Busca:








Resistência Os 138 alunos da Escola Zumbi dos Palmares podem ficar sem estudar em 2017. Instalada numa área integrante do Terreiro Unzó Lembá, na Via Cascalheira (BA-331), escola teve sua capacidade pedagógica questionada e pode perder o contrato de aluguel.


Resistência 2 Documento que o Camaçarico teve acesso mostra que o parecer do procurador Rafael Couto Ribeiro, de 19 de outubro deste ano, favorável a renovação do contrato, sofreu questionamentos pelo procurador-chefe do município. José Gerson Dantas Lima, em nota de próprio punho, no rodapé do documento, pergunta sobre imunidade tributária do terreiro, se o espaço é compatível para a prática educacional e se são realizadas práticas religiosas na área da escola. A  Coluna apurou que até a manhã desta quarta-feira (7) o contrato continuava retido na procuradoria.


Resistência 3 O caso já está na Delegacia de Camaçari (18ª DP), onde o procurador é acusado de prática discriminatória e intolerância religiosa pelo sacerdote e líder espiritual do terreiro, Tata Ricardo Tavares. O Ministério Público Estadual (MPE) também foi acionado pelo sacerdote Tata Ricardo que foi pedir garantias para manter a escola funcionando. Para Tata Ricardo, o caso é de discriminação. Lembra que o contrato mensal de R$ 6.500,00 vem sendo renovado e nunca foi questionado.


Resistência 4 Inaugurada em 2010, a Zumbi dos Palmares tem 3 professores e 8 servidores no apoio ao atendimento de crianças de 4 a 10 anos nos cursos de educação infantil até a 5ª série. Unidade que atende jovens de toda a comunidade do Parque Real Serra Verde, independente de orientação religiosa, aparece acima da média das escolas do município pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).  A Zumbi dos Palmares é a 2ª escola da Bahia e a 1ª  de Camaçari a funcionar numa área  pertencente a um terreiro de Candomblé.

 

Clique na imagem para ampliar o documento






Na espera O vereador não reeleito, Wilton de Ferrinho, e a ex-secretária de serviços públicos e candidata derrotada ao Legislativo, Margarida Galvão, já estão de malas prontas para deixar o PMN. Ferrinho, com capital eleitoral de 1361 votos, e Margarida com 1027 apoios nas urnas de outubro, aguardam posse do novo governo municipal e os desdobramentos provenientes dessa rearrumação das forças políticas em Camaçari.


Na espera 2  Certeza só o acelerado processo de encolhimento da liderança do atual comandante do PMN no município, o ex-vereador e presidente da Câmara de Camaçari, Zé de Elísio. Vivendo momentos de desidratação profunda, Elísio experimenta a solidão dos sem poder e o arrependimento de ter movido a peça errada.


Na espera  3 Mesmo convidado a marchar com o demista Antonio Elionaldo, preferiu trocar a natimorta candidatura Jailce Andrade (PCdoB), bancada pelo alcaide Ademar, pela aposta no candidato ao 4º mandato de prefeito, o deputado federal petista Luiz Caetano (PT). Perdeu tudo.  


Insônia Os vereadores reeleitos pastor Neilton (PSB) e Zé do Pão (PTB), e os eleitos para um 1º  mandato, Dilson Magalhães Junior (PEN) e Binho do 2 de Julho (PCdoB) podem enfrentar dor de cabeça com a Justiça Eleitoral. Erraram feio e podem até ceder suas vagas para os suplentes caso sejam condenados por erros na prestação de contas e doações de campanha.  


Glu-glu Como antecipou o Camaçarico (Confira), os servidores efetivos, terceirizados, Redas e ocupantes de cargos de comissão não terão peru de Natal. Segundo nota da prefeitura, distribuída nesta quarta-feira (7), a 'crise financeira que abate o país e repercute em Camaçari' também enxotou a cesta natalina da mesa dos beneficiários do Bolsa Família e carentes atendidos pelos programas sociais municipais.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


7/12/2016

 





Gostinho

Gostinho Os servidores efetivos, os terceirizados, os Redas e os ocupantes de cargos de comissão não degustarão neste natal o tradicional peru distribuído pela prefeitura de Camaçari. O benefício, instituído por lei municipal, foi suspenso por total falta de recursos. Mimo que até o ano passado beneficiou cerca de 8 mil pessoas, iria representar neste ano uma redução de cerca de R$ 4 milhões nas  combalidas contas da prefeitura.


Gostinho 2 O pacote de cortes, noticiado pelo Camaçarico  de 21 de novembro  (Confira), também incluiu a cerca de  23 mil famílias inscritos no  Bolsa Família e  outros carentes atendidos por programas municipais.


Notícia  O jornalista Biaggio Talento será o coordenador de comunicação do prefeito Antonio Elinaldo (DEM), que assume em janeiro a prefeitura de Camaçari. Com status de secretário e ligado diretamente ao alcaide, Biaggio terá a missão de redesenhar a comunicação do governo e construir uma nova relação da prefeitura com a imprensa. Experiente, Biaggio foi repórter da sucursal baiana do jornal O Estado de São Paulo e do jornal A Tarde, por quase 20 anos.


Notícia 2 Também estão confirmados o auditor fiscal Renato Almeida, na pasta da fazenda, e o ex-prefeito e atual superintendente do Incra na Bahia, Helder Almeida. Presidente municipal do DEM, Almeida terá papel decisivo na gestão, tanto  administrativamente, como no dia a dia da política.

 







Alerta  O doutor Washington Couto, titular da secretaria de saúde de Camaçari (Sesau), precisa se mexer e ajudar o paciente Marcelo Conceição dos Santos. O ex-servidor municipal de 32 anos e com 1 filho de 5 anos, sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica. Para combater o avanço da doença neurodegenerativa, Marcelo precisa do medicamento Riluzol.


Alerta 2 Mesmo obrigatório na cesta de medicamentos especiais do governo, o Riluzol não é encontrado nas farmácias do SUS. Nascido e criado na praça do bairro do Natal, Marcelo espera desde dezembro do ano passado pelo medicamento solicitado à secretaria de saúde do estado (Sesab).


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


5/12/2016

 

Marcelo espera pelo medicamento desde dezembro de 2015




Passando o rodo

Passando o rodo São baixíssimas as probabilidades dos atuais ocupantes de cargos de confiança na prefeitura de Camaçari permanecerem no governo que começa em janeiro. O Camaçarico apurou que o governo Antonio Elinaldo (DEM) pretende cortar ou manter  sem nomeação, a chamada contigência, mais da metade dos cerca de 1 mil postos por indicação política existentes na atual estrutura municipal.


Passando o rodo 2 A conta é simples. Se o governo quer cortar algo  em torno de 50%,ou até mais, e precisa colocar seus aliados, há 12 anos fora do poder, vão sobrar poucos cargos e espaços para manutenção da maioria dos atuais contemplados.


Roteiro  Segue congelada, até a próxima semana, a disputa pela presidência da Câmara de Vereadores de Camaçari. Os vereadores Jorge Curvelo e Junior Borges, do DEM, nada falam antes da votação final da reforma administrativa, prevista para a próxima terça-feira (6).


Roteiro 2 Ajuste com a escolha de 1 dos nomes terá ajudinha do prefeito eleito. Depois da aprovação da reforma, Elinaldo, que esperou não precisar entrar de formas tão direta na disputa, senta e clareia.


Roteiro 3 Mesmo sendo poderes distintos e, em tese, independentes, influência do alcaide na escolha do comando do Legislativo sempre foi decisiva. Foi assim com o atual, José Marcelino, com o antecessor e também petista, Téo Ribeiro, e nos  3 anteriores: Zé de Elísio (PP), Luiza Maia (PT) e Bira Coroa (PT), todos abençoados pelo então  prefeito Luiz Caetano.


Delei  A extinção da secretaria da mulher é tema de debate no Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. Encontro que acontece nesta quinta-feira, partir das 15h, no Centro Iolanda Pires, chega com atraso e deve apresentar pouco efeito prático na luta por garantias de mais políticas afirmativas e espaços para as mulheres.


Delei 2 Apresentado à Câmara de Vereadores pelo atual prefeito e integrante do pacote de reforma administrativa acertado pela transição com o alcaide que entra, extinção dessa estrutura é apenas um exemplo da passividade dessas entidades.


Delei 3 Mesmo com orçamento de fazer inveja, Camaçari vem executando nos últimos anos políticas acanhadas, quando não condenáveis, nas áreas da saúde, criança e adolescente, cultura e assistência social, para ficar por aí.  


Delei 4 Sem presença nos debates das questões que lhes dizem respeito e exigem suas intensas presenças, conselhos assistiram o caos na saúde, o desrespeito aos jovem e adolescente, com  o desmonte da Casa da Criança e da do Saber. Até legitimou trapalhadas, como no caso dos editais de cultura, prometidos e com verba assegurada desde 2013.


Delei 5 Mesmo com o considerável e lamentável atraso, resta agora aos conselhos realizarem autocritica para então começarem a debater a cidade que a população quer, precisa e que eles prometeram  representar e defender quando foram montados.


Réquiem  A ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, quase ex-gestora do programa Cidade do Saber, continua empurrando como pode, a decisão do Ministério Público do Trabalho (MPT) que impõe multa de R$ 300 mil. Pega desrespeitando a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), ONG que terá de indenizar o estado brasileiro ”por dano moral coletivo”.


Réquiem 2 Cumprindo seus últimos dias no comando do programa Cidade do Saber, como já assegurou o prefeito  eleito  de Camaçari, ONG tenta ganhar tempo. Depois de quase 6 meses questionando a legalidade do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) apresentado pelo MPT, o Instituto já aceita cumprir as condições do TAC. Datado do último dia 30 de novembro, documento enviado ao MPT, que a Coluna teve acesso, alega constantes cortes de recursos por parte do município, seu generoso financiador, e propõe pagar até o Natal, apenas R$ 15 mil, ou 5% do valor inicial da indenização proposta pelo Ministério Público do Trabalho.


Réquiem 3 Como mostrou o Camaçarico de 7 de julho (Confira), ONG foi pega pelo MPT usando a verba pública para contratação irregular de cooperativas. Assinar esse TAC pode ser o último movimento para escapar de uma ação civil pública que pega em cheio o bolso dos seus atuais e até ex-diretores. 


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


1/12/2016

 





Como assim?

Como assim?  O prefeito Ademar Delgado (sem partido) manda aviso para a Câmara de Vereadores de que não vai sancionar, nem vetar o aumento dos subsídios dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários municipais, a partir de janeiro. Nota distribuída pela sua assessoria informa que ‘Delgado se abstém de sancionar os referidos Projetos de Lei’.


Como assim? 2 Não satisfeito em subir num muro inexistente, já que na Legislação Municipal não contempla essa figura entre as alternativas de decisão para o poder Executivo, o alcaide avança e justifica sua postura com uma pérola digna do personagem ‘seu Rolando Lero’. Segundo a nota, ‘A medida segue a linha traçada nos últimos meses pelo Governo Municipal com ajustes administrativos para a redução dos custos com a máquina pública’.


Como assim? 3 Já que é para enxugar, o alcaide deveria vetar o aumento e empurrar para os vereadores o desgaste de ter que derrubar o veto com nova votação em plenário.


Como assim? 4  Mais uma vez Delgado e vereadores jogam juntos. Com decisão murista, alcaide agrada os vereadores que votarão suas contas em 2017. Ao se abster, o alcaide também poupa os nobres edis de outra desgastante sessão de derrubada de veto. O roteiro do tudo deles e nada nosso foi mostrado no Camaçarico de 3 de novembro (Confira).


Como assim? 5  Com o aumento praticamente carimbado, só resta  ao prefeito que entra corrigir parcialmente o estrago. Com discurso moralizador e de redução de custos, Antonio Elinaldo pode mandar suspender os aumentos do seu salário, do vice e dos seus secretários. Confirmado o aumento, os vereadores passam a receber  pouco mais de R$ 14 mil. O prefeito embolsará mensalmente R$ 18 mil, enquanto o vice-prefeito e os secretários terão contracheque de R$ 16 mil.


Papel carbono O 1º contato amplo do prefeito eleito, Antonio Elinaldo (DEM), com a imprensa lembrou as nada produtivas entrevistas coletivas do atual alcaide e do seu antecessor.


Papel carbono 2  Apinhado de gente, o salão do Palace Hotel, terminou se transformando num espaço impeditivo para os questionamentos mais profundos e necessários para esclarecer à população sobre a reforma administrativa do governo que entra.


Papel carbono 3 Fórmula do desconforto seguiu a velha regra da pressão subliminar e desrespeito  ao profissional de comunicação. A única diferença da conversa de segunda-feira (28), para as coletivas dos seus antecessores, foi a plateia, formada candidatos a assessor, enquanto nas entrevistas do passado, a tropa já estava nomeada.


Tchau, querido Os músicos da Orquestra Pró-Sinfônica de Camaçari estão com 2 meses de atraso no pagamento das bolsas que variam de R$ 380 a R$ 580. Mesmo com o descaso e os constantes atrasos nos pagamentos, grupo com 2 anos completados em dezembro, realizou mais de 14 apresentações em Camaçari e outros espaços.


Tchau, querido 2 Mesmo sem honrar seu compromisso de criador e ‘padrinho da orquestra’, o alcaide Ademar Delgado pode ficar tranquilo que será convidado para assistir o seu último concerto como gestor, dia 7 de dezembro, no Teatro Cidade do Saber (TCS).


Saúde e Força O mestre Bule-Bule está bem e em intensa recuperação do transplante renal. Aos 69 anos completados dia 22 de outubro, o mestre nascido Antônio Ribeiro da Conceição já maquina novas produções e sua volta ao palco. A plateia espera ansiosa. 


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


29/11/2016

 





Pacote

Pacote  As pastas da habitação (Sehab), do turismo (Setur), da mulher (Semur), das relações institucionais (Serin), cidadania e incluisão (Secin), ordem pública (Seosp) e  da articulação com Estado e União são as 7 da secretarias que serão extintas a partir de janeiro, na gestão do prefeito Antonio Elinaldo (DEM). O pacote será anunciado oficialmente na tarde desta segunda-feira (28), em entrevista coletiva no Palace Hotel, centro de Camaçari.


Pacote 2 A reforma administrativa segue para  apreciação e votação pela Câmara de Vereadores, nos próximos dias. Provavelmente já na terça-feira (29),  as propostas que passam a valer em janeiro, serão entregues pessoalmente por Elinaldo pelo seu vice, José Tude (PMDB), ao prefeito Ademar Delgado (sem partido) que envia a proposta para o Legislatico. A antecipação, do projeto de reforma faz parte do acordo de transição entre a gestão que sai e a que entra, visa facilitar as ações do novo governo já nos primeiros dias de janeiro.


Pacote 3 Como antecipou o Camaçarico de 26 de outubro (Confira), a máquina municipal no novo governo de Camaçari deve cair das atuais 20 secretarias para 13. O processo de enxugamento  inclui ainda  a transformação de parte da atual  estrutura com status de secretaria em coordenações. O Camaçarico apurou que as mudanças não implicam em perda de poder e orçamento na execução de políticas públicas. O governo que entra acredita que o enxugamento torna a máquina mais ágil e com custos menores com  a extinção de cargos  desnecessários.


Pacote  4 A secretaria de habitação vai para a pasta da infraestrutura.  A  atual secretaria do turismo será incorporada pela secretaria de desenvolvimento econômico (Sedec), mesmo destino da secretaria de ordem pública (Seosp). A  Secin e a Semur passam para a a estrutura da pasta de desensenvolvimento social (Sedec).


Pacote  5 Outra medida que o prefeito Elinaldo vai por em prática já nos primeiros dias de governo é o rompimento do contrato com a ONG Instituto professor Raimundo Pinheiro, gestora do programa Cidade do Saber. Como antecipou o Camaçarico, o equipamento vai  continuar funcionando com  todas as suas atividades, só que  gerido por uma estrutura ligada ao prefeito. Um estudo mais detalhado, a partir de dados precisos sobre o programa, vai definir as mudanças na estrutura para atender mais jovens carentes e acabar com o processo  de elitização executado pelos atuais gestores do programa. Processo de redefinição e modernização também inclui a Casa da Criança e do Adolescente.


Pacote  6 Fontes ouvidas pelo Camaçarico asseguram que pacote de cortes e ajustes provocados  pelo novo momento econômico e político não será definido na sua totalidade  já na posse. A experiêencia  mostra que números reais e detalhados só serão identificados nos primeiros 30 dias de gestão, quando medidas complementares serão adotadas.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


27/11/2016

 





Receutuário

Receituário A tragédia em uma das duas lojas da rede de farmácias Pague Menos, em Camaçari, é um doloroso exemplo do descontrole na fiscalização das atividades comerciais e de produção no município. Preocupada em livrar a responsabilidade e acreditando ser suficiente para se eximir de qualquer culpa, a prefeitura informa, através de nota, que o estabelecimento está com os alvarás de ‘Funcionamento’ e ‘Sanitário’ regulares. Prefeitura também esclarece que não recebeu nenhuma denúncia sobre reforma irregular no estabelecimento, como denunciou um cliente na imprensa. Seguramente, se seu setor de fiscalização funcionasse com a eficiência necessária para uma cidade do porte de Camaçari, sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul, município não estaria de luto.


Receituário 2 O alcaide que sai, Ademar Delgado (sem partido), sabe mais que ninguém que não foi por falta de aviso. Continua sem solução a ação do Ministério Público Estadual (MPE) para adoção de medidas de segurança na Feira de Camaçari, verdadeiro barril de pólvora, com centenas de lojas de confecções e outros produtos inflamáveis amontoados e sem qualquer esquema de segurança. Lá, seguramente, a tragédia seria ainda maior. O sistema de transporte público, com ônibus velhos e inseguros, é outro problema cobrado pelo MPE e ignorado pela gestão municipal.


Receituário 3 No polo industrial, outro paiol, as ações de segurança da população residente a poucos quilômetros das unidades de produção, só ganharam soluções efetivas a partir do ano passado. Programas de treinamento de moradores para evacuação e adoção de medidas em casos de acidente no complexo industrial seguem ainda de forma tímida e ineficientes.


Receituário 4 Mais uma vez a prefeitura e a Câmara de Vereadores  abrem mão da  sua missão constitucional de protagonizar o processo de cobrança e pressão sobre o empresariado, e em defesa da população.


Receituário  5 Desprezar o dever de casa é regra em Camaçari. O PSSP (Plano de Segurança de Situação de Pânico) não passa de letras perdidas e sem nexo no abecedário municipal. Logo após a tragédia na Boate Kiss, em janeiro de 2013, a prefeitura de Camaçari resolveu entrar na onda nacional da segurança e determinou quarentena para casas de shows da cidade. Todas deveriam adotar sistema de segurança. O resultado é que 3 anos depois, nem o município fez a revisão nas suas estruturas. O Camaçarico apurou que o Centro Administrativo, a Cidade do Saber e o Teatro Alberto Martins são exemplos de descaso com o tal do PSSP.


Receituário 6 O Incêndio iniciado no começo da tarde de quarta-feira (23), na Pague Menos, poderia e deveria ter sido evitado. A realização de serviço de manutenção no sistema de refrigeração da loja da rua Presidente Vargas, região central e de grande movimento do município, segundo divulgado por toda a imprensa, também mostra o descuido da poderosa rede de farmácias.


Receituário 7 A ação, que precisa ser apurada e punida, não foi realizada numa farmacinha de 1 dono que sobrevive nessa nossa economia insegura e madrasta dos pequenos e microempresários. O serviço, ainda não esclarecido, foi efetuado num estabelecimento integrante de uma rede de farmácias, a maior do Brasil, com 900 lojas em todo país.


Receituário 8 Um grupo empresarial que recentemente anunciou faturamento superior a R$ 1 bilhão e 500 milhões e tem meta de chegar a 1.000 lojas no começo de 2017, não pode ser tratado como uma farmacinha genérica. A Pague Menos é o que se poderia chamar de farmácia de ‘marca’, com todas as vantagens e responsabilidades que se exigem de um produto alojado numa prateleira com tantas garantias. A rede não fez mais que sua obrigação anunciar apoio às vitimas e assumir as responsabilidades pelos custos dos tratamentos dessa mínima parcela de milhares de clientes que movimentam suas prateleiras e máquinas registradoras.


Receituário 9 A dolorosa tragédia, com 9 mortes, é exemplo para o governo municipal que assume em janeiro. O prefeito eleito, Antonio Elinaldo (DEM), precisa adotar ações enérgicas e rápidas para reduzir de forma acelerada esse atraso que vive Camaçari.  Sair do confortável silêncio, empacotado pela caixa da transição de governo, já é um bom começo.


Receituário 10 Botar a máquina municipal, inclusive a fiscalização, para funcionar é obrigação e parte da tarefa de reconstrução de uma cidade cheia de problemas, praticamente sem governo e sem projetos para o futuro.


Receituário 11 Que as mortes sirvam para encorajar o alcaide que entra. É preciso abolir o ‘toma lá dá cá’ da política camaçariense e botar a máquina para funcionar. Cabe ao gestor que assume em 1º de janeiro a missão de conduzir esse processo e avançar, independente da conjuntura política de alianças que o elegeu, e o histórico conservador do seu grupo. O cidadão Antonio Elinaldo Araujo da Silva não pode esquecer que se candidatou e prometeu cumprir uma missão. Vai precisar aviar a receita, encontrar o remédio e aplicar a dose correta. O cliente precisa ser respeitado.  


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


24/11/2016

 





Papai Noel

Papai Noel As cerca de 23 mil famílias atendidas pelo Bolsa Família e programas sociais do município de Camaçari podem ficar sem a cesta de Natal. O aperto nas contas municipais ameaça suspender o benefício distribuído de forma graciosa e sem base legal pela gestão municipal.


Papai Noel 2 Já a cesta dos servidores, assegurada por lei municipal, não tem como ser suspensa. O benefício que atinge além dos cerca de 5 mil efetivos, também assegura o peru natalino para outras 8 mil pessoas entre cargos comissionados e terceirizados. 


Cítricas As candidatas a vereadora Professora Esther (PPS) e Pastora Lia (PMB) devem enfrentar aborrecimentos nos próximos meses. As duas postulantes ao Legislativo de Camaçari estão entre as candidatas que não tiveram sequer seus próprios votos no pleito de outubro.  Lista de 2.444 candidatas em todo pais, e que tem a Bahia com campeã de postulantes  com ‘zero’ voto’, vai para a mesa do procurador Regional Eleitoral Ruy Mello.


Cítricas 2 O Ministério Público Eleitoral (MPE) vai investigar se essas senhoras foram colocadas apenas para preencher a cota mínima de 30% das candidaturas partidárias com mulheres. Segundo a Legislação, as chamadas ‘candidaturas laranjas’ configuram crime de falsidade ideológica eleitoral. O Ministério Público Eleitoral pode até pedir a impugnação do mandato eletivo contra os candidatos homens da legenda partidária que se beneficiaram com a ilegalidade.


Extintor A disputa entre os vereadores Jorge Curvelo e Junior Borges, do DEM, pela presidência da Câmara de Camaçari, pode cair no colo do prefeito Antonio Elinaldo. Sem consenso, companheiros de partido seguem num processo de beligerância que pode exigir a interferência aberta e direta do futuro alcaide. Em tese, sem nenhuma ingerência no outro poder, manutenção do racha vai exigir de Elinaldo uma exposição pública de sua preferência, caso não consiga apagar o incêndio de vaidades no seu quintal. 


Jogo Pode perder a aposta quem comprar pule do afastamento do ex-prefeito Helder Almeida, do poder de Camaçari na gestão do prefeito que entra, Antonio Elinaldo (DEM). Fontes asseguram ao Camaçarico que o atual superintendente do Incra no estado está prestigiado na base municipal da legenda, e com o chefão estadual do Democratas, o alcaide de Salvador, ACM Neto.


Jogo 2 Ainda segundo essas mesmas fontes, onda de informações que apresentam Helder como peça fora do jogo, pode ser fruto de ‘fogo amigo’, ‘artilharia adversária’ e até ‘pressão de setores da imprensa’ por espaços privilegiados no próximo governo. Acostumados com o jogo do poder, não descartam nem uma 4ª alternativa, soma de todas as opções anteriores.


Alpiste  ‘Gaiola bonita para passarinho com fome’. Essa é a mais precisa definição para a Casa da Criança e do Adolescente, que teve obras de reforma inauguradas sexta-feira (18), pelo alcaide Ademar Delgado (sem partido). Paredes coloridas não conseguiram esconder o desânimos dos profissionais da casa com o desmonte da estrutura,  a cada dia com menos cursos, carência de material para as aulas e crescente redução de vagas e fuga de alunos sem atrativos .


Nota vermelha Já está na mesa da Promotora Tiara Ruscioleli, do Ministério Público Estadual de Camaçari (MPE), um pedido de investigação contra a atual gestão da educação no município. Documento protocolado no último dia 18 e assinado pela ex-coordenadora pedagógica da secretaria de educação do município (Seduc), professora kadja Grimaldi, denuncia o descaso da atual gestão e os prejuízos para os cerca de 45 mil alunos da rede municipal.


Nota vermelha 2 Denúncia lista paralizações, problemas com transporte escolar, merenda e falta de estrutura nas salas de aula como princípios básicos que impediram o cumprimento anual dos 200 dias de ano letivo. Para a professora Kadja, o atropelo desse cronograma fere a lei de diretrizes e bases da educação e prejudica a qualidade do ensino de milhares de alunos que terminarão sendo aprovados de qualquer jeito.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


21/11/2016

 





Escavadeira

Escavadeira Diferente das obras de reurbanização da bacia do rio Camaçari, paradas desde o 1º semestre deste ano. Outro cronograma segue avançando e deve apresentar novidades nos próximos meses. O Camaçarico apurou que a Polícia Federal (PF) já está recolhendo material junto à Caixa Econômica. Investigação amplia para a esfera policial os atrasos e mudanças no programa iniciado no começo de 2012. Obra já vinha sendo investigada pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União (CGU).


Escavadeira 2 Estimado inicialmente em R$ 143 milhões, obras tiveram seus cronogramas de custos recalibrados para R$ 167 milhões. O chamado Trecho 10/11, na região de Burissatuba e Phoc, previsto para ser entregue em agosto do ano passado, continua sem data. Outra etapa abandonada é a localizada entre a Cidade do Saber e a linha férrea, na avenida Eixo Urbano.


Pressão O precedente já está aberto. O Ministério Público Estadual, de Guanambi, recomendou à Câmara de Vereadores que revogue o aumento dos vencimentos dos vereadores, prefeito, vice e secretários. O MPE de Camaçari já pediu mais informações sobre o reajuste dos mesmos agentes públicos do município. Aumento  também provocou a reação da população que chegou a ocupar  a Câmara de Vereadores.


Pressão 2 Agora é aguardar a decisão do promotor Luciano Pitta, responsável pelo pedido de informações enviado no último dia 3 e com prazo de 10 dias vencido na segunda-feira (14), para resposta pelo presidente do Legislativo, José Marcelino (PT). 


Ninho Mesmo derrotado na disputa para o 4º mandato de alcaide de Camaçari, o deputado federal Luiz Caetano (PT) continua requisitado. Além dos convites para voltar ao PSB ou unir forças ao PDT,  o petista tem sido flertado até pelo PSDB, legenda que já foi seu abrigo em meados dos anos 1990. Focado na reeleição, em 2018, e vigilante nas ações na Justiça que podem abreviar sua carreira política, Caetano mostra mais desejos pelo PSD do senador Otto Alencar. 


Burocracia A cara do governo Antonio Elinaldo (DEM) começa a ganhar contornos mais nítidos e deve ser anunciada até o final do mês. Ainda nesta semana a equipe de transição inicia as análises dos números por secretaria, detalhando cargos e salários para definir os cortes e fusões na estrutura da administração. Como antecipou o Camaçarico de 26 de outubro (Confira), enxugamento deve reduzir das atuais 22 estruturas com status de 1º escalão para algo perto de 13.


Burocracia 2 Projeto de reforma da máquina municipal, acordado entre o alcaide que sai, Ademar Delgado (sem partido), e o que entra, deve ser enviado para aprovação da Câmara de Vereadores, no começo de dezembro. Prazo para votação acaba dia 15, quando começa o recesso do Legislativo.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


16/11/2016 Atualização às 18h

 





Face to Face

Face to Face A postagem do prefeito eleito de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), sobre o risco de devolução de cerca de R$ 50 milhões de recursos federais para as obras em Camaçari, acende a luz amarela. Chama a atenção o pouco caso que o staff do governo que vai gerir a cidade a partir de janeiro tratou de situação tão grave. Longe do que poderia se chamar de devolução de miudeza, fruto de pequenos convênios e obras, também importantes e necessários para a cidade,  recursos são de obras vitais para o município, como a revitalização do rio Camaçari.


Face to Face 2 Ao tratar como uma simples postagem, em uma das suas 3 páginas existentes no facebook (Confira), o prefeito sinaliza um caminho que não é bom para a transparência da coisa pública.  Sem informar a imprensa, o alcaide que entra usou apenas uma de suas páginas nas redes sociais para registrar o encontro com dirigentes da Caixa Econômica,  principal financiador de obras públicas no município.


Face to Face 3 Postagem feita às 22h de sexta-feira (4), mesmo dia da reunião, não traz detalhes, muito menos  caminhos que a população precisaria saber, e que só poderiam ser esclarecidos através da imprensa.


Face to Face 4 A imprensa tem sua parcela de culpa ao não acompanhar a importante declaração, só resgatada na terça-feira (8), pelo site Camaçari Fatos e Fotos.  Independente da velocidade e da eficiência dos veículos de comunicação, assunto não poderia ser tratado deforma tão simplória.


Face to Face  5  O descaso com o dinheiro público não é nenhuma novidade na gestão do alcaide que se (es)vai. Marcada pela ineficiência administrativa e falta de apetite político, o governo do ex-petista e agora sem rumo partidário, Ademar Delgado, apenas segue seu triste e prejudicial roteiro até 1º de janeiro, quando passa a faixa para o sucessor. O que o alcaide que entra não pode é mostrar indefinição num momento de transição e expectativa.


Salto alto Mesmo pendurada e com os dias contados, a ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora da Cidade do Saber (CDS), continua fazendo das suas. A última manobra aconteceu tarde de segunda-feira (7), quando a direção da ONG tentou convencer funcionários demitidos a recuarem e aceitarem a proposta de manutenção do emprego. Sem dinheiro para pagar as indenizações dos empregados que ela mesmo mandou embora, a ONG ganha tempo e espera o repasse da prefeitura de Camaçari, responsável pela manutenção da quase totalidade dos seus gastos.


Salto alto 2 Durante reunião realizada na  tarde de segunda-feira (7), a diretora geral da ONG, Ana Lúcia Alves da Silveira, não só tentou convencer os demitidos a esperarem mais um pouco, como  assegurou que o projeto tem tudo para seguir no governo Elinaldo. Ainda segundo a manda-chuva da CDS, que diz ser amiga de políticos, empresários, gente da magistratura e até do alcaide de Salvador, espécie de ‘sobrinho’, o governo que entra não tem como tocar o programa Cidade do Saber sem a  ONG Instituto professor Raimundo Pinheiro. Garante que é a única habilitada no município e com ‘capacidade técnica e expertise’ para tal atividade.


Salto alto 3 Até o fragilizado alcaide que sai entrou na fatura. Encontro sugeriu uma manifestação na porta da prefeitura para cobrar de Delgado o pagamento dos repasses financeiros em atraso.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


9/11/2016

 





Sintonia

Sintonia  Continua indefinido o processo de montagem do governo do prefeito eleito de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM). Sinalizado, até agora, só a redução em quase pela metade das atuais 22 secretarias e estruturas com status de 1º escalão. O Camaçarico apurou que o desenho passa pelo rabisco que o prefeito eleito de Salvador, ACM Neto (DEM), fará na sua 2ª gestão. Processo unifica, dentro do possível, a atuação do Democratas e cria marca de gestão no estado, produto importante para a sucessão de 2018.


Sintonia 2 Mudanças com enxugamento da máquina foram acertadas por Elinaldo com o prefeito que sai, Ademar Delgado (sem partido). Acordo prevê o envio de mensagem pelo atual governo propondo as mudanças na gestão, com corte e rearrumação de secretarias e demais estruturas.


Sintonia 3 Projeto com as alterações deve ser votado e aprovado até 15 de dezembro,  quando começa o recesso parlamentar. A expectativa é que os nomes do novo governo já estejam confirmados. Nesse mesmo período termina o prazo para a votação do orçamento 2017.  Caso o pacote de Elinaldo não seja aprovado até o recesso, o alcaide que sai pode convocar o Legislativo e adiar as férias dos vereadores.


Funil  O nome do vereador Jorge Curvelo (DEM) caminha para a consolidação como o candidato de consenso para a presidência do Legislativo de Camaçari. Amigo pessoal e companheiro de legenda do prefeito eleito, Antonio Elinaldo, Curvelo conta hoje com a simpatia da maioria dos 10 vereadores eleitos pela base de Elinaldo (DEM, PSDB, PTB e PPS) e de parte dos outros 11, muitos em processo de adesão ao novo governo.


Funil 2 Também aparecem na disputa, ainda que com chances decrescentes, o também demista Junior Borges e o tucano Oziel Araújo. Expectativa é que definição da chapa aconteça ainda em novembro.


Funil  3 A futura oposição formada pelos 4 vereadores do PT e 1 do PCdoB, não deve sequer apresentar chapa na disputa. Com o processo de cooptação dos chamados independentes para a base elinaldista, eleitos pelo PR, PSB e PEN, oposição dificilmente encontraria o 6º nome necessário para formar chapa e marcar posição na disputa de 1º de janeiro, no plenário vereador Osvaldo Nogueira. 


Entulho  Mesmo com as tentativas de reativar e levar para seu comando toda a milionária gestão do lixo, a Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec) segue com todos os sinais de morte irreversível.


Entulho 2 Usada como cabide de emprego, inclusive para abrigar fantasmas, como já denunciou o Camaçarico em abril de 2015, nas notas ‘Forceps’ (Confira), empresa agora aperta a vida dos cerca de 120 funcionários ainda lotados nos seus quadros.


Entulho 3 Depois da suspensão do café da manhã para o pessoal que trabalha na operação do aterro e demais serviços que ainda funcionam na empresa, a Limpec cortou o cartão alimentação. O atraso pode virar regra e deixar de ser pago nesse final de gestão. O plano de saúde da operadora Unimed é outro benefício legal que os funcionários temem perder.


Socorro  Atraso nos pagamentos dos médicos e greve dos salva-vidas que atuam nos cerca de 40 quilômetros de praia de Camaçari. Os exemplos dão a dimensão do tamanho do desastre da gestão do prefeito que se vai.  


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


7/11/2016

 





tic-Tac

Tic-Tac O alcaide de Camaçari, Ademar Delgado (sem partido) tem 10 dias para se posicionar sobre o aumento do salário do seu sucessor, do vice, dos secretários municipais e dos vereadores eleitos para  o mandato 2017/2020. O prazo só começa a contar a partir da data de recebimento do documento, que deve ocorrer nos próximos dias.


Tic-Tac 2 Delgado vive provavelmente a última de uma série de encruzilhadas, marca de um governo regido pelas indecisões. Se veta o aumento faz a média com a população, mas não melhora sua popularidade nem em 1 milímetro. Se concorda, seja sancionando o aumento, ou deixando o prazo correr sem posicionar, numa espécie de apoio tácito, soma ponto com os vereadores que, coincidentemente, terão a missão constitucional de votar suas contas no próximo ano. A outra alternativa é promover mudanças parciais que exigiriam  novos acordos com a Câmara.


Tic-Tac 3 Como mostrou o Camaçari Agora (Confira), o reajuste foi aprovado em velozes sessões, terça-feira (1º), e implicou numa reposição de 40% para os 21 vereadores que assumem o mandato em janeiro de 2017. Apesar da justificativa de recomposição das perdas dos últimos 4 anos (2012/2015), cálculo pelo IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo), medida oficial da inflação, mostra que as perdas no período ficaram abaixo dos 29%.


Tic-Tac 4  Depois da pressão popular, nas redes sociais, nas ruas e na imprensa, o Ministério Público Estadual (MPE) entra no debate e quer detalhes. Mandou ofício cobrando informações sobre o projeto, ao presidente do Legislativo, o petista José Marcelino.


Tic-Tac 5  Documento com data desta quinta-feira (3), pede cópia da Lei Municipal que ampara o reajuste e a ata da sessão que aprovou o aumento. Assinado pelo promotor Luciano Pita, da Promotoria da Proteção da Moralidade e do Patrimônio Público, ofício dá prazo de 10 dias para resposta.


Tic-Tac 6  Campeoníssimo em impopularidade na história de Camaçari, o alcaide que sai ainda terá outra missão. Vai fazer o favorzinho de assinar e enviar para a Câmara a reforma administrativa com enxugamento da máquina municipal da gestão do alcaide que entra, o democrata Antonio Elinaldo. Esse é outro acordo que passa pelos vereadores e seus preciosos votos.


Tic-Tac 7 Os vereadores Junior Borges (DEM), Professora Patrícia e Téo Ribeiro (PT) continuam devendo explicações. Nem apareceram para votar, contra, a favor, ou se abster. Também apresentaram qualquer justificativa sobre a ausência e o que acham sobre o aumento. Apenas o vereador Otaviano Maia (PT) usou as redes sociais para justificar ausência, assim mesmo sem maiores detalhes.


Tic-Tac 8 O prefeito eleito e vereador até a manhã do dia da votação, quando renunciou ao cargo, Antonio Elinaldo, também escorregou, mas precisa dizer o que acha.


Tic-Tac 9 Mais transparente foi o vereador João da Galinha (DEM). Não só votou, como usou sua página pessoal no Facebook para dizer com todas as letras que foi pressionado e cedeu ao apelo dos colegas que tiveram a coragem de comparecer para votar pelo aumento de 40%. 


Desobediente Acostumado com a prática de erros de todos os tamanhos, a atual gestão de Camaçari   incorporou mais um pecado ao seu nada santificado mandato. Ao permitir a realização de evento organizado por igrejas evangélicas, na tarde/noite do último dia 28, na praça Montenegro, a prefeitura simplesmente impediu que a Igreja Católica realizasse sua tradicional missa noturna das segundas-feiras na sua Catedral, instalada no mesmo espaço.


Desobediente 2 Desconectada e longe do entendimento da boa convivência religiosa, a prefeitura simplesmente autorizou a celebração do  Dia Nacional da Proclamação do Evangelho, com licença para armação de palco e sistema de som sem consultar a agenda do ilustre e antigo morador.


Desobediente 3 Fontes da Igreja Católica ouvidas pelo Camaçarico consideraram o ato um desrespeito. Lembram que o palco foi instalado de frente para a porta principal da Catedral. Para piorar, as escadarias do templo católico foram aproveitadas como arquibancada para acomodação dos fiéis evangélicos.


Desobediente 4 Descuido do alcaide, tido como católico juramentado, pode levar mal estar até o Ministério Público Estadual (MPE). Grupo de católicos estuda a possibilidade de acionar os organizadores do evento por prática de intolerância religiosa.


Correção  O editor do Camaçarico descuidou ao omitir que Jamelão conquistou a 1ª suplência e agora assumiu de vez o mandato de vereador disputando pelo PTN, na coligação formada com o DEM, PPT e PTB, em 2012. Vitorioso no pleito de outubro, já pelo DEM, Jamelão cumpre mandato até dezembro de 2020.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


3/11/2016

 





Mau negócio

Mau negócio A capacidade de idealizar e realizar de forma conjunta, projetos, serviços e negócios capazes de fortalecer o micro e pequeno empresário são princípios do empreendedorismo que devem ficar de fora da 9ª edição da Semana Global de Camaçari. Diferente dos anos anteriores, evento marcado para os dias 21 a 27 de novembro, na Praça Abrantes, tem tudo para não atingir seus objetivos. 


Mau negócio 2 De um lado a prefeitura, através da secretaria de desenvolvimento econômico (Sedec), prepara sua  Semana Global, enquanto a Associação Comercial e Empresarial de Camaçari (Acec) e o Clube de Diretores Lojistas (CDL), parceiros em todas as  edições anteriores, organizam seu evento paralelo.


Mau negócio 3 O que deveria ser um evento de construção e fortalecimento do setor produtivo local, com cursos, atividades e exposição de produtos e serviços, caminha para confirmar uma disputa entre grupos políticos do atual alcaide, Ademar Delgado (sem partido), e do ex-prefeito Luiz Caetano (PT), antes aliados e hoje posicionados em campos diferentes.


Mau negócio 4 Racha num segmento que sempre encontrou dificuldades de congregar de forma crescente e  significativa o setor produtivo local, é mais um capítulo da falta de uma verdadeira política de fortalecimento da economia local.


Figurante  Depois de assistirem por quase 4 anos uma encenação de 5ª categoria, os produtores culturais e artistas de Camaçari esperam para meados de novembro a liberação dos cerca de R$ 500 mil para os 30 grupos artísticos com projetos aprovados nos famosos Editais de Projetos Culturais. Enrolado desde 2013, programa vira marca da fraca atuação do PCdoB a frente da secretaria da cultura do município (Secult).


Figurante  2 O que deveria ser uma ação rápida e dinâmica como exige as coisas da cultura, se transformou numa novela de incompetência. Encenação atrapalhada tem o Conselho de Cultura no destacado papel de coadjuvante.


Figurante  3 Eleitos para um mandato de 3 anos pelo voto das entidades de classe e sociedade organizada, a banda do conselho que deveria defender os interesses da comunidade artística e da produção cultural, segue com uma imagem desgastada.


Figurante  4 Graças a sua omissão e subserviência à Secult, estrutura se apresenta sem cara e respaldo para se cacifar como fórum qualificado nesse momento de transição entre a inegável tragédia ademariana e o governo que entra.


Figurante  5 Mais uma vez perde a cultura. Com maioria dos votos do conselho, o governo municipal chega em janeiro praticamente sem interlocutor capaz de ajudar no resgate, reforço e construção de um projeto cultural coletivo e participativo que realmente interesse a Camaçari.


Crescimento As igrejas cristãs de Camaçari dão mais uma aula de organização. Prometem para tarde/noite desta segunda-feira (31), grande evento de evangelização com fintensa programação artística. Celebração do Dia Nacional da Proclamação do Evangelho acontece na praça Montenegro, coração da cidade e endereço da Catedral de São Thomaz de Cantuária.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


31/10/2016

 





Figurinhas

Figurinhas Mudanças nas pastas da saúde, educação, finanças e planejamento, com implantação de gestões profissionais é caminho sem volta para o novo governo. O Camaçarico apurou que a adoção de um profundo programa de reestruturação da máquina municipal é consenso entre os grupos que venceram as eleições municipais em Camaçari. Uma dessas marcas é a redução das atuais 22 secretarias e estruturas com status de 1º escalão, para quase metade com a rearrumação da gestão em algo próximo de 13 pastas.


Figurinhas 2 Projeto promovendo essa reforma deve ser apresentado para apreciação, votação e aprovação pela Câmara de Vereadores, neste fim de governo pelo atual alcaide, Ademar Delgado (sem partido). Enxugamento tem o apoio até de gente com poder de influência na atual gestão. Oficialmente ninguém admite acordos entre o que sai e o gestor que entra, mas a boa vontade é sempre reconhecida em alguma escala na aritmética política.


Figurinhas 3 Também é senso comum entre aliados a escolha de quadros técnicos independente do CEP do convocado ser de Camaçari, Salvador ou qualquer outra cidade. O entendimento é de que população de Camaçari, com forte presença de migrantes, portanto sem essa de xenofobia, quer ver eficiência e resultados do novo governo. Discurso de desemprego com a contratação de gente de fora é obsoleto e cai por terra no atual e nos governos anteriores, inclusive  durante os períodos em que a atual aliança política comandou a cidade.


Contagem regressiva Depois do fecha não fecha das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Monte Gordo e Vila de Abrantes, outra bomba relógio pode explodir e causar ainda mais danos à população. A UPA da Gleba A, hoje a principal estrutura de atendimento de urgência, ao lado do Hospital Geral de Camaçari (HGC), dá sinais de descontrole. Unidade gerida pela ONG Instituto de Gestão e Humanização (IGH) começa a atrasar salário.


Contagem regressiva 2 Gerindo a UPA desde a sua inauguração, em novembro de 2014, o IGH não recebe apenas os cerca de R$ 1 milhão e 500 mil mensais para botar para funcionar a unidade da Gleba A. Além da nada convencional contratação para gestão da UPA, como mostrou o Camaçarico de 2 de junho (Confira),ONG também terceiriza médicos em outras unidades municipais. Contrato emergencial assinado no começo do ano garantiu a substituição do IGH pela Fundação Estatal Saúde da Família (Fesf-SUS).  Com valor mensal  de R$ 1 milhão, contrato vem sendo renovado e tem prazo fatal em novembro, 1 mês para o fim da atual gestão.


Contagem regressiva 3 Outra herança maldita que o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) vai herdar é a Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec). Com contas que nunca fecham, apesar do orçamento milionário, Limpec agora pune seus motoristas e outros prestadores de serviços com o atraso nos salários. Desde o começo da manhã desta quarta-feira (26) que cerca de 30 empregados estão de braços cruzados a espera do salário de setembro. Semana passada foram os fornecedores de máquinas responsáveis pelo recolhimento e compactação do lixo no aterro sanitário. 


Modelo axé  A Câmara de Vereadores aprovou e o prefeito sancionou a lei que oficializa o 17 de agosto como data oficial do ‘Xirê de Rua’. Graças ao atraso, filho do casamento entre Legislativo e Executivo, o ato religioso dos terreiros de candomblé de Camaçari acontece este ano em novembro. A manifestação será na tarde do dia 26 de novembro, na praça Montenegro e integra a programação do ‘Novembro Negro’.


Modelo axé 2  Forte e com grande simbolismo para as religiões de matriz africana, o ‘Xirê de Rua’ de Camaçari começa a ganhar novos terreiros. Vai participar da Semana da Ancestralidade, em Salvador. Pais, mães, filhos e a adeptos do Candomblé energizam a tarde do dia 18  de novembro no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), no Solar do Unhão.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


26/10/2016

 





Reciclagem

Reciclagem  Deve ficar para o futuro alcaide, Antonio Elinaldo (DEM), a nada desagradável operação final do novo contrato do lixo em Camaçari. Nova liminar expedida semana passada manda suspender mais uma vez o processo que se arrasta desde abril. Licitação continua sem finalização graças a movimentação das grandes 'caçambas' do setor. 


Reciclagem 2 Como mostrou o Camaçarico em maio (Confiracontrato dividido em 2 lotes e valor total de pouco mais de R$ 83 milhões, vai cuidar do serviço de coleta do lixo, entulho, limpeza pública e operação do aterro sanitário de Camaçari. O atual contrato no valor  anual de cerca de R$ 50 milhões, é executado desde 2010 pelo Consórcio  Abrantes Ambiental, formado pelas  empresas Revita Engenharia S.A. e Jotagê Engenharia, Comércio e Incorporações Ltda. 


Versão O governo do alcaide Ademar Delgado (sem partido) acaba de lançar seu livro de realizações e conquistas. Publicação com 82 páginas recheada por mais de 100 belas fotos, faz um balanço positivo e otimista dos quase 4 anos da gestão. Com versões eletrônica e impressa de 5 mil exemplares em policromia e papel de 1ª qualidade, publicação faz um breve passeio pelas ações do atual governo.


Versão 2 Destaca os programas de bolsas para estágio e esportes, o apoio ao combate à violência, a criação da orquestra pró-sinfônica, o programa habitacional, as melhorias na saúde e no desenvolvimento urbano. Cita o campus da UFBA, prometido para esse ano, mas ainda sem funcionamento previsto. Também faz conta de somar na rede municipal, que segundo a publicação conta atualmente com ‘cerca de 50 mil alunos’, quando o número real não chega a 40 mil. Otimista, põe o dedo até na instalação de indústrias e empreendimentos privados no município.


Versão 3 Um dos destaques do documento são os números da Cidade do Saber. Programa gerido pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro diz ter atendido exatos 50.383 alunos nos quase 4 anos da gestão de Delgado. Comparados com os cerca de 60 mil estudantes matriculados nas redes municipal, estadual e particular do município, o programa é quase um fenômeno. Ao confrontar os números de matriculados, apurado pelo Camaçarico, com a soma exibida pela publicação, a Cidade do Saber consegue atingir cerca de 80% de todos os alunos do município com idade para receber os benefícios dos cursos e outras atividades ministradas pelo programa.


Versão 4 Ainda de acordo com o breve balanço publicado na página 19 do documento, o programa mantido quase que na sua integralidade pelos cofres públicos municipais recebeu durante a gestão Ademar Delgado, exatos R$ 44.470.933,13  (quarenta e quatro milhões, quatrocentos setenta mil, novecentos trinta e três reais e treze centavos).   Íntegra da versão digital da  publicação (Confira).


Versão 5 O que a publicação não conta é que, justamente neste período, a Cidade do Saber começa a sofrer um intenso processo de investigação, com comprovações de gastos imoderados e descontrole nas finanças, pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Como já mostrou o Camaçarico, o programa também vem sendo investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE), Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho (MPF).


Versão 6 Coerente, a publicação não cita a Casa da Criança e do Adolescente. Equipamento que passa por reforma cosmética nos últimos meses é exemplo de descuido do atual governo com a política de inclusão e apoio à população mais carente. Desprezada desde o governo do antecessor, o programa continua longe dos 550 alunos anunciados pela prefeitura como beneficiados. Criado para ser um espaço de inclusão e acolhimento, a Casa da Criança segue com os serviços de terapia comunitária e atendimento psicossocial desativados. Descaso avança com a suspensão dos cursos de carpintaria e artesanato, e falta de material para as aulas de música.


Acelera  ‘Está apressado? Acorde + cedo’. O aviso, colado no interior de um dos ônibus do sistema de transporte coletivo de Camaçari, é muito mais que um desrespeito ao passageiro. Imagem mostrada pelo site Camaçari Notícias serve de alerta para que o futuro alcaide não durma no ponto e perca a passagem dada pelo eleitor.


Acelera 2  Prestes a fechar 4 anos em ponto morto, o programa de mobilidade urbana de Camaçari vai precisar de motorista competente. Não falta combustível legal para promover a mudança com a abertura de licitação para um transporte decente e com preço justo para a população. Cumprir o Termo de Ajuste e Conduta (TAC) dos transportes, exigido pelo Ministério Público Estadual (MPE), e sempre postergado pelo atual governo, é a marcha para sair da inércia.


Nova empreitada O empresário do ramo de carnes, Zé Rosa, é o prefeito eleito da cidade de Siriri, em Sergipe. Disputou pelo PSB e venceu o pleito com 3.335 votos (61,62%). Mesmo instalado desde o começo dos anos 1990 em Camaçari, Zé Rosa nunca perdeu os vínculos com sua cidade natal. Rosa havia tentado a cadeira de prefeito em 2012.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


24/10/2016 Atualização às 20h05

 





Recuo

Recuo O vereador e prefeito eleito de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), não vai mais renunciar ao mandato, como divulgou o Camaçarico. A informação postada na Coluna do dia 11 (Confira), após ouvir fonte ‘tamanho G’ do Democratas, nunca foi desmentida. Com a ‘renúncia da renúncia’, o suplente Jamelão, eleito dia 2 de outubro para um mandato de 4 anos, vai ter que esperar janeiro para assumir de vez a cadeira.  


Recuo 2 Para alegria dos aliados e tristeza dos adversários, cada vez em número menor, Elinaldo segue no plenário na incômoda condição eleitor privilegiado num Legislativo que não vive sem o afago da prefeitura.


Brastemp   O deputado federal Luiz Caetano (PT) comanda sessão lavagem de roupa suja, sexta-feira (21). A Coluna apurou que o café da manhã de avaliação da campanha eleitoral será no sítio da deputada Luiza Maia (PT), em Arembepe, orla de Camaçari. Para que o encontro, com as presenças confirmadas do deputado Bira Coroa e dos vereadores do partido, tenha objetividade, número de louças da mesa terá limite. Dessa vez o tradicional  'portas abertas' está suspenso.    


Magoado A experiência parlamentar e os 3 mandatos de alcaide não impediram que Caetano atropelasse o fair play da política. Mesmo sendo regra comum entre os que perdem, o petista evitou fazer qualquer manifestação pública sobre a derrota para Elinaldo, com o tradicional desejo de ‘sucesso ao vencedor’. Para não dizer que nada comentou, fez discurso genérico, semana passada, no plenário do Congresso, como se a derrota não fosse sua.


Estorvo  O governo do prefeito Elinaldo pode encontrar a Cidade do Saber encalorada a partir de janeiro. O contrato de locação com a empresa dona de 65% dos cerca de 100 aparelhos instalados nos 2 prédios do programa gerido pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, deve ser encerrado até o final do ano.  


Estorvo 2  Números que o Camaçarico teve acesso mostram que desde 2007, quando a Cidade do Saber começou a funcionar, o governo municipal, pagador de quase a totalidade das despesas do programa, desembolsou mais de R$ 500 mil com aluguel de sistemas de refrigeração. Com esse mesmo valor a Cidade do Saber poderia ter comprado cerca de 500 aparelhos  de 9 mil BTUs, nesses quase 10 anos.


Estorvo 3  Se serve de consolo, os novos ocupantes da Cidade do Saber não sentarão no chão. Graças a generosidade da empresa parceira, o mobiliário alugado foi doado e agora passa a integrar o acervo da instituição. A Coluna apurou que o aluguel dos móveis, na sua maioria mesas, cadeiras e armários, representou no mesmo período (2007/2016) um custo ainda maior que o meio milhão (R$ 500 mil) gastos com o aluguel de aparelhos de  ar condicionado.


Cubagem A Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec) manda recado para a Coluna e cobra o esquecimento do editor ao não listar a coleta de entulho proveniente de construções e outros descartes feitos pela população. Também lembra seu trabalho de coleta de resíduos de empresas do Polo industrial e a incineração de parte desse lixo e de materiais hospitalares.


Cubagem 2 A necessária correção da informação postada no Camaçarico do dia 13 (Confira) gera uma natural atualização. O programa de educação ambiental, apresentado pela Coluna como ‘acanhado’, está parado com a recente demissão da equipe de educadores. Apenas o gerente, apadrinhado político do grupo do alcaide, foi mantido. Descontrole na gestão avança com o atraso nos pagamentos e parada dos serviços de compactação do lixo no aterro sanitário, durante a terça-feira e parte do dia de ontem (19).


Facão  Sem nada mais para fazer, a não ser receber salário e desfrutar dos últimos banquetes do poder, a gestão do alcaide Adermar Delgado (sem partido) segue  ignorando as invasões em áreas de protreção ambientais (APA). Região de Arembepe é uma das mais graves situações de agressão.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php 


João Leite – Editor


19/10/2016

 





Caminhos

Caminhos A definição da política pública de assistência social do governo Elinaldo é um dos maiores desafios da equipe que assume o poder em Camaçari, a partir de janeiro. Botar ‘ordem na casa’, hoje sem definição e com conflitos gerados pela atuação paralela dos programas ‘Casa da Criança e Adolescente’, e ‘Cidade do Saber’, não vai ser missão para amador.


Caminhos 2 Quebrar essa lei da física que hoje avança para a destruição de uma dessas estruturas, ao mesmo tempo em que precisa fazer esses programas ‘paralelos’ se encontrarem é ação complexa que exige profissionalismo, compromisso com a cidade, e tempo. Seguramente não é tarefa pra gente que acha que fazer política social pública é praticar o velho e ultrapassado assistencialismo, como se estivesse fazendo um favor para a população mais carente. Novo quadro também exclui o controle desses programas por entidades, partidos ou qualquer estrutura comandada por segmentos religiosos. Exemplos nada exitosos de antigos gestores é outro critério de exclusão que o novo alcaide não pode deixar de levar em consideração.


Caminhos 3 O quadro caótico vivido pela política pública da assistência social em Camaçari, com forte raiz assistencialista, é filho crescidinho. Nasce na Camaçari dos anos 1980 com o Pólo Petroquímico. Vem de lá o descuido com o acolhimento e acompanhamento dessas famílias que migraram e/ou nasceram numa cidade que experimentou uma nova realidade econômica e de inchaço populacional provocado pelo boom da mais moderna indústria do planeta. De lá para cá, a situação só se agravou.


Caminhos 4 Mesmo com atraso de quase duas décadas, o Centro Integrado da Criança e do Adolescente (Cica), conhecida como Casa da Criança, chega para construir um trabalho de inclusão com fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.


Caminhos 5 Mais uma vez a política interfere de forma negativa e retarda a ampliação e fortalecimento de um importante projeto de inclusão da população com a implantação da Cidade do Saber. Com vistosa e moderna estrutura física, programa gerido desde sua criação, em 2007, pela ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, infelizmente não robusteceu o incipiente programa iniciado com a Casa da Criança.


Caminhos 6 Longe de fortalecer a política de acolhimento e inclusão da Casa da Criança, com atendimento psicológico, pedagógico, social e nutricional, inclusive com acompanhamento da família, a Cidade do Saber chega com uma falsa visão de modernismo e logo se mostra um belo escolão.  Seus importantes avanços com o Teatro Cidade do Saber (TCS), suas aulas, cursos e atividades nas áreas de artes e esportes, infelizmente não alcançaram a mesma proporção atingida por sua imagem midiática como centro de inclusão.  


Caminhos 7 Premiada Brasil afora, mas com nota baixa Camaçari adentro, a Cidade do Saber se transformou num exemplo de desperdício de milhões do dinheiro público com baixo resultado prático na melhoria efetiva da vida da população carente do município.


Caminhos 8 Processo de desmonte e de atraso na construção dessa política tem nome e sobrenome. O Conselho Municipal de Assistência Social, responsável pela fiscalização, controle e formulação de políticas públicas. Infelizmente, o conforto da condição de chapa branca transformou o colegiado, formado por maioria, em tese oriunda da sociedade civil, legitimou com sua letargia os equívocos da atual política pública de assistência social.


Caminhos 9 É bom lembrar que essa não é a fotografia apenas do Conselho de Assistência Social. Os demais colegiados como o de Cultura, de Educação e de Saúde também se transformaram em meros carimbadores das decisões da gestão municipal.  


Caminhos 10 É essa realidade que se depara o futuro alcaide. Precisa reconstruir uma política de assistência social, sem recuar nos avanços dos 2 projetos. Manter a Casa da Criança em funcionamento, com  melhorias urgentes na sua estrutura física e de atendimento aos seus alunos é missão para 1º de janeiro. Não deixar o programa Cidade do Saber parar com o inevitável e recomendável descarte da ONG gestora do programa, também na mesma simbólica data, é obrigação e caminho para quem pensa no futuro da cidade.


Caminhos 11 Qual o futuro desses programas. Vão continuar existindo, serão fundidos numa única estrutura, serão extintos para darem lugar a um novo programa. Essa é a discussão que o alcaide Elinaldo terá de construir com a sociedade. Assim como a saúde, a educação e as finanças, a política pública de assistência social é prioridade.


Caminhos  12 O alcaide que entra precisa entender que os altos índices de violência comuns nas grandes cidades como Camaçari, também é fruto da desigualdade fomentada pelas políticas sociais equivocadas adotadas nas últimas décadas. Sem isso, vamos seguir como as linhas paralelas.


Substituição O jornalista Lenielson Pita é o novo coordenador de comunicação da prefeitura de Camaçari. Assume o posto no lugar do jornalista Rogaciano Medeiros que ocupava o cargo desde meados do 2º governo  do petista Luiz Caetano (2007). Pita, que já integrava a equipe, deve permanecer no comando da ascom até 31 de dezembro, quando termina a gestão do alcaide Ademar Delgado (sem partido).


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php 


João Leite – Editor


17/10/2016

 





Pendurado

Pendurado O deputado federal e 3 vezes prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), está cada dia mais perto do fim da sua carreira política. Decisão de quarta-feira (11), do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), em 2ª Instância, colegiado formado por mais de 1 juiz, torna o político inelegível por 8 anos, até 2022. Confirmação do julgamento da Justiça de Camaçari (Confira), pelo TJ-BA, também mantém a punição que obriga o ex-gestor e a direção da Fundação Humanidade Amiga (Fhunami) a pagarem, cada um, cerca de R$ 450 mil de multa e ressarcimento aos cofres públicos com recursos próprios.


Pendurado 2  O então prefeito Luiz Caetano foi acionado pelo Ministério Público Estadual de Camaçari (MPE) por uso irregular de recursos públicos na contratação da Fhunami, para confecção de mochilas escolares. Na tentativa de evitar uma decisão negativa antes do pleito de 2 de outubro, diante da robustez das provas, conseguiu o adiamento do julgamento. Sua defesa usou o incomum recurso do atestado médico, como noticiou com exclusividade a Coluna Camaçarico (Confira).


Pendurado 3 Caetano vai recorrer da decisão ao próprio TJ-BA e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Com essa condenação, a situação política do ex-alcaide fica ainda mais complicada. Outra ação, considerada consistente e que acelera o processo de metástase política de Caetano, é movida pelo Ministério Público Federal (MPF) e já  na mesa do ministro Celso de Mello do Supremo Tribunal Federal (STF).  O ex-alcaide é acusado de superfaturar obras de recuperação de escolas, com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), durante sua 2ª gestão (2009/2012). 


Entulho  Condenada a extinção pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) desde o 3º governo Caetano (2009/2012), a Empresa de Limpeza Pública de Camaçari (Limpec) é um dos testes da alardeada qualidade na gestão, vendida pelo alcaide eleito, Antonio Elinaldo (DEM). Mesmo sem varrer 1 metro quadrado de rua e funcionando apenas como container seguro e caro para diretores, assessores, funcionários fantasmas e aspones, a Limpec segue cheia de padrinhos interessados na sua manutenção.


Entulho 2  Esvaziada e responsável apenas pela gestão do aterro sanitário e de um acanhado programa de reciclagem e educação ambiental, Limpec deve ficar ainda mais desidratada com a entrada em operação do novo contrato do lixo. Adiado por uma caçamba de ações na Justiça, novo formato do contrato do lixo também retira da empresa a gestão do aterro.


Entulho 3 Usada nos últimos anos apenas para pagar gordos salários, bancar candidaturas eletivas, e até sediar cultos religiosos, a Limpec não tem outro destino senão o caminhão compactador. A não ser que a gestão do alcaide que entra resolva fazer uma falsa reciclagem queimando dinheiro público.


Velha fórmula Mesmo sem o início da transição oficial entre o prefeito que sai e a gestão que chega, prevista para  a próxima semana,  a Coluna apurou que as conversas seguem avançadas e generosas entre os grupos. Oriundos do Legislativo, o alcaide eleito e seus articuladores aliados já sinalizam uma gestão preocupada com o agrado aos vereadores.


Velha fórmula  2 Ceder ao jogo da manutenção dos cargos em troca de votos no plenário pode custar caro para quem alardeia novos tempos de eficiência, redução da máquina e direcionamento dos gastos para aplicação onde a população realmente necessita.


Só o começo  A declaração do vereador Doutor Elias Natan, ao radialista Roque Santos,  da Rádio Sucesso FM, na manhã desta quinta-feira (13), não deixa dúvidas  de que  ele e seu colega de PR, Gilvan Souza, já  estão fechadinhos com o prefeito Elinaldo. “Com certeza iremos apoiar o governo nos projetos e ações que promoverem melhorias para nossa cidade. Mas, quando for algo que não concordarmos e vermos que o povo será prejudicado, seremos contra. Assim como fomos no atual governo”, disse Natan. Com as adesões, conta oficial soma 12 vereadores. Os 10 restantes  são os 6 do DEM, 2 do PSDB, 1 do PTB e 1 do PPS.


Desconfortáveis Pode perder a aposta quem imaginar contar com os vereadores Jackson Josué (PT) e Binho do 2 de Julho (PCdoB) na bancada radical da oposição ao governo Elinaldo. Mesmo escanteados pelos comandos partidários no processo eleitoral, Jackson e Binho brigaram, se superaram e atropelaram seus concorrentes classificados como puros sangues. Como gato escaldado tem medo até de água fria, dupla busca agora fortalecer suas bases com a manutenção dos trabalhos comunitários que passam pelo apoio da máquina municipal.


Passageiros A Coluna informa que os senhores Zé de Elísio (PMN), Maurício Bacelar (PTN) e o ex-petista e agora sem pouso partidário Ademar Delgado, já seguiram na barca de Hades para o mundo dos mortos da política. Comandada pelo ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano (PT), embarcação também transporta outros falecidos menos ilustres no pleito de 2016.


Passageiros 2 Fora do convés e sem direito a vista para o rio Camaçari, lista se completa com a doutora Jailce Andrade (PCdoB), o radialista Marco Antonio (PRP), o empresário Fábio Lima (PSL), e o advogado e ex-Limpec, Luiz Macedo (PSB). Em compartimento separado, mas com poucas chances de saltar do barco, e voltar  para o mundo dos vivos da política, estão os futuros ex-vereadores Otaviano Maia (PT), Oto da Farmácia (PSB), Professora Patrícia (PT) e Wilton de Ferrinho (PMN).


Passageiros 3 A função de assistente do timoneiro Caronte, personagem da mitológica embarcação, será de grande valia para o ex-alcaide Caetano. Terá o privilégio de visualizar de outro ângulo as obras inacabadas do rio que tanto festejou e hoje serve de caminho para seu transporte para um futuro incerto e perigoso. 


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


13/10/2016

 





Novo tempo

Novo tempo O vereador licenciado e prefeito eleito de Camaçari, Antonio Elinaldo (DEM), deixa de vez o Legislativo. A despedida deve acontecer na sessão desta terça-feira (11). Vai se dedicar em tempo integral ao processo de montagem da sua equipe de governo e da transição com o atual alcaide, Ademar Delgado (sem partido).


Novo tempo  2 Com a renúncia de Elinaldo,  o suplente  Jamelão (DEM),  assume o mandato.  Eleito para a 6ª vaga da legenda, com 1.605 votos, Jamelão segue na cadeira de titular até dezembro de 2020.


Funil  O DEM não admite oficialmente, mas o  nome do vereador Jorge Curvelo ganha força na disputa pela presidência do Legislativo (2017/2018).  O outro nome da legenda é Junior Borges. Completam a disputa na base aliada os vereadores  Oziel Araújo (PSDB) e Zé do Pão (PTB).


Expectador  Com apenas 5 das 21 cadeiras, oposição formada pelos 4 petistas e 1 comunista, caminha para a arquibancada. Sem os 6 nomes para formar chapa, os governistas passam a condição de plateia de um filme que dirigiu e protagonizou nos últimos 12 anos.


Ajuste  O rompimento do contrato com a ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora do programa Cidade do Saber, faz parte das primeiras canetadas do novo alcaide. A Coluna apurou que o contrato, com finalização em março de 2017, deve ser encerrado imediatamente, caso o prefeito eleito não consiga que o atual gestor faça esse favorzinho, até dezembro.


Ajuste 2 Programa de apoio à população com cursos e atividades de artes, esporte e lazer não será interrompido. Gestão e operacionalização passa  para a responsabilidade direta da prefeitura. Como antecipou a Coluna, o novo prefeito garante que o contrato com a ONG, iniciado em 2007, passará por uma auditoria. Em quase 10 anos, o programa Cidade do Saber recebeu mais de R$ 70 milhões dos cofres públicos. 


Ajuste 3 Derrotados nas apostas das candidaturas Luiz Caetano (PT) e Jailce Andrade (PCdoB), padrinhos da direção da Cidade do Saber, começam a arrumar as malas. Funcionários informam ao Camaçarico que tem sido intensa a movimentação dos comandantes da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, inclusive com trabalhos noite adentro.


Alívio  Agora é esperar janeiro para que o suplente de deputado estadual no exercício do mandato, Bira Coroa (PT), assuma de vez a vaga como  1 dos 63 titulares da Assembleia Legislativa da Bahia. Primeiro suplente da coligação, Bira Coroa e outro companheiro de coligação passam a condição de titular com a eleição dos deputados Rogério Andrade (PSD), eleito prefeito de Santo Antonio de Jesus, e Robério Oliveira (PSD), novo alcaide de  Eunápolis.


Alívio 2 Situação tira a desconfortável situação de dependente da caneta do governador Rui Costa (PT) na nomeação de parlamentares para o 1º escalão do governo. Nova realidade não apenas acaba a manobra que mantinha Coroa pendurado na titularidade. Também fortalece Coroa nesse momento de redefinição na estrutura petista para a disputa de 2018, com a derrota de Caetano em Camaçari.


Abrigo  O gabinete do vereador eleito, Binho 2 de julho (PCdoB), deve ganhar reforço da cúpula do partido no município. Expectativa é que dirigentes desalojados da pasta da cultura (Secult) e de outras estruturas da máquina municipal, com a posse de Elinaldo, sejam aproveitados na cota de assessores e servidores a disposição do gabinete do comunista.


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


10/10/2016

 



Anterior | |1| 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 | Próxima

Encontrado(s): 522 registros

Listando página: 1

Resumo das Novelas



inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2016 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL