Busca:








Verbo  Ficaram no passado as dúvidas e desconhecimentos que o alcaide de Camaçari dizia ter sobre as irregularidades na gestão do programa Cidade do Saber (CDS). Na manhã da última segunda-feira (20), o petista Ademar Delgado recebeu a confirmação sobre o festival de desmandos denunciados pelo Camaçari Agora, mas nunca apurados nesses 2 anos e meio de gestão.


Verbo 2   Ouviu do deputado estadual, companheiro de partido e aliado, Bira Coroa, um relato detalhado e documentado sobre o festival de improbidades praticadas pelo Instituto Professor Raimundo Pinheiro. ONG batizada com o nome do respeitado educador, que nada tem a ver com a entidade, é a gestora do principal programa municipal de inclusão de jovens pela arte, cultura e esportes mantido quase que na sua totalidade com recursos públicos da prefeitura.


Verbo 3  Segundo apurou a Coluna, o parlamentar  cobrou providências e demonstrou preocupação com possíveis desdobramentos políticos e legais junto ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), caso os erros não sejam corrigidos.


Verbo 4  Bira Coroa, ainda essas mesmas fontes governistas que tiveram acesso ao teor da conversa de quase 1 hora, na residência do prefeito, em Arembepe, também pediu o afastamento dos responsáveis pelos crimes contra o erário público.


Verbo 5  Um dos seus principais aliados e hoje o único com base eleitoral no município a defender a gestão Delgado na Assembleia Legislativa, Coroa citou a prática de assédio moral contra servidores, pela controller da instituição, Maria Luci Dantas Novaes Torreão de Sá. Documento do sindicato dos trabalhadores (Senalba-Ba) solicitando providências contra a atitude que fere a legislação foi publicado com exclusividade pela Coluna (Confira). Pouco mais de 1 ano depois nenhuma ação da prefeitura foi tomada.


Verbo 6   Bira Coroa também citou a mais recente denúncia do Camaçari Agora, sobre a contratação da empresa Integro Tecnologias Sociais Ltda ME. Mesmo com contrato que determinava a implantação imediata de “serviços técnicos e especializados de consultoria e assessoria para implantação de um sistema de gestão financeira e gestão de projetos” na Cidade do Saber, documento assinado em junho de 2014 nunca foi cumprido, como mostrou a Coluna de 16 de abril (Confira).


Verbo 7  Acostumados com a impunidade e a total ausência de fiscalização pela prefeitura e Câmara de Vereadores, como determina o Contrato de Gestão, direção da ONG gestora prosseguiu com os pagamentos. Em junho e agora em julho ‘quitou’ a 2ª das 4 parcelas de R$ 15 mil, que somadas aos R$ 90 mil pagos até março, perfazem R$ 120 mil ou 80% do total do contrato de R$ 150 mil.


Verbo 8  A blindagem nas contas da CDS é antiga. Chefe da fiscalização dos gastos municipais na gestão do ex-prefeito Luiz Caetano (PT), Sumaia Silva Campos é citada em relatório do TCM como responsável principal pelas falhas na inspeção das contas da Cidade do Saber. Ainda de acordo com o Tribunal de Contas, a omissão da ex-controladora a transforma em “agente solidariamente responsável pelas eventuais irregularidades” (Confira).


Verbo 9  Desacostumada com a transparência, prefeitura sequer respondeu ofício feito pelo editor da Coluna sobre gastos com cooperativas. Usadas pela Cidade do Saber para pagar despesas extras, só nos últimos 4 anos (2011/2014) consumiram mais de R$ 7 milhões e 500 mil. Pedido protocolado em 19 de março deste ano, com base na Lei Federal de Acesso à Informação, que dá prazo máximo de 20 dias para resposta, continua engavetado (Confira).


Verbo 10   Agora é aguardar que o alcaide e auditor por formação determine à sua Controladoria Geral, comandada por Ednalva Santana de Souza, o cumprimento, ainda que com considerável atraso, do seu papel constitucional de fiscalização na aplicação correta do dinheiro público. Oficialmente informado, resta a Delgado mandar apurar e punir os culpados. Ou incluir na sua biografia a marca da omissão.


Sem freio  Os empresários de ônibus de Camaçari continuam desrespeitando os passageiros e impondo tarifa cheia em todas as linhas entre a sede e a orla do município. Tanto faz pegar em Barra do Pojuca e descer 1 quilômetro adiante, como seguir até o centro  do município que a tarifa é R$ 4,00. O desrespeito, com a omissão da Superintendência de Transporte e Trânsito (STT), agora sob nova direção, se repete para passageiros das linhas Monte Gordo, Jacuípe e Jauá.


Check-in José Raimundo, o Cara de Hamburguer, militante com 29 anos de carteirinha e estrela vermelha no peito, conta os dias para virar ex-petista. Pede desfiliação antes de agosto.


João Leite - Editor


23/07/2015 


 

 





Oxigênio

Oxigênio  Estão cada dia mais intensos os sinais enviados ao alcaide Ademar Delgado (PT) sobre sua inviabilidade numa disputa a reeleição, em outubro de 2016. Nunca visto por parte da oposição como o nome para enfrentar o vereador Elinaldo (DEM), Delgado agora vê as resistências se ampliarem na sua própria base. Na Câmara de Vereadores, nas executivas municipal e estadual do partido, e até entre parte do seu secretariado, a solução para o PT brigar com chances de emplacar o 4º mandato consecutivo na gestão de Camaçari passa longe do seu nome.


Oxigênio 2  Recente pesquisa Ibope divulgada semana passada (Confirafoi mais uma ducha fria. Situação considerada irreversível já alimenta a construção do plano ‘C’, em parte gestado na sua própria antessala. Ideia é construir uma saída honrosa com uso da máquina, mas com o próprio Delgado isolado para não contaminar a campanha petista com sua impopularidade e desarticulação política.


Oxigênio 3  Os sinais chegam de todos os lados, mas o alcaide finge que não ouve e segue tocando o governo. Aposta nas obras que realiza e na inviabilização da candidatura do ex-aliado Caetano. Ampla coleção de processos na Justiça e risco de ter as contas do seu último ano de gestão (2012) reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), com consequente pedido de inclusão na lista dos ‘Ficha Suja’, são as últimas balas do alcaide.


Fora do ar Depois de 2 anos comandando parte das manhãs de sábado na Rádio Arembepe, o experimentado profissional de comunicação Moura Positivo deixa os microfones da FM 87.9. Os 120 minutos de debates sobre cidade e cidadania estavam destoando do padrão da emissora com boa audiência na orla do município.


No ar Do outro lado de Camaçari, quem estreou nesta segunda-feira (20) foi o quarteto formado pelos jornalistas Mila Loureiro, Soraia Alencar e Otaviano Maia, atualmente cumprindo mandato de vereador do município pelo PT. Completa o grupo de comunicadores do ‘Hora da Resenha’, de segunda à sexta, das 17h às 18h, na Líder FM (96.5), o atual secretário municipal de esportes, Anderson Santos.


Troca-troca O prefeito Ademar deve promover ajustes na direção da Limpec (Empresa de Limpeza Pública de Camaçari). Mesmo sem varrer um beco e apenas funcionando como cabide de emprego, cargo de diretor presidente deve ir para Luiz Macedo, novo presidente  municipal do PSB da senadora Lídice da Mata. Valentina Saraiva, que desde o começo foi colocada no cargo como medida provisória, deve ser reacomodada na diretoria financeira.


Freio de mão Acostumada com trânsito pesado, a vereadora Professora Patrícia prepara projeto que proíbe outra catraca. Depois da vitória contra a mudança do pedágio na estrada do Coco a petista quer impedir a cobrança de estacionamento em shopping de Camaçari. Pela proposta, apenas 10% das chamadas vagas vips que dão direito a manobrista serão cobradas. Para evitar distorções, projeto determina número mínimo de 100 vagas para que estabelecimento possa cobrar pela mordomia.


Mudança Bruno Lima é o novo presidente do PSL (Partido Social Liberal). Substitui o irmão, Fábio, rompido com o prefeito e hoje um dos fiéis escudeiros do deputado federal Luiz Caetano. Assessor do prefeito, empresário da área de entretenimento e liderança na região de Arembepe, Bruno Lima corre agora para engordar a legenda. Tenta atrair o vereador Jackson Josué, atualmente no SDD (Solidariedade). Racha entre os verdes, vereador Doutor Elias Natan e Claudécio Taroba, atual subsecretário de governo, esfriou  volta ao PV e pode ajudar Jackson a trocar o 77 pelo 17.


Pra valer Na pegada da renovação, quem promete enfrentar as urnas ‘a vera’ nesta eleição para vereador é o empresário Chico Tour. Filiado ao PTN, Chico continua com Maurício Bacelar e acredita que a candidatura do companheiro de partido, o ex-prefeito José Tude é irreversível. Garante que tem grandes chances e vai ficar muito longe dos 301 votos da última disputa (2012), prejudicada pela sua dedicação à chapa majoritária encabeçada pelo então Maurício de Tude, derrotado para Ademar por pouco mais de 7 mil votos.   


Big brother A segurança das empresas do Polo de Camaçari ganhou reforço com a instalação de 31 câmeras de monitoramento. Com capacidade de captação de imagens noturnas, sistema instalado nas principais vias do complexo industrial está sendo operado por policias do 12º Batalhão da PM de Camaçari. Conta de R$ 3 milhões e 500 mil sairá do caixa das empresas que amortizarão o investimento nos próximos 4 anos.


20/7/2015

 





Funil

Funil  A Controladoria Geral do Município de Camaçari (CGM)  está mais para uma rede de pesca cheia de furos que um sistema de fiscalização e controle de gastos do dinheiro público do município. É o que mostra o Relatório de Auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), sobre a atuação da Controladoria na inspeção dos gastos da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro (IPRP), gestora do programa Cidade do Saber (CDS).


Funil 2 De acordo com documento que a Coluna teve acesso, a Controladoria, na época comandada por Sumaia Silva Campos, deixou de cumprir princípios básicos da sua missão constitucional. Recebeu “prestação de contas fora dos requisitos legais” e não exigiu sua retificação “para fins de análise”. Para o TCM, a Controladoria passa a figurar como “agente solidariamente responsável pelas eventuais irregularidades”.


Funil 3 Realizada em meados do ano passado, auditoria com foco em 2012, gestão do ex-prefeito Luiz Caetano (PT), mas verificando números  de períodos anteriores e até em 2013, 1º ano da gestão do sucessor Ademar Delgado (PT), constata falhas primárias que vão desde a falta de Certidão Negativa de Débito com o INSS, pelo Instituto Raimundo Pinheiro, até pagamentos irregulares a funcionários e realização de contratações de serviços desnecessários e com preços acima do mercado.


Funil 4 A auditoria também mostra que a  gestão da Cidade do Saber vinha apresentando “sucessivos déficits operacionais” (2011 e 2012), com gastos acima das receitas. No entendimento dos técnicos do TCM, essa ineficiência causada por um sistema de controle inadequado “inviabiliza também a análise da economicidade e do custo/benefício do contrato e dos programas” de inclusão de jovens carentes do município.


Funil 5 Sempre agindo de forma autônoma, num claro desrespeito ao ‘Contrato de Gestão’ que obriga  a informar seus gastos ao contratante, no caso a prefeitura de Camaçari, a gestão da Cidade do Saber se resumia a mandar apenas o Relatório Anual de Execução de Metas. Lista de esquecimentos com a prestação exata do dinheiro público inclui ainda ausência de extrato bancário da conta específica mantida pelo Instituto Raimundo Pinheiro.


Funil 6 O Instituto também não informou, nem a Controladoria cobrou o demonstrativo listando o total das receitas e despesas efetivamente realizadas. Correndo solta, graças a omissão  da Controladoria e das secretarias de governo, educação e esportes, responsáveis por repasses de dinheiro público para a instituição, direção da Cidade do Saber sequer apresentou detalhamento sobre a remuneração de diretores, empregados e consultores. 


Funil 7  Técnicos do Tribunal de Contas também se depararam com “despesas irrazoáveis com consultorias”. Firmado em 2011 e renovado no ano seguinte, contrato com Cooperativa de Consultores Independentes LTDA (Cicoop) não exibe cláusula que estipule o valor anual a ser pago pelos “serviços profissionais especializados em consultoria, ministrar cursos, treinamento e outros mister”. Rainha mãe da caixa-preta, como vem mostrando a Coluna, gastos com cooperativas são antigos e nunca foram controlados pela prefeitura (Confira).  


Funil 8 Levantamento mostrou ainda que a ONG gestora da Cidade do Saber realizou pagamentos considerados “irregulares” e “passíveis de ressarcimento”, já que não apresentou documento que comprovasse a despesa, inclusive “sem a discriminação dos seus credores/beneficiados”.


Funil 9 Ainda na lista das  “despesas irrazoáveis”, que no popular quer dizer gastos que não são convenientes ou justos, TCM estranha a ”sobreposição de contratos das empresas de contabilidade Siscom Sistemas Contábeis de Camaçari LTDA e a Edmilson Patrocínio de Souza ME.


Funil 10 Contratada desde 2007, a Siscom realiza toda a contabilidade do Instituto, inclusive escrituração contábil, fiscal, trabalhista e elaboração de relatórios, balancetes e demonstrações financeiras anuais. Já a Edmilson Patrocínio de Souza ME, também contratada “sem valor estipulado”, tem por função, desde 2009, revisar os processo de pagamentos e adequar a prestação de contas às normas do Contrato de Gestão assinado pelo instituto com a prefeitura de Camaçari. Mesmo com o suporte destas empresas a Cidade do Saber não apresentou “Parecer e Relatório da Auditoria Independente sobre os demonstrativos financeiros e contábeis e as contas anuais da entidade”, como determina a Lei Federal  que regula o funcionamento das ONGs.


Funil 11 Locação de móveis e até de um relógio de ponto biométrico reforçam a lista das despesas “irrazoáveis”. Contrato de locação com preço anual de R$ 5.256,00, desde o início do acordo, em março de 2010, é quase 4 vezes maior que o valor cotado ano passado pelo TCM para o mesmo relógio.


Funil 12 Para tomarem conhecimento e se manifestarem sobre as conclusões da auditoria, TCM convocou através do Edital nº 197/2015, publicado no Diário Oficial do Estado de quarta-feira (8), a diretora geral da ONG gestora da CDS, Ana Lúcia Silveira, e os ex-secretários Valter Lima (educação), Joelson Macedo (esportes), e Joelson Meira (governo). Prazo para apresentarem questionamento é de 20 dias. Depois dessa etapa,   o processo será relatado e apresentado para julgamento pelo plenário do TCM.


Fermento O núcleo da Rede Sustentabilidade se movimenta e busca seu espaço. Aposta no capital eleitoral da ex-senadora e candidata a presidente, Marina Silva, exibido nas últimas eleições em Camaçari. Encontro realizado sábado (11) reuniu ex-candidatos e gente com poder de mobilização nas suas respectivas comunidades.


Fermento 2 Já a Frente de Esquerda, formada pelo PSTU, PSOL, PCdoB, representantes de sindicatos, associações populares, e do movimento Esperança Vermelha, composto por ex-petistas, conversa com a imprensa na próxima quarta-feira (15), a partir das 16h, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos. Fala sobre os avanços do movimento, preparativos para o lançamento da frente, sábado (18), e abre a discussão sobre a mobilidade urbana na cidade-sede do maior complexo industrial do Hemisfério Sul.


Sozinha O aperto financeiro geral intensificado com o escândalo da Lava Jato terminou reforçando a luta da vereadora Professora Patrícia (PT) contra a mudança da praça do pedágio. Decisão de adiar ou até não transferir de forma definitiva a guarita para limite de Camaçari, ou do outro lado do rio Joanes, em Lauro de Freitas, é vitória da petista e dos moradores de Abrantes e região, maiores prejudicados com a mudança.


Sozinha 2 Vereadora foi a única representante do chamado ‘Poder Legislativo’ a enfrentar as intempéries dos protestos, do desgaste com o governador e com a poderosa Concessionária Litoral Norte, um dos braços do grupo Odebrecht.


14/7/2015

 





Colonizado

Colonizado  A parceria da prefeitura de Camaçari com a franquia brasileira de ONG espanhola para a construção do Museu Histórico de Camaçari é mais um exemplo do descuido com as coisas da terra.  


Colonizado 2  Ao escolher a Barcelona Média Inovação Brasil (BMiBrasil)  para viabilizar a instalação de tão importante equipamento, gestão municipal segue a velha fórmula da importação de um projeto europeizado. Festejada pela prefeitura como “centro de pesquisa especializado na concepção de projetos museológicos e museográficos” (Confira), a recém-criada BMiBrasil só apresenta portfolio de projetos executados além mar, como mostra o site da própria instituição (Confira).


Colonizado 3   Desprezar a contribuição da Uneb, já instalada no município, e das universidades Federal da Bahia (UFBA) e Católica (UCSAL), em processo de montagem de unidades,  é seguir na contramão da tão propalada defesa da chamada prata da casa.


Colonizado 4  O desembarque ainda não tem data anunciada. Mas, caso a gestão municipal mude de ideia, essa armada pode ser substituída pela tropa de ‘tupinambás’ diplomada na província da Bahia e especializada em história, museologia, antropologia, arquitetura e biblioteconomia.


Colonizado 5  Proposta de campanha (2012) do candidato Ademar, museu que já chega com décadas de atraso, vai ajudar a resgatar a história do município desde o século 16. Pretende contar a presença dos índios tupinambás, antigos donos da terra, a formação da Aldeia do Divino Espírito Santo, nas margens do Rio Ipitanga, no século 18, até a Vila de Abrantes e Camaçari de hoje.


Alerta  O Movimento Base Socialista (MBS) é outro grupo do PT de Camaçari que prepara o desembarque da legenda. Carta dirigida a militantes, que a Coluna teve acesso, mostra a insatisfação e frustração da tendência. Assinado por Paulo Silva, um dos coordenadores da MBS,  dona de assento na executiva municipal, conselho fiscal, comissão de ética e secretaria de movimentos populares do partido, carta lamenta os rumos do PT.


Alerta 2  Sem citar nomes, Paulo Silva lembra que a MBS sempre se posicionou contra as alianças com a  “parte podre da política municipal”. Critica os desvios éticos e os equívocos durante as 3 gestões petistas no município, iniciadas em 2005, com Luiz Caetano, e prosseguida com Ademar Dlgado a partir de 2013. Com o título “O Fim”, documento garante que o processo de desfiliação dos mais de 40 petistas é uma questão de dias.


Movimento Sábado tem panfletagem do movimento de esquerda batizada de Esperança Vermelha. Militantes do PSTU, PSOL, PCdoB, petistas descontentes e lideranças populares e sindicais prometem movimentar a praça Montenegro, coração de Camaçari. Vão convidar a população para o lançamento da frente, dia 18, a partir das 9h, no Sindicato dos Metalúrgicos.


Pacotão A posse da advogada e atual subsecretária Jailce Andrade, na secretaria de governo, virou festa coletiva com a decisão do prefeito Ademar de entronizar no mesmo dia e hora, Humberto Leite no cargo de superintendente da STT (Superintendência de Trânsito e Transportes).


Pacotão 2 Inicialmente previsto para o acanhado auditório da prefeitura, ato que também oficializa o advogado Claudécio Taroba no cargo de subsecretário de governo, está mantido para  esta sexta-feira (10), a partir das 9h.  Festa política ganha mais assentos com a transferência para o Teatro Cidade do Saber (TCS).


Pacotão 3 Posto de Humberto na subsecretário de desenvolvimento econômico ainda não foi definido. Negociações sinalizam que vaga pode ser entregue ao novo PSB.   


Presença O PR (Partido da República) promove jantar nesta sexta-feira (10) à noite, no Unique Eventos, em Salvador. Caravana do diretório de Camaçari, presidido por Ramon Cruz de Jesus, tem lugar confirmado no encontro estadual da legenda.


10/7/2015

 





Apito

Apito  O travamento no trânsito na área do PV, com reflexos na pista governista obrigou Ademar a recuar e trocar o comando da Superintendência de Trânsito e Transportes (STT). Vontade do alcaide era acalmar os estressados motoristas, como mostrou a Coluna (Confira). Provavelmente nesta sexta-feira (10), durante a posse de Jailce Andrade (PT), na titularidade da secretaria de governo, o alcaide oficializa o nome de Claudécio Taroba, presidente municipal do PV, como o subsecretário da pasta. 


Apito 2  A saída de Taroba da STT, exigência do vereador Elias Natan, também do PV, terminou sem vitória para os 2 grupos que tentam controlar o partido. Briga foi para a mídia e desgastou o prefeito, Taroba e o doutor Natan, outrora conhecido pela tranquilidade e sempre longe da receita da intransigência. Disputa segue até as eleições de 2016, quando Natan busca a reeleição e Taroba pleiteia uma vaga no Legislativo de Camaçari.


Apito 3  Insatisfeito com a disputa e consequente desgaste para seu governo, o alcaide deve optar por um nome independente. O pastor Orlando Gomes, que já esteve no cargo, é o mais cotado. Edilson Magalhães, ex-chefe da Ciretran, perdeu força na disputa. Candidato a vereador na herança dos votos do pai, ex-vereador Dilson Magalhães (PSC), falecido no final do ano passado, fica fora do perfil. Delgado quer tocar a STT sem engarrafamentos e sinais no amarelo até o final do seu mandato, em dezembro de 2016.


Figuração  E a Câmara de Vereadores de Camaçari faz balanço positivo do 1º semestre. Mostra números compridos de proposições, sessões e debates. A conta só amiúda quando a tabuada é fiscalização do Executivo. Significativa parte dessa subtração é responsabilidade dos 7 edis oposicionistas. Com quórum mínimo para fazer barulho, e até conseguir avanços, segue meia distraída como os outros 10 governistas e os 2 da bancada dos nem tanto. 


Essência A desfiliação de Carlos Silveira, fundador e militante com inegáveis qualidades pela sua capacidade de formulação, é apenas o começo de um processo de perda encefálica do PT de Camaçari. Saída de dirigente com seus 35 anos de construção está longe de ser a única perda. 


Essência 2 Com omissão da executiva municipal e principais lideranças, agenda de debates  desapareceu dos fóruns partidários. Empurrada para além dos muros da legenda, discussão ganha as ruas e amplia ainda mais o estrago.


Lamparina O alcaide de Camaçari precisa fazer uma visitinha ao distrito de Parafuso. Mas, tem que ser à noite. Descer pela rua Marechal Floriano Peixoto e seguir até a praça da antiga estação de trens. A Coluna recomenda levar a tiracolo os secretários de serviços públicos, Zé de Elísio (PSD), comandante do programa municipal de iluminação pública Brilha Camaçari, e Everaldo Siqueira, responsável por obras.


Lamparina 2 No breu em que se encontra a localidade, vai poder entrar e sair sem ser enroscado por queixas sobre falta de segurança, buraqueira, transporte e limpeza. Fica livre também da cobrança do projeto de requalificação da Prainha, prometido desde seu antecessor, em 2008, como a redenção de um dos mais belos pontos de Camaçari banhados pelo rio Joanes (Confira).


Mau exemplo  Sem manutenção da sua estrutura física e a cada dia funcionando de forma mais precária, o SAC de Camaçari virou caso para o Procon na condição de reclamado. Despreocupados com quem está com senha na mão, aguardando atendimento, deputados e lideranças políticas do município disputam do outro lado do balcão quem indica os cargos na estrutura controlada pelo governo do estado.


Amadurecendo A Rede Sustentabilidade, partido capitaneado pela ex-senadora Marina Silva, realiza reunião pública no próximo sábado (11), a partir das 9h, no Espaço Arborize, ao lado da Casa do Trabalho. Encontro coordenado pela executiva estadual vai discutir  o atual momento político e formas de fortalecimento do partido em Camaçari.


Movimento E o ex-prefeito Luiz Caetano continua se mexendo. Realiza nesta quinta-feira (9), mais uma edição da sua Agenda Camaçari. Encontro na rua Augusto Sandino (Nova Vitória), começa às 19h e  reúne moradores das comunidades da Nova Vitória, Novo Hoirizonte e Papa Mel.


7/7/2015

 





Perícia

Perícia O Instituto de Seguridade do Servidor Municipal de Camaçari (ISSM) garante que não possui ‘Médico Perito’ no seu quadro funcional e que esse trabalho é realizado pela Secretaria da Administração do município, “conforme a Lei 1256, de 13 de dezembro de 2012”.


Perícia 2 Em nota enviada ao editor da Coluna e postado no site do ISSM e nas redes sociais, o instituto assegura que a definição dos servidores Patrícia Silva Almeida, Arilene Sena Paolilo e Paulo Henrique Oliveira e Silva, como ‘Médico Perito’, na lista do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), é fruto de “divergências de codificação do SIGA (Sistema Integrado de Gestão de Auditoria”. O sistema é usado pelo TCM para classificar funções e profissões no serviço público.


Perícia 3 Ainda de acordo com o documento em resposta as informações postadas na Coluna Camaçarico de 29 de junho, sob o título ‘Imperícia’ (Confira), o ISSM esclarece que dos 3 servidores citados, 2 são concursados e 1 ocupante de cargo de confiança. Ainda segundo a nota, servidores exercem funções de gerente e coordenador na estrutura do instituto.


Perícia 4 Longe de esclarecer, a Nota do ISSM amplia anda mais as dúvidas sobre a relação de pessoal do instituto. No seu 3º parágrafo, o documento publicado abaixo na íntegra, informa que a servidora Patricia Silva Almeida, matrícula 10039, foi nomeada para o cargo de “Coordenadora de Ouvidoria e Comunicação desde 16 março de 2011”. 

 







Perícia 5 Para reforçar as dúvidas da Coluna e ampliar ainda mais a confusão, o ISSM manda reprodução da portaria 075/2011 (Confira a imagem ao lado), que não bate com a relação do TCM, onde a referida servidora aparece nomeada desde dezembro do ano anterior (2011), como ‘assessor técnico II’, com salário base de R$ 3.717,74 e vantagens de R$ 857,94 (Confira). O Camaçari Agora não conseguiu apurar informações sobre meses anteriores. Segundo o site do TCM, ”os dados não foram informados pelo jurisdicionado”.


Perícia 6  Já em janeiro de 2011, portanto 2 meses antes da data de nomeação apresentada pelo ISSM, a servidora começa a aparecer como  ‘Médica Perita’. Neste mês o seu salário e vantagens, ainda segundo a lista do TCM, somaram R$ 12.699,27 (Confira). Servidora segue listada pelo TCM até maio deste ano, última postagem do tribunal, com o mesmo cargo de ‘Médica Perita’, mas com variações salariais.


Perícia 7 Além de acusar o Camaçari Agora de fazer mau jornalismo, mesmo reproduzindo documento oficial do Tribunal de Contas dos Municípios, o ISSM de Camaçari mostra que é lento e está atrasado na atualização de suas informações. Mesmo com o erro registrado desde a folha de pessoal de 2011, ISSM garante que a questão já está sendo solucionada junto ao SIGA.


Perícia 8 Mais que exibir cópias de portarias de nomeação que também não batem com a lista do TCM, instituto pode avançar na tão propalada transparência e exibir os contracheques dos referidos servidores. Acaba assim com as dúvidas ampliadas com o documento datado da última quarta-feira (1/7). Confira a íntegra da nota do ISSM


Sinal verde  Claudecio Taroba continua no comando da STT. Essa é a proposta e vontade do prefeito Ademar Delgado (PT) que não quer mudar o titular da Superintendência de Trâãnsito e Transportes de Camaçari antes do prazo de desincompatibilização, em março de 2016. 


Sinal verde 2 Taroba, que é presidente municipal da legenda e tem pretensões de disputar uma vaga na Câmara de Vereadores em 2016, entrou em rota de colisão com o vereador Doutor Elias Natan. Em conversa com a Coluna, durante o desfile do 2 de Julho, o alcaide se mostrou preocupado com o acirramento no quintal dos verdes. Longe de aumentar seus problemas de gestão, Delgado usa o regador para manter a legenda aliada em crescimento, ao mesmo tempo que evita alimentar as ervas daninhas que andam atrapalhando a plantação na base aliada e a sua candidatura a reeleição. 


Movimento  A subida de Jailce Andrade, atual subsecretária, para o comando da secretaria de governo, é mais uma tentativa do prefeito Ademar de matar 2 coelhos com um único tiro. Resolve o problema da burocracia da máquina, hoje função do também advogado Sérgio Paiva, com desembarque do governo marcado para a próxima terça-feira (7). Jailce vai cumprir as missões administrativas, enquanto Demétrius Moura, atual secretário de relações institucionais, continua dando as cartas nas articulações políticas. 


Movimento 2 Manobra do alcaide busca esfriar os ímpetos da Frente de Esquerda, formada por um 3º PT, longe do PT-1 governista e do PT-2 caetanista. As baixas - o outro nome é o também petista Adelson Carvalho, signatário do movimento lançado em abril e ampliado com novo documento em maio (Confira) - não desanima a frente que avança em outros setores da sociedade organizada e já conta com o apoio do  PSOL, PSTU, PCdoB, sindicatos e associações de moradores. 


Movimento 3 Crescendo na fragilidade de poder e governabilidade que experimenta o município, frente amplia os debates sobre o “Direito da cidade’. Sem descartar uma candidatura própria na sucessão de 2016, oficializa presença na cena política com grande encontro, dia 18, na Câmara de Vereadores. Estão convencidos da possibilidade de resgate do que chamam de projeto de governança de esquerda, abandonado logo no início da 2ª gestão do ex-prefeito Caetano (2005/2008), e sem retomada na gestão de Delgado. 


3/7/2015

 





Imperícia

Imperícia  O ISSM de Camaçari não está longe de ser apenas mais um exemplo de instituto de seguridade de servidor que se inviabiliza pelo desequilíbrio na conta crescente dos pagamentos de aposentadorias e pensões, algumas acima dos R$ 12 mil mensais.


Imperícia 2  Além da conta deficitária, fruto do recolhimento de contribuições de servidores e aposentados, e outros lastros que complementam a sua receita, instituto criado em 1993 mantém a irregularidade na ativa. Sem fiscalização pela prefeitura, que historicamente usa sua estrutura como cabide de emprego, e gerido de forma temerária, ISSM entra na lista dos praticantes do chamado crime de Improbidade Administrativa.


Imperícia 3 Conhecido como ato ilícito praticado por servidor público e previsto em Lei própria, irregularidades no Instituto de Camaçari também passeiam pelo Código Penal.


Imperícia 4  É o que mostra a lista de servidores do instituto. Mesmo sem diploma de médico e registro no Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), os servidores Arilene Sena Paolino, Patrícia Silva Almeida e Paulo Henrique Oliveira e Silva aparecem como ‘Médico Perito’, com salário e mais vantagens que ultrapassam os R$ 4 mil mensais.


Imperícia 5  A irregularidade, segundo a Coluna apurou, é antiga. De acordo com documento publicado no site do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM), a servidora Patrícia Silva Almeida aparece desde 2011 como ‘Médico Perito’ na lista de servidores do ISSM.


Imperícia 6  Já o servidor Paulo Henrique Oliveira e Silva é ‘Médico Perito’ desde  julho de 2014. Segue no cargo até janeiro deste ano, quando passa o posto para Arilene Sena Paolilo, que em janeiro (2015) era ‘Gerente’, com salário e vantagens que somavam pouco mais de R$ 4 mil.


Imperícia 7 Anda de acordo com o site do TCM, as servidoras Arilene Sena Paolilo e Patrícia Silva Almeida seguem na função privativa de médico especialista, ao menos no contracheque, até maio, mês da última publicação da lista de servidores do ISSM pelo Tribunal de Contas (Confira)

 







Imperícia 8 Cabe agora ao Cremeb, Sindicato dos Médicos, Prefeitura, e até Ministério da Previdência apurarem se o Instituto gerido nos últimos anos por Edmilson Souza, Ademar Lopes e Renato Reis, se os ‘doutores’ estavam apenas no contracheque, ou se avançaram nas atribuições de perícia.


Festança  E o Camaforró continua com fama de generoso com os artistas de fora. Só o cantor Wesley Safadão faturou R$ 320 mil. Segundo produtores ouvidos pela Coluna, valor é mais que o dobro do cachê que costuma cobrar pelo mesmo show, exibido na noite de terça-feira (23). Cachê pago pela prefeitura de São Francisco do Conde, para show de Safadão, na noite desta segunda-feira (29), é de R$ 250 mil.


Festança 2  Já a banda baiana Estakazero, contratada por menos de R$ 40 mil, recebeu quase 3 vezes mais (R$ 115 mil). Mesmo com a inflação natural do período junino, conta fechou em quase R$ 1 milhão (R$ 950 mil) com os R$ 135 mil pagos a Adelmário Coelho, e os R$ 260 mil cobrados pela Aviões do Forró.


Festança 3 Com a inclusão das outras mais de 40 atrações dos 3 dias de festa, e gastos com sonorização e palco, conta ultrapassa os R$ 2 milhões. Supera em 50% as despesas de R$ 1 milhão e 300 mil, previstas para a festa, como divulgou a Coluna de 27 de maio (Confira).


Festança 4 Pelo visto, o corte de 1 dia no calendário do Camaforró e a redução de localidades beneficiadas com shows juninos na orla e zona rural não foram suficientes para deter o apetite do dragão da inflação.


Era feliz e ... O prefeito Ademar Delgado (PT) precisa arranjar um nome para compor sua chapa como vice, na sucessão de 2016. O recado também serve para o companheiro de partido, deputado federal Luiz Caetano, outro pretendente ao posto.


Era feliz e ... 2 Vereadora por 5 mandatos e atual titular do cargo de vice-prefeita, Carmem Siqueira (PSD) garantiu à Coluna que está fora. Quer voltar para o Legislativo Municipal, onde tinha voz, era ouvida e possuía total liberdade de ação. 


29/6/2015

 

Detalhe das listas de janeiro e fevereiro. Clique na imagem para ampliar




Pólvora

Pólvora  O apoio à candidatura a reeleição do prefeito Ademar Delgado (PT) não esta nos planos do PSD. Ao menos por agora. É o que deixou claro o presidente municipal da legenda, José Cupertino. Em entrevista ao apresentador e repórter Paulo Cosme, do programa Conexão Cidade (canal 33), o ex-vereador e atual secretário de turismo de Camaçari assegurou que o seu partido tem quadros. 


Pólvora 2  Sem citar o nome do atual alcaide, Cupertino aproveitou para lembrar ao ex-prefeito Caetano (PT) que a missão dele agora é parlamentar e sua atuação é no Congresso Nacional. Mesmo sabendo ser o único nome dentro do partido para a missão, o hábil Cupertino não esqueceu de citar os companheiros. 


Foguetório  As agências de propaganda Leiaute e Tempo vão continuar gerindo a conta da prefeitura de Camaçari. Apesar da crise no mercado com clientes cortando investimentos e as estruturas públicas cada vez mais cuidadosas com esse tipo de gasto, apenas as duas agências se habilitaram para a licitação. 


Foguetório 2 Como informou com exclusividade a Coluna, na sua edição de 10 de abril (Confira), as agências são detentoras da conta da prefeitura desde o início do 2º governo do também petista Luiz Caetano (2005). Mantido o valor do contrato de 12 meses no teto de R$ 14 milhões, média mensal de repasses da gestão fica pouco acima de R$ 1 milhão e 100 mil. 


Chabú E a empresa Nusa Produções Serviços e Entretenimento LTDA entrou para o freezer e vai ficar longe dos recursos públicos até 2020. Pega pela Justiça Eleitoral por doação de valor acima do limite da sua própria capacidade, produtora camaçariense foi multada em R$ 9 mil e está impedida de participar de licitações e celebrar contratos com o poder público nos próximos 5 anos. 


Chabú 2  Doadora de R$ 1.800,00 para campanha municipal de 2012, empresa não poderia ajudar nem com R$ 1,00, já que não apresentou à Receita Federal faturamento no ano anterior, como manda a Lei. Beneficiada pela lentidão da Justiça, produtora criada em 2011, só viu a sentença final ser confirmada no começo de março deste ano, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), depois de ser condenada pelo Tribunal Regional Eleitoral. O TER, por sua vez acatou pedido inicial do juiz da 171ª Zona Eleitoral (Camaçari), lá atrás, no final de 2012.  


Chabú 3 Respaldada pela Lei, que não pode punir enquanto a condenação não esgotar todos os prazos de recurso, conhecido no jargão jurídico como “Trânsito em julgado”, produtora seguiu e ainda movimentou mais de R$ 450 mil em contratos públicos. Deste total, pouco mais de R$ 280 mil foram para bancar os concertos 2014 da Sinfônica de Camaçari. 


Chabú 4 Condenada, ficou sem condições de renovar o contrato de pouco mais de R$ 800 mil pelos 8 concertos da Orquestra de Camaçari. A 1ª dessa série de tocadas, com prazo final em 2016, foi realizada quarta-feira passada no Teatro Cidade do Saber (TCS). 


22/6/2015

 





Desembarque

Desembarque Como antecipou a Coluna na sua última edição (Confira), o advogado Sérgio Paiva vai mesmo deixar o governo de Camaçari. O atual secretário de governo nega “divergências” com o alcaide Ademar Delgado (PT) e perda de poder com a ascensão de Demetrius Moura.


Desembarque 2 Tido como supersecretário e hoje o principal assessor do prefeito, com o acúmulo das funções de coordenador político do governo, o secretário de relações institucionais também tem a palavra final nas ações da coordenação de eventos. Transferência da estrutura, com orçamento anual superior a R$ 10 milhões, foi decisão do próprio Paiva, que garante não ter pretensão política, muito menos de se eternizar no cargo.


Desembarque 3 Paiva que pode sair já no final deste mês, ou até setembro, garante que sua contribuição para o serviço público está se esgotando. Volta para o escritório de advocacia, onde acredita poder trabalhar com mais tranquilidade e  satisfação.


Mudança  E a frente de esquerda continua avançando no debate sobre alternativas de governo sem os equívocos cometidos pelos alcaides Luiz Caetano (2005/2012) e seu sucessor e também petista Ademar Delgado (2013/2016). O ’Esperança Vermelha’, como vem sendo chamado o agrupamento interno do PT, amplia o debate com reuniões consideradas produtivas com o PCdoB, PSOL e PSTU.


Mudança 2  Encontros de construção dessa alternativa também contaminam sindicatos e entidades de bairro, preocupados com o distanciamento das gestões com as lutas e direitos básicos da população de Camaçari. Próximo encontro será sábado (20), a partir das 9h, no Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Refeição (Sintercoba), localizado na rua do Alecrin, Centro. Lançamento da Frente será dia 18 de julho, na Câmara de Vereadores.


Roteiro Depois do ‘pepino’ da proposta de requalificação da Feira de Camaçari, o prefeito Ademar coloca mais um problema na sua cesta de desgaste político, que já não é pequena. Sem definir o processo de licitação do sistema de transporte por ônibus no município, herança do ex-aliado e companheiro de partido, o agora deputado federal Luiz Caetano, Delgado enfrenta o aborrecimento dos donos de empresas e cooperativas de ônibus e a reclamação dos passageiros.


Roteiro 2 Pressionado pelos empresários, com negócio corroído pela inflação, e pela população, cansada dos ônibus velhos, escassez de linhas e tarifas caras, alcaide vê o ‘fim da linha’ cada vez mais próximo.


Roteiro 3 Delgado paga o preço pela não cumprimento do Termo de Compromisso para Ajustamento de Conduta (TAC) do sistema de transporte. Assinado em 2011, pelo antecessor,  TAC entre Ministério Público, prefeitura e empresários de ônibus previa substituição da frota  de cerca de 200 veículos até janeiro de 2013. Documento também determinava que 30% da frota seria equipada com sistema de acesso a portadores de deficiência física.


Reforço  Fafá de Senhorinho é o novo reforço na chapa de vereadores do DEM. Servidora pública e liderança comunitária de Vila de Abrantes, a suplente de vereador pelo PRTB, acredita que amplia de forma significativa os 980 votos obtidos no último pleito. Diz que chega para somar na campanha a prefeito do vereador Antonio Elinaldo.


Conta  Depois de anos praticando uma gestão cheia de equívocos na condução dos gastos do programa Cidade do Saber (CDS), ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro (IPRP) avança na contramão e tenta amedrontar o alcaide Ademar Delgado (PT) com o risco de fechamento do teatro homônimo.


Conta 2 Importante peça no projeto de inclusão social da população de Camaçari e principal espaço de cultura e entretenimento da cidade, o Teatro Cidade do Saber (TCS), tão festejado e palco de grandes, pequenas e até ‘outras’ encenações, agora aparece como estorvo nas contas da direção da CDS. Insensível, ONG sequer põe na conta a importância do espaço como referência na política de formação de plateia e de profissionais do segmento das artes cênicas e show bizz para a cidade.


Conta 3  Conhecida gastadeira, como já denunciou a Coluna em várias postagens, ONG gestora de programa mantido quase que na sua integralidade com recursos públicos, não percebeu o que os verdadeiros gestores de cultura do país sabem de cor e salteado. Apartada da realidade de Camaçari, comandantes da ONG e seus equivocados diretores e assessores, muitos deles residentes na cidade, não sabem que cultura é o lucro.


Conta 4  Descontrolada nas contas, como já demonstrou auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM), ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro também investigada pelo Ministério Público do Estado (MPE), acredita que os cerca de R$ 80 mil mensais investidos na manutenção do TCS é gasto desnecessário.


Conta 5  É na tabuada da subtração, quando deveriam somar, que esses burocratas apontam o dedo e defendem o desmembramento do teatro das contas da CDS. Protegidos pelo sigilo dos seus gastos, nunca examinados pela prefeitura, como é sua função, defendem a transferência da responsabilidade do teatro para a administração direta. Livres dos ‘gastos’ com o teatro, economizam quase R$ 1 milhão anuais para aplicarem em outros projetos.


Conta 6  Esquecem os mais de 700 espetáculos e os 200 mil espectadores que já ocuparam os quase 600 lugares do 2º maior teatro da Bahia. Sempre de costas para a plateia, imaginam que essa conta é prejuízo.


Anarriê  O São João de Cajazeiras de Abrantes só terá fogueira, milho assado e licor. Cortes nos custos deixaram comunidade com cerca de 1.500 habitantes, na zona rural de Camaçari, fora das apresentações de artistas e bandas juninas. Decisão da prefeitura quebra uma tradição, garantem moradores.


17/6/2015

 





Banguela

Banguela O Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) está mais para boca sem dente que unidade pública de atenção à saúde bucal da população de Camaçari. Inaugurada em 2011, com  previsão de atendimento mensal de 1.400 pessoas, unidade festejada como a maior da Bahia e 2ª do Norte/Nordeste, não está realizando nem obturação dentária.


Banguela 2 Mesmo com as portas abertas, unidade localizada no bairro Ponto Certo enfrenta graves problemas estruturais, como infiltrações e até alagamentos, que impedem a realização de uma simples consulta. Sem trabalho, servidores são orientados a bater o ponto e voltar para casa, ou permanecer no posto para cumprimento da jornada.


Decisão A ida da promotora Juliana Varela Rodrigues de Barros, do Ministério Público Estadual de Camaçari para o MP de Salvador aumenta as expectativas sobre o andamento do Processo de Investigação Preliminar (PIP) que apura os gastos da Cidade do Saber (CDS). Segundo fontes da Coluna, a promotora fica até o final do mês, quando será substituída por um promotor.


Decisão  2 Até lá, a promotora pode propor Ação Civil Pública de responsabilidade por danos causados ao erário público, pedir o arquivamento do PIP, caso não tenha conseguido encontrar elementos suficientes sobre prática de ilícitos. Também pode deixar a conclusão para o sucessor. 


Decisão 3 Enquanto não é promovida com a troca de posto para a capital, a promotora segue ouvindo autoridades municipais e dirigentes da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro (IPRP), gestora do programa bancado quase que totalmente pela prefeitura de Camaçari. Foram ouvidos na quinta-feira (11), o secretário de Governo, Sérgio Paiva, e a titular da Controladoria Geral do Município, Ednalva Santana de Souza. Processo de Investigação Preliminar, que completa 5 meses na próxima semana, já ouviu a presidente da ONG, Ana Lúcia Silveira.


Decisão 4 Não são poucas as denúncias de irregularidades praticadas pela ONG e denunciadas pela Coluna (Confira). Os desmandos contam com a omissão da prefeitura, pagadora e responsável pela fiscalização dos gastos. O mais recente estrago já soma R$ 90 mil e tem como justificativa a contratação, sem licitação, da empresa especializada em  serviços técnicos de consultoria e assessoria para implantação de um sistema de gestão financeira e gestão de projetos. (Confira)


Check-in Só fazem aumentar os rumores sobre o desembarque do secretário de governo, Sérgio Paiva, da gestão Ademar. Depois de ensaiar saída no final de 2014, decisão agora é tida como irreversível, segundo apurou a Coluna que tentou ouvir o secretário na quinta-feira (11) à noite.


Check-in 2 A disputa interna de poder, com a consequente perda de espaço de Paiva nas decisões, acusado de burocratizar a gestão, se somam a falta de liderança do alcaide. A crise se agravou com o rompimento do ex-prefeito Luiz Caetano, no final de 2014. Somado ao clima de indecisão, divisão e fragilidade política da gestão, o outrora homem forte do início da gestão somou recente desgaste provocado pela publicização do contrato do escritório de advocacia de sua propriedade com a Limpec. Mesmo considerado legal, contrato é questionável sob o ponto de vista da moralidade pública.


Estacionado Continua acima dos 60% a avaliação negativa da gestão do prefeito Ademar Delgado (PT). Pesquisa realizada entre o final de maio e começo deste junho, pela própria assessoria do alcaide de Camaçari, mostra praticamente os mesmos números das últimas amostragens. 


Boreste  A prefeitura de Camaçari perdeu a briga pela disputa do selo internacional “Bandeira Azul”, um dos mais importantes projetos de apoio socioambientais do mundo. Promessa de transformar Arembepe na 1ª praia do Norte e Nordeste ficou na gaveta da Secretaria de Desenvolvimento do Turismo (Setur) desde 2013, quando proposta com as 34 condicionantes foi apresentada e festejada como viável.  Disputa foi vencida por Salvador que garantiu título para a praia de Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, localizada na Ilha dos Frades.


Perigo E a instalação da ciclovia na Estrada da Cetrel, Via Atlântica ou simplesmente BA-530, parece ser mais uma ‘pedalada’. Duplicação da ligação de 18 quilômetros entre a Via Parafuso (BA-535) e a Estrada do Coco (BA-099), ao custo de R$ 50 milhões, também foi promessa de 2013.


Perigo 2  Sem duplicação, redução das curvas e manutenção da pavimentação, pista antes usada por veículos pesados em direção a unidades industriais, agora é via de tráfego intenso de veículos pequenos. Aumento dos acidentes e nenhuma alternativa de modernização da Estrada da Cetrel é convite para interdição.  


Arrumação O atual secretário Desenvolvimento do Turismo (Setur) de Camaçari e ex-vereador José Cupertino toma posse na presidência municipal do PSD no próximo sábado (12). Ato, a partir das 9h, no Plenário Vereador Osvaldo Nogueira, da Câmara de Camaçari, será presidido pelo senador e comandante da legenda na Bahia, Otto Alencar.


Arrumação 2 Partido Social Democrático tem em Camaçari o vereador Oto da Farmácia e 3 secretarias. Além da Setur, PSD controla as pastas de Serviços Públicos (Sesp), com Zé de Elísio; e Relações Internacionais, gerida pelo também ex-vereador Raimundo Blumetti.


12/6/2015

 





Batalha

Batalha  Mesmo sem fechar negociação e entrando no chamado “Limite prudencial” de 51% da receita comprometida com pagamento de pessoal,  estimada em pouco mais de R$ 500 milhões por ano, prefeitura manda para Câmara de Vereadores projeto de reajuste dos servidores com base na inflação de 2014.  


Batalha 2 Com o movimento dividido e dificuldades de negociar com a categoria, que entra no 22º dia de paralisação, governo empurra para os vereadores parte do ônus da falta de uma política de pessoal. Movimento obriga edis da base aliada, e até da própria oposição a se mexerem. Agora dividem uma fatura que eles nunca se preocuparam em resolver pela omissão num debate que constitucionalmente deveriam ser um dos atores.


Batalha 3  Essa falta de política fica clara no projeto. Ao aplicar o reajuste linear de 6,41%, inclusive para o seu próprio salário, secretários e demais cargos de confiança, o alcaide Ademar Delgado (PT) mantém o equívoco de privilegiar os que ganham mais em detrimento da massa de servidores.


Batalha 4 Pelo projeto apresentado, um secretário, hoje com salário de pouco mais de R$ 14 mil, terá um aumento mensal de R$ 928,00 retroativo a janeiro. Somado aos R$ 16.811,29 do prefeito (R$ R$ 1 mil a mais com os 6,41%), os vencimentos da vice-prefeita, que recebe valor igual a um secretário (R$ 14.482,00), e os R$ 12 mil e 300 dos subsecretários que incorporam ao contracheque R$ 790, conta da desigualdade fica ainda mais gorda. Multiplicada pelos cerca de 50 cargos dos chamados 1º e 2º escalões despesas desse grupo supera os R$ 800 mil mensais, ou qualquer coisa perto de R$ 10 milhões  por ano.


Batalha 5 Se a soma for apenas sobre o aumento de 6,41%, gasto por mês com prefeito, vice, secretários e subsecretários, bate nos R$ 50 mil, cerca de R$ 300 mil retroativo de janeiro a junho, ou R$ 600 mil por ano.


Batalha 6  Já um agente administrativo, 40 horas e salário de pouco mais de R$ 1.100, lá na base da pirâmide e parcela significativa dos cerca de 3 mil servidores, leva pra casa menos de R$ 71,00 com o mesmo aumento, fruto da reposição da inflação de 2014.


Batalha 7  Fechando a conta, os R$ 50 mil mensais consumidos com apenas a reposição (6,41%) dos 50 integrantes dos 1º e 2º escalões são suficientes para pagar o reajuste de mais de 500 agentes administrativos.


Batalha 8  Com uma estrutura inchada e funcionando em parte como cabide para aliados, o comando da máquina municipal poderia ficar menor com a extinção de secretarias que só servem para queimar dinheiro público.


Batalha 9 Qual a função da pasta extraordinária de Relações Internacionais, senão assegurar renda correligionários. Porquê manter a Secretaria de Serviços Públicos (Sesp) e a Secretaria de Ordem Pública (Seop), quando poderiam virar apenas uma pasta. Qual a vantagem de manter o Turismo (Setur) separado da estrutura do Desenvolvimento Econômico (Sedec).


Batalha 10  O ‘apartheid’ entre as secretarias da Inclusão e Cidadania (Secin) e de Desenvolvimento Social (Sedes) ampliam essa conta. Isso sem falar numa secretaria exclusiva para desenvolvimento de ações de reforço e inclusão da mulher.


Batalha 11  Com os servidores divididos entre correntes mais a esquerda e de oposição ao prefeito que defendem a manutenção da greve, e direção do sindicato (Sidsec), fechada com a proposta oficial, governo terá de negociar com sua base para evitar derrota histórica.


Batalha 12  Sem o apoio dos companheiros de partido Professora Patrícia e Teo Ribeiro, o alcaide vê bancada da oposição inchar dos tradicionais 7, formada pelos 4 do DEM, 2 do PRTB  e 1 PTB, para 9  votos. Mais uma vez a bola vai para os pés do  vereador e presidente da Casa, o petista José Marcelino, dono do 10º voto e único capaz de acalmar os ânimos na base eternamente insatisfeita com cargos e obras.


Batalha 13  Esse é o quadro escondido num mero reajuste que se apresenta e precisa ser discutido a partir desta terça-feira (9), pelo Legislativo de Camaçari. Mesmo com maioria apertada, governo tentará realizar no mesmo dia as duas votações exigidas pelo Regimento, para aprovar reajuste. Vitorioso, mostra fôlego e segue buscando recompor forças para novas batalhas num 2015 problemático e de total instabilidade política para a atual gestão.


8/6/2015

 





Cofre

Cofre  A transparência parece não ser o forte da atual gestão de Camaçari. Pedido de informações detalhadas sobre contratos e valores de pagamentos a prestadores de serviço do programa Cidade do Saber (CDS), através das cooperativas CooperTrade (Sociedade Cooperativa de Trabalho Multiprofissionais), Unitrab (União dos Trabalhadores Autônomos LTDA) e Cicoop (Cooperativa de Trabalho de Consultores Independentes), continua sem resposta há quase de 2 meses.


Cofre 2 Ofícios protocolados na prefeitura, dia 19 de março, e assinado pelo editor da Coluna, com base na Lei de Acesso à Informação (nº 12.527, de novembro de 2011), que dá prazo de 20 dias para resposta, é mais um atestado da falta de controle dos gastos da CDS. Gerida pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, estrutura é mantida quase que na sua integralidade com recursos públicos do município.


Cofre 3 O acompanhamento do andamento dos 3 pedidos (nº 04244/2015, nº 04245/2015 e nº 04247/2015) sinaliza descontrole e desconhecimento de quem deveria fiscalizar o ‘Contrato de Gestão’ com a ONG, renovado por mais 2 anos em março último. Levantamento da Coluna junto ao setor de protocolo mostra que pedidos permaneceram até dia 16 de abril, portanto quase 30 dias, na estrutura centralizada, quando foram enviados à direção da CDS.


Cofre 4 Mesmo conhecedores dos prazos impostos pela Lei, solicitações seguiram uma verdadeira ‘ciranda’ pela Secretaria de Governo, Procuradoria Geral do Município, Controladoria Geral, que mandou de volta para a Procuradoria, até serem despachadas para a CDS.


Cofre 5 Até o fechamento dessa edição, conta soma exatos 56 dias do prazo máximo para a resposta do que deveria ser público e de acesso livre, como manda a Lei assinada pela presidente Dilma Rousseff.


Cofre 6 Conhecida pela pouca transparência e descuidos na gestão das suas contas, como comprovou recente auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), a CDS recebeu pouco mais de R$ 46 milhões de repasses públicos entre os anos de 2011 e 2014, para realizar projetos de inclusão da população carente do município.


Cofre 7 Estimativas feitas com base na média de valores mensais pagos ao pessoal com carteira assinada, que o Camaçari Agora teve acesso, indicam que só com os contratados pela CLT, a Cidade do Saber gastou mais de R$ 15 milhões entre 2011 e 2014.


Cofre 8 Levantamentos não identificaram quem são (pessoa física ou jurídica) e quanto receberam os prestadores de serviços contratados pelas cooperativas. Números que a Coluna teve acesso mostram que repasses para essas estruturas ultrapassaram os R$ 7 milhões e 500 mil nos últimos 4 anos.


Cofre 9 O detalhamento por ano ajuda a entender o tamanho dos gastos. Enquanto em 2011 as despesas mensais de pessoal celetista foram de aproximadamente R$ 2 milhões, os gastos com prestadores de serviços pagos pelas cooperativas somaram R$ 2 milhões e 200 mil.


Cofre 10 No ano seguinte (2012), a relação se inverte, com os contratados pela CLT representando cerca de 3 milhões e 800 mil, para R$ 1 milhão e 800 mil dos cooperados. O aumento em parte é explicado pelo fim da precarização das relações trabalhistas com os professores, cooperativados desde a criação da CDS, em 2007, até o começo de 2012, como denunciou a Coluna em outubro de 2013 (Confira). Mesmo com a contratação dos professores pela CLT os gastos com as cooperativas não registram quedas.


Cofre 11 Em 2013, a conta aparece com pouco mais de R$ 5 milhões, enquanto as cooperativas consomem R$ 1 milhão e 700 mil. No ano passado (2014) as despesas com pessoal foram de cerca de R$ 4 milhões e 600 mil, enquanto a conta das cooperativas fechou em R$ 1 milhão e 800 mil.


Cofre 12 O que deveria ser uma conta pública única, parte de todos os repasses nos últimos 4 anos viram mistério. A caixa preta que virou a CDS é incompatível com o princípio da transparência da coisa pública, tão pregada pelo alcaide e auditor por formação, o petista Ademar Delgado. 


2/6/2015

 





Dieta

Dieta A festança do São João de Camaçari deve ficar cerca de 20% mais magra neste 2015. Informações obtidas pela Coluna indicam que os gastos com o Camaforró caem de R$ 1 milhão e 600 mil, estimados em 2014, para algo em torno da não menos generosa soma de R$ 1 milhão e 300 mil. 


Dieta 2 Cortes em parte provocados pelo alerta do Ministério Público Estadual (MPE), que prometeu botar lupa no milharal, devem reduzir a festa em 1 dia (para 3 dias) e colocar menos lenha nas fogueiras das festas da orla e zona rural. 


Réquiem Está cada dia mais delicada a situação do alcaide de Camaçari. Com problemas de gestão, fruto do quase nenhum traquejo político e do desencontro no projeto de governabilidade, piorado após racha com seu criador, Ademar Delgado segue desidratando de forma acelerada e perigosa. 


Réquiem 2 Dependente do presidente da Câmara, vereador José Marcelino (PT), hoje o senhor da sua maioria apertada na Casa, Delgado também perde apoios preciosos na formulação de alternativas para  enfrentar momento delicado. Distante de parte dos companheiros da esquerda petistas, como mostrou reportagem do Camaçari Agora, postada domingo-24 (Confira), Delgado vê de forma crescente as chances de atropelo da sua candidatura a reeleição em 2016. 


Réquiem 3 A tradicional música preparatória de passamento deve soar até setembro, quando direção do partido decide quem tem mais chances de manter o PT no poder de Camaçari. Chances de Interrupção só com a prorrogação dos mandatos, em tramitação no Congresso nacional. Ainda que pouco audível e com grandes chances de ser desligado, o desconfortável som também passeia pelos ouvidos do ex-prefeito Caetano, com problemas ainda não sanados na Justiça. 


Mistério  Balanço feito pela Coluna junto a profissionais de imprensa mostra que em 26 dias de maio, Camaçari registrou 19 assassinatos. Só na terça-feira (26) foram 5 pessoas, sendo 3 execuções no mesmo local. Número já supera o mesmo mês de 2014 (14 mortes) e ultrapassa os 17 homicídios de 2013. Nos dos 146 dias de 2015 conta registra 91 mortes. 


Mistério 2 Um ano depois do assassinato do servidor público Paulo Letão, 48 anos, a polícia nada sabe e em nada avançou nas investigações. Crime cometido na noite de 23 de maio de 2014, em Camaçari, por 2 homens, dentro do conjunto Residencial da Penha, é mais 1 na estatística das dezenas de casos insolúveis colecionados pela Delegacia de Homicídios de Camaçari. 


Mistério 3 Missa de 1 ano, neste sábado (30), às 7h30, na catedral de São Thomaz de Cantuária, provavelmente, terá a presença de autoridades que mostraram pouco ou quase nenhum empenho na cobrança junto à Secretaria de Segurança Pública (SSP) para elucidação do crime. 


Verniz A campanha de 2016 se aproxima e os candidatos começam a montar times. A novidade vem da oposição, com a contratação de assessor de imagem para ajudar o vereador Antonio Elinaldo (DEM) a errar menos. 


Verniz 2 Do outro lado da trincheira, o traquejado ex-prefeito e candidatíssimo, Luiz Caetano (PT), segue no conforto, com discurso de oposição, mas apoiado por parte da máquina do governo municipal. Já o atual alcaide, mesmo com a caneta no bolso, espera as definições. 


Verniz 3 O 4º nome na disputa, o ex-prefeito José Tude (PTN), descansa com a embarcação atracada. O agora governista vai esperar o melhor vento para içar as velas na competição de 2016, mesmo que seja para um passeio, como em 2014. 


27/5/2015

 





Silêncio

Silêncio Equipamentos sucateados, sujeira e falta de condições mínimas de trabalho e atendimento humanizado e eficiente aos pacientes. Essa é a realidade da Policlínica de Camaçari. Localizada na região central e mantida pelo município, unidade sequer possui álcool gel para a higiene mínima. Mesmo realizando cerca de 200 atendimentos diários, Políclínica não é dedetizada há meses, e muito menos possui alvará de funcionamento. 

 







Silêncio 2 Essas e outras graves queixas fazem parte do ofício acompanhado de dossiê enviado pelo Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindmed) ao prefeito Ademar Delgado. No documento datado de 7 de janeiro deste ano, e nunca respondido, o Sindimed cita ainda a precarização dos serviços de obstetrícia, pediatria, além da falta de segurança para médicos e demais profissionais da unidade. Procurados pela Coluna, nesta quinta-feira (21), profissionais  lotados  na Policlínica garantem que a situação é a mesma desde a reclamação do Sindimed em janeiro. Confira as fotos. Clique para ampliar a imagem

 







Silêncio 3 Assinado pelo presidente da entidade, doutor Francisco Jorge Silva Magalhães, documento como mostra o destaque feito pelo Camaçari Agora, também é do conhecimento do Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Estadual, Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (Sesab), Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (Cesau) e Secretaria Municipal de Saúde, na época gerida pelo doutor Vital Sampaio. Clique na imagem para ampliar


Garagem Continua sem data o desembarque de Gilberto D’Errico na gestão do prefeito Ademar. A composição com o grupo do vice-governador e secretário de planejamento, João Leão, comandante do PP, tem deixado no desconforto o ex vice-prefeito do governo Humberto Ellery (1993/1996). 


Garagem 2  Atraso no cumprimento do acordo, que inclui o comando do ‘trator’ da secretaria de  infraestrutura, desagrada e atrapalha a estratégia de D’Errico, negociando a adesão de lideranças oposicionistas cansadas da aridez gerada pela distância do poder. 


Ajuste A certeza da disputa como o candidato petista a reeleição ainda é verbo futuro para o prefeito Ademar. Fontes da executiva estadual e dos PTs 1 e 2 garantem à Coluna que não tem nada definido. ‘Certo e acertado’ apenas o sinal amarelo aceso até setembro, quando o trânsito deve ganhar nova dinâmica.


Ajuste 2 Muito mais que assegurar a vaga para reeleger Ademar, partido se movimenta para se manter no comando de uma das mais ricas prefeituras do país. De olho na 4ª vitória consecutiva, opção do PT vai depender de quem ajustar melhor o carrinho.


Freezer Foi para o congelador o projeto de transformação da Feira de Camaçari em shopping popular. Fontes da Coluna garantem que empresários ligados ao projeto avaliam total impossibilidade de viabilização das mudanças na atual gestão. Identificam erros políticos na condução da proposta com feirantes e comunidade. Vão esperar as urnas de 2016.  


21/5/2015


 

 





Empoderado

Empoderado O governo Ademar escapou da sua 1ª derrota no Legislativo graças ao presidente da Casa, José Marcelino (PT). Foi decisivo o atraso no reinício da 2ª metade da sessão, na manhã desta quinta-feira (14). A manobra garantiu a chegada do também petista Gilvan Souza, responsável pelo 9º voto capaz de assegurar a apertada aprovação do pedido de crédito de R$ 110 mil para a problemática Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec).


Empoderado 2  O placar de 9 votos a 8 foi uma  circunstância. O 9º voto, do vereador Teo Ribeiro (PT), só não foi para o placar por afastamento médico do petista.


Empoderado 3 Placar empatado em 9 a 9 é o sinal das dificuldades que estão por vir para o alcaide. Sem avançar na cooptação de oposicionistas e com os rachas dos companheiros Professora Patrícia e Teo Ribeiro, Ademar perde a folgada maioria de 12 dos 19 edis.


Cochilo A publicação de ato de promulgação de Lei pelo presidente do Legislativo virou fato inédito na história política recente de Camaçari.  Mesmo sendo função primordial do prefeito, projetos que instituem a ‘Meia Passagem’ nos ônibus para estudantes, e cria o ‘Bolsa Atleta’, terminaram sendo promulgados pelo vereador José Marcelino (PT).


Cochilo 2 O imbróglio finalizado com a publicação no Diário Oficial do Município (DO) nº 617 (25 de abril a 1º de maio), começa em novembro do ano passado, com a aprovação das leis pela Câmara Municipal. Regimentalmente o prefeito tem 15 dias, a partir do recebimento de uma Lei aprovada pelos vereadores, para sancionar ou vetar (total ou parcialmente).


Cochilo 3 Por puro vacilo, as leis ficaram no ‘buraco negro’ da burocracia do governo. Vencido o prazo, a Lei é automaticamente reconhecida, que no jargão político chama de ‘sanção tácita’. Com a reclamação do vereador Junior Borges (DEM), autor da Lei da ‘Meia Passagem’, o presidente da Casa, chamou para si e mandou publicar no DO.


Cochilo 4  Com data de 15 de maio, leis enfrentam agora a burocracia da definição de valores, já que tanto a ‘Meia Passagem’ como o ‘Bolsa Atleta’ implicam em custos. Como a aplicação exige mexida no orçamento, atletas e estudantes provavelmente só sentirão os benefícios a partir do 2º semestre.


Cochilo 5 Mesmo com a Lei em vigor, prefeito Ademar Delgado (PT) tenta reduzir o estrago com  ‘sanção’ simbólica da Bolsa Atleta. Aproveita a premiação “Melhores do Ano”, nesta sexta-feira (15), a partir das 18h, no Teatro Cidade do Saber (TCS), para festejar com os 200 premiados o novo programa de estímulo ao esporte.


No mocó E o projeto de transformação da Feira de Camaçari em shopping popular virou mercadoria cara e cada vez mais inacessível. O Legislativo, hoje com maioria dos 19 vereadores contrários ao projeto como foi apresentado, empurra para 12 de junho a realização de Audiência Pública sobre o tema.  


Caixa preta O prefeito Ademar tem uma chance de ouro para emplacar um controlador das finanças da Cidade do Saber (CDS). Desde o final do ano passado que a instituição está sem diretor financeiro. Alex Pereira Silva, afastado após aprovação em concurso para auditor do município, mas dando plantão na instituição, foi substituído interinamente por Julio Pinheiro, diretor de relações institucionais.


Caixa preta 2 E o por falar em Cidade do Saber, o Ministério Público Estadual de Camaçari começa a ouvir dirigentes da ONG e seu pagador, a prefeitura de Camaçari. Quem comparece nesta segunda-feira (18), ao prédio vermelho do bairro Ponto Certo, é a diretora geral da CDS. Ana Lucia Silveira presta esclarecimentos à promotora Juliana Varela Rodrigues de Barros no Processo Investigatório Preliminar (PPI) sobre os gastos da instituição.


Xing ling O carro da montadora chinesa Jac Motors, guardado numa ‘capsula do tempo’, desde novembro de 2012, pode ser desenterrado antes dos 20 anos previstos.


Xing ling 2 A sempre futura unidade de Camaçari ganhou do poder público uma área de quase 7 milhões de metros quadrados, mexeu com mata secundária e todo ecossistema da região em troca de geração de impostos e cerca de 3 mil empregos.


Xing ling 3 Sem conseguir engatar a 1ª, a JAC está virando negócio sem troco e dívida que não tem tamanho para a natureza. Quase 3 anos depois não existem obras e os serviços de terraplanagem na  área  da fábrica, localizada na estrada da Cetrel, só ajudaram a ampliar os prejuízos ambientais. 


Campanha O ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano (PT) define nesta sexta-feira (15), em reunião a partir das 17h, no Sinditiccc, os próximos roteiros e estratégias do seu projeto de retomada do poder municipal batizado de ‘Agenda Camaçari’.


Constrangimento O nome do médico responsável pelo seu atendimento no Hospital Menandro de Farias. O pedido é da Ouvidoria da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), que cobra detalhes de paciente atendido, submetido a exames de sangue e depois abandonado por cerca de 4 horas sem diagnóstico e medicamento. Essa é a situação que vive senhor de 76 anos, depois de prestar queixa  pelo mal atendimento na madrugada do último sábado (9), no nosocômio  localizado  na  Estrada do Coco (Lauro  de Freitas). 


14/5/2015

 





Pechincha

Pechincha Como já havia mostrado o Camaçari Agora, em reportagens com os vários agentes e segmentos envolvidos, o governo errou no processo de comercialização da mercadoria ‘shopping popular’, como alternativa para ampliar e requalificar a Feira de Camaçari. O desastre anunciado, na noite de quarta-feira (6), no Teatro Cidade do Saber (TCS), obrigou o governo a recolher o balaio que sequer chegou a ser exibido para feirantes e população, os principais clientes. 


Pechincha 2 Mesmo com a decisão corajosa do prefeito Ademar de enfrentar o teatro lotado e seguramente com a maior platéia em espaço fechado para um debate popular da história de Camaçari, prefeitura corre atrás do prejuízo. Reconhece que errou na comunicação e refaz a agenda para viabilizar projeto apresentado pelo então aliado Luiz Caetano, em reunião ano passado na sede da UPB. 


Pechincha 3 A Como ficou decidido  em reunião num dos camarins do TCS, na noite de  quarta-feira, após o desastrado espetáculo, governo monta ofensiva nos veículos locais, já a partir desta quinta, como forma de convencer a população da viabilidade e vantagem da mudança. Limpeza, praticidade e conforto são os ingredientes do tempero que vai vender através do rádio, TV, impresso e internet, no convencimento de feirantes e compradores. A outra frente incluiu conversas entre prefeitura, empresário representantes do projeto e Ministério Público. 


Pechincha 4 Decidido a avançar e mostrar força, prefeitura aposta no fatiamento dos grupos de feirantes com a consequente neutralização das reações. Tarefa é separar os permissionários dos segmentos ligados a oposição, seja ela a tradicional, formada pelo DEM, PTB e PRTB, ou pelo novo e não menos duro e eficiente adversário, o PT-2 do ex-prefeito Caetano. Politizar o debate com os permissionários, transferindo para a oposição a tabuleta de ‘complicador’, pela pura e simples vontade de obter benefícios eleitorais faz parte da estratégia. 


Pechincha 5 Com o relógio contando contra, o prefeito Ademar precisa sair do balaio da discussão sobre a nova feira para poder enfrentar outra batalha, a da Câmara de Vereadores, onde o projeto precisa receber o aprovado. 


Pechincha 6 Vereadores ouvidos pela Coluna garantem que antes do São João o prefeito Ademar não consegue botar para assar e oferecer seu principal prato ao eleitor na sucessão de 2016. Das 19 bocas do fogão legislativo, alcaide conta oficialmente com 10 votos. Os vereadores petistas Professora Patrícia e Téo Ribeiro agora reforçam a bancada de oposição tradicionalmente formada pelos 4 edis do DEM, 1 do PTB e 2 do PRTB. Com gás limitado e desconforto na base aliada, garantir a maioria vai exigir muito milho para fazer essa canjica. 


Memória Mesmo rompidos politicamente, o ex-alcaide e seu sucessor continuam siameses em parte do discurso e no esquecimento. Durante as comemorações do Dia do Trabalhador, sexta-feira passada, os petistas Caetano e Ademar reforçaram o discurso contra o DEM, o PSDB e até parte da bancada de partidos de sustentação do governo da presidente Dilma, dos inimigos do trabalhador e co-responsáveis por rasgar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).  


Memória 2 Esquecem do mau exemplo que pactuaram desde 2007, quando o programa Cidade do Saber (CDS) foi criado. Mesmo contrariando o ‘Contrato de Gestão’ que exigia cumprimento da legislação em vigor, a velha CLT, dezenas de educadores da CDS permaneceram na informalidade das cooperativas até março de 2012. 


Memória 3 O desrespeito aos trabalhadores, com Caetano  comandando a caneta, Ademar na pasta de administração e sempre um braço forte na gestão, representou centenas de reais a menos no bolso dos trabalhadores, com a perda de direitos elementares como férias, FGTS e 13º salário, como vem denunciado pela Coluna desde março de 2013 (Confira).


Munição O 3 vezes alcaide, Luiz Caetano, avança no seu cronograma para viabilizar sua candidatura  ao 4º mandato  de prefeito de Camaçari. Comanda nesta sexta-feira (8) a partir das 14h, no plenário da Câmara Municipal, a 1ª sessão do projeto ‘Agenda Camaçari’. Deputado federal e agora adversário político do atual alcaide, Ademar Delgado, Caetano dá partida a um programa de debates que vai percorrer bairros e comunidades da sede, orla e zona rural. 


Munição 2 Do outro lado da trincheira o governo avalia que o paiol do ex-aliado está ficando debilitado. A mobilização desta sexta-feira será um teste. É aguardar. 


Quebra mola A operação que resultou na apreensão de 17 veículos e encerramento das atividades do terminal de transporte clandestino de passageiros, em operação no coração de Camaçari desde outubro do ano passado,  é fruto da manobra que vem sendo praticada pelos últimos governos municipais na gestão do transporte público no município. Denunciado em novembro do ano passado pela Coluna (Confira), o sistema batizado de 'ligeirinho' não passa de uma  necessidade apoiada pela própria comunidade para suprir seu problema de mobilidade.  


Quebra mola 2 A ‘lei da oferta e da procura às avessas’  ganha  reforço com a sempre postergada  licitação do sistema de transporte por ônibus. Promessa trombeteada desde a gestão do ex-alcaide Caetano,  ganhou vale prorrogação  pelo atual gestor, o também petista Ademar Delgado, amparado num Termo de Acordo e Compromisso (TAC) com o Ministério Público, estacionado desde  o ano passado, quando deveria  ter sido cumprido com  a licitação do sistema de ônibus. 


Quebra mola 3 Outra lombada sempre contornada pela gestão do atual alcaide é o sistema de mototaxi, reconhecido pelas autoridades como problemático e um dos focos de reforço da violência. Com mais de 4 mil veículos em circulação,  município oficialmente só reconhece  cerca de 1 mil. 


Quebra mola 4 Confusão provocada  pelas motos em parte guiadas  por gente sem preparo para a função, não avança apenas nas vias.  A montagem dos chamados ‘pontos’ espalham toldos de forma desordenada por toda a cidade. Só na zona central da cidade a conta passa de uma dezena. 


7/5/2015

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 | Próxima

Encontrado(s): 372 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2015 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL