Busca:

  Notícia
 
Camaçarico 18 de janeiro de 2017


Entulho  Corre grande risco de perder a pule quem apostar no cumprimento do prazo para a finalização da licitação do sistema de lixo de Camaçari, prometido para março pelo novo governo. Além da prorrogação do contrato emergencial com custo mensal de R$ 5,8 milhões, com a Naturalle Tratamento de Residuos Ltda, prefeitura pode até engordar esse valor. 


Entulho 2 A justificativa para o aditamento do atual contrato com a Naturalle vem do problemático Aterro Sanitário. Segundo informação oficial divulgada pela nova gestão da Empresa de Limpeza de Camaçari (Limpec), responsável pelo equipamento, a desativação do incinerador de lixo hospitalar, sem funcionar há 3 meses, causou o acúmulo provisório de perigosos descartes vindos de clínicas e hospitais da região, em área do aterro destinada ao lixo comum. 


Entulho 3 Técnico da Limpec ouvido pela Coluna garante que a ‘Célula-4’ do Aterro Sanitário, única em operação, está no limite da sua capacidade. Se está abarrotada, a solução pode ser a construção de nova ‘Célula’, de forma imediata e emergencial para tirar o sistema de lixo de Camaçari do buraco. A contaminação do aterro com lixo hospitalar, altamente perigoso para saúde humana e meio ambiente é outra consistente justificativa, diz a mesma fonte.


Entulho 4 Sobre a prorrogação do contrato emergencial com a Naturalle, o Camaçarico apurou que dificilmente uma licitação, ainda não lançada pela prefeitura, se finalize em prazo tão apertado de pouco mais de 2 meses. Adiamentos causados por recursos das empresas concorrentes são comuns nesses processos e estão previstos na Lei das Licitações (8666/93). 


Entulho 5 Disputa de tão gordo filão tem histórico de abalroamento de ‘grandes caçambas’ do setor. Competição por um serviço de mais de R$ 80 milhões soma novos capítulos e adiamentos desde maio do ano passado, como vem informando com exclusividade a Coluna (Confira). Cumprimento desse cronograma recorde só se efetivaria com uma licitação que se poderia chamar de processo de compactação perfeito.  


Entulho 6 Até a gestão Ademar Delgado (sem partido), o sistema de operação do lixo em Camaçari era responsabilidade do consórcio Abrantes Ambiental. Cabia à Limpec o gerenciamento do aterro, a coleta de entulho e o programa de educação ambiental. Empresa também tinha como missão, até mais primordial, alojar protegidos políticos e fantasmas, como mostrou o Camaçarico de 7 de abril de 2015, nota ‘forceps’ (Confira). Mesmo sem varrer 1 metro quadrado de rua, a Limpec, custou cerca de R$ 21 milhões aos cofres públicos em 2016. 


Entulho 7 Quem não anda nada satisfeito com o prefeito Antonio Elinaldo (DEM) são os cerca de 20 caçambeiros que prestam serviço ao município. Antes recebiam R$ 22 por tonelada de material recolhido e transportado da orla até o aterro sanitário. Agora recebem R$ 7 a mais (R$ 29), mas passaram a pagar os custos com pedágio e o serviço de enchimento das caçambas por máquinas. Dizem que até o diesel, antecipado pela Limpec para posterior acerto de contas no pagamento final, foi suspenso. 


Vagas  O Hospital Geral de Camaçari deve ganhar novos colaboradores nos próximos dias. Controlado pelo governo do estado,  o famoso e problemático HGC vai abrigar aliados do ex-prefeito e deputado federal Luiz Caetano (PT). Candidato derrotado na disputa municipal de outubro, Caetano deve assegurar ao menos duas das 3 diretorias do nosocômio, com salários de aproximadamente R$ 7 mil, além de outras funções na estrutura do HGC. 


Vagas 2 Caetano também emplacou seu pupilo, Tanger Cerqueira, na direção do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (Ceped). Posto símbolo DAS-2B, com salário em torno de R$ 7 mil, era ocupado por Miguel Azcona, irmão da ex-vereadora Del Carmem, esposa do ex-prefeito e atual secretário de governo de Camaçari, Helder Almeida. O Ceped presta assoramento técnico ao governo do estado nas áreas de meio ambiente, pesquisa química, bioquímica e construção civil. Nomeação foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (18). 


Sirene A suplente de vereadora no exercício do mandato, Fafá de Senhorinho (DEM), resolveu dar a sua contribuição ao adoentado sistema de saúde de Camaçari, cidade agora comandada pelo aliado Antonio Elinaldo. Comprou uma ambulância ‘com recursos próprios’ para transporte de pacientes. A novidade foi festejada em sua página do facebook. 


Receita A formação de uma comissão de sindicância para apurar indícios de procedimentos administrativos irregulares, criada pelo secretário da fazenda, Renato Almeida, é exemplo a ser seguido pelos demais colegas de 1º escalão. As ‘distorções’ identificadas na Sefaz é erva daninha conhecida e espalhada em quase todo o jardim municipal.   


Confira todas as Colunas acessando o link http://www.camacariagora.com.br/camacari.php


João Leite – Editor 


18/1/2017

Mais Notícias

Pesquisa mostra crescimento na aceitação de Luciano Huck
Camaçarico 23 de novembro 2017
MP pede o bloqueio de R$ 3 milhões dos bens de Helder
Aposentadoria integral só com 40 anos de contribuição
PF prende casal de ex-governadores do Rio de Janeiro
Juiz Marcelo Bretas diz que a Lava Jato é eterna
Brasil gasta 30% da Previdência com aposentadoria dos mais ricos
MP cobra R$ 3,1 mi de ex-vereador por pagamentos irregulares
ONU considera retrocesso a proposta de proibir o aborto no Brasil
Banco Mundial defende fim do ensino gratuito para os mais ricos


inicio   |   quem somos   |   gente   |   cordel   |   política e políticos   |   entrevista   |   eventos & agenda cultural   |   colunistas   |   fale conosco

©2017 Todos Direitos Reservados - Camaçari Agora - Desenvolvimento: EL