Busca:

  Notícia
 
Camaçarico Retrospectiva-2017


Janeiro


O ano de 2017 começa começa com a Coluna antecipando a contratação emergencial de empresa para serviços de coleta e limpeza das ruas de Camaçari. O Camaçarico apurou que o contrato emergencial, com valor mensal entre R$ 5 e R$ 6 milhões, terá 3 meses de duração. Lixo em Camaçari envolve mais de R$ 80 milhões. Operação também foi antecipada pela Coluna (Confira) 


A edição de 4 de janeiro conta um pouco da história dos alcaides de Camaçari, cidade governada por apenas 5 prefeitos eleitos em 3 décadas (Confira) 


Ainda em janeiro, a Coluna mostra que começou frio o encontro da  empossada secretária de desenvolvimento social, Simara Ellery (PPS), com técnicos da pasta. Esposa do ex-prefeito  vem de uma Sedes com gestões desastrosas de Jailce Andrade, no 3º governo Caetano, e da dupla Hélio Santos e Mozart Vivas, no governo Ademar (Confira) 


A herança da secretaria de cultura  da gestão Ademar  foi notícia na coluna de 9 de janeiro. Na mesma edição a Coluna  lembra o triste aumento  dos registros de assassinatos em Camaçari. (Confira)


Os erros do alcaide Elinaldo ao nomear filhos de ex-prefeitos aliados  atropelam o discurso do  ex-opopsicionista e agora  dono da caneta (Confira)


A operação  de troca A ONG Associação Educativa e Cultural de Camaçari, mantenedora da Faculdade Metropolitana de Camaçari (Famec), pelo Instituituto Professor Raimundo Pinhiero no comando do programa Cidade do Saber foi denúncia da Coluna. Ainda na mesma edição a Coluna cita a liberação de cerca de R$ 2 milhões e 500 mil para a ONG que o alcaide Elinaldo tanto reclamou.


Na mesma edição o Camaçarico denuncia o uso irregular de recursos  na secretaria da cultura. A Coluna teve acesso a parte desses documentos. Com datas de 2013 e 2014, portanto nos 2 primeiros anos da gestão de Delgado, recibos apresentam a Secult como fonte pagadora e valores que variam de R$ 5 mil a R$ 500. (Confira)


A necessidade de  gestões equilibradas com respeito aos movimentos sociais e religiosos, tanto no Executivo, como no Legislativo, foi tema da Coluna de 16 de janeiro.


A Coluna também mostra o festival de contratações de apadrinhados do ex-prefeito Caetano (PT)  para o Hospital Geral de Camaçari (HGC) e outras estruturas controladas pelo governo do aliado Rui Costa.


O atraso nos salários  dos médicos pela ONG Instituto de Gestão e Humanização (IGH) foi outro destaque da edição. (Confira)


Sem fugir a regra, o 1º mês da nova gestão também teve nomeação do genrão do alcaide Elinaldo (Confira)


A nova gestão chega com o risco de acidente no Teatro Cidade do Saber (TCS). Denúncia cita equipamentos de segurança fora de especificações. (Confira) 


Já o interventor da Cidade do Saber  chega em modo analógico, passa atestado de descuido e apanha da ONG que comandava o programa. (Confira)


Fevereiro


O 2º mês do ano começa com notícias  sobre o antigo cinema de Camaçari que deve virar espaço multi-eventos, inclusive com projeção de  filmes. Abandono de importantes marcos históricos da cidade é briga antiga e solitária do Camaçarico. O mau uso de carro pago pelo município, flagrado em excesso de velocidade,  foi denunciado pelo Camaçarico. A prefeitura contestou, mas a emenda saiu pior. (Confira) 


A polêmica sobre o fechamento da Feira de Camaçari para realização de reformas necessárias e o estilo Elinaldo. (Confira)  


O retorno da ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro ao comando da Cidade do Saber, dcidido por medida liminar da Justiça, complica ainda mais a situação do programa de  apoio a jovens através de cursos e atividades de cultura, esporte e lazer. (Confira)


A Coluna mexe em mais um vespeiro ao questionar, como é da sua função e obrigação, a titularidade da subsecretaria de cultura de Camaçari. Disputa pelo cargo envolve o ex-prefeito e atual vice, José Tude (PMDB) e o vereador Jorge Curvelo (DEM). (Confira)


Fevereiro fecha com a gestão atestando distantância das novas tecnologias da comunicação. Na era analógica, o alcaide Elinaldo segue apanhando feio nas mídias sociais. Alerta não faltou. (Confira) 


Março


O triste mapa da violência em Camaçari abre março. Os bairro Verde Horizonte, Parque Verde e o Nova Vitória  disputam o título de mais violentos. Na mesma edição a Coluna desvenda o mistério do subsecretário de cultura. (Confira) 


O presidente do Legislativo de Camaçari, vereador Oziel Araújo (PSDB), terminou ficando no impedimento e levou cartão amarelo na disputa por aplicação de aumento para  os 21 vereadores. Já o alcaide Antonio Elinaldo recuou antes de levar cartão.


Estrangeiros recém-empossados na cidade, os secretários de serviços públicos e da infraestrutura são convidados a conhecer o centro de Camaçari (Confira)


Depois da 2ª derrota em Camaçari, o governador Rui Costa corre atrás do prejuízo, fala em sapato novo, mas prepara uma meia-sola na Via Cascalheira. Gestão do alcaide  Elinaldo caminha para fechar o 3º mês sem apresentar a tão alardeada auditoria sobre os desmandos do governo Delgado. (Confira)  


O velho ditado ‘primeiros os meus’ vem sendo seguido pelo ex-prefeito de Camaçari, deputado federal Luiz Caetano.  Preocupado com o futuro da família nesses tempos de adoecimento econômico e desemprego, o petista  assegurou logo o remédio no Hospital Geral de Camaçari para imunizar os seus. (Confira) 


A Coluna antecipou a suspensão da distribuição do peixe da Semana Santa para as cerca de 100 mil pessoas atendidas pelo Bolsa Família em Camaçari. O abandono do  Horto de Camaçari também foi destaque na edição  de 23 de março. (Confira)


A ONG Instituto professor Raimundo Pinheiro segue queimando patrimônio do município. Coluna denuncia  venda de veículos que  deveriam integrar o patromônio público. (Confira)


Março fecha com o anúncio de mais uma geradora de energia a partir da queima de derivados de petróleo. Mesmo  com aval técnico,  Camaçari  ganha empregos e mais poluição com a 3ª termelétrica. (Confira)


Abril


Quatro meses depois de empossada, a secretária de educação, professora Neurilene Martins, segue sem conhecer o projeto escolar  Pomar Encantado. Unidade  instalada no Parque Real Serra Verde, apesar do muito verde, é  um deserto em estrutura pedagógica.


A gastança com  os  recursos do Fundo de Cultura foi notícia na Coluna  de 4 de abril. Dia da Capoeira foi um verdadeiro ‘rabo de arraia’ nos cofres públicos. (Confira) 


Governo completa 100 dias e  não mostra avanços na área social. Casa da Criança e do Adolescente é uma dessas marcas do desprezo. (Confira) 


A Coluna critica a falta de transparência na divulgação dos salários dos secretários e das vantagens incorporadas de alguns colaboradores do governo. O debate sobre supersalários dos servidores de Camaçari é conta escondida na caixa preta do Instituto de Seguridade do Servidor Municipal (ISSM).  (Confira)


As intensas ligações da ONG  Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP) com a secretária de educação  só se ampliam e mostram  situações nada comuns para um gestor público. Denúncia da Coluna de 24 de abril começa a exibir essa intensa relação. (Confira) 


Maio


O caso das mochilas gigantes de Jequié têm antecedente em Camaçari. A Coluna conta o mico da Ford com a distribuição de mochilas inadequadas para os pequenos estudantes da rede municipal do município.  (Confira)


Depois de 10 anos sustentando o título de ‘Capital da Dança’, Camaçari perde o posto para Salvador. Mudança  também interfere no projeto que permite a estudantes carentes do município estudarem na escola de Ballet Bolshoi. (Confira)


O Comitê Institucional de Segurança Pública (CISP), é notícia  em maio. Formado desde 2015 pela prefeitura de Camaçari, Polícias Militar e Civil, Igreja Católica (Diocese de Camaçari), Conselho de Ministros Evangélicos de Camaçari (Comec), terreiros de camdomblé e Clube de Diretores Lojistas (CDL), o CISP pouco avanço mostrou. (Confira)


O 'fake newes' com manipulação de informações e adulteração de conteúdo de veículos eletrônicos de Camaçari foi denunciado pela Coluna de 25 de maio. (Confira) 


Coluna  fecha maio com antecipação de projeto de flexibilização das relações trabalhistas com a adoção do Reda (Regime de Direito Administrativo) para contratação de servidores no município. (Confira) 


Junho


Mês começa com o despertar da oposição. Depois da denúncia do Camaçarico, a bancada antigovernista na Câmara de Vereadores de Camaçari acorda e promete votar contra a criação do Reda para seleção de servidores no preenchimento de vagas na prefeitura. (Confira)


Mais uma vez Camaçari é notícia. Números passam longe  da capacidade de gerar emprego, renda e novas tecnologias. O município sede do maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul é destaque na lista dos 30 mais violentos do país.


Equívocos do atual governo premiam  ex-gestores da  ONG Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestora até março deste ano do programa Cidade do Saber. Grupo de privilegiados abocanhou 25% de todo o dinheiro destinado ao pagamento das indenizações. (Confira)


Em junho a Coluna antecipou a mudança do SAC do centro  da cidade para o shopping Boulevard. Tranbsferência não agradou comércio da região, mas foi festejado pelo centro de compras que ganha importante equipamento e gordo aluguel. (Confira)


E o projeto cartão de ponto chegou em junho com  cara de que nunca será aplicado. Controle de frequência  esbarra em detalhes burocráticos que só beneficiam quem não tem como prática o trabalho e a presença no posto de serviço (Confira)


Coluna  cobra ações concretas que justifiquem a mudança da denominação de Praça da Simpatia para Praça Doutora Lúcia Eugênia, no bairro da Bomba. Coluna de  29 de junho pode ser republicada sem necessidade de altarações, tal a sua atualidade. (Confira)


Julho


 A música sertaneja abocanhou a grande fatia dos cachês do São João de Camaçari. Só a paranaense Naiara, dona do sucesso ’50 reais’,  faturou  30% mais que os baianos Saulo e Pablo. Coluna de 4 de julho também lembrou aburaqueira da avenida Jorge Amado, principal entrada da cidade, e a insensibilidade da secretária Joselene Cardin.  (Confira) 


A confusão conceitual e os consequentes riscos das declarações da secretária da cultura, Marcia Tude, sobre a Casa da Criança e do Adolescente de Camaçari, não passaram  em branco. O Camaçarico de 11 de julho registrou. (Confira) 


A disputa na TV Câmara (canal 53) com grandes o prejuízos para a população, foram do ar desde fevereiro,  foi destaque do Camaçarico de   de 14 de julho. Greve, feriadão e falta de diálogo deixam sem aula cerca de 40 mil alunos de 99 escolas do município. (Confira)


Agosto


A lua de mel entre comerciantes da Feira de Camaçari e o alcaide Elinaldo acaba com ação na Justiça. Permissionários, acostumados com o  custo zero,  pedem na Justiça a suspensão da taxa  de condomínio.


A Filarmônica 28 de Setembro espera ajuda para o desfile de aniversário da cidade. Conjunto criado em 1991 segue a partitura do descaso com as tradições culturais da cidade. São destaques na Coluna de 2 de agosto. (Confira) 


'Maior infrator' foi o título da Coluna de 4 de agosto, que denuncia o descaso com  R$ 4 milhões de recursos federais que  deixaram de ser aplicados pelo governo do ex-petista e depois sem partido, Ademar Delgado. Descaso tem as marcas dos ex-gestores da Sedes, Hélio Santos e Mozart Vivas. (Confira) 


Atolada em irregularidades, as obras de  reurbanização da Bacia do Rio Camaçari, parada desde o começo de 2016, não devem recomeçar antes de 2018. Coluna  apurou  diferença de R$ 38 milhões. Caso vem sendo denunciado pelo Camaçarico. (Confira) 


Camaçarico de 13 de agosto comenta os riscos de aposentadoria precoce do ex-alcaide Luiz Caetano, diante da enxurrada de processos e pend~encias com a Justiça. (Confira) 


A pressa da atual gestão em apagar atos de vandalismo  na  antiga estação de trens foi comentada pela Coluna de 21 de agosto. Pichacões contra o prefeito ACM Neto, logo apagadas, mostraram velocidades diferentes para obra de restauração do patrimônio e limpeza de propaganda negativa contra aliado. (Confira)   


Setembro


A ação dos grupos políticos de oposição e a greve dos professores ajudaram a tirar o brilho do desfile de 7 de Setembro na Gleba E. Festa cívica também mostrou o desgaste do alcaide, como registrou com exclusividade o Camaçarico, obrigado a deixar o desfile pelos fundos do palanque, quebrando assim  a tradição do encerramento da festa. (Confira)  


O Camaçarico 15 de setembro destaca o abandono de Jauá e sua marca principal, a escultura metálica do papagaio que batiza o povoado.


A apreensão, reboque e multa do veículo oficial a serviço do vereador Junior Borges também foi destaque da Coluna. O Camaçarico lembrou o aleijão do uso do bem público para  atender interesses particulares.  (Confira)


A falta de um discurso afirmativo contra a violência e a pouca ajuda do governo do estado foi notícia na Coluna de 21 de setembro.  As 13 mortes registradas no município após o assassinato de um policial militar foram tratadas como mais um caso de violência.


Coluna também lembra os 39 anos da Limpec e sua gastança do dinheiro do contribuite para  não varrer nem 1 metro quadrado de rua. (Confira) 


O mês de setembro  encerra com o anúncio do sepultamento da Semana Global do Empreendedorismo de Camaçari. Importante evento de construção e reforço do comércio local, com transações, cursos e lazer ficou em 9 edições. Pá de cal tem o DNA da prefeitura  (Confira) 


Outubro


A mamata do subsecretário da administração, Carlinhos Matos, pouco presente no posto, foi denunciada pela Coluna de 10 de outubro. Ex-vereador e candidato derrotado pelo DEM na disputa de 2016 para prefeitura de Riachão do Jacuípe, Carlinhos é mais um acerto da política miúda comandada pelo agora alcaide Elinaldo que tanto criticou. (Confira) 


Camaçari é 4º lugar no ranking das cidades onde se matam mais jovens com idades de 12 a 18 anos no Brasil. Notícia postada na semana em que se comemora o Dia das Crianças é mais um alerta que prefeitura e governo do estado não querem ver. (Confira)


Depois de Busca Vida, a praia de Guarajuba  entra no circuito da segregação. Sem controle sobre ação dos condomínios que privatizam o espaço público, prefeitura segue o figurino 'Polo Ralph Lauren' dos antecessores. (Confira) 


Governo soma 290 dias e não exibe nenhum sinal concreto e oficial de recuperação e requalificação do centro antigo do município. Com quase 10 meses de governo a população continua sem saber qual o destino da antiga estação de trens, do antigo cinema e qual função terá o casarão que abrigou as sedes da Prefeitura e Câmara de Vereadores. (Confira) 


Nem a avenida Luis Eduardo  escapou da falta de controle de qualidade da secretária  de infraestrutura. Via requalificada foi inaugurada com postes de sinalização instalados na ciclovia. (Confira)


O projeto de construção do novo Fórum de Camaçari é outro exemplo do descuido e da falta de entendimento entre prefeitura e  Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), responsável pela obra. Desencontro gerou prejuízo para pedestres, em especial para cadeirantes e portadores de necessidades especiais. (Confira)  


O ano de 2017 está indo sem respostas sobre a denúncia feita pelo Camaçarico no final de outubro. Quase 9 meses depois de receber consistente denúncia da sua própria Procuradoria, sobre o comportamento funcional da servidora comissionada Adriana do Nascimento Guedes, o alcaide Antonio Elinaldo (DEM) segue como se nada estivesse acontecendo. (Confira)


Novembro


Como mostrou a Coluna no começo do ano, parceria entre a secretária de educação e sua antiga parceira, a ONG Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP), só faz crescer. Convênio de quase R$ 800 mil entre prefeitura e ICEP é a mais recente demonstração de fortalecimento de vínculos. (Confira)


Na mesma edição, o Camaçarico denuncia e lamenta o fechamento da biblioteca Jorge Amado. Mesmo  justificando que nada mudou, transferência do acervo da maior biblioteca do município da sua sede própria, na avenida 28 de Setembro, para a Cidade do Saber, mexe com identidade e centraliza quando o caminho é justamente criar novos espaços. (Confira)  


O projeto de  redução de benefícios dos servidores  de Camaçari,  aprovado pela Câmara de Vereadores, foi notícia no Camaçarico de 8 de novembro. Coluna antecipou o pacote de cortes.


Conta feita pela Coluna mostra que a nomeação da esposa do vereador (DEM) licenciado da Câmara de Salvador e atual secretário de turismo e cultura da capital, Claudio Tinoco,  em Camaçari, não pode sair com salário baixo.


Na mesma edição o Camaçarico mostrou que a oposição saiu chamuscada com o  3º incêndio registrado este ano na secretaria de infraestrutura.  Parlamentares e articuladores  políticos do PT e PCdoB dormiram 3 dias com o cheiro de fumaça, para só na segunda-feira (5), baterem na porta da secretaria da SSP.  (Confira)


As dificuldades do alcaide Elinaldo de comandar seus aliados mais próximos só  trouxe  problemas  e desgastes em 2017. O caso  da contratação  de 3 irmãos e do cunhado pela Câmara de Vereadores de Salvador  foi denunciado pela Coluna. (Confira)


O desmonte da atual composição do Conselho de Cultura de Camaçari é roteiro antigo. Coluna mostrou que estrutura que deveria fiscalizar e propor não  passou de mero espectador sentado na última fila. (Confira)


Coluna de 23 de novembro mostra o tamanho da dívida ativa de Camaçari. Herança, fruto de débitos tributários e não tributários deixada pelo ex-alcaide Ademar Delgado é mais uma peça que desconstrói a fama de hábil nas finanças e na gestão da coisa pública. (Confira)


Mal assessorado, o alcaide Elinaldo passou longe das comemorações em defesa da consciência negra. Esqueceram de informar que ele é negão, veio da base da pirâmide social e econômica e governa uma cidade com maioria afrodescendente. (Confira) 


O Camaçarico fecha novembro com informações nada animadoras para o governador Rui Costa. Números de pesquisa feita pela banda governista ligada ao governo do estado, que a Coluna teve acesso, também mostram desconforto para o prefeito de Camaçari. (Confira)


Dezembro


Camaçarico começa dezembro antecipando o troca-troca e os novos titulares das pastas do desenvolvimento social, habitação e esportes. O empréstimo junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) foi outra informação antecipado pela Coluna. (Confira)


Coluna também comentou sobre a escolha da ex-vereadora Janete Ferreira, que deixa a Limpec e assume  a secretaria de desenvolvimento social e cidadania (Sedes). O desaparelhamento de toda a rede de serviços e programas coordenados pela Sedes é  sua missão. (Confira)


Depois de ver minguarem seus planos de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa o vereador Oziel Araújo (PSDB) quer  garantir seu direito de disputar a reeleição para a presidência da Câmara. Plano B passa pelo aliado Jorge Curvelo, jurado como o sucessor no projeto de alternância no comando do Legislativo, biênio 2018/2020. Ajuste é mais uma dor de cabeça para o prefeito. (Confira)


Confira todas as Colunas acessando o link    http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite - joaoleite01@gmail.com (Editor)


27/12/2017

Mais Notícias

Polícia recupera instrumentos musicais de Caetano Veloso
Prefeitura proíbe metrô de cortar bambuzal do aeroporto
Números de acidentes e mortes em rodovias caem em 2017
Servidor da Câmara e do Supremo recebem 13º antecipado
Governo Temer deve gastar R$ 30 bi para aprovar Previdência
Caixa quer aumentar para R$ 87 mil o salário de diretores
Camaçarico 19 de janeiro de 2018
Testemunha do caso Transpetro é assassinada em Candeias
Moro acaba regalias de Cabral com transferência para Curitiba
O Supremo Federal e o polêmico sorteio dos processos


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2018 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL