimundinho aparece numa garagem com caminhões plotados com sua marca como cenário e numa das vias obstruídas pelos manifestantes. Diferente do motorista autônomo, o empresário dono de dezenas de carretas esquece que ao jogar para a torcida anunciando sua solidariedade aos grevistas, ultrapassa a faixa da legalidade. Começa a trafegar numa outra pista perigosa, a do locaute, crime  caracterizado pelo impedimento por parte do dono de transportadora de impedir o movimento das cargas. 


GPS 3 Não é a 1º vez que o ex-candidato a prefeito de Dias D'Avila e postulante a uma das 63 cadeiras da Assembleia Legislativa invade o sinal vermelho. Durante a inauguração do Departamento de Polícia Técnica no município, como mostrou o Camaçarico (Confira),  Raimundinho da JR colocou faixa em parceria com o deputado Luiz Caetano (PT), dentro das instalações do DPT-Camaçari, num flagrante desrespeito à legislação. 


Injeção  A secretaria de saúde de Camaçari (Sesau) precisa intensificar a campanha pela vacinação contra a gripe. Iniciada no final de abril, programa de imunização previa  atender cerca de 54 mil pessoas incluídas no chamado público-alvo. Maio acabou e pouco mais da metade, menos de 30 mil pessoas foram imunizadas. Com a prorrogação por mais 15 dias, a Sesau precisa correr. Camaçari registrou uma das 19 mortes contadas oficialmente até o último dia 26. 


Desaplicado A 'nota oficial' sobre a suspensão das aulas na rede municipal de Camaçari, segunda e terça (28 e 29) é mais um exemplo da confusão na comunicação do município. Ao distribuir comunicado pelo aplicativo whatsApp, e ignorar o e-mail, via segura de envio de documento, a prefeitura de Camaçari se aproxima perigosamente do fake news que tanto vem ajudando a ampliar o desgaste da gestão com a disseminação de informações falsas ou distorcidas.    


Desaplicado 2 Mesmo enviado em PDF, formato que impede a alteração do seu conteúdo, procedimento não é garantia de que a nota teve como origem a secretaria de educação do município (Seduc). 


Desaplicado 3 Com a facilidade de promover montagens perfeitas, graças aos vários programas de computador disponíveis, o cuidado com a informação limpa e sem risco de possíveis adulterações, é o mínimo que se pode esperar do poder público. Compromissado com a informação e com o leitor, o Camaçari Agora prefere evitar esses atalhos. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


30/5/2018

 





New friend

New friend A escolha da ex-prefeita de Candeias, Maria Célia de Jesus Magalhães Ramos (DEM), para a subsecretaria de desenvolvimento social de Camaçari (Sedes), como antecipou o Camaçarico (Confira), passou longe da nomeação de aliado com viés técnico, prática normal na estrutura partidária.


New friend 2 A Coluna apurou que a Amiga Ju, como é conhecida, não passa de uma operação de troca de apoio eleitoral da ex-alcaidina de Candeias com candidatos da sua base política nas eleições de outubro. A garantia foi dada pelo próprio alcaide de Camaçari, durante reunião com técnicos da Sedes, semana passada, quando apresentou a nova colaboradora. Antonio Elinaldo disse para todos ouvirem que a correligionária partidária ficaria até dezembro.


New friend 3 Além da Amiga Ju, pacote inclui mais 2 assessores, sendo uma assistente social e um outro técnico. Conta rápida mostra que município não deve gastar menos de R$ 20 mil mensais com os 3 novos reforços. Multiplicado por 8 meses (maio/dezembro), trio vai gerar uma despesa para os cofres públicos acima dos R$ 160 mil.


New friend 4  Movimento do alcaide, mesmo com prejuízo para sua imagem, ao abraçar um político ficha-suja, ou ‘ex’, sé é que existe essa classificação no novo momento da política brasileira, visou agradar exclusivamente aliados tamanho 'G'. Ao informar que o reforço tinha prazo de validade, coincidentemente até o fim período eleitoral, com uma quebra de mais 2 meses, Elinaldo mostra contradição na sua pregação de que é ele quem controla e está preocupado com a construção de uma nova Sedes, desmontada de forma perversa pelos seus antecessores e alimentada no processo de desaparelhamento até a presente data. 


New friend 5 Atitude de trazer uma companheira de legenda apenas para fins eleitorais exibe um condenável esquecimento sobre o varejo paroquial da política. Ao prosseguir atendendo pedidos espúrios que desgastam seu já abalado currículo de gestor, Elinaldo de forma direta e arrodeios, também impõe um preço altíssimo aos acordos políticos e às lideranças locais, indispensáveis na construção de sua vitória acachapante no já longínquo e meio esquecido pleito de 2016.


2º cartão   A condenação do ex-prefeito Luiz Caetano (PT), quarta-feira (23), pelo Tribunal de Contas do Municípios (Confira), por usar recursos públicos para apoiar o Camaçari Futebol Clube não é a 1ª infração no campo futebolístico, segundo entendimento do TCM. Em decisão de junho de 2016 o mesmo tribunal condenou o ex-gestor a pagar multa de R$ 3 mil por repasse de R$ 100 mil, em 2011, ao Sport Clube Camaçariense, outra equipe do futebol profissional.


2º cartão 2 Levantamento do TCM mostra que o 3 vezes alcaide de Camaçari aparece como  artilheiro absoluto em condenações, ressarcimentos e multas. São pouco mais de R$ 8 milhões e 500 mil de devoluções por gastos considerados pelo tribunal incompatíveis com a legislação que regula a contabilidade com o dinheiro  do contribuinte. Conta nunca paga, graças aos recursos da Lei, soma R$ 9 milhões com os R$ 371 mil em dívidas referentes a multas.


Pecadores Quem vai precisar de muita oração, bênçãos e incensos com banca de advogados é o vereador Adalto Santos (PSD). Aliado do governo demista do alcaide Antonio Elinaldo, o pessedista é considerado pecador e merece a excomunhão, com a perda do mandato, pelo entendimento dos cardeais municipais do partido, comandado na Bahia pelo senador Otto Alencar. 


Pecadores 2 Mesmo nascido sob o pecado original da duplicidade ideológica, se é que se pode assim chamar o conjunto de interesses distintos, a depender da conjuntura local, o PSD tem como comandante nacional o ex-prefeito de São Paulo e atual ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do governo do emedebista Michel Temer, Gilberto Kassab.


Pecadores 3 Ação, que já cumpriu as formalidades legais definidas pelo estatuto da legenda, segue agora para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Excomungar Adalto do mandato não será tarefa fácil para seus acusadores que enfrentam o experiente e traquejado advogado Ademir Ismerim no comando da banca do vereador ligado à Igreja Católica.


Pecadores 4 PSD de Camaçari tem histórico de vai e vem. Foi presidido por Roquinei Cabeceira, empresário do setor de transportes, que perdeu o comando da legenda para Adalto. Com a ida para os braços do governo Elinaldo, o vereador foi defenestrado e viu seu adversário Roquinei, personagem ligado ao ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano (PT), retomar as chaves da comissão provisória municipal. 


Pecadores 5 Interessado direto na inquisição, o 1º suplente de vereador Sinho do Boxe, arruma as luvas na expectativa de convocação para a luta no plenário vereador Osvaldo Nogueira. BatizadoAdenaelson dos Santos Pereira, o professor Sinho já tentou vaga na disputa legislativa de 2012. Foi candidato a vereador pelo PCdoB e somou exatos 444 votos. Desta vez, pelo PSD, Sinho conquistou 766 votos, 51 a menos que o companheiro Adalto, eleito para a última das 21 vagas na Câmara.


Lula lá  Camaçari fica fora do mapa dos atos de lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Lula à presidência da República. A Coluna apurou que nenhuma programação foi definida para o próximo domingo (27) no município. Petistas  pegam a Via Parafuso e engrossam a manifestação que acontece pela manhã na Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (UFBA), durante o Congresso Estadual da Juventude do PT.


Pas de Deux Depois da estranha interrupção da cessão do Teatro Cidade do Saber (TCS), em 2017, para a realização do festival de dança Ballace, a secretaria da cultura (Secult)  resolveu voltar a acolher um dos mais importantes  encontros de dança do país. Com essa 13ª edição, o Ballace, que já trouxe para o palco do TCS bailarinas como a internacional Ana Botafogo, devolve a Camaçari o título de ‘capital brasileira da dança’.


Pas de Deux 2 Encontro entre a próxima quinta-feira (31) e o dia 3 de junho (domingo) vai além das cerca de 1 mil pessoas entre jovens bailarinas e bailarinos, professores, coreógrafos. Retoma a tradição de Camaçari no palco da dança e aquece a economia da cidade com aumento do movimento nos restaurantes, hospedagens e lojas. Felizmente a gestão da Secult corrigiu o passo e reativou o dueto com a produção do festival.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


25/5/2018

 





Espécie

Espécie  O que seria uma maravilha assegurada pelas redes sociais, no processo de ampliação e fortalecimento de vínculos, da cidadania, da informação, e otras cositas más, está virando um duto sujo com denúncias e agressões, muitas falsas, outras sem a comprovação necessária, e longe do respeito aos direitos elementares da pessoa. 
 
Espécie 2  Como não poderia deixar de ser, a conexão com a rede de todo tipo de sujeira tem manancial de abastecimento na política, e possui registros de despejos em todos os grupos, independente das convicções políticas, ou falta delas.
 
Espécie  3  Mais grave que o esgoto em que virou alguns grupos de WhatsApp, e a sua contaminação provocada por agentes presentes em algumas listas que agregam significativa parcela dos internautas de Camaçari, é saber que parte desses dejetos são produzidos por gente qualificada.
 
Espécie  4   É lamentável constatar que esses formuladores, produtores e disseminadores desses coliformes juraram lutar por uma sociedade melhor, mais democrática e menos desigual. Quadro fica ainda mais agravado quando se constata que parte desses alquimistas digitais alisaram os bancos das universidades.


Espécie 5  É preciso perder o medo e abrir o debate. Rediscutir, filtrar e expurgar esses agentes, sob pena de transformarmos as redes sociais, com destaque para os grupos de whatsapp e suas ferramentas indispensáveis num mundo que não se move sem a internet, num grande esgoto. Não podemos abrir mão da construção da discussão em bases saudáveis sobre a cidade, sobre o país e sobre o mundo, sobre nós e o que queremos para o futuro. O esgoto vai sempre existir. O que não podemos é deixar que ele nos engula.

Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)


22 de maio 2018

 





Escada

Escada Os diretores da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, antiga gestora do programa Cidade do Saber, precisam fazer uma corrente de orações em agradecimento ao governo do alcaide Antonio Elinaldo (DEM).


Escada 2  Quem participou da Audiência Pública, sexta-feira (11), na Câmara de Vereadores de Camaçari, saiu com a impressão de que a ONG responsável pela gestão do programa de formulação e desenvolvimento de atividades de cultura, esporte e lazer, fez tudo certinho como manda a moralidade com o dinheiro do contribuinte.


Escada 3  Mesmo pega e multada pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), a ONG recebeu um salvo conduto do novo governo. Lista de investigações incluíram ainda os Ministérios Público do Trabalho (MPT), Público Federal (MPF) e Público Estadual (MPE), além de regularidades denunciadas pela Coluna.


Escada 4 Responsável pela apresentação principal das contas do programa nos últimos 12 meses, a secretária de cultura, Márcia Tude, disse que nada sabia sobre o passado. Mesmo participando do processo de transição com a antiga gestão, garantiu que encontrou os computadores do programa sem nenhuma memória e que nada herdou da administração anterior. Sem o necessário e indispensável retrovisor da moralidade com a coisa publica, a titular da Secult focou e exibiu números generosos e avanços a partir de abril de 2017. Apenas ‘coisas boas e positivas’, como fez questão de destacar na sua apresentação.


Escada 5 Nomeado interventor do programa Cidade do Saber, no final de janeiro do ano passado, o advogado Guilherme Neto, que deveria ajudar nessa missão moralizadora, sequer apareceu, muito menos repassou através de relatório os números que recebeu a missão de levantar. Números parecem não ser o seu forte. A Coluna apurou que mesmo com contracheque de R$ 9,8 mil, como assessor especial de relações interinstitucionais, o doutor Guilherme tem calendário de trabalho diferenciado e é pouco visto na Superintendência de Trânsito e Transportes (STT), onde está alojado desde o final da intervenção. 


Escada 6 Mais uma vez o governo do alcaide Elinaldo atropela seu discurso de transparência e moralidade com o dinheiro público. Não cumpre a promessa de auditoria na Cidade do Saber, assegurada durante a campanha e reafirmada quando já ocupava a cadeira de prefeito.


Escada 7 Ao permitir que seus auxiliares passem uma borracha no passado, como se tratasse de uma conta familiar particular, o prefeito de Camaçari atesta que não sabe e não quer saber o quê deveria saber e, por obrigação constitucional, apurar e compartilhar com o seu patrão, o munícipe. Afinal de contas, cerca de R$ 70 milhões dos cofres do município foram drenados nas contas do programa, desde a sua criação, em 2007, até o começo do ano de 2017. 


Degrau O ex-prefeito de Camaçari e deputado federal, Luiz Caetano (PT), desce mais um degrau e fica ainda mais próximo da condenação e consequente purgatório dos ficha-suja da política. Com a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, de mandar para  primeira instância federal na Bahia o processo da linha do trem, como noticiou o Camaçari Agora (Confira), o 3 vezes alcaide de Camaçari perigas receber sua 2ª condenação e antecipar a aposentadoria política.  


Degrau 2 Já condenado por colegiado formado por mais de 1 juiz, no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), no caso da 'mochila amiga', o petista briga na Justiça na tentativa de se livrar da carimbo de ficha-suja, que de acordo com a lei considera inelegível quem foi condenado em segunda instância.  


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)
18/5/2018

 





Projétil

Projétil A nomeação da ex-prefeita de Candeias e ex-presidente da Câmara de Vereadores da cidade vizinha, para o cargo de sub-secretária da pasta de desenvolvimento social e cidadania de Camaçari (Sedes), parece ser o carimbo que faltava para enterrar de vez qualquer pretensão da gestão do alcaide Antonio Elinaldo mostrar que quer fazer diferente dos antecessores. 


Projétil 2  Indicar a Sra. Maria Célia de Jesus Magalhães Ramos, conhecida  como Amiga Ju, prefeita cassada pela Justiça Eleitoral e condenada a 8 anos de afastamento de qualquer função pública por compra de votos, soa como deboche. Na contramão do discurso de moralidade que lhe garantiu a eleição, o alcaide dá mais um tiro no próprio pé ao  nomear uma pessoa que não tem a menor condição de assumir qualquer cargo público. 


Projétil 3  Ao reconduzir uma ex-ficha suja, se é que existe borracha para apagar esse tipo de crime contra o bem público, o prefeito Elinaldo mostra que se distancia das suas promessas de assumir o controle da máquina municipal aplicando a transparência e a moralidade. 


Projétil 4  A nomeação da Amiga Ju não passa de mais um capricho político de seus aliados descompromissados com a cidade, de olho apenas nos dividendos eleitorais nas urnas de outubro, que o salário de pouco mais de R$ 12 mil renderão com a aquisição da ex-PR e agora demista na sua base eleitoral, a cidade de Candeias.


Projétil 5 Mesmo anunciada durante reunião com técnicos da Sedes, na manhã desta terça-feira (15), a Amiga Ju ainda é subsecretária virtual. Sua nomeação não foi publicada no Diário Oficial. Portanto, ainda é tempo para que o alcaide Elinaldo desfaça muito mais que um simples equívoco. Nomear Amiga Ju, ou qualquer outro ficha-suja, ou ex-ficha-suja, como queira, é um afronta e só faz ampliar a sua lista de equívocos nesses quase 17 meses de gestão. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite Filho joaoleite01@gmail.com (Editor)
15/5/2018

 





Balanço

Balanço  A nova gestão da Cidade do Saber apresenta números positivos do 1º ano de gestão compartilhada do programa entre as secretarias de cultura (Secult), educação (Seduc) e esportes (Sedel). Estrutura de apoio e construção de atividades de cultura, esporte e lazer era comandada, desde a sua criação, em 2007, pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro. Instituto deixou o projeto em março de 2017, já na atual gestão, ostentando um currículo marcado por irregularidades apuradas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).


Balanço 2  A audiência pública, nesta sexta-feira (11), a partir das 9h, na Câmara de Vereadores, será  a oportunidade da nova gestão apresentar os números da auditoria nas contas do programa, prometida pelo alcaide Elinaldo desde a campanha, em 2016 e reafirmada em várias oportunidades no ano passado. Como encontrou a Cidade do Saber, o que foi feito e o que pretende ser realizado é o mínimo que se exige de um gestor público comprometido com o dinheiro do contribuinte.


Tiro no próprio pé Permitir a presença de PMs fardados e armados numa sala onde se reuniam comunidade e vereadores para discutir a manutenção da unidade de saúde de Vila de Abrantes, é qualquer coisa de inacreditável. Se o governo municipal sentiu necessidade de segurança, colocasse sua guarda disfarçada de 'povo', como faziam seus antecessores no cargo. 


Tiro no próprio pé 2 O equívoco que marcou a terça-feira (8) começou na porta da prefeitura, quando manifestantes mais axacerbados, naturalmente inflamados por lideranças oposicionistas, foram recebidos com spray de pimenta pela Policia Militar, ao tentarem invadir a sede do poder executivo.


Tiro no próprio pé 3  A assessoria do alcaide Elinaldo, conhecida pela dificuldade no trato com populares, e até com a imprensa, precisa entender que o comando da prefeitura não lhe cacifa, muito menos autoriza a solicitação desse tipo de ação agressiva e desnecessária. A PM, mesmo colaborando com o poder municipal, em última instância é uma estrutura comandada pelo governo do estado.


Tiro no próprio pé 4 O prefeito está bem servido por esse núcleo rude de assessoramento, que sequer entende a regrinha básica do ambiente democrático. Elinaldo não precisa de inimigos. Seus próprios aliados fazem o serviço.


Álbum  O coordenador da Defesa Civil de Camaçari, Ivonaldo Soares, tem todas as credenciais para ganhar o título de campeão de selfie com baleias e outra espécies da família dos cetáceos encontradas  na costa do município. Não satisfeito em realizar seu trabalho de acompanhamento e até apoio na remoção dos animais, o coordenador se deixa fotografar ao lado do bicho morto. A última ‘selfie’, distribuída para a imprensa, foi postada segunda-feira (7), quando foi encontrado um filhote de golfinho, na Praia do Piruí, em Arembepe. 


Novos ares  O ex-titular da secretaria de desenvolvimento econômico (Sedec), Sergio Vilalva assume a coordenação da campanha a deputado federal de João Roma (PRB), ex-primeiro ministro do alcaide ACM Neto. Mesmo na cota do prefeito da capital, Vilalva aparecia na linha de tiro do alcaide Elinaldo desde  o 2º semestre do ano passado. Ao pedir para sair na reforma de abril, Sérgio Vilalva abriu vaga para o seu subsecretário e nada amistoso parceiro de pasta, Waldy Freitas.


Descarrilada  Ao informar com exclusividade a construção de 3 novas passagens de veículos sobre a linha férrea que corta a sede de Camaçari, a Coluna desviou a rota e colocou o bairro Gleba E no roteiro dos trens. Corrigindo a informação, as novas travessias, como noticiou a edição do Camaçarico do dia 2, serão construídas nas regiões dos bairros 2 de Julho/Piaçaveira e Verde Horizonte/Parque Verde.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite joaoleite01@gmail.com (Editor)
9/5/2018

 





Retardatária

Retardatária  As aulas no Campus da UFBA  de Camaçari não começam antes de meados de julho. O atraso, que pode entrar por agosto, tem dedo da prefeitura que não conseguiu concluir a licitação para escolha da empresa encarregada pelos serviços de reforma e adequação  dos andares superiores do Teatro Cidade do Saber, onde será  instalada toda a estrutura do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação. A previsão era de início das aulas na 2ª quinzena de maio, com o início do processo de  abertura de edital e seleção de alunos em abril.


Retardatária  2 Esse cronograma, segundo a diretora ‘pro temporte’ do campus, a professora doutora  Valterlinda  Oliveira, tem como base a conclusão da licitação e o início das obras já neste mês de maio. Prazo dado pela prefeitura para execução dos serviços de reforma e adequação no prédio da Cidade do Saber para implantação provisória do campus da UFBA é de 30 dias. 


Retardatária  3 Numa 2ª etapa, já sob a responsabilidade da UFBA, serão instalados equipamentos  como laboratórios e biblioteca. Essa etapa, prevista para junho, depois do atraso na licitação, só pode ser iniciada com a conclusão dos serviços de responsabilidade da prefeitura de Camaçari, informa a direção do campus. 


Retardatária  4 Confirmado esse cronograma, a UFBA lança em meados de maio, começo de junho, o edital para seleção dos 100 alunos que terão cerca de uma semana para se inscreverem. A seleção será pela nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O processo de matrícula deve ocorrer imediatamente ao anúncio dos classificados.


Retardatária  5 Enquanto as obras não começam, a UFBA, que também anda atrasadinha, finaliza o processo de seleção dos 9 professores e número igual de servidores que responderão pelo funcionamento do campus de Camaçari nessa fase inicial. A 1ª fase do curso  terá 3 anos e  será realizada na  unidade da Cidade do Saber. A previsão é transferir em seguida para o espaço definitivo, no campus localizado na BA-512, onde  começa a 2ª fase com as formação em engenharia nas áreas de materiais, elétrica, de petróleo e gás, e automotiva. 


Retardatária  6 Não é apenas o processo de início das obras que está fora do prazo por recurso de uma das  construtoras que se sentiu prejudicada com o resultado da licitação iniciada no começo de fevereiro. Parte da estrutura da secretaria de educação (Seduc), que deveria ter deixado as salas da Cidade do Saber desde o mês passado, como apurou a Coluna, continuava alojada no prédio até a tarde de sexta-feira (27). Ouvidos sob a condição de anonimato, professores e servidores que trabalham nessas coordenações garantem que não sabem para onde irão.


Gargalos  Camaçari deve ganhar mais 3 passagens de veículos sobre a linha férrea que corta a região central da sede do município. Gleba E, 2 de Julho e Piaçaveira são os trechos apontados por estudos como necessários para desafogarem o cada vez mais  complicado trânsito de veículos. Com custo estimado em cerca de R$ 200 mil, as 3 novas travessias ampliam para 11 o número de cruzamentos na sede.


Aquecimento O vereador Binho do Dois de Julho (PCdoB) é o candidato a deputado estadual do partido em Camaçari. Com 2.112 votos, 6º no ranking geral entre os 21 eleitos em 2016, Binho fará dobradinha no municpipio com o presidente estadual da legenda, o deputado federal Daniel Almeida. Mesmo com pequenas chances de conquistar uma das 63 cadeiras da Asssembrlai Legislativa, o parlamentar de origem metalúrgica, sabe que colocar o nome é reforço na disputa pela reeleição em 2020. 


Aquecimento 2 Já na base petista, o nome escolhido deve ser o do também vereador Téo Ribeiro. Depois do vai-não-vai, legenda decidiu apresentar um 2º nome alternativo, tirando assim a exclusividade do deputado e candidato a reeleição Bira Coroa, já que a deputada Luiza Maia não disputa o 3º mandato. Com 2.031 votos no pleito passado, 8º na lista geral, Téo, assim como o companheiro de bancada oposicionista Binho, ganha palanque para fazer poupança eleitoral de olho nem 2020. 


Aquecimento 3 O petista Téo pode até disputar a sucessão do alcaide Antonio Elinaldo (DEM). Tudo vai depender da Justiça confirmar ou não o impedimento do chefe e sempre primeirão na fila, o deputado Luiz Caetano, tecnicamente já enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Outro nome provável é o da ainda deputada Luiza Maia, que alimenta o sonho de governar Camaçari desde os anos 1980. 


Aquecimento 4 Na base governista não haverá surpresas. O atual vice-prefeito e 3 vezes alcaide do município, José Tude, ex-MDB de Geddel e agora no DEM de ACM Neto, será o candidato único e contará com todo o apoio da máquina municipal.  


Folga  Camaçari ficou fora do mapa dos protestos e manifestações do 1º de maio. Mesmo com o título de sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul e forte suporte de sindicatos de trabalhadores, como metalúrgicos, construção e químicos/petroqúimicos, município não viu nenhuma manifestação contra a reforma trabalhista, contra a prisão do ex-presidente Lula, muito menos protestos contra a violência crescente. Lideranças que deveriam conduzir esse processo, ainda que fosse um ato ecumênico para marcar a data, preferiram a brisa salitrosa do ato realizado terça-feira à tarde no farol da Barra, em Salvador.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite joaoleite01@gmail.com (Editor)


2/5/2018

 





Conjuntura

Conjuntura  O ato de lançamento da candidatura de Zé Ronaldo (DEM), a governador, pela base oposicionista, ficou distante dos apoteótico encontro de lideranças e povo, durante o encerramento da campanha a prefeito de Elinaldo. Mesmo dando os devidos descontos com o desgaste dos políticos, independente de partidos, as cerca de 600 pessoas presentes ao agora batizado de 'espaço 25', na mesma Praça dos 46, palco do comício em setembro de 2016, tido como o maior da história recente de Camaçari, representaram um quorum baixo para o peso do palanque. 


Conjuntura 2  ACM Neto, que mesmo desgastado com a decisão de recuar na disputa com o petista Rui Costa, segue protagonizando o processo na oposição;  Zé Ronaldo, com a máquina de Feira de Santana, cidade que governou por 4 anos e manteve o aliado Colbert Martins no comando; o deputado Paulo Azi (DEM), e o também federal José Carlos Aleluia, presidente estadual do Democratas, poderiam ter somando nessa conta. 


Conjuntura 3   Na equação local, o alcaide Elinaldo tem parcela significativa nessa culpa. Com dificuldades para acalmar suas suas bases e se comunicar com a população, demista experimenta um dia a dia de insatisfações provocadas pelo que essas lideranças chamam de alijamento, ou baixo reconhecimento dos seus méritos na distribuição de cargos e benesses na máquina. Queixa não se resume a cabos eleitorais de bairro e  comunidades. Os vereadores da base, eternos insatisfeitos, apesar do tratamento diferenciado na máquina, têm peso significativo nesse processo. 


Desfalque  Acostumado com os apoios históricos e até incondicional relação de liderados ao seu projeto, seja qual fosse, o vice-prefeito e candidato a deputado estadual pelo DEM, o ex-emedebista José Tude, perdeu significativo cabo eleitoral da sua antiga base. Sem arrodeios, o vereador Zé do Pão (PTB)  disse ao Camaçarico que sua candidata a deputada estadual é Taissa Gama. Filha do deputado federal e presidente do seu partido, Benito Gama, Taissa preside o PTB Salvador, o PTB Mulher Bahia e foi secretária de políticas para mulheres, infância e juventude na gestão ACM Neto até de Salvador.  


Desfalque  2  Segundo apurou a Coluna, o vereador Zé do Pão não é o único. Com aproximação de Tude do grupo de Elinaldo, parte do seu antigo time de apoiadores anda escateada. Alem de não conqusitarem cargos na gestão, se sentem alijados das discussões sobre o futuro político do quase 'ex-chefe'. 


Desfalque  3  Nessa conta de subtrair, outro nome que está fora do seu alcance é o antigo e fiel aliado, Maurício Bacelar, que chegou a usar a marca Tude como seu sobrenome para alavancar sua candidatura a prefeito de Camaçari, na disputa de 2012. Agora sob a liderança do governador Rui Costa, depois de atuar na órbita do petista Luiz Caetano, Maurício e o seu Podemos seguem outros rumos.


Desfalque  4 Candidatíssimo a deputado estadual, Maurício joga o jogo de 2018 mirando o gol de 2020, quando espera  vencer a disputa municipal perdida para o então petista e hoje sem partido, Ademar Delgado. Com o diagnóstico  vivido por todos os políticos, Maurío aposta  no esporte para alavancar seu nome. pelo 4º ano organiza  a copa de futebol  com 160 times e cerca de 4 mil  jogadores. Tabela garante  encontros domingueiros com eleitores sem 'chutes na canela'  dos encontros secos da política,  a cada dia mais rejeitados pelo eleitor. 

Desfalque  5 A campanha de eleição para a Assembleia Legilslativa do 3 vezes prefeito de Camaçari não será fácil, avaliam  aliados e, principalmente, adversários. Apesar do descontentamento do eleitor com todos os políticos, independente dos partidos, outros pesos somam nessa equação. Tude  vai precisar gastar sola de sapato e  muita saliva, além de otras cositas mas, que agregam apoios e consequentemente iotos,  para  assegurar uma das 63 cadeiras da Assembleia Legislativa da Bahia. 


Desfalque  6 Nas eleição para deputado estadual de 2014, o então peemedebista Tude somou em Camaçari pouco mais de 14 mil dos 22 mil votos conquistados em todo o estado. Na ápoca considerada baixa, performance nessa nova conjuntura-2018 sem um grande puxador de votos na chapa  oposicionista alimenta ainda mais o pessimismo. Fontes do DEM asseguram que a linha de corte, votação mínima para se eleger pela coligação, isso se o partido se juntar com outra legenda, é de 45 mil votos. Por essa conta, Tude precisa, no mínimo, dobrar votação para garantir sua eleição.  


Tempero Quem assistiu o discurso do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), na noite de sexta-feira (27), em Camaçari, saiu cheios de dúvidas e apenas uma certeza. Na sua fala, o deputado carioca e presidente da Câmara não exibiu convencimento, muito menos apresentou propostas firmes, esperadas pelas lideranças e populares presentes, para quem quer mesmo  disputar a presidência da República. 


Tempero  2 A única certeza foi a baixíssima qualidade do discurso do demista carioca. Filho do articulado e competenrte César Maia, ex-prefeito, ex-deputado federal, atual vereador do Rio, e importante colaborador do governo Brizola, sequer consegiu arrumar  de forma lógica seu  discurso.  Com  frase soltas e sem efeito político, necessário para empolgar a plateia, Maia mostrou  que está longe de dar um recado  forme e convincente, seja na caçamba de um camihão, no Nordeste, na barranca de um rio, na Amazónia, ou num comício urbano numa grande cidade.


Tempero 3  Homem do sertão e acostumado com gente simples e políticos hábeis, o 4 vezes prefeito de Feira e ex-parlamentar Zé Ronaldo, foi certeiro. Didático, lembrou, ainda que de forma carinhosa, que Rodrigo Maia é 'tímido' e 'nunca foi de  dar um sorriso'. Só assim, com o puxão de orelha do mestre, Rodrigo sorriu. 


Distraído Felizmente, não existe sabatina pós-ato político. Caso existisse lista de perguntas, por mais básica que fosse a arguição sobre o lançamento da candidatura a governador do demista Zé Ronaldo, o vereador Jorge Curvelo (DEM), líder do governo Elinaldo na Câmara municipal, levaria nota baixíssima. O parlamentar consumiu parte do tempo, durante o ato, na noite de sexta-feira (27), em Camaçari, conversando com jovens lideranças adversárias e ligadas a partidos estranhos à base governista. 


Distraído 2  A empolgação do mini-debate começou antes da fala do prefeito ACM Neto. Anotada com desconfiança e estranheza por correligionários do grupo governista, papo animado prosseguiu aos discursos de Zé Ronaldo, do alcaide Elinaldo e do pré-candidato a presidente da República pelo seu partido, o deputado carioca Rodrigo Maia, que fechou o ato.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)
28/4/2018

 





Movimento

Movimento  Mesmo distante de 2020, a eleição municipal já começa a fazer parte dos planos da cidade. Quem vai representar e defender a população na Câmara de Vereadores. Manter os vereadores que estão aí, renovar parcialmente, expurgar todos os atuais ocupantes das 21 cadeiras. Os caminhos até a urna ainda estão largos e distantes, mas o funil começa a se desenhar.


Movimento 2  Independente de vontades,  recusas, obrigações com segmentos, grupos ou partidos políticos, e até desejos secretos, alguns nomes dessa nova safra começam a emergir desse turbilhão que virou a política de Camaçari, principalmente  depois  do escândalo provocado pela denúncia do Ministério Público (Confira).


Movimento 3 Jamesson da Silva é um desses nomes da nova geração camaçariense que promete entrar de cabeça na disputa para a vereança de 2020. A Coluna apurou que o ex-assessor do vereador Jorge Curvelo (DEM) não apenas rompeu politicamente com o grupo do atual líder do governo Elinaldo na Câmara de Vereadores. Jamesson também deixou o DEM, partido que ajudou a construir, organizar e reforçar nos últimos 8 anos.


Movimento 4 Nas conversas informais deste editor, um nome sempre aparece na balança dos candidatos a candidatos. Muito mais que nativo, numa terra onde gostar e torcer pelo sucesso da cidade  vai além da certidão de nascimento camaçariense, o servidor concursado do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM),  Danival Dias exibe de forma inequívoca  essa preocupação e desejo de mudança. Presente nos debates, independente do território ter o limite das ruas, bares, festas, ou redes sociais, o ex-menino do bairro Ponto Certo mostra que tem cacife. 


Lição  O alcaide de Camaçari  precisa prestar atenção nas recentes declarações do ex-presidente do Supremo, Joaquim Barbosa. Na Frase do Dia do Camaçari Agora desta quinta-feira (26), o pré-candidato a presidente da República pelo PSB fala da necessidade de olhar nos detalhes: “Não sou favorável a posições ultraliberais num país social e estruturalmente tão frágil e desequilibrado como o Brasil, com desigualdades profundas e historicamente enraizadas”.  


Lição 2 Ainda segundo Barbosa, as fórmulas prontas são outro perigo: “Basta um rápido olhar para o chamado Brasil profundo ou para a periferia das nossas grandes metrópoles para se convencer da inadequação à nossa ‘engenharia social’ dessas soluções meramente livrescas, puramente especulativas. Evidentemente, elas não são solução para a grande miserabilidade que é a nossa marca de origem e que nós, aparentemente, insistimos em ignorar.”


Obrigação  O recém-empossado presidente do Conselho de Cultura de Camaçari (CCC), Tata Ricardo Tavares,  tem uma verdadeira tarefa para cumprir nos próximos 18 meses. Da condição de conselheiro eleito pela comunidade para a cadeira de representante do segmento patrimônio cultural (material e imaterial),  Tata Ricardo passa ao status de presidente com a obrigação de ajudar a resgatar o colegiado, mergulhado desde a sua criação no panteão do atraso.


Obrigação 2 Mesmo com fortes ligações com os governos petistas que comandaram a cidade entre 2005 e 2016, Tata Ricardo sempre sinalizou independência. Com posições claras contra a intolerância religiosa, o preconceito racial, e pela construção de uma política transversal que contemple na sala de aula a parte da nossa história vinda da África, o líder religioso do terreio Lembá tem missão nada fácil.


Obrigação 3 Aparelhado e transformado em apêndice valioso da secretaria de cultura (Secult) nos governos Caetano e Ademar, o CCC precisa de um novo olhar e novos gestos que contemplem a cultura de Camaçari.


Desafinados  A artistagem de Camaçari não anda nada satisfeita com a secretaria de cultura (Secult) e com a coordenação de eventos. As duas estruturas seguem sem cumprir o acertado com os músicos que esperam os pagamentos pelas participações nos projetos ‘Orla verão’ (Secult), e ‘Por do sol’ (eventos). 


Desafinados 2   A atravessada fica ainda mais gritante quando constatam que as estruturas responsáveis pelos cochilos nos pagamentos são controladas por figuras do métier artístico.


H20  A sessão ordinária desta quinta feira (26) na Câmara de Vereadores de Camaçari foi suspensa. Apesar da presença de quorum para iniciar os trabalhos, o impedimento veio de cima, mas não teve nenhuma relação com a Justiça. O motivo foram as goteiras provocadas pela falta de manutenção  do telhado da Casa Legisaltiva.


Substitução  O empresário Sandro Rocha é o novo presidente da comissão provisória do PRTB de Camaçari. Pré-candidato a deputado estadual, Rocha substitui o ex-vereador e até o mês passado subsecretário de agricultura e pesca de Camaçari, Cleber Alves. Sandro Rocha aposta na sintonia energética com o presidente estadual e candidato a deputado federal Rogério da Luz, e o ex-prefeito de Salvador, João Henrique, candidato a governador. 


Posse  O camaçariense Alex Freitas assume a presidência da União de Direitos Humanos para a Juventude da Bahia. A posse será sábado (28), às 14h, na Unime de Lauro de Freitas.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


26/4/2018

 





Território

Território Apesar do discurso de controle e comando cada vez maior da gestão de Camaçari, os movimentos do alcaide Antonio Elinaldo (DEM) sinalizam caminho oposto. A nomeação da urbanista Juliana Paes, para uma assessoria especial, depois de demitida do cargo de secretária de desenvolvimento urbano (Sedur), exatos 7 dias antes, seguramente não ajuda na construção desse entendimento.


Território 2  Mais uma vez,  a doutora Juliana, escudada por poderosos padrinhos e conhecida pelo seu temperamento forte, já experimentado pelo próprio Elinaldo, deixa o prefeito em situação de desconforto num momento que precisa mostrar força e afirmação para os 32 meses restantes de gestão.


Território 3  Demitida ‘a pedido’, não por vontade própria, como quis aparentar a formalidade do decreto, a canetada veio em função da força da denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), com ampla repercussão negativa na imprensa, na opinião pública, em significativa parcela de aliados, e até entre gente da intimidade do prefeito.


Território  4 Mesmo sem condições de permanecer no posto, seguiu blindada no cargo por 2 longos meses, até segunda-feira (9). Ferida e escudada em argumentos pouco convincentes exibidos em nota divulgada na imprensa (Confira), o calvário da doutora Juliana só subtraiu para a imagem da gestão. 


Território  5 Convidada para  assumir o novo cargo na segunda-feira da semana passada, quando sua saída foi anunciada, a urbanista preferiu esperar. A Coluna apurou que a proposta  era realizar no mesmo ato, a comunicação da exoneração e o anúncio  da nomeação para a assessoria especial. 


Território 6 Ao assinar decreto trazendo de volta a auxiliar,  que mesmo com competência reconhecida até pelos adversários, mas ainda envolvida nas denúncias do MPE (Confira), Elinaldo contraria sua própria lógica. Se não queria ou podia rifar a auxiliar, a troca de cargo logo no início do escâdalo, teria sido a solução menos traumática para o governo. Mais uma vez o tempo ajudou a doutora, mas foi inimigo do alcaide.


Fotocópia   Depois de 16 meses sem avanços nas políticas públicas de assistência social, o governo Elinaldo aperta o botão verde e sinaliza a manutenção da velha cópia como se fosse um novo original. Illay Ellery, filha da ex-primeira dama do município e titular da secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes) até dezembro, assumiu a pasta no lugar da ex-vereadora e filha do ex-deputado Ferreira Otomar. Janete Ferreira, que comandava a Limpec até dezembro, passando depois para a Sedes, onde ficou até o começo de abril, foi agora deslocada para a pasta de relações institucionais (Serin). 


Fotocópia 2 Equívocos na gestão da Sedes nos últimos  governos de Camaçari foi assunto  do Camaçarico. Sob o título ‘papel carbono’ (Confira) texto historia o descompasso na Sedes, inaugurado no governo do hoje deputado federal Luiz Caetano (PT), e prosseguido com singular descompromisso nos 4 anos do petista e posteriormente sem partido, Ademar Delgado. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


20/4/2018

 





Diagnóstico

Diagnóstico O governo municipal está decidido a fechar os PAs (Pronto Atendimento), posteriormente  promovidos a UPAs, de Vila de Abrantes e Monte Gordo. Estudos da secretaria de saúde de Camaçari (Sesau) mostram que as unidades funcionam de forma subutilizada, gerando mais custos que benefícios. Como antecipou o Camaçarico (Confira), os cerca de 6 mil atendimentos mês realizados pelas unidades passarão para a responsabilidade da UPA de Arembepe. 


Diagnóstico 2 Ainda segundo fontes do governo, UPA de Arembepe, maior e melhor equipada e também operando com capacidade abaixo da sua estrutura, pode receber esses pacientes. Mas, a conta politica continua pesando, com incertezas sobre o melhor diagnóstico, como mostrou o Camaçarico do último dia 6. Uma das  queixas é o tempo de deslocamento de um paciente de Abrantes, ou Monte Gordo para Arembepe. Quem trabalha com a vida sabe que minutos são decisivos para salvar. 


Tubo Mesmo com um dos mais altos orçamentos do Brasil, Camaçari segue longe do nível de saneamento ideal para garantir mais saúde aos seus cerca de 300 mil habitantes. Como mostrou o Camaçari Agora (Confira), município aparece  na posição 64 da lista das 100 maiores cidades do país. Fica atrás de Vitóiria da Conquista, 4ª no ranking nacional. Camaçari também perde para Salvador (41º) e Feira de Santana (42ª).


Fermento  E o vereador Zé do Pão (PTB) continua mudo sobre as denúncias do Ministério Público Estadual em Camaçari. O seu colega e presidente do Legislativo de Camaçari, Oziel Araújo (PSDB), distribuiu nota para imprensa negando participação em qualquer irregularidade na casa do Povo. O tucano garante que renuncia ao mandato, caso seja provado  cometimento de qualquer crime contra os cofres públicos.


Fermento 2  O promotor Everardo Yunes pediu a prisão e afastamento das funções da dupla por prática de crimes de peculato e lavagem de dinheiro. Como mostrou o Camaçari Agora (Confira) o MP acusa os vereadores por desvio de R$ 25 mil dos cofres públicos com o pagamento de benefícios devidos a um ex-servidor do Legislativo.


Fermento 3 Não é a primeira tentativa do promotor que virou heroi nas redes sociais. Em recente ação, Yunes pediu o afastamento de 20 vereadores, entre eles Oziel e Zé do Pão, por irregularidades com o dinheiro público também envolvendo assessores que teriam sido usados como laranjas.


Dura lex, sed lex  O alcaide de Camaçari parece mais preocupado com a queixa dos motoristas infratores do que com o cumprimento da legislação que deveria aplaudir. Em recente comentário, publicado no site Camaçari Notícias, Elinado não apenas invadiu o sinal vermelho como deu 'cavalo de pau' ao sugerir que a Superintendência de Trânsito e Transportes (STT) alivie. 


Dura lex, sed lex 2 Com a ordem de multar menos e realizar mais ações educativas, Elinaldo mostra que gosta do jeitinho, muito comum nas gestões passadas, quando se estacionava em qualquer lugar, o trânsito em Camaçari era uma desordem, e o pedestre, a parte frágil dessa engrenagem, corria mais risco. 


Dura lex,  sed lex 3 A doutora Joselene Cardim, titular da pasta da infraestrutura (Seinfra), deve andar se espelhando na gestão ACM Neto (DEM). Assim como na capital, os serviços de requalificação asfáltica das vias de Camaçari não são completados com o imediato e necessário nivelamento das tampas da rede de esgoto, muito menos com a indispensável sinalização horizontal. Será que as medidas estão cobertas por algum código camaçariense de trânsito que o editor da Coluna desconhece.


Despedida  A deputada Luiza Maia (PT) vai mesmo encerrar seu mandato longe do plenário da Assembleia Legislativa. Em 2º e último mandato, como já havia anunciado, a parlamentar vai ocupar a secretaria de desenvolvimento econômico do estado (SDE). A Coluna apurou que a transição já começou com um madureza rápido, com aulas sobre a estrutura e o funcionamento da  pasta. 


Despedida 2 Troca faz parte de um acordo com o governador Rui Costa, que precisa  da vaga na Assembleia para acomodar outro aliado, o suplente da coligação Angelo Almeida (PSB). Mesmo dando tchau para o Legislativo, Luiza pode continuar no governo Rui, caso o companheiro de partido confirme a sua reeleição nas urnas de outubro. Com ou sem secretaria, Luiza Maia não se despede da política. Continua sonhando com o comando de Camaçari.


Pistão  Quase R$ 22 milhões foi o volume de recursos que Camaçari recebeu de Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), nos últimos 8 anos com o pedágio controlado pela Bahia Norte, concessionária do sistema batizado de BA 093. 


Pistão 2 A conta total é de R$ 81 milhões e beneficia mais 6 municípios (Salvador, Simões Filho, Candeias, Mata de São João, Lauro de Freitas e Dias D’Avila). Camaçari ficou com a maior parcela, pouco mais de 25% desse bolo. Segundo informou a concessionária, repasse equivale ao período de agosto de 2010 a março deste ano. Valor representa para Camaçari
uma média mensal de R$ 230 mil nesses 91 meses. 


Pistão 3 Como o ISS representa 5% do movimento dos guichês, regra de três mostra que a Bahia Norte, com cerca de 121 quilômetros de rodovia e movimento de 22 milhões de veículos por ano, segundo números fornecidos pela concessionária, faturou nesses quase 8 anos cerca de R$ 1 bilhão e 600 milhões. Essa continha de aproximadamente R$ 200 milhões por ano, deve engordar nos próximos meses com a inauguração Via Metropolitana, ligação Camaçari pela  estrada do Coco (BA-099), com Lauro de Freitas pela CIA-Aeroporto (BA-526). 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


18/4/2018

 





Vitaminado

Vitaminado  O 3 vezes alcaide e atual vice-prefeito de Camaçari, José Tude (DEM), foi o grande beneficiado pelo processo de mudança no secretariado da gestão Elinaldo. Além de emplacar o fiel escudeiro Waldy Freitas, ex-sub e agora secretário da pasta do desenvolvimento econômico (Sedec), Tude deu um significativo salto no controle de parte estratégica da máquina municipal com a nomeação da arquiteta com especialização em gestão ambiental, Sílvia Carreira, para a secretaria de desenvolvimento urbano e meio ambiente (Sedur). Com a filha Márcia Tude na pasta da cultura (Secult), ex-prefeito conta agora com 3 secretarias. 


Vitaminado 2 Sem questionar as qualificações técnicas da substituta da doutora Juliana Paes, a Coluna não pode deixar de registrar que a nova titular da Sedur possui vínculos  familiares com o empresário João Fonseca, amigo e historicamente ligado ao agora candidato a deputado estadual José Tude, padrinho da indicação. Fonseca exibe significativa presença no mercado imobiliário na região de Guarajuba, um dos mais valorizados trechos da orla oceânica de Camaçari. 


Vitaminado 3  O ex-vereador e candidato derrotado a prefeito de Riachão de Jacuípe nas eleições de 2016, Carlinhos Matos, segue firme, forte e amparado pelo aliado Elinado. Listado como um dos  demitidos no pacote de abril, Carlinhos  apenas pulou de galho. Troca a sub da Secad pelo mesmo cargo e espinhosa missão na Sedur. Na sua vaga deixada na Secad entra André Anilton dos Santos, ex-secretário de finanças de Candeias. 


Vitaminado 4  Camaçari já tem secretário da fazenda. O nome escolhido pelo prefeito Elinaldo é  Joaquim Bahia. Ex-secretário de finanças de Feira de Santana, na gestão Zé Ronaldo, Bahia estava ajudando a arrumar as finanças de Santo Antonio de Jesus, até a manhã de hoje, quando anunciou  oficialmente sua saída. Auditor fiscal do estado, Joaquim Barbosa chega com o perfil técnico e sem  estrelismos, imaginados para o cargo desde o começo da gestão.  


Vitaminado  5  Se por um lado a rearrumação fortaleceu Tude, outro ex-prefeito, Helder Almeida,  troca de posto mas não perde a vigilância e o compromisso com o acompanhamento da gestão política do governo. Mesmo transferido para o comando da administração (Secad), aparentemente uma perda de poder,  Almeida garantiu  espaço privilegiado mantendo pessoas de sua confiança, com José Gama, na pasta de governo (Segov), e Joaquim Bahia na fazenda (Sefaz). Segundo fontes ligadas ao ex-prefeito, Helder é homem de partido, tem compromisso com o projeto político e não vai descuidar  da  construção que ele planejou, montou e que resultou na eleição de Elinaldo.


Sintonia  A condução do processo de troca de parte dos secretários de Camaçari, oficializada na segunda-feira (9), e antecipada pela Coluna de sábado (Confira), mostrou que a gestão do alcaide Elinaldo segue distante do ritual ideal exigido nesses processos envolvendo aliados. Não dá para negar que o jornalista Biaggio Talento e a arquiteta Juliana Paes foram vítimas dessa falta de sintonia. A comunicação realizada quase que simultaneamente pelo próprio alcaide, e pelo Camaçarico, de que seriam desligados, gerou suspresas e deixou arranhões que Elinaldo poderia ter evitado.


Sintonia  2  O governo pode até minimizar, mas a ausência de Biaggio na apresentação da sua substituta, a jornalista Wanessa Rodrigues, durante conversa  com a imprensa foi comentário geral. Com temperamento mais forte, e ferida pela Ação Civil do Ministério Público que a acusa de receber vantagens indevidas a partir do uso do cargo, a doutora Juliana sabia que precisava enfrentar os holofotes para tentar reduzir o estrago na sua imagem.  Quem conhece a doutora Juliana sabe que a sua saída  não foi  fruto de acerto consensual com o prefeito. 


Finalmente  O advogado Luciel Neto é o novo subsecretário de cultura de Camaçari. Festejado durante a montagem do  governo, no final de 2016, como forte nome para comandar a Secult, Neto terminou perdendo a briga para Marcia Tude, filha e herdeira política do ex-prefeito e atual vice.


Finalmente 2 Apesar de anunciado como subsecretário, Neto também foi apeado do cargo. Vaga tida como certa para o nome do amigo e cota do vereador Jorge Curvelo (DEM)  ficou para o aliado político do então peemedebista Tude, João Batista. Mesmo rifado do cargo que na prática nunca exerceu, o ex-candidato a prefeito da distante cidade de Rodelas segue amparado  com um cargo de coordenador. 


Piquenique A nova titular da secretaria de desenvolvimento urbano e meio ambiente (Sedur), Silvia Carreira, precisa fazer uma visitinha urgente ao quase finado Horto Florestal do município. 


Piquenique 2  O passeio pelo perigoso e degradado espaço, localizado ao lado da agora rebatizada praça Doutora Lúcia, antiga Simpatia, pode até virar um convescote com as indispensáveis presenças do alcaide Elinaldo, do seu vice Tude,  e da doutora Neurilene Martins, secretária da educação. O grupo, infelizmente sem a participação da ex-secretária Juliana Paes, responsável pelo aumento da degradação do espaço nos últimos 15 meses, seria a formação ideal para uma aula de como deixar a educação ambiental virar fogueira. 


Trator   Arembepe, litoral de Camaçari, protesta sábado (14) contra as invasões de suas áreas de proteção ambiental. Manifestação tem concentração a partir das 8h, na praça Santa Rita. Graças ao descuido dos governos municipal e do estado, o outrora famoso paraíso underground com sua aldeia hippie,  vem sofrendo constante e cada vez mais intensa destruição das suas dunas, flora e fauna, rios e lagoas. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


11/4/2018

 

Clique na imagem para ampliar




Pacote

Pacote  O alcaide Antonio Elinaldo (DEM) anuncia oficialmente na manhã de segunda-feira (9/4) a troca de quase metade dos titulares do 1º escalão. Pacote com afastamento da gestão ou mudança de postos também incliu número significativo de subsecretários e cargos de escalões menores. Mais traquejado e com entendimento maior da máquina, mudança busca sinalizar um aumento de poder e de decisão final de Elinaldo. 


Pacote 2 A Coluna apurou que a lista, que pode chegar a 8 nomes, é encabeçada pelo atual secretário de governo, o ex-prefeito de Camaçari, Helder Almeida (DEM), que passa a ocupar a pasta da administração (Secad). Almeida substitui Reginaldo Paiva, que deixa a pasta juntamente com o amigo Renato Almeida, titular da fazenda (Sefaz). 


Pacote 3 Outra troca, essa por total incompatibilidade com a missão, é da atual titular da pasta do desenvolvimento social e cidadania (Sedes), a ex-vereadora Janete Ferreira. No seu lugar assume Ilai Ellery, filha do ex-prefeito Humberto Ellery e da ex-titular da Sedes no 1º ano da gestão Elinaldo, Simara Ellery. Atual secretária de relaçãos institucionais (Serin), Dona Simara, como é  carinhosamente chamada, deixa o governo. Na  rearrumação política, seu grupo passa a ser representado pela herdeira política Ilay. 


Pacote 4 Com menos de 4 meses  no comando da Sedes, a filha do ex-deputado Ferreira Ottomar e gestora da Limpec (empresa de limpeza pública do município) durante o 1º ano da atual gestão, Janete Ferreira, deve ser deslocada para a secretaria de desenvolvimento econômico. Considerado cota do prefeito ACM Neto, o titular da Sedec, Sérgio Vilalva, deixa a pasta e retoma suas atividades empresariais em Salvador.


Pacote 5 Como também antecipou o Camaçarico (Confira), o jornalista Biaggio Talento deixa a coordenação de comunicação. Em seu lugar, com outro perfil e missão, entra Vanessa Rodrigues. A Coluna apurou que Biaggio troca a coordenação por novas missões na gestão mais identificadas com seu perfil de jornalista e redator. 


Pacote 6 Já o secretário Junior Borges, apesar do lobby, não vai migrar da secretaria da habitação (Sehab) para a estratégica secretaria de governo. Gama Filho é o nome mais provável para ocupar a Segov com a saída de Helder Almeida que segue com o trabalho de articulação e gestão do dia a dia da máquina municipal.  


Pacote 7  Segundo apurou a Coluna, o pacote também inclui a exoneração de subsecretários. Abre a lista o ex-vereador Cleber Alves, atual sub da secretaria de agricultura e pesca (Sedap). Outro que deixa o governo é o atual sub  da Secad. Conhecido pelo pouco comparecimento ao expediente e nenhuma identificação com a cidade, o ex-vereador e candidato a prefeito de Riachão do Jacuípe, Carlinhos Soares desembarcou em Camaçari no pacote de indicações do DEM. 


Pacote 8 Lista de mudanças com trocas de postos ou exonerações inlcui ainda os subsecretários Rubens Maciel (Seinfra), Cosme Alves (Sefaz), e Evaldo Souza (Segov). Num escalão mais abaixo o troca-troca inclui a ida do coronel Arcanjo para um posto estratégico na STT (superintendência de trânsito e transporte), além de mexida na coordenação da Orla. A demissão da advogada Adriana Guedes, imexível desde o governo passado e blindada na atual administração pelo agora ex-secretário da fazenda Renato Almeida, deve ser uma das primeiras da lista de exonerações previstas para os próximos dias.


Sacolejo  Precisou acontecer um fato político intenso, a decretação da prisão do ex-presidente Lula, para que os partidos de esquerda em Camaçari conseguissem se unir. Uma manifestação contra a prisão do petista, e pela presença de Lula na disputa presidencial de outubro reuniu cerca de 200 pessoas, na sua maioria militantes partidários. O número, que não tem como ser contestado, exibe um enfraquecimento da base oposiconista numa cidade eminentemente industrial e com maioria da população formada por trabalhadores. 


Sacolejo 2  Comparada com outras recentes manifestações, passeata pelo centro de Camaçari foi seguramente o maior desde a derrota  do PT e aliado nas eleições de 2016. Sem o deputado federal e ex-prefeito Luiz Caetano (PT), em São Bernardo (SP), prestando solidariedade a Lula, a Coluna registrou as presenças dos vereadores petistas Dentinho do Sindicato, Jackson Josué e José Marcelino; e Binho do 2 de Julho (PCdoB). Dos parlamentares estaduais, apenas Bira Coroa compareceu. A deputada Luiza Maia e o vereador Téo Ribeiro, ambos do PT, não bateram ponto no ato que  reuniu dirigentes petistas, do PCdoB, do PSOL, da Rede, além de representantes de sindicatos de trabalhadores.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


7/4/2018

 





Descarrilados

Descarrilados  A exclusão de Camaçari aa linha do  VLT (veículo leve sobre trilhos) ligando Salvador a Simões Filho, anunciado pelo governo Rui Costa, é mais um castigo que a população paga por culpa da miopia dos seus antigos gestores. Mesmo com a necessidade de implantação de um programa de transporte de massa, a cidade-sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul seguiu caminho oposto. Hoje milhares de trabalhadores e moradores chacoalham no lento, perigoso e caro sistema de transporte por ônibus, isso sem falar na rede clandestina.


Descarrilados 2 Induzida pelo discurso miúdo da retirada da linha do trem, bandeira do ex-prefeito Luiz Caetano (2005/2012), Camaçari  simplesmente involuiu, quando a aposta correta seria o modal dos trilhos. O descarrilamento prosseguiu com o alcaide Ademar Delgado (2013/2016), e parece contar com um novo passageiro, o alcaide Antonio Elinaldo, que não apresentou nenhuma proposta de inclusão de Camaçari no roteiro do VLT. Projeto do governo do estado, ainda no papel, vai integrar o metrô da capital a cidades da Região Metropolitana.


Passageira  O ‘ligeirinho’, sistema de transporte a cada dia menos clandestino e quase oficial, segue firme e forte sob o beneplácito da prefeitura e sua briosa e eficiente superintendência de trânsito e transporte. Boa na arte de multar, a STT segue distraída e olhando para o outro lado quando deveria mirar carros sem condições de rodagem e que põem em perigo a vida de centenas de passageiros.


Passageira 2  Filho da demagogia dos gestores, mais preocupados com o suposto saldo eleitoral que os operadores desses sistema oferecem, o ‘ligeirinho’ avança e já transformou o largo da Tupinambás,  coração de Camaçari, no seu terminal de passageiros. 


Passageira 3  Ao se comportar como passageira e não motorista de um sistema cada dia mais ingovernável e com prejuízos para a população, prefeitura faz de contas que o problema não é com ela. Deixa na gaveta o termo de ajuste e conduta (TAC), assinado ainda na gestão passada com o Ministério Público Estadual (MPE), se comprometendo licitar e a implantar um moderno sistema de transporte.


Sutura  Como antecipou a Coluna (Confira), a secretaria de saúde (Sesau) prepara reestruturação de unidades de forma a tornar o serviço  de atendimento mais eficiente. Fonte do Camaçarico assegura que proposta não é fechar as unidades de Abrantes e Monte Gordo, classificadas como UPAs. Meta é criar condições para que a UPA de Arembepe, hoje subutilizada com estrutura e atendimento abaixo da sua capacidade médica. 


Papel carbono O alcaide Antonio Elinaldo segue longe de acertar o passo na secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes). Depois de passar 1 ano com muito acolhimento dos técnicos , mas poucas ações, com a gestão da ex-primeira-dama Simara Ellery, a pasta experimenta  desde janeiro situação ainda mais grave. Com a ex-vereadora Janete Ferreira a Sedes sequer identifica um trabalho de aproximação com os profissionais da pasta.


Papel carbono  2 O resultado dessa falta de sintonia com a política pública de assistência social coloca a gestão do demista no mesmo buraco do antecessor Ademar Delgado, e de parte dos 2 mandatos do petista Luiz Caetano. Nessa conta de subtrair, que só soma para os fidalgos da Camaçari do atraso, preocupados com a manutenção de seus territórios, a população carente de todas as idades vê seus direitos elementares escaparem, aumentando assim o fosso da desigualdade.


Alerta  O ato ecumênico ‘Toda vida importa’, sábado, a partir das 18h, no largo do Cajueiro, bairro Gleba C, vai pedir segurança, justiça e a apuração rápida com a identificação dos criminosos responsáveis pela chacina do domingo de Páscoa, quando 4  homens, com idades  entre 17 e 27 anos, foram executados em plena tarde e no meio de dezenas de pessoas.


Alerta 2 Segundo apurou a Coluna, até o fechamento dessa edição, nenhum suspeito havia sido preso. Na Delegacia de Homicídios de Camaçari, onde os crimes estão apurtados, ligações de vítimas com  assassinatos recentes e comércio de drogas reforçam a tese de briga de grupos rivais. Conta de abril soma 7 assassinatos até a manhã desta sexta-feira (6).


Freezer  Nesse pacote de desaparelhamento chama a atenção o novo Departamento de Polícia Técnica de Camaçari. Inaugurado com foguetório, no dia 1º de março, pelo governador Rui Costa, unidade  completa 1 mês sem iniciar o funcionamento do setor de necrópsia. 


Ventos  A  Coluna confirma que a Tecnologia e Sistemas Avançados (Tecsis) possui 522 empregados, sendo que cerca de 200 estão em regime de lay off, como informou na última edição do Camaçarico (Confira). Retifica apenas que as fábricas de pás para aerogeradores instaladas em Pernembuco e Rio Grande do Norte não pertencem ao grupo sediado em Sorocaba (SP). 


Ventos 2  Segundo apurou a Coluna, a direção da Tecsis espera apenas o aval do sindicato dos trabalhadores para efetuar o acordo de pagamento da recisão e de outros direitos dos trabalhadores em 8 parcelas. Sem novas encomendas, fábrica aposta na retomada dos negócios a partir do 2º semestre de 2019 ou começo de 2020 para reativar a produção.


Ao vivo  O radialista e ex-candidato a prefeito de Camaçari, Marco Antonio, agora comanda  programa matinal na rádio Baiana FM 89.3. Entrevistas e informações de utilidade pública ocupam as 3 horas do programa, exibido de  segunda à sexta a partir das 6h. 


Caminhos Sábado (7) é Dia do Jornalista. Data instituída em 1931 pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) é um bom momento para reflexão. Parabéns para todos os profissionais que trabalham de forma séria e compromissada com a busca da informação. Leitor é consumidor e patrão, quer saber a verdade, e notícia é mercadoria que precisa ser entregue da forma mais limpa possível e livre das impurezas das negociatas e do desrespeito aos princípios básicos do jornalismo. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


6/4/2018

 





Muito mais

Muito mais  A etapa de instalação oficial do campus da UFBA em Camaçari, no último 27 de março,  é apenas o 1º vestibular que a prefeitura precisa se esmerar para ser aprovada. O resultado deste dever de casa constante que a equipe do alcaide Elinaldo precisará fazer nos próximos anos, para ajudar a consolidar a unidade  será fundamental para que Camaçari possa ter num futuro não muito distante, quem sabe nos próximos 10 anos, a sua universidade federal nos moldes da vizinha do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Muito mais 2 Não será necessária apenas a contrapartida nas reformas físicas de espaços no Teatro Cidade do Saber, onde o campus vai funcionar nos próximos 3 anos, muito menos mais tijolo e argamassa no campus definitivo  numa área igual  a 40 campos de futebol, nas margens da BA-512. A consolidação do campus e a sua evolução para uma universidade autônoma passa muito além da construção de uma ‘engenharia’ com empresariado do polo industrial, o grande consumidor dessa mão de obra especializada que a UFBA vai formar e entregar de  mão beijada.

Muito mais 3 A Universidade de Camaçari passa pela construção de uma política de  consciência  coletiva da importância de um centro de estudo e pesquisa sobre uma cidade tão singular, que saiu da miúda Camaçari dos anos 1970 para a inchada, poluída, cheia de problemas e desiguladades. Mesmo sediando um sofisticado parque industrial automotivo, químico, petroquímico, de energias renováveis, Camaçari ainda consegue manter uma 'fabrica' de natureza com seu rico, singular e indispensável ecossistema.


Muito mais 4 Camaçari com sua singularidade e histórico de crescimento nos últimos 40 anos não pode virar objeto de um registro aqui, outro alí. Precisa e deve ter muito mais que uma  escola eminentemente técnica de 3º grau para atender o imediatismo da produção industrial.


Muito mais 5 Atrair a sociedade organizada para pensar, debater e construir a Camaçari do futuro, mirando seu presente e recolhendo seu passado são fundamentais para esse avanço. Isso só é possível com ensino, pesquisa e compartilhamento desses conhecimentos com a comunidade.


UTI  A reunião de segunda-feira (2), entre o alcaide, o secretário de saúde, vereador licenciado Doutor Elias Natan (PR), e dirigentes da Sesau, mostrou um diagnóstico nada animador. Fontes da Coluna asseguram que as queixas do prefeito continuam. A travação do sistema, como disse Elinaldo durante a reunião, e a falta de recursos podem até comprometer a permanência de funcionamento das UPAs de Abrantes e Monte Gordo, unidades responsáveis por cerca de 6 mil atendimentos/mês.


UTI 2 Caso a reestruturação se confirme, com o fechamento das UPAs de Abrantes e Monte Gordo, município com 300 mil habitantes, que chegou a ter  6 Unidades de Pronto Atendimento, passa a ser atendido por 3 UPAs: Arembepe, Gleba A, e a ser inaugurada UPA pediátrica Nova Aliança, também na sede. 


UTI 3 A 1ª a ser fechada foi a UPA da Gleba B, no governo do ex-petista e depois sem partido, Ademar Delgado (2013/2016). Na gestão Elinaldo, a UPA da Nova Aliança, na sede do município, foi fechada e em seu lugar será instalada uma UPA pediátrica.


Ponteiros O secretário da fazenda de Camaçari, Renato Almeida, garante que não disse o que disse ao editor da Coluna sobre o prazo dado ao alcaide Elinaldo e a sua permenência na Sefaz, como publicou o Camaçarico na sua edição do dia 27 de março (Confira). Em nota enviada  ao editor, Almeida diz que nada falou sobre sua saída em decorrência da perda de poder na pasta, durante a conversa que teve com o editor do Camaçarico, na coxia do Teatro Cidade do Saber (TCS), no começo da tarde de terça-feira (27/3), enquanto esperava a chegada do ministro da educação Mendonça Filho. 


Ponteiros 2 O Camaçarico lamenta, mas entende o recuo do secretário.  Acostumado a entrevistar fontes de todos os tamanhos nos últimos 30 anos, o editor reafirma a informação e lembra que a entrevista, mesmo rápida, coisa de 5 minutos, aconteceu de forma tranquila e aberta, até surpreendente para o editor que esperava recusa ou dificuldade do titular da Sefaz em tratar o assunto. Leia a íntegra da Nota de esclarecimento enviada dia 28 de março: "O Secretário Municipal da Fazenda de Camaçari/Ba, Sr. Renato dos Santos de Almeida, vem a público esclarecer que a matéria intitulada “Relógio”, reportada na última terça-feira, 28.03.2018, no Portal deNotícias Camaçari Agora não foram divulgadas e/ou prestadas pelo mesmo.Esclareça-se ainda que referido assunto tem sido tratado diretamente junto ao Chefe do Executivo, Sr. Elinaldo Araújo. Renato dos Santos de Almeida - Secretário da Fazenda"


Dicionário  O petista Téo Ribeiro (PT) resolveu replicar com o mesmo verbete aplicado pelo promotor  Everardo Yunes, do Ministério Público Estadual (MPE), durante sua peça em que pedia o afastamento dos vereadores de Camaçari por uso  ilegal de recursos públicos em benefício próprio. Lista dos 19 representantes do povo divulgada por Yunes  aparecia com nome completo e os 'vulgos', como são conhecidos pelo eleitor. 


Dicionário 2 Durante os festejos dos 70 anos do Legilslativo de Camaçari, na sessão da última quinta-feira (29/3), o vereador fez um discurso que chamou de 'desabafo'. Defendeu os colegas, que segundo ele, não cometeram nenhuma irregularidade, e mirou suas críticas no promotor responsável pela Ação Civil Pública. Sem cerimônia devolveu o tratamento recebido no documento do MPE, ao citar o promotor conhecido pelo 'vulgo' de Yunes.


Dicionário 2  Mesmo sem referência pejorativa, o termo 'vulgo', que qualquer dicionário considera sinônimo de 'tipo apelido', ou 'como a pessoa é chamada e conhecida', é uma expressão comumente usada na linguagem do jornalismo policial para classificar pessoas envolvidas em delitos ou acusadas de infrações. 


Prejú  Quebrada por problemas de gestão, segundo apurou a Coluna, a unidade de Camaçari da Tecnologia e Sistemas Avançados (Tecsis), fabricante de pás para aerogeradores enfrenta processo de recuperação judicial com seus cerca de 522 empregados na fila da recisão.


Prejú 2 Situação não é nova. Desde o final de 2017 que cerca de 200 empregados estavam em regime de lay off. A Tecsis chegou a ter 4 unidades no país até o fechamento em 2017 da matriz em Sorocaba (SP), que pode ser reativada. Além da unidade Camaçari, inaugurada em 2016, empresa opera com fábricas em Pernambuco e Rio Grande do Norte.


Palco  Não é novidade o desejo do servidor municipal e ex-coordenador de eventos de Camaçari, Bira Chinelli, de disputar a prefeitura da sua cidade natal. A Coluna apurou que o assunto vem sendo debatido entre os Chinelli há algum tempo. Recente enquete realizada pelo site Camaçari Notícias mostrou que a vontade de entrar para a política começa a se fortalecer quando seu nome, nunca citado em nenhuma lista política, muito menos nas redes socais, aparece como opção para o teste das urnas nas eleições para deputado estadual em outubro. Bira, sempre discreto, nada fala.


Apoio  Candidatíssimo a deputado estadual, o vereador licenciado de Salvador, o tucano Paulo Câmara, ganha reforço em Camaçari. Secretário nacional de assuntos federativos da secretaria de governo da Presidência da República, até o final desta semana, quando se desincompatibiliza do cargo em Brasília,  Câmara chega pelas mãos do vereador Dilson Magalhães Júnior (PEN). Um trator para a associação de agricultores e apicultores de Cancelas, e recursos para programas de esporte e lazer no bairro das Mangabas estão entre os benefícios conseguidos por Dilson Junior.


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


3/4/2018

 





Relógio

Relógio  O secretário da fazenda de Camaçari, Renato Almeida, deu um prazo para o alcaide Elinaldo decidir se quer  ou não a sua permanência na equipe. Sem arrodeios e de forma tranquila,  Almeida  disse à Coluna, na tarde desta terça-feira (27) que  nas atuais condições, não vale ficar.  Reforma administrativa aprovada pelo Legislativo no ano passado esvaziou a Sefaz e somou mais  engrenagens para a secretaria de governo (Segov), comandada pelo ex-prefeito Helder Almeida. Como antecipou o Camaçarico, o titular da Sefaz não  vai sozinho. Reginaldo Paiva, comandante da pasta da administração (Secad), também deixa Camaçari.


Relógio 2 Não são apenas os ‘ponteiros’ do doutor Renato que consomem o tempo do prefeito Elinaldo. O alcaide vai precisar ajustar, provavelmente até abril, o tic-tac da máquina, que ele jura vai bater no seu ritmo. A Coluna apurou que os titulares da comunicação, o jornalista Biaggio Talento; da procuradoria, Bruno Nova; e o secretário do desenvolvimento econômico (Sedec), Sérgio Vilalva, estão na lista dos que devem deixar seus postos.  


Relógio 3 Outro que sonha assumir os ponteiros da secretaria de governo (Segov) é o atual titular da habitação (Sehab), o vereador licenciado Junior Borges (DEM). Desalojar Helder Almeida da caixa até agora blindada e reconhecida como  titular da engrenagem mais importante da máquina municipal não será tarefa fácil. Com relógios para todos os gostos, a vitrine da boataria fala na ida de Almeida para a Sefaz, com a saída de Renato Almeida.


Fora da UTI Já o doutor Elias Natan, vereador licenciado do PR, fica no comando da secretaria da saúde (Sesau). A insatisfação com o aperto nas contas, as cobranças de aliados, adversários e, principalmente, da população que madruga nos postos de saúde do município, rendeu resultado. Segundo o doutor Natan, os 18%, apenas 3 pontos percentuais acima do mínimo exigido por lei para aplicar na saúde, não garantiria sua permanência na Sesau.


Fora da UTI 2  Natan lembra que em 2017 contou com pouco mais de 21% de orçamento, qualquer coisa perto de R$ 150 milhões, que já não foi a dosagem ideal para um ‘paciente’, como Camaçari, em crescente demanda por serviços e atendimentos. Não seria em 2018, com os custos ainda maiores, que os 18% previstos para este ano seriam necessários. Pressionado, o alcaide Elinaldo vai ter que abrir o cofre, senão o mal estar  não se resume  á saída de Natan. Atinge sua base na Câmara de Vereadores, com  a volta de Niltinho para a suplência.


Juntinhos  O atual vice de Camaçari, José Tude, já deu adeus ao MDB. Como antecipou a Coluna, o 3 vezes alcaide do município assina ficha no DEM, provavelmente nesta quarta-feira (28). Entrada  será abonada pelo  prefeito Antonio Elinaldo  que  deve  assegurar para o novo demista o ‘25.123’, número que disputou nas eleições 2014 para a Assembleia Legislativa.


Juntinhos 2 Em lados diferentes, apesar de alojados na oposição ao então esquema político comandado pelo  ex-prefeito e candidato a deputado federal Luiz Caetano (PT), Elinaldo somou pouco mais de 27 mil votos em Camaçari, 13 mil a mais que Tude, também  postulante a uma das 63 vagas no Legislativo estadual.


Adubo eleitoral A Petrobras vai esperar passar as eleições de outubro para definir o futuro da Nitrofertil. Durante encontro com parlamentares da Bahia e representantes da prefeitura de Camaçari, o presidente da estatal, Pedro Parente, anunciou sobrevida para a planta que produz  fertilizantes, mas que desde 2016 gera prejuízo para os cofres da empresa.


Adubo eleitoral 2 Parente, que é ex-ministro das pastas da casa civil, planejamento  e minas e energia nos governos FHC, prometeu adiar por 120 dias, 4 meses a contar de julho, o início da parada da produção da unidade instalada no polo industrial de Camaçari.


Reprovado  A consolidação do campus da UFBA em Camaçari virou medalha para o DEM, que agora festeja um projeto iniciado na gestão do PT de Ademar e do seu agora ex-tutor, o ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano. Mesmo comandando os governos estadual e federal, onde as coisas da UFBA são finalizadas, os hoje oposicionistas ignoraram o bê-a-bá. Não perderam apenas o vestibular. Deixam sem direito a aprovação uma cidade que já deveria ter sua universidade.


Reprovado 2  Grupo de estudantes e militantes oposicionistas que se concentraram na porta da Cidade do Saber, no começo da tarde de terça-feira (27), está precisando de reciclagem sobre táticas de protesto. Além de chegaram atrasados, promoveram reunião na porta do teatro para debater estratégia. Se ação para atrapalhar o ato de assinatura do Acordo de Cooperação Técnica e Científica entre UFBA e prefeitura de Camaçari fosse prova prática,  grupo levaria nota baixa. 


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


27/3/2018

 



Anterior | |1| 2 | Próxima

Encontrado(s): 36 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL